quinta-feira, 18 de abril de 2019

Conversas informais: a vida na ilha


Em parceria com a Pousada da Juventude do Pico, localizada em São Roque do Pico, irá ocorrer esta 6.ª feira, dia 19 de Abril, entre as 18:30 e as 20:30, uma conversa informal sobre os desafios de viver numa ilha.

Promovido por 'Sentido de Ser', aqui fica a apresentação deste evento:
A saúde mental e o bem estar pessoal são urgentes e estão cada vez mais na ordem do dia. Mais do que tecer opiniões com base em preconceitos e ideias vagas da realidade, convido a sociedade a participar neste debate através de conversas informais com as populações locais. Quero conhecer os desafios de uma vida que me é desconhecida através das vozes daquelxs que os experienciam e formular potênciais soluções com xs mesmxs.
Esta será uma conversa totalmente livre e informal, na qual a partilha de experiências e histórias de vida será o foco principal. Irei também partilhar a minha história e a minha causa, apresentando o projecto que se tornou para mim numa missão. Estou certa de que no fim todxs sairemos mais ricos e felizes.
Tragam os vossos petiscos e fazemos disto uma festa para celebrar a vida e todas as possibilidades que ela tem!

Haja saúde!

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Zonas Balneares Oficiais do Pico — 2019

Piscina do Cais do Pico

A Portaria n.º 26/2019, de 29 de março, procedeu à identificação das Zonas Balneares Oficiais dos Açores para 2019. Para o caso da ilha do Pico, as zonas identificadas são:

São Roque do Pico
Lajes do Pico
Madalena

Estas zonas têm como época balnear o período compreendido entre o início de junho e o final de setembro. Por outro lado, as zonas balneares da ilha montanha têm reconhecida qualidade superior, tal como comprovam os galardões de Bandeira Azul e a classificação com Qualidade de Ouro atribuídos a várias destas zonas balneares ao longo dos anos.

Mais informações sobre as águas balneares açorianas podem ser encontradas no portal da Direção Regional dos Assuntos do Mar [www.aguasbalneares.azores.gov.pt]. Adicionalmente, alguns dados sobre a qualidade da água nestas zonas balneares (e em todas as outras de Portugal) podem ser encontrados no site do Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos [http://snirh.pt/].

Por fim, a melhor forma de averiguar a qualidade destas zonas balneares oficias do Pico, bem como das restantes (mais de meia centena) zonas de banhos da ilha montanha, é mesmo usufruir das mesmas!

Haja saúde!

Piscina do Cais


Poças de São Roque


Furna de Santo António

terça-feira, 16 de abril de 2019

Escola Regional de Artesanato de Santo Amaro do Pico exporta para Inglaterra


A Escola Regional de Artesanato de Santo Amaro, situada na freguesia homónima do concelho de São Roque do Pico, tem vindo a aumentar a venda de peças para Inglaterra. Este é um novo mercado que se abre para o artesanato picoense e que veio compensar as quebras inerentes à época baixa do turismo.

Em anexo apresenta-se uma reportagem da RTP-Açores sobre este mesmo assunto, sendo que quem quiser saber mais sobre as duas irmãs gémeas picarotas que fundaram esta escola, e que têm uma vida dedicada ao artesanato, pode simplesmente seguir este link.

Haja saúde!

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Edifícios licenciados nos Açores em 2018


De entre os vários dados divulgados pelo Serviço Regional de Estatística dos Açores, o número de edifícios licenciados permite analisar não só como vai a construção no arquipélago açoriano, mas também a dinâmica existente em cada ilha.

No todo regional, em 2018 foram licenciados 778 edifícios, o que correspondeu a um crescimento de 20,1% face a 2017 (mais 130 edifícios licenciados). Analisando por ilha, em São Miguel foi onde se registou o maior número de edifícios licenciados (424 licenças — 55% do total), seguindo-se o Pico (117 licenças — 15% do total) e depois a Terceira (91 licenças — 12% do total).


