segunda-feira, 31 de maio de 2021

Pico está novamente Covid free


A ilha montanha deixou de registar ontem, 30 de maio de 2021, qualquer caso positivo de COVID-19.

Esta é uma magnífica notícia, a qual se soma a algumas outras estatísticas favoráveis que se podem extrair baseado no que aconteceu no Pico nos últimos 9 dias, isto é, desde a confirmação do primeiro caso positivo da sétima vaga na ilha montanha:
  • Foram confirmados 2 casos positivos de COVID-19 no Pico, sendo que, felizmente, todos recuperaram;
  • Ambos os casos foram registados a 21 de maio e ambos recuperaram nove dias depois;
  • Os casos positivos de COVID-19 desta sétima vaga ocorreram apenas no concelho de São Roque do Pico.

  • [Consultar neste link a evolução da COVID-19 no Pico]

Aproveita-se igualmente para fazer um balanço da vacinação na ilha montanha: segundo os dados oficiais de 28/05/2021, cerca de 57% da população do Pico já tomou a primeira dose da vacina contra a COVID-19, o que representa igualmente a segunda maior taxa de primeira imunização do arquipélago (apenas superada pela ilha do Corvo).

Resta agora esperar que esta pandemia de COVID-19 tenha efetivamente ido embora da ilha montanha, de forma a que se possa afirmar que não só o pico da pandemia já passou, mas também que a pandemia, no Pico, já passou!

De recordar que mais informações sobre a COVID-19 podem ser encontradas no seguinte site:


Haja saúde!

domingo, 30 de maio de 2021

Vista aérea de São Vicente e de Santana


Apresenta-se, em anexo, uns vídeos da autoria de António Faria, os quais mostram imagens aéreas dos lugares de São Vicente e de Santana, ambos pertencentes à freguesia de Santo António, concelho de São Roque do Pico.

Haja saúde!




sábado, 29 de maio de 2021

Workshop de Prova de Vinhos Avançado I


O Laboratório Regional de Enologia (LRE) promove a 6 de junho de 2021, no Pico, a realização de um workshop gratuito de Prova de Vinhos Avançado I.

A iniciativa, limitada a 14 participantes, vai decorrer na Sala de Provas do LRE [onde são cumpridas todas as recomendações da DGS para a lotação e cumprimento do distanciamento social e aplicada a legislação regional para os eventos públicos], estando a formação a cargo de Ana Romão.

Este evento decorrerá sob a forma de uma sessão, com início às 10h30, interrupção para almoço às 13h00 e término por volta das 17h30.

As inscrições são efetuadas através do formulário disponível em: 


Os participantes devem trazer uma garrafa de vinho, que consta de uma lista que será disponibilizada por e-mail aquando da sua inscrição.

Haja saúde!


sexta-feira, 28 de maio de 2021

Dragoeiros do Museu do Vinho: entre a vida e a morte – a salvação


O grande dragoeiro do Museu do Vinho foi, recentemente, alvo de intervenção, isto após terem sido detetadas algumas debilidades ao nível da folhagem e dos ramos, os quais ficavam ocos e começavam a cair. 

Com a visível e crescente degradação do exemplar foram, desde logo, tomadas medidas de combate à doença detetada, em articulação com algumas entidades especializadas na matéria.

As ações de tratamento e conservação permitiram alcançar resultados muito positivos, notando-se uma revitalização do grande dragoeiro, sobretudo ao nível da folhagem e do reaparecimento de bagas.

[Fonte: Museu do Pico]

Haja saúde!





quinta-feira, 27 de maio de 2021

Pix Chess


Um grupo de picarotos formou um clube de xadrez online na plataforma 'chess.com', baptizado como “Pix Chess”. A página do clube (na plataforma anteriormente mencionada) está disponível em

O “Pix Chess” tem disputado inúmeros torneios internos, bem como torneios contra outros clubes. Todavia, e para dar mais dinâmica ao clube, seria interessante mais pessoas aderirem ao “Pix Chess”, estando por esse motivo abertas as inscrições para novos membros.

Quem tiver interesse em participar no clube só terá de se inscrever na plataforma 'chess.com' (cuja inscrição é gratuita) e, posteriormente, pedir para ser adicionado ao “Pix Chess”. O único requisito para admissão é serem picarotos (seja por nascença ou por residência).

Em suma, o processo de adesão é o seguinte:
  1. Inscrição na plataforma 'chess.com';
  2. Remeter o pedido para entrar no clube ao respetivo administrador, designadamente através do linkhttps://www.chess.com/messages/compose/nunocsousa .

Haja saúde!

quarta-feira, 26 de maio de 2021

Debate online sobre o Aeroporto da ilha do Pico


O Grupo ‘Aeroporto do Pico’ promove esta sexta-feira, 28 de maio de 2021, pelas 21h00 [hora dos Açores], um debate online sobre a infraestrutura aeroportuária da ilha montanha.

Em particular, pretende-se transmitir e explanar diversas estatísticas recolhidas pelo Grupo ‘Aeroporto do Pico’, bem como clarificar assuntos de elevada importância, designadamente soluções para o prolongamento da pista. Por outro lado, o Grupo ‘Aeroporto do Pico’ pretende igualmente não só escutar os anseios de todos os interessados, mas também recolher todas as sugestões que o público em geral queira dar.

