terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Balanço do ano de 2019


No final deste sexto ano desde a fundação do blog "Cais do Pico", e cumprindo com o costume de todos os anos anteriores, é chegada a hora de fazer um balanço anual do que se passou neste blog, tendo em atenção os 305 posts anteriormente publicados durante o ano de 2019.

Antes de mais, agradeço a todo o universo de seguidores deste blog, pois só faz sentido aqui escrever se existir alguém desse lado que tenha interesse em ler. Acima de tudo, o tempo, esforço e dedicação despendidos a escrever sobre um pouco de tudo relacionado com a ilha montanha, sendo dado destaque à zona do Cais do Pico, à vila e ao concelho de São Roque do Pico, têm tido um retorno fantástico; aliás, seja através de comentários neste blog, mensagens para o seu e-mail (mail@caisdopico.pt), contactos via Facebook (facebook.com/blogcaisdopico), Instagram (instagram.com/blogcaisdopico), Twitter (twitter.com/blogcaisdopico) ou abordagem pessoal, várias foram as pessoas que tiveram palavras muito simpáticas para comigo devido ao blog.

Contudo, não poderia deixar de destacar o Prémio de Mérito em Participação Cívica que recebi do Município de São Roque do Pico, o qual muito me honrou e sensibilizou. De igual modo, senti também um grande reconhecimento pelo trabalho efetuado neste blog graças ao convite que me foi endereçado para participar ativamente numa plataforma para discutir o futuro dos Açores.

Por outro lado, continuo a sentir, porventura ainda com mais intensidade, como uma das imagens de marca deste blog é também sinónimo de grande responsabilidade: ter os separadores "Barcos", "Aviões" e "Autocarros" permanentemente atualizados. Em particular, não só estas são das páginas mais visitadas, sobretudo no verão, mas também já fui agradavelmente surpreendido ao ver cópias impressas destas páginas como forma de informação em alguns estabelecimentos comerciais e turísticos. Outros leitores, nomeadamente os da diáspora, já me transmitiram que o "serviço público" do blog é fazer com que se sintam mais perto da terra natal, enquanto que os que residem na ilha montanha já me confidenciaram que o separador "Informações úteis" foi efetivamente de grande utilidade em variadíssimas situações.

Sinceramente, o retorno obtido continua a superar tudo aquilo que alguma vez poderia imaginar; digo isto porque, à primeira vista, parece um tanto ou quanto impossível escrever regularmente só sobre uma ilha no meio do Atlântico, a qual tem menos de 15 mil habitantes, recorrendo para isso apenas ao tempo livre e tendo em consideração que passo grande parte do ano fisicamente ausente da ilha montanha... No entanto, as estatísticas parecem não parar de bater recordes: do meu lado (e confesso que ainda não percebi como consegui), 2019 representou um novo recorde de posts num só ano (contando com este são 306); do lado dos internautas, no início da primavera foi atingida a marca simbólica de um milhão e meio de visualizações, sendo que atualmente já foram superadas as 1,7 milhões de visitas! Mas o momento mais marcante do ano, e totalmente inesperado, foi quando o blog "Cais do Pico" entrou na lista dos 50 blogs mais lidos de Portugal, sendo inclusivamente líder na sua categoria — Cidade / Local! Para mim, este foi um momento de enorme alegria e, simultaneamente, de comoção, pois escrever (apenas e só) sobre um dos locais menos populosos de Portugal, dos mais remotos do país, e mesmo assim ter imensas visualizações no contexto nacional reforçou aquilo que este blog já me tinha demonstrado: por vezes, algo só é pequeno na nossa imaginação e não na prática!

É igualmente justo reconhecer que todas estas marcas também se devem a todos aqueles que deram a conhecer este blog, mais concretamente a outros blogs que incluem o "Cais do Pico" na sua lista de leituras, a quem passou a palavra de boca em boca dos posts aqui publicados e a quem partilhou os mesmos no Facebook/Instagram/Twitter, sendo que a todas estas pessoas renovo o meu agradecimento pela divulgação efetuada.

Em termos de acesso à informação, o blog adaptou-se às redes sociais em voga, nomeadamente através estreia em 2019 no Instagram e no Twitter, isto para além do Facebook já existente — qualquer que seja a plataforma (as quais juntas somam mais de 2.300 seguidores, contabilizando cada uma 29%, 1% e 70% do total, respetivamente), basta procurar por @blogcaisdopico para poder facilmente seguir a informação aqui disponibilizada. Em alternativa, é possível registar um e-mail e receber automaticamente uma mensagem sempre que existir um novo post (consultem a barra lateral direita ou o final da página deste blog para aderir, consoante estejam a visualizar num computador ou num telemóvel, respetivamente). Em qualquer caso, o link de acesso caisdopico.pt é, e pretende-se que continue a ser, uma forma simples, eficaz e de fácil memorização para se poder usufruir ao máximo do blog "Cais do Pico".