Torna-se também interessante comparar estes dados estatísticos com a população de cada ilha, de forma a inferir que ilhas apresentam uma dinâmica de crescimento no que toca a novas construções. Para o efeito, apresenta-se de seguida, e no mesmo gráfico, as percentagens, por ilha, de edifícios licenciados e de população.


Como é possível comprovar, o Pico destaca-se claramente por apresentar uma dinâmica de construção muito maior em relação ao que seria expectável — a ilha montanha regista a maior diferença positiva entre a percentagem de edifícios licenciados e a respetiva população (9 pontos percentuais). Outra forma de tornar evidente esta fantástica dinâmica observada no Pico é notar o seguinte exemplo: na ilha montanha reside cerca de 6% da população dos Açores, mas nesta ilha existiram mais edifícios licenciados em 2018 do que os registados na Terceira, ilha onde residem 23% das pessoas na Região!

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 41.849 do 'Diário dos Açores', de 17 de abril de 2019.

domingo, 14 de abril de 2019

109.º Aniversário da Filarmónica Liberdade do Cais do Pico


Desta semana que agora findou, o dia 10 de abril de 1910 tem um lugar especial na história do lugar do Cais do Pico, vila de São Roque do Pico: neste dia foi fundada a Filarmónica Liberdade do Cais do Pico.


(Hino da Filarmónica Liberdade do Cais do Pico)

Esta instituição de utilidade pública, a qual celebrou agora o seu 109.º aniversário, conta com um longo historial [link] e atualmente mantém em funcionamento a sua principal atividade — a Banda Filarmónica e a Escola de Música — sob a batuta do maestro Paulo Freitas e a presidência de Fernando Andrade.

Através deste post, aproveito esta data para prestar uma homenagem não só à filarmónica homónima deste blog, mas também a todas as sociedades filarmónicas da ilha montanha, desejando os maiores êxitos para todas estas instituições, as quais são um valioso património do Pico, em particular, e dos Açores, em geral:
  • Liberdade do Cais do Pico
  • União Artista de São Roque
  • Recreio União Prainhense
  • Recreio Santamarense
  • Musical e Cultural da Piedade
  • Lira Fraternal Calhetense
  • Recreio Ribeirense
  • União Ribeirense
  • Liberdade Lajense
  • Recreio dos Pastores
  • Lira de São Mateus
  • União e Progresso Madalense
  • Lira Madalense

Haja saúde!

sábado, 13 de abril de 2019

Sobre a "guerra" entre São Miguel e Terceira nas ligações aéreas


Transcreve-se, em anexo, um artigo da autoria de Bruno Rodrigues, publicado na edição n.º 41.844 do Diário dos Açores, de 11 de abril de 2019, o qual aborda a questão de não haver mais incentivos para a existência de mais voos para as ilhas do "Triângulo" — São Jorge, Pico e Faial — isto quando este sub-conjunto do arquipélago já representa, em termos de camas turísticas, o segundo principal destino a nível Açores — dados comprovativos do Serviço Regional de Estatística também em anexo.

Haja saúde!