Este debate online terá lugar na plataforma Zoom, sendo que estão todos convidados a participar no mesmo através do seguinte link [ou recorrendo aos dados específicos da respetiva sessão Zoom e que também se indicam de seguida]:

[Sessão Zoom — ID: 863 3993 9892 | password: 2351]

Em alternativa, o debate poderá igualmente ser acompanhado na página de Facebook do Grupo ‘Aeroporto do Pico’ [nota importante: através do Facebook não será possível intervir no debate; dará somente para visualizar o que estiver a ser projetado e para escutar os intervenientes que ingressem na sessão Zoom supramencionada].

De forma a que seja abordado o máximo de temas de interesse para a audiência, o Grupo ‘Aeroporto do Pico’ convida desde já todos os interessados a submeterem para o e-mail


as suas questões e/ou sugestões do que gostariam que fosse tratado neste debate sobre a infraestrutura aeroportuária da ilha montanha.

Haja saúde!

Post scriptum: Anexado vídeo do debate e respetivos comentários públicos da sessão Zoom.


— Genuína Sousa: Boa noite. Parabéns pelo vosso empenho nesta causa e votos de um profícuo debate!
— Bruno Rodrigues: Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=XRGchKi89Mw
— Nelson Xavier: Olá boa noite. Só para salientar que relativamente à aviação privada, para tornar o Pico mais apelativo a quem pratica aviação privada/lúdica e queira vir voar para cá, assim como para promover a prática a nível local destas atividades, a falta de condições prende-se com ausência de hangar para albergar aeronaves visitantes e locais que possam vir a existir, assim como a ausência de possibilidade de abastecimento do avgas, que é a gasolina usada pela maioria dos aviões a pistão que continuam a ser o tipo de avião ligeiro privado mais largamente usado "lá fora". Criar condições para este tipo de aviação abriria caminho a mais possibilidades de visita por parte de turistas com avião próprio, assim como a abertura de nichos de negócios inexplorados cá, mas do interesse de muitos "tipos" de turismo (enquadrados no termo "turismo de qualidade").
— Jorge Alves Jorge: Boa noite. Parabéns pela iniciativa e por todo o trabalho realizado em prol do aeroporto e da ilha do Pico. Existe um caminho a percorrer, mas pessoalmente tenho a convicção que em pouco tempo poderá haver boas noticias sobre este assunto, assim o permita o novo quadro comunitário. Estou ao vosso dispor para o que acharem necessário. Abraço a todos.
— José Feliciano: Boa noite, realmente estive envolto nessa situação de novembro e vinham todos os dias várias viagens de semirrígido.
— Genuína Sousa: Cumprimento todos os intervenientes no debate pela qualidade e pertinência das suas opiniões.


terça-feira, 25 de maio de 2021

segunda-feira, 24 de maio de 2021

Festa do Divino Espírito Santo em tempos de pandemia


Celebra-se hoje, 51 dias depois da Páscoa, a Segunda-feira do Espírito Santo — dia de Feriado Regional na Região Autónoma dos Açores e igualmente o dia onde teria lugar a Festa do Divino Espírito Santo no Cais do Pico, vila de São Roque do Pico.

Contudo, devido à pandemia de COVID-19 e à semelhança do ano passado, a festa não se realiza neste vigésimo quarto dia de maio de 2021, retomando (esperamos todos nós) no próximo ano de 2022.

A pandemia pode ter impedido a celebração do Divino Espírito Santo no Cais do Pico, mas isso não significa que se suspenda toda tradição. Mais concretamente, nestes tempos onde através de take-away se conseguiu servir algumas Sopas do Espírito Santo, o blog 'Cais do Pico' oferece, em anexo, o Hino do Divino Espírito Santo, para que todos aqueles que assim o queiram possam mais facilmente celebrar, à distância de um clique, esta tão importante festa açoriana.

Haja saúde!

Hino do Divino Espírito Santo


domingo, 23 de maio de 2021

Análise comparativa de soluções para a pista do aeroporto do Pico


No seguimento de uma nova revelação sobre o “Estudo para a Avaliação das Condições de Operacionalidade do Aeródromo da Ilha do Pico” por parte do jornal 'Diário dos Açores' [edição n.º 42.464, de 28 de abril de 2021] — nomeadamente a divulgação de dados mais técnicos — e tendo em conta uma revelação anterior por parte do mesmo periódico sobre este mesmo estudo [edição n.º 42.457, de 20 de abril de 2021], o parecer técnico remetido à Comissão de Economia da Assembleia Legislativa Regional dos Açores aquando da discussão da petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico", e as declarações públicas sobre este tema por parte de vários responsáveis políticos, o Grupo 'Aeroporto do Pico' levou a cabo uma análise comparativa de diversas soluções possíveis para a pista do Aeroporto da ilha do Pico, análise essa que se apresenta de seguida.