Tomando agora a liberdade de destacar algumas das publicações efetuadas durante o sexto "ano de vida" do blog "Cais do Pico", houve um conjunto alargado de posts que terminaram com uma frase comum (para além do habitual "Haja saúde!") e que traduziram aquilo que se sente na ilha montanha: "o Pico está na moda!" Foram inúmeros os indicadores estatísticos que mostraram como a ilha do Pico está em franco crescimento na área do turismo, desde uma impressionante subida quer nas dormidas, quer nos hóspedes, até ao dinheiro deixado pelos estrangeiros; enfim, a ilha montanha está de tal forma no centro das atenções que voltou a merecer uma referência no prestigiado jornal norte-americano 'The New York Times', bem como algumas figuras públicas escolheram este destino para férias; aliás, o encanto pelo Pico chega a ser de tal forma que são os próprios turistas a fazer vídeos de promoção da ilha montanha!

Mas não só no turismo o Pico mostrou a sua pujança: para além de ter sido considerada a mais empreendedora dos Açores, foi nesta ilha que, mais uma vez, se registou o segundo maior número de edifícios licenciados no arquipélago, além de que no mercado imobiliário atingiram-se valores nas casas que ombrearam com as principais cidades de Portugal. Em termos de exportações — e fazendo notar que o tecido produtivo picoense mostrou exemplos de preocupação com o futuro das lapas e de como vale a pena lutar contra medidas centralistas que desviam atividade económica— no Pico é onde mais se produz Carne dos Açores, é onde existem as uvas mais caras de Portugal e a respetiva vinha não só não pára de aumentar, bem como teve direito a destaque na televisão pública francesa. Como resultado, não só vinhos do Pico integram lista dos melhores do ano de 2019, mas também o "néctar dos deuses" com origem na última vindima picarota deverá ter qualidade excecional.

Por falar em vinho, foi através deste blog que se deu a conhecer o "milagre do vinho que transforma os últimos em primeiros", o qual versava o facto de a ilha montanha ter sido preterida como local de realização de uma reunião internacional sobre regiões vinícolas; o escrito deu origem a várias reações, as quais motivaram um novo escrito sobre este mesmo assunto; no fim de contas, eventualmente como efeito indireto de todo o celeuma criado, a verdade é que surgiu a promessa de que um fórum da vinha e do vinho terá lugar no Pico em 2020, tendo como pano de fundo a magnífica Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, a qual venceu novo prémio internacional em 2019, nomeadamente o primeiro lugar na categoria de 'Melhor Desenvolvimento de uma Paisagem Cultural de Relevância Europeia' do European Garden Award.

Houve ainda espaço para outras boas novas, como foram o início da operação do navio 'Mestre Jaime Feijó' (construído para substituir o acidentado 'Mestre Simão') e o início da hemodiálise na ilha do Pico. Além disso, algumas histórias inspiradoras foram partilhadas aqui, nomeadamente a de uma picarota que assinou pelo Benfica e que demonstrou que os melhores dos melhores também podem ser encontrados no Pico, bem como a coragem de um turista com mobilidade muito reduzida que provou ser possível subir a montanha de canadianas, desde que haja força de vontade!

Contudo, também alguns azares e notícias menos boas foram acompanhadas pelo blog "Cais do Pico": 2019 começou com a destruição da bancada do Vitória Futebol Clube e terminou com o mar bravo a causar alguns danos; no entanto, a depressão "Kyllian" e o furacão "Lorenzo" foram os fenómenos naturais que mais marcas destruidora deixaram um pouco por toda a ilha montanha. Ainda neste âmbito de notícias que ninguém gosta de dar, não posso deixar passar o falecimento do antigo cabo-de-mar de São Roque do Pico, pessoa que, além de meu vizinho e amigo, também deu um contributo especial para algum do conteúdo deste blog.