Sobre a "guerra" entre São Miguel e Terceira nas ligações aéreas

Há uma “pseudo-disputa” instalada entre São Miguel e Terceira para ver quem tem mais voos do exterior. Aliás as “queixas” partem da Terceira. Neste jornal foram publicadas as ligações aéreas (voos diretos) 2018/19, com base numa lista da Associação do Turismo dos Açores (ATA). Nesse artigo refere-se que de Outubro 2018 a Outubro 2019 São Miguel recebe voos da Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Suécia, Espanha, Finlândia, Holanda, Reino Unido, Canadá e Estados Unidos (ligações de 10 países portanto). Por seu turno a Terceira recebe voos de Amesterdão, Toronto, Boston e Oakland (ligações de 3 países). Entretanto a Secretária Regional do Ambiente e Turismo já veio anunciar o regresso da operação entre Madrid e a Terceira no próximo Inverno, ou seja, a Terceira passará a estar ligada a 4 países distintos.
É indiscutível a atratividade turística que São Miguel tem, assim como é indiscutível a importância que o Aeroporto de Ponta Delgada tem atualmente como o principal Hub dos Açores. As rotas internacionais que servem Ponta Delgada conseguem comprovadamente servir a Diáspora e as restantes ilhas via SATA Air Açores. Por via disso é natural que existam mais ligações internacionais a São Miguel e é aliás natural que continuem a aumentar no futuro.
No sentido de responder à procura da Diáspora, é natural que a Terceira disponha também de ligações a Toronto, Boston e Oakland. Felizmente a operação de Boston tem também sido utilizada por operadores para combater a sazonalidade do Turismo no Inverno. O mesmo se aplica com a operação da TUI (Amesterdão) e Madrid a partir do próximo Inverno. No entanto, estas operações charter servem apenas e só a ilha Terceira, não servem as restantes ilhas.
Com isto a questão: estando o Triângulo (São Jorge, Pico e Faial) servidos apenas pela Azores Airlines (via gateways do Pico e Horta) com regularidade e alguma qualidade no Verão IATA para Lisboa (e com necessidade de reforços, com os quais a Azores Airlines não se consegue comprometer), e sendo o Turismo do Triângulo ainda bastante sazonal (com procura bem baixa entre final de Outubro e meados de Março), o que está o Governo a preparar, em conjunto com as outras partes interessadas, para no futuro (1, 2, 3 anos, o tempo necessário para se montar uma operação com pés e cabeça) combater a sazonalidade com operações charter semelhantes àquelas que existem para a Terceira, nos referidos meses de menor procura? A Terceira tem 3782 camas que precisam de ser rentabilizadas na época baixa. No triângulo o número de camas ultrapassa atualmente as 5011.
Dá que pensar o porquê de tanta preocupação em encher onde há menos oferta e não servir melhor - leia-se, com mais voos - os que têm oferta, como o Triângulo, mas cujas ligações aéreas esgotam e não permitem tirar o máximo partido do potencial turístico.

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Como chegar ao Pico partindo de Lisboa ou do Porto (e vice-versa) durante o Verão IATA 2019


Descobrir a melhor forma de chegar à ilha do Pico partindo de Lisboa ou do Porto, sem pernoita intermédia e utilizando apenas o transporte aéreo, pode ser uma tarefa árdua, sendo que o mesmo se aplica ao percurso inverso: as combinações entre companhias são várias e nem sempre é possível perceber facilmente se dá ou não para apanhar ligações low-cost.

Por esta razão, e sob a supervisão de Luís Ferreira, os administradores do grupo de Facebook "Aeroporto do Pico" elaboraram um conjunto de ficheiros que contêm as diversas alternativas de como chegar ao Pico partindo de Lisboa ou do Porto, e vice-versa, no mesmo dia e só por via aérea durante o Verão IATA 2019. Estas alternativas estão disponíveis através dos seguintes links:

 31 de março a 31 de maio /
 1 de outubro a 26 de outubro 
 1 de junho a 30 de setembro 
Lisboa -> Pico
Pico -> Lisboa
Lisboa -> Pico
Pico -> Lisboa
Porto -> Pico
Pico -> Porto
Porto -> Pico
Pico -> Porto

As alternativas apresentadas devem ser sempre confirmadas no respetivo site de cada companhia aérea ou numa agência de viagens, uma vez que podem ocorrer alterações pontuais nos horários.

Outras informações úteis:

Recorde-se ainda que os horários dos aviões que servem a ilha do Pico de forma regular encontram-se disponíveis no separador "Aviões" deste blog.

Haja saúde!

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Quinta das Rosas


Reserva Florestal de Recreio da Quinta das Rosas, localizada nas proximidades da Vila da Madalena, é uma zona de lazer da ilha do Pico.

Na Quinta das Rosas é possível encontrar uma grande riqueza de espécies botânicas, zonas de merendas, um miradouro com vista sobre a ilha do Faial, pequenos lagos e a pitoresca ermida de Santa Isabel, onde tradicionalmente se celebram casamentos.

Em anexo encontram-se alguns registos multimédia, de forma a dar a conhecer melhor e à distância a Quinta das Rosas.

Haja saúde!