Em primeiro lugar, o objetivo da presente análise é inferir quais as restrições de operacionalidade existentes no aeroporto do Pico para o conjunto das aeronaves de médio curso mais utilizadas no mundo, bem como qual a diminuição verificada nessas restrições de acordo com diversas soluções possíveis para o prolongamento da pista da ilha montanha. Para esse efeito, foram identificados 15 tipos de aviões, indicados na Tabela 1, aos quais se juntam os aviões interilhas que operam atualmente no Pico. Para cada uma das aeronaves apresentadas indica-se também os valores de comprimento de pista necessários para descolagem (TOR - TakeOff Run), aterragem sem chuva (LDd - Landing Distance dry) e aterragem com chuva (LDw - Landing Distance wet) — nota: atendendo a que o comprimento de pista necessário à operação de uma qualquer aeronave depende de inúmeros fatores (designadamente modelo/variante específica, altitude da pista, condições atmosféricas, peso a bordo, etc.), foram considerados os valores típicos indicados pelos fabricantes para uma descolagem/aterragem ao nível do mar, com temperatura do ar a rondar os 15 ºC e com o peso máximo admitido à descolagem (MTOW - Maximum TakeOff Weight) e à aterragem (MLW - Maximum Landing Weight); para as condições de aterragem com chuva foi considerado um valor indicativo de uma distância de travagem extra de 150 m para todas as situações, isto porque as inúmeras variáveis envolvidas fazem com que esta distância varie bastante para cada voo em particular.


Atente-se agora às condições atuais da pista do aeroporto do Pico: as respetivas distâncias declaradas para descolagem (TORA - TakeOff Run Available) e aterragem (LDA - Landing Distance Available) dependem da orientação da pista, tal como indicado na Tabela 2 [anexa-se igualmente a "Carta de Aeródromo" do aeroporto da ilha montanha]. Posto isto, na análise subsequente será considerada a situação mais restritiva [ou seja, TORA = 1655 m e LDA = 1580 m].



Tendo então por base as revelações sobre o “Estudo para a Avaliação das Condições de Operacionalidade do Aeródromo da Ilha do Pico”, as primeiras duas soluções de ampliação a considerar nesta análise para a pista do aeroporto do Pico correspondem à 'Solução 1' e à 'Solução 2' do estudo supramencionado, doravante abreviadas por S1 e S2, respetivamente.

Em particular, a solução S1 mantém a distância de aterragem declarada atual [LDA = 1580 m], aumentando apenas a distância de descolagem em somente 230 m [TORA = 1885 m], isto com um custo estimado de 17,025 milhões de euros. A solução S2, por sua vez, aumenta ambas as distâncias declaradas em cerca de 700 m e torna-as iguais [TORA = 2345 m e LDA = 2345 m], isto com um custo estimado de 29,5 milhões de euros.

Serão igualmente consideradas nesta análise outras duas soluções adicionais: a primeira, aqui abreviada por SP, emana do já referido parecer técnico remetido à Comissão de Economia aquando da discussão da petição pública supracitada e é um tanto ao quanto semelhante à solução S2 — mais concretamente, a distância de descolagem é muito semelhante (aumento de 645 m) [TORA = 2300 m], havendo uma diferença mais significativa na distância de aterragem declarada [LDA = 2000 m], isto devido à assunção de áreas de segurança de fim de pista (RESAs - Runway End Safety Areas) maiores na solução SP do que na S2; a segunda solução adicional, aqui abreviada por SA, corresponde a uma solução alternativa onde se considera que a aeronave A321neo consegue aterrar sem restrições (embora as mantenha à descolagem), o que resulta numa ampliação de apenas cerca de 345 m [TORA = 2000 m e LDA = 2000 m]. Para estas duas soluções, os custos estimados são obtidos a partir de uma regressão linear tendo por base os custos para as soluções S1 e S2, o que resulta num custo de cerca de 28,28 milhões de euros para solução SP e de cerca de 20,14 milhões de euros para solução SP.

A Tabela 3 resume os dados indicados anteriormente para as distâncias declaradas em função das diversas soluções consideradas.


Combinando os dados da Tabela 1 com os dados da Tabela 3, é possível então inferir quais as restrições associadas a cada aeronave considerada em função da respetiva solução de ampliação da pista do Aeroporto da ilha do Pico — estas restrições encontram-se sintetizadas na Tabela 4, tendo por base quatro tipos de resultados: sem restrições (OK a verde); restrições apenas à descolagem (xD a amarelo); restrições à descolagem e à aterragem com chuva (xW a laranja); sem condições mínimas para operação, devido a fortes restrições à aterragem mesmo com bom tempo (XX a vermelho).


Os resultados obtidos mostram que, das 17 aeronaves consideradas, apenas três operam sem restrições na pista atual do Pico; notando que duas delas correspondem aos aviões utilizados nas ligações interilhas, isto significa que apenas a aeronave de médio curso A220-100 consegue operar sem restrições na ilha montanha. Por outro lado, das 14 aeronaves que apresentam restrições com as condições aeroportuárias existentes, cinco têm limitações menos gravosas, nomeadamente apenas à descolagem, o que mesmo assim implica redução do alcance à partida do Pico e/ou redução de passageiros/carga à descolagem. Os resultados mostram igualmente como a aeronave A320 — que hoje efetua a ligação Lisboa/Pico/Lisboa — tem restrições na aterragem na ilha montanha aquando de dias com chuva, o que está em linha com a carga/bagagem deixada na capital portuguesa em dias de mau tempo; conclusão idêntica é obtida para a aeronave B737-800, a qual era operada pela TUI na sua operação Amesterdão/Pico/Ponta Delgada/Amesterdão, compreendendo-se assim melhor o porquê do abandono desta operação, designadamente a eliminação da escala na ilha montanha. Por outras palavras, estas duas aeronaves (A320 e B737-800) conseguem operar atualmente no Pico mas no limite mais baixo do seu desempenho. Vale ainda a pena notar que existem quatro aeronaves que teriam limitações muito severas se operassem no Pico nas condições atuais, onde se inclui o A321neo — o principal modelo de médio curso da transportadora aérea regional SATA/Azores airlines.