Em todo o caso, e à semelhança de anos anteriores, houve um tema que mereceu um amplo destaque aqui: o Aeroporto da ilha do Pico e o movimento aéreo que serve a ilha montanha. Partindo de um histórico com boas taxas de ocupação, e também graças a um novo recorde de voos semanais de horário e a inúmeros voos extra, o aeroporto da ilha do Pico reentrou no top mundial dos aeroportos mais movimentados, sendo que os voos estiveram bem compostos mesmo fora da época alta. Porém, a SATA mostrou ter lapsos em relação ao Pico, apresentando umas previsões que não faziam muito sentido, o que levou a que fosse oferecida uma calculadora à transportadora aérea regional; todavia, a verdade é que o ano fecha com a indicação de que em 2020 haverá um aumento para 5 voos semanais entre Lisboa e o Pico no verão, ou seja, uma verdadeira oferta de Natal da SATA para os picarotos e quem os visita.

Ainda dentro do tema das acessibilidade aéreas para o Pico, vale a pena recordar a maior novidade que aconteceu no âmbito da petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico" (que tinha sido oficializada em 2017): em fevereiro de 2019, o Governo dos Açores decidiu encomendar um estudo para ampliação da pista do aeroporto do Pico. Embora não tenha havido mais desenvolvimentos concretos, a verdade é que este passo político demonstra como a petição sobre o aeroporto do Pico foi, e continua a ser, um sucesso!

Alargando o tema dos aviões às ilhas do Triângulo, o assunto chegou a ser discutido quer na televisão regional (onde tive a honra de ser um dos convidados), quer televisão nacional. As questões são recorrentes, desde a escassez de oferta face à procura antes mesmo do verão começar, até ao cancelamento de voos por razões técnicas e operacionais. Como resultado, não só o Triângulo se uniu e falou a uma só voz sobre ligações aéreas, mas também houve espaço para uma carta aberta aqui divulgada e que continha uma proposta de soluções para o transporte aéreo nas gateways do Triângulo.

No entanto, não foi só a SATA que teve uma abordagem não consentânea com o respeito que a ilha montanha e os seus vizinhos merecem: a TAP promoveu outro destino à custa do Triângulo e uma agência de viagens propôs voos de São Miguel ao Pico com escala em Lisboa! Em todo o caso, de entre os inúmeros voos que serviram a ilha montanha em 2019, a aterragem crepuscular de um A320 no Pico merece um destaque especial por ter sido a primeira do género (e única até ao momento).

O Porto do Cais do Pico e o seu movimento também não foram esquecidos, tema este que tem sido recorrente neste blog desde a sua fundação. O ano começou com uma decisão política significativa: o novo Terminal Marítimo de Passageiros vai ficar na baía do Cais do Pico. De lá até agora, nada de visível tomou forma e ficou-se, de certo modo, a ver navios, se bem que a Assembleia da República definiu o novo Terminal Marítimo de Passageiros em São Roque do Pico como investimento prioritário, além de que foi anunciado que o modelo para intervenção no Porto do Cais do Pico será testado em 2020. Enquanto se espera por mais novidades, o principal porto comercial da ilha montanha vai mostrando que é bem resiliente, tendo em conta não só as intempéries que assolaram o arquipélago, mas também alguns imprevistos de derramamento de óleo. Por outro lado, a empresa pública de transporte marítimo de passageiros "voltou a fazer das suas" e a servir de forma deficitária os passageiros do Triângulo: mais concretamente, o anúncio de cancelamento de escalas chegou a ser efetuado já depois do horário da respetiva escala!

Aproximando-me do final deste balanço anual, não posso deixar de mencionar a agradável experiência que foi dar voz a alguns posts do blog "Cais do Pico" através da rubrica 'Crónicas da ilha' da Rádio Pico. Gostaria ainda realçar uns posts que me despertaram alguma curiosidade. Em concreto, refiro-me a "O outro 'São Roque do Pico' (que fica no Brasil)" e "Serão estas mós (do Pico) as mais viajadas do mundo?". Outras curiosidades relacionadas com a ilha montanha estão disponíveis no separador "Sabia que...", página esta que eu convido/desafio todos os leitores a (re)lerem e a verificarem se já tinham conhecimento do conteúdo lá apresentado, pois muito dele era desconhecido para mim próprio! Além disso, tomo a liberdade de partilhar de novo uma das fotos originais aqui apresentadas durante 2019 (uma espécie de "imagem do ano", tal como foi feito em balanços anteriores): uma foto do amanhecer ao largo do Pico, tirada em novembro, mas que mais parecia verão, metaforicamente sugerindo que um qualquer dia pode ser grandioso como a montanha do Pico, mesmo quando habitualmente se esperava que assim não fosse [imagem em anexo].

Finalmente, e concluindo este longo post, quero desejar a todos um Feliz Ano Novo de 2020, com muita saúde e boa disposição!

Haja saúde!


Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!