Uma publicação partilhada por Azores Islands (@byacores) a

quarta-feira, 10 de abril de 2019

“Uma Viagem, Um Sonho”: Sair da Ilha pela 1.ª vez


São 16 jovens da Ilha do Pico. Nunca saíram dos Açores. Têm idades entre os 12 e os 16. Visitam Lisboa no projeto “Uma Viagem, Um Sonho”, entre 9 a 15 de abril.

Vindo da Ilha os Jovens querem o mundo. Durante a estadia em Lisboa poderão visitar vários pontos emblemáticos da capital portuguesa como o Jardim Zoológico, o Oceanário, a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos, que fazem parte do roteiro da viagem, organizada pela Câmara Municipal e pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de São Roque do Pico.

Esta é uma viagem “que tem como objetivo promover junto dos jovens novas experiências educativas, recreativas e culturais, enfim, a mundividência”, adianta a Vice-Presidente da Câmara Municipal de São Roque do Pico, Paula Ferreira.

O Presidente da Câmara de São Roque do Pico, Mark Silveira, sublinha o “grande alcance do projeto para o nosso concelho”.

“Uma Viagem, Um Sonho” conta com a colaboração da Força Aérea Portuguesa para o transporte aéreo. As restantes despesas são completamente patrocinadas pela Câmara Municipal de São Roque do Pico, município de residência destes turistas recém-iniciados.

A lista dos jovens selecionados foi elaborada pela Câmara de São Roque do Pico com o parecer das Juntas de Freguesia e da Escola do Município. A Câmara de São Roque do Pico recebeu apoio de várias Instituições Particulares de Apoio Social.

[Fonte: Jornal Açores 9 | link para notícia relacionada]

Haja saúde!




terça-feira, 9 de abril de 2019

Consignação do IRS a entidades do Pico em 2019


A consignação do IRS permite doar uma parte do imposto a favor do Estado a uma organização. E sem qualquer custo: num cenário de reembolso não recebe menos e, num cenário de imposto adicional, não paga mais.

Através da consignação do IRS, pode atribuir a uma organização 0,5% do IRS liquidado (imposto que cabe ao Estado depois de descontadas as deduções). Assim, em vez de o seu IRS ficar todo nas mãos do Estado, uma parte é encaminhada pelo próprio Estado para a instituição que escolher.

No caso da ilha do Pico, as instituições habilitadas a receber esta consignação em 2019 são:
  • 512 017 972 — Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de São Roque do Pico;
  • 512 013 381 — Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Lajes do Pico;
  • 512 009 350 — Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Madalena;
  • 512 012 415 — Santa Casa da Misericórdia de Lajes do Pico;
  • 512 023 158 — Sociedade Filarmónica de Educação, Recreio e Beneficência União Ribeirense.

Para efetivar a consignação de IRS, basta indicar o respetivo número de contribuinte (indicado anteriormente) na área “Pré liquidação” do IRS Automático ou, no caso do preenchimento do Modelo 3, a consignação realiza-se no quadro 11 da folha de rosto.

Deste modo, durante a entrega do IRS de 2018, até 30 de junho de 2019, pode ser solidário e ajudar, sem qualquer custo, uma instituição da ilha montanha.

Haja saúde!

IRS Automático

IRS — Modelo 3

segunda-feira, 8 de abril de 2019

O impressionante crescimento do turismo no Pico em 2018


Só se conhece verdadeiramente os Açores quando se visita todas as nove ilhas e se vive cada uma delas. Por outro lado, e devido às particularidades de cada uma, o turismo também difere consoante a ilha em questão. Assim, e tendo por base a premissa de que analisar o passado permite não só perceber o presente, mas também antever e preparar o futuro, apresenta-se, de seguida, uma análise ao turismo nos Açores em 2018, tendo por base dados divulgados pelo Serviço Regional de Estatística (SREA).

Começando pela variação homóloga do número de hóspedes, os Açores tiveram um crescimento de 9,4%, sendo que todas as ilhas contribuíram de forma positiva para este resultado — desde os 5,9% registados em Santa Maria até uns impressionantes 24,5% na ilha do Pico.