Recordando que a solução S1 não altera a distância de aterragem face à situação atual, o número de aeronaves que não teria qualquer restrição sobe de três para apenas cinco face à situação atual; por outras palavras, 12 aeronaves continuariam com algum tipo de restrição ao operar no Pico, pelo que o investimento associado de cerca de 17 milhões de euros não traria assim grande benefício.

Atendendo agora à solução S2, fica patente a melhoria significativa das condições de operacionalidade que esta solução traria ao Aeroporto da ilha do Pico: 14 das 17 aeronaves consideradas operariam sem restrições, sendo que as restantes apenas teriam restrições à descolagem. A título de exemplo, poder-se-ia tirar o máximo partido do A320 (avião que liga atualmente o Pico a Lisboa) e do A321neo (maior avião da SATA/Azores Airlines), quer ainda do B737-800 (modelo habitual da TUI).

Conclusão igual à anterior é obtida para a solução SP, pois (tal como referido anteriormente) esta solução é muito semelhante à solução S2 (diferindo apenas em cerca de 45 m de comprimento total).

A solução SA volta a apresentar mais de metade das aeronaves com restrições na operação no Pico — designadamente 9 em 17 — pese embora sejam restrições apenas à descolagem. Em todo o caso, é de salientar que aeronaves como o A320 (avião que liga atualmente o Pico a Lisboa), o A321neo (maior avião da SATA/Azores Airlines) e o B737-800 (modelo habitual da TUI) não poderiam ser exploradas no máximo das suas capacidades.

Tendo em conta tudo o que foi dito até ao momento, fica claro que a escolha acertada para o aumento da pista do Aeroporto da ilha do Pico recai claramente numa solução do tipo da S2 ou da SP, ou seja, um prolongamento da ordem dos 700 m.

Alguns dirão que eventualmente a solução SA seria um bom compromisso entre o custo da ampliação da pista e o benefício associado; no entanto, uma poupança no investimento inicial pode se revelar uma forte perda de receita a médio prazo. Concretizando, a diferença estimada de investimento entre a solução S2 e a SA é de cerca de 9,36 milhões de euros, o que representa 1,4 milhões de euros para os cofres públicos regionais se houver o financiamento habitual de 85% por parte de projetos europeus; se, devido a restrições à descolagem no Pico, uma companhia aérea — como seja a SATA/Azores Airlines (cujo acionista único é a Região) — tiver um prejuízo potencial médio de 2 mil euros por voo (por exemplo, por não poder vender a totalidade dos lugares ou por ter de recusar carga aérea), e se for considerado um conjunto de 150 voos de médio curso por ano a operar no Pico (grosso modo, o que já existe entre Lisboa e a ilha montanha), então em cinco anos (apenas!) se perderia um milhão e meio de euros, ou seja, mais do que os 1,4 milhões de euros poupados inicialmente!

Em suma, fica assim demonstrado como a solução adequada para a pista do aeroporto do Pico consiste no seu aumento em cerca de 700 m, solução esta que criaria um aeroporto capaz de servir condignamente as necessidades atuais e futuras da ilha montanha.

Por fim, uma pequena curiosidade: se a pista do Aeroporto da ilha do Pico aumentar exatamente 696 m, o seu comprimento passaria a ser de 2351 m, o que não só corresponde à altitude do ponto mais alto de Portugal, mas também equivaleria a uma solução de prolongamento da pista do tipo S2/SP, isto é, seria igualmente uma escolha acertada — é caso para dizer que até a montanha do Pico aponta na direção certa de quanto deve aumentar a pista do aeroporto da sua ilha.

Haja saúde!

Grupo Aeroporto do Pico

Ivo Sousa
Bruno Rodrigues
Luís Ferreira

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 1432 do 'Ilha Maior', de 28 de maio de 2021, e na edição n.º 42.489 do 'Diário dos Açores', de 29 de maio de 2021.


sábado, 22 de maio de 2021

COVID-19 está de volta ao Pico


A ilha montanha registou ontem, 21 de maio de 2021, o reaparecimento de casos positivos de COVID-19.

Esta ocorrência volta a colocar o Pico como uma das ilhas onde existem casos ativos relacionados com a infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, o qual causa a doença COVID-19, isto pouco mais de dois meses após a recuperação total dos casos anteriormente existentes na ilha montanha.

[Consultar neste link a evolução da COVID-19 no Pico]

De recordar que mais informações sobre esta pandemia podem ser encontradas no seguinte site:



Haja saúde!

sexta-feira, 21 de maio de 2021

TVI veio ao Pico descobrir os seus segredos e encantos

A ilha do Pico é um dos destinos mais procurados pelos turistas que privilegiam a natureza. A ilha montanha esconde segredos e encantos que a TVI foi descobrir. 
Foi com esta justificativa que a estação televisiva portuguesa TVI veio ao Pico e produziu duas reportagens sobre a ilha montanha [em anexo].


Os produtos lácteos do Pico foram os protagonistas da segunda reportagem, com a TVI a evidenciar como um queijo produzido na ilha montanha é cobiçado na Europa e já chegou aos Estados Unidos da América, bem como o facto de a manteiga 'Rainha do Pico' ser usada na alta cozinha.

Haja saúde!

Post scriptum: Adicionada mais uma (terceira) reportagem da TVI relacionada com a sua visita ao Pico.







quinta-feira, 20 de maio de 2021

Concurso para letra do Hino Municipal de São Roque do Pico


Encontra-se aberto o concurso público para escolher uma composição que será oficializada como letra oficial do hino de São Roque do Pico.

O concurso pretende estimular a participação cívica, o talento e a criação artística dos munícipes, valorizar os festejos cívicos do concelho e contribuir para o desenvolvimento artístico e cultural da comunidade de São Roque do Pico.

Aprovado em Assembleia Municipal a 19 de abril de 2021, por proposta da Câmara Municipal, o Regulamento define que a letra para a música existente da autoria de Helder Bettencourt deverá promover e enaltecer feitos e glórias do passado e do presente de São Roque do Pico, destacando as suas gentes e as peculiaridades sociais e históricas.

Serão aceites a concurso textos inéditos excluindo-se os que tenham já sido tornados públicos, tenham resultado de uma encomenda ou que tenham sido premiados em qualquer outro concurso.

Ao trabalho vencedor será atribuído, pelo Município de São Roque do Pico, um prémio monetário no valor de 300,00 € (trezentos euros).

Os interessados — público em geral — devem enviar a sua proposta até 14 de junho, cabendo ao júri composto por quatro elementos indicados pelo Município, com conhecimentos na área da música e literatura, avaliar as propostas.

Cada candidato só pode apresentar um trabalho a concurso.

As candidaturas devem ser entregues em mão na Câmara Municipal de São Roque, durante o horário de expediente (de segunda a sexta-feira das 08h30 às 16h30); ou via correio por carta registada e com aviso de receção, dirigida a:

Câmara Municipal de São Roque do Pico
Alameda 10 de Novembro de 1542
9940-353 São Roque do Pico
Açores-Portugal

O Regulamento do concurso pode ser consultado neste link [onde podem ser consultadas as imposições técnicas].


Haja saúde!

quarta-feira, 19 de maio de 2021

Museu do Vinho no Cultura Açores


O Museu do Vinho, um dos três pólos do Museu do Pico, esteve em destaque no programa 'Cultura Açores', de dia 12 de maio de 2021, na RTP-Açores — um episódio que pode agora ser revisto em anexo.

Haja saúde!



terça-feira, 18 de maio de 2021

Vinhos do Pico premiados em concurso nacional


A primeira edição do Concurso Cidades do Vinho, onde concorreram 550 vinhos, ficou marcada pela conquista de quatro medalhas para vinhos do Pico.

O 'Licoroso 10 Anos', da CVIP [Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico], obteve 92,00 pontos, tendo sido por isso distinguido com a Grande Medalha de Ouro na categoria "Vinhos Licorosos".

O 'Projetos Vinho Espumante', também da CVIP, obteve 89,33 pontos, o que lhe valeu a Medalha de Ouro na categoria "Vinhos Espumantes".

O vinho 'A Cerca dos Frades-Colheita Selecionada Terrantez do Pico (2019)', da Tito’s Adega, obteve 89,00 pontos, tendo sido por isso distinguido com a Medalha de Ouro na categoria "Vinhos Tranquilos".

O 'Czar (2013) ', do produtor Fortunato Garcia, obteve 87,67 pontos, o que lhe valeu a Medalha de Prata na categoria "Vinhos Licorosos".

Organizado conjuntamente pela AMPV [Associação de Municípios Portugueses do Vinho] e pela Associação das Rotas dos Vinhos de Portugal, com o Alto Patrocínio do Presidente da República, o Concurso Vinhos de Portugal surgiu com o objetivo de promover conjuntamente os vinhos e os territórios, valorizando a autenticidade e a diferenciação.

Ao assegurar estas quatro medalhas, os quatro vinhos produzidos no Pico garantiram presença no Concurso Europeu que irá decorrer durante este mês de maio, em Itália, promovido pela associação italiana Città del Vino.

Por fim, e fazendo notar que somente 160 vinhos foram premiados, este concurso mostra como não só o que se faz e produz na ilha montanha é de excelência, mas também como a qualidade superior dos vinhos do Pico já representa 2,5% da elite nacional.

Haja saúde!


segunda-feira, 17 de maio de 2021

Pico: uma ilha à mesa, uma montanha no coração

Às voltas pelo Pico, com os olhos no mar e na terra, entre bons pratos e boas mesas, a gente da terra e novos projectos.
É este o mote do grande destaque da edição n.º 11.341 do jornal Público, de 15 de maio de 2021. Em particular, não só este diário teve a ilha montanha como destaque de capa, mas também o suplemento 'Fugas' incluiu seis artigos dedicados ao Pico [os quais podem ser lidos online carregando no respetivo link]:

Haja saúde!


domingo, 16 de maio de 2021

Adega de Santana conquista cinco medalhas no 10.° Concurso Nacional de Licores Tradicionais


A primeira participação em concursos de licores tradicionais por parte da Adega de Santana — nomeadamente no 10.° Concurso Nacional de Licores Tradicionais — revelou ser um enorme sucesso: esta adega sediada no concelho de São Roque do Pico (mais precisamente no lugar de Sant’Ana, freguesia de Santo António) conquistou cinco medalhas (em seis licores que submeteu a concurso):
  • Ouro
    • Licor de Amora
  • Prata
    • Licor de Nêveda
  • Bronze
    • Licor de Ananás
    • Licor de Mel
    • Licor de Limão 
Sob o lema "O sabor do Pico em cada garrafa!", a Adega de Santana consegue, assim, reforçar o sentimento de que o que se faz e produz na ilha montanha é de excelência.

Haja saúde!



sábado, 15 de maio de 2021

Centro de Saúde de São Roque do Pico terá novo equipamento de Raio-X


O Centro de Saúde de São Roque do Pico vai dispor de um novo equipamento de Raio-X, sendo que o contrato de aquisição foi assinado na passada terça-feira (11 de maio de 2021) entre o Secretário Regional da Saúde e Desporto e o Conselho de Administração da Unidade de Saúde de Ilha do Pico, durante uma visita àquele Centro de Saúde.

O investimento total ascende a 158 mil euros e vai permitir dotar a Unidade de um equipamento que vai substituir outro em uso desde a construção do atual Centro de Saúde de São Roque do Pico, há 25 anos.

Para Clélio Meneses, este é um passo importante para a prestação de cuidados de saúde no Pico, e corresponde a uma reivindicação de longa data, que o atual Governo Regional dos Açores decidiu satisfazer, para melhorar a prestação de cuidados de saúde no concelho e na ilha.

[Fonte: GRA / RP]

Haja saúde!



sexta-feira, 14 de maio de 2021

Duques de Bragança visitam o Pico


No próximo domingo, 16 de maio de 2021, os Duques de Bragança — o Senhor Dom Duarte, a Senhora Dona Isabel e o seu filho Senhor Dom Afonso — estarão na ilha montanha. Esta visita está integrada num périplo de quatro dias por quatro ilha açorianas, designadamente Terceira, Pico, Faial e São Miguel [programa completo desta visita em anexo].

No Pico, os Duques de Bragança participarão num almoço com os Presidentes das Câmara Municipais dos três concelhos picoenses, estando igualmente planeadas visitas à Área de Paisagem Protegida e ao Parque Natural da ilha do Pico; o Senhor Dom Afonso pretende subir (com guia) a montanha mais alta de Portugal e, para finalizar o dia, os Duques pernoitarão no Pico, num local com vista para a ilha de São Jorge.

Desconhecendo-se se a escalada será acompanhada pelo "rei da montanha" ou se haverá apresentação de cumprimentos ao "primo" D. Dinis, que se encontra no Cais do Pico, certo é que esta visita dos pretendentes à Coroa de Portugal à ilha montanha é, indubitavelmente, uma honra e um reconhecimento da importância do Pico no contexto português, em geral, e açoriano, em particular.

Haja saúde!



Entre 15 de 18 de maio, os Duques de Bragança — o Senhor Dom Duarte, a Senhora Dona Isabel e o seu filho Senhor Dom Afonso — visitam os Açores, designadamente as ilhas Terceira, Pico, Faial e São Miguel. A visita é promovida pelas Reais Associações da ilha Terceira e da ilha de São Miguel, conta com a colaboração de entidades públicas e privadas das várias ilhas envolvidas e, como normalmente acontece, com o interesse e amizade das pessoas das terras visitadas.

Na ilha Terceira, no dia 15 de maio, data de aniversário do Senhor Dom Duarte, está prevista a participação de SS.AA.RR. na missa vespertina das 18H00 na Sé Catedral. Às 19H00, os Duques de Bragança estarão presentes na Conferência no Salão Nobre da Câmara de Angra do Heroísmo, onde o Professor Avelino de Meneses da Universidade dos Açores analisará a História Contemporânea dos Açores, e às 20H30 haverá um jantar com as pessoas que se quiserem inscrever dentro dos limites indicados pelas medidas relacionadas com a pandemia.

No Pico, no dia 16 de maio, haverá um almoço com os Presidentes das Câmara Municipais do Pico, uma visita à Área de Paisagem Protegida e ao Parque Natural da ilha do Pico, a subida guiada à montanha pelo Senhor Dom Afonso e estadia com vista para a ilha de São Jorge.

No dia 17 de manhã os Duques de Bragança e o seu filho Dom Afonso atravessarão o canal para a Horta e terão um encontro com o Presidente da Assembleia Legislativa Regional dos Açores, com representantes dos Grupos Parlamentares e com o Presidente do Governo Regional da Região Autónoma dos Açores. Ainda na Horta haverá uma conferência pelas 15H30 no Hotel do Canal sobre “O direito vigente responde aos desafios atuais do mar?”, que tem como palestrante a Professora Assunção Cristas, da Universidade Nova de Lisboa.

Nesse mesmo dia, ao fim da tarde, viajarão até São Miguel, onde pernoitarão e terão possibilidade de conviver com os micaelenses, naturalmente dentro dos limites relacionados com a pandemia. Depois de almoço do dia 18 de maio, embarcam de regresso a Lisboa.



quinta-feira, 13 de maio de 2021

Também D. Dinis o diz: Força Sporting Allez!


Com um olhar permanente sobre a baía do Cais do Pico, El Rei D. Dinis decidiu celebrar também, no coração da vila de São Roque do Pico, a conquista do campeonato 2020/2021 de futebol masculino por parte do Sporting Clube de Portugal.

Ostentando não só o respetivo cachecol, mas também uma bandeira de apoio ao clube verde e branco, D. Dinis era claro na mensagem que queria transmitir neste momento de festa, alegria e celebração no universo leonino: Força Sporting Allez!

São desconhecidas as razões para este apoio de D. Dinis ao Sporting Clube de Portugal, mas tudo indica que ele havia sido informado, há quase 19 anos atrás, que deixaria de somente ficar a ver navios na baía do Cais do Pico e passaria também a ver a melhoria do porto comercial e requalificação da respetiva baía (de modo a possibilitar a operação em simultâneo da atividade de carga e de passageiros) quando o Sporting fosse campeão...

Haja saúde!

quarta-feira, 12 de maio de 2021

Museu do Pico no Geocaching


O Museu do Pico aderiu ao Geocaching, uma atividade ao ar livre que funciona como uma espécie de “caça ao tesouro” no mundo real, através de coordenadas GPS. Os praticantes (geocachers) deslocam-se até ao local indicado e procuram uma pequena caixa (geocache ou cache) que se encontra escondida.

Por norma, cada cache está colocada num sítio com algum tipo de interesse, seja ele histórico, uma paisagem digna de ser fotografada, um ponto conhecido numa cidade ou uma cascata escondida no meio do nada.

O principal objetivo é dar a conhecer novos locais ou, caso já os conheça, descobrir pequenos tesouros escondidos em objetos do dia-a-dia em que geralmente ninguém repara.

Desta forma, o Museu do Pico dá a conhecer os 3 pólos que o compõem: Museu dos Baleeiros, Museu da Indústria Baleeira e Museu do Vinho.

Haja saúde!

terça-feira, 11 de maio de 2021

Manuel da Silveira — o picaroto que já foi o homem mais forte do mundo


O halterofilismo é uma das modalidades mais antigas a ser praticadas no nosso país, apontando os historiadores o ano de 1860 como aquele em que ela foi oficialmente introduzida em terras lusitanas. Contudo, é só no início do século XX que surge aquele que muitos consideram como o grande nome do halterofilismo nacional: Manuel Paulo da Silveira. 

Nascido na ilha do Pico em 21 de outubro de 1867, mais precisamente na freguesia de Santo Amaro, concelho de São Roque do Pico, Manuel da Silveira é aquilo a que podemos chamar de um... herói acidental. Assim o foi porque descobriu o seu enorme talento — e sobretudo força física — devido ao... reumatismo!

Emigrante desde muito novo, andou pelos Estados Unidos da América e por São Tomé e Príncipe, regressando a Portugal em 1903, e com um problema de saúde, o reumatismo. Consultando um médico, foi-lhe dito que com algum exercício físico as dores que o atormentavam talvez o pudessem deixar sossegado. De imediato se inscreveu no Real Ginásio Clube Português, onde com 36 anos de idade se iniciou na modalidade que haveria de lhe conceder a imortalidade.

Revelou-se de pronto um levantador de peso excecional, tendo nos anos que se seguiram alcançado inúmeros recordes nacionais e internacionais. Em 1905, Manuel da Silveira venceu de forma esmagadora o II Campeonato Nacional de Força. Em Paris, no ano de 1908, bateu uma série de recordes mundiais, alguns deles só ao alcance de um autêntico fenómeno de força. O destaque na capital francesa vai para o levantamento de um alter com 186,5 kg, superando em 36,5 kg o recorde mundial anterior!

As façanhas de Manuel da Silveira tiveram um forte impacto no nosso país, pois nos anos seguintes outros atletas de peso, com peso e talento seguiram-lhe as pisadas.



Manuel da Silveira não só espantou o mundo, mas também fez jus ao que significa ser um verdadeiro Homem do Pico: uma força da natureza!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 42.479 do 'Diário dos Açores', de 16 de maio de 2021, bem como na edição n.º 889 do 'Jornal do Pico', de 21 de maio de 2021.

segunda-feira, 10 de maio de 2021

Pico, ilha radiofónica


O Pico tem três radiodifusoras locais — Rádio Cais, Rádio Montanha e Rádio Pico — as quais tornam efetivamente esta ilha numa ilha radiofónica.

Para sustentar esta afirmação, note-se que, de acordo com a ANACOM [a autoridade reguladora nacional no âmbito das comunicações], nos Açores existem 22 rádios locais autorizadas a transmitir em FM. Ora bem, como três destas rádios estão sediadas no Pico, temos então que cerca de 14% das rádios locais açorianas são picoenses, o que, em termos proporcionais, é bastante superior à respetiva população residente nesta ilha, que não ultrapassa os 6% do total regional. Por outras palavras, existe um maior dinamismo radiofónico na ilha montanha do que à primeira vista seria expectável.

Além disso, a afirmação "Pico, ilha radiofónica" também pode ser comprovada em termos absolutos: o Pico é a terceira ilha dos Açores com mais rádios locais, apenas superada por São Miguel, com 8 rádios locais, e pela Terceira, com 5 rádios locais. Porém, neste último caso há que notar que duas dessas rádios locais são radiodifusoras de origem militar, nomeadamente da Força Aérea Portuguesa e da Força Aérea Norte-Americana; assim, pode-se afirmar que, em termos de rádios locais civis, o Pico ocupa o segundo lugar do pódio a nível Açores, igualando-se à Terceira, facto este digno de registo ainda para mais porque o Pico tem quatro vezes menos população do que a Terceira.

Ainda dentro deste tema das rádios, vale a pena fazer referência ao alcance que um qualquer programa radiofónico do Pico pode ter, isto em termos de propagação eletromagnética em FM. Em primeiro lugar, os emissores da Rádio Pico, da Rádio Montanha e da Rádio Cais permitem, quando vistos em conjunto, uma excelente cobertura não só da ilha do Pico, mas também da zona este da ilha do Faial, onde se inclui a cidade da Horta, e da zona sul da ilha de São Jorge, onde se localizam as duas vilas desta ilha.

Por outras palavras, um programa, se e quando em simultâneo nestas três rádio, chega facilmente à esmagadora maioria da população do Triângulo, mas não se fica por aqui. Também é possível escutar o mesmo, recorrendo a um qualquer rádio FM, em alguma zonas das ilhas Graciosa e Terceira.

Contudo, existe ainda uma possibilidade, que não é assim tão rara, de um programa chegar ainda mais longe numa transmissão em FM. Concretizando, existe um fenómeno designado por "ducto atmosférico", sob o qual a propagação eletromagnética alcança distâncias superiores ao normal. Esse fenómeno ocorre quando massas de ar quente se deslocam por cima de águas mais frias, o que não é incomum em alguns dias de bom tempo no Atlântico Norte.

Assim, e em termos científicos, pode acontecer que um programa radiofónico picaroto venha a ser escutado num rádio FM de quem esteja, por exemplo, nas Flores ou em São Miguel, ou mesmo no arquipélago da Madeira, não sendo também de descartar escutas nas ilhas Canárias!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 888 do 'Jornal do Pico', de 14 de maio de 2021.

domingo, 9 de maio de 2021

Vista aérea da Vila de São Roque do Pico


Apresenta-se, em anexo, um vídeo da autoria de António Faria, o qual mostra imagens aéreas da Vila de São Roque do Pico, nomeadamente do lugar do Cais do Pico e da zona envolvente da Igreja Matriz de São Roque.

Haja saúde!



sábado, 8 de maio de 2021

Reserva Florestal de Recreio de Santa Luzia


A Reserva Florestal de Recreio de Santa Luzia, tal como o viveiro com o mesmo nome, está enquadrada no Mistério de Santa Luzia, cujo manto de lava basáltica resultou de uma erupção ocorrida em 1718. A apenas 100 metros de altitude, e ocupando uma área plana com cerca de 6 hectares, a mata é composta por um povoamento puro de pinheiro bravo (Pinus pinaster), com meio século de existência.

A caruma dos pinheiros cobre por completo o chão da Reserva, onde estão instalados diversos equipamentos de recreio, como um parque infantil, uma área de condição física, um expositor de gamos e diversas zonas de merendas. Junto à entrada, o Centro de Divulgação Florestal, subordinado ao tema “Manutenção e conservação da floresta com recurso a equipamentos florestais” é um cartão-de-visita para o utente. A Reserva tem sido palco de numerosos eventos de natureza cultural e desportiva, que reforçam a importância deste espaço de lazer no contexto sócio cultural da ilha do Pico.

Em anexo encontram-se alguns registos multimédia, de forma a dar a conhecer melhor e à distância a Reserva Florestal de Recreio de Santa Luzia.

Haja saúde!



sexta-feira, 7 de maio de 2021

Andamento da requalificação da zona envolvente da antiga Escola Primária do Cais do Pico


[Link para fotos mais recentes]

Apresenta-se, em anexo, um conjunto de fotografias (datadas de 29 de abril de 2021) relativas ao andamento da empreitada de requalificação da zona envolvente da antiga Escola Primária do Cais do Pico

Esta obra inclui o recuo dos muros da antiga Escola Primária e da sede da Associação de Agricultores da Ilha do Pico (AAIP). Ao mesmo tempo, o investimento vai abranger o arranjo urbanístico na Rua Coronel Linhares de Lima, retirando-se a lágrima existente, bem como a regularização da zona de estacionamento nas laterais do edifício da antiga Escola e da sede da AAIP. Além disso, será ordenado o estacionamento no antigo campo desportivo de apoio à Escola Primária onde atualmente está instalado o Jornal do Pico/Rádio Cais e o Projeto Vira. No total, depois da intervenção, aquela zona passará a disponibilizar 38 lugares de estacionamento: 29 no antigo campo, seis na Rua Coronel Linhares de Lima e três na Rua Dr. Melo e Simas [link para o projeto].

Haja saúde!