No entanto, vale a pena salientar que mais hóspedes pode não significar mais dormidas; aliás, atente-se ao fenómeno que teve lugar em Santa Maria: apesar do crescimento no número de hóspedes, em 2018 houve um decréscimo nas dormidas (-3,0%). Em todo o caso, esta ilha foi a única que não contribuiu para o crescimento de 7,5% registado nas dormidas nos Açores em 2018 face ao ano anterior — mais uma vez, a ilha montanha foi líder neste crescimento, concretamente com um valor de 24,8%, o que representou o único crescimento a nível Açores superior a 15%.


Recordando que as dormidas são, muito provavelmente, o indicador de turismo de excelência, pois quanto maior o número de dormidas, maior o proveito para a economia regional, interessa também aos empresários do turismo que a estada média cresça — assim, para um mesmo número de hóspedes, consegue-se um maior retorno. Pois bem, e atendendo os dados estatísticos relativos a 2018, verifica-se que apenas no Pico e no Faial a estada média cresceu, pois somente nestas duas ilhas o crescimento das dormidas foi superior ao dos hóspedes. Dito de outra forma, pode-se afirmar que Pico e Faial (apenas estas) têm um resultado duplamente positivo no turismo: não só conseguiram atrair mais gente em 2018, como também estas pessoas ficaram mais tempo do que vinha sendo habitual.

Os dados do SREA permitem igualmente fazer outras análises que demonstram como o turismo varia de ilha para ilha. Por exemplo, e atendendo à nacionalidade dos turistas, é possível analisar qual a proporção entre visitantes portugueses e aqueles que são estrangeiros. Mais uma vez, as estatísticas revelam algumas diferenças dentro do arquipélago açoriano: as ilhas Graciosa, Santa Maria, Corvo, Terceira, Flores, São Jorge e Faial receberam em 2018 mais portugueses (83%, 73%, 65%, 59%, 57%, 55% e 52% dos visitantes foram nacionais, respetivamente), enquanto as restantes — Pico e São Miguel — foram mais visitadas por estrangeiros; novamente sobressai a ilha montanha, pois foi nela que se registou a maior percentagem de visitantes não portugueses nos Açores (57%, face aos 51% registados em São Miguel).


Focando agora a atenção no tipo de alojamento, pode-se fazer uma distinção entre a hotelaria tradicional (hotéis e similares) e os outros tipos de alojamento (turismo no espaço rural, alojamento local, campismo, etc.) Ao nível de cada ilha, a distribuição entre estes dois tipos de alojamento é bastante díspar: enquanto que nas ilhas Graciosa, Terceira, São Miguel e Santa Maria verifica-se que mais de dois terços das dormidas em 2018 foram efetuadas em unidades de hotelaria tradicional (84%, 75%, 73% e 66%, respetivamente), as ilhas do Pico, de São Jorge e das Flores destacam-se por serem as únicas onde mais de metade das estadias (58%, 53% e 53%, respetivamente) foram efetuadas em outros tipos de alojamento.


Até agora, as análises foram efetuadas em termos percentuais e por ilha. Contudo, e atendendo a valores absolutos do total regional, alguns resultados interessantes podem ser extraídos, onde o Pico se volta a destacar. A título de exemplo, o terceiro maior crescimento absoluto no número de dormidas em 2018 foi obtido na ilha montanha (+29.648 visitantes, quase tanto como o crescimento absoluto registado na Terceira, +31.480 visitantes).


Por outro lado, se for feito o rácio entre o crescimento absoluto das dormidas e a população residente, de forma a aferir a taxa de esforço adicional que cada ilha teve de fazer em 2018 para poder suportar o crescimento turístico, os resultados são claros: o Pico teve de fazer uma taxa de esforço adicional equivalente a mais de duas vezes a respetiva população residente (concretamente 2,2 vezes), sendo este o valor mais elevado registado a nível Açores.


Tendo em atenção as análises anteriores, há algo em comum em todas elas: o Pico está constantemente em destaque porque registou um impressionante crescimento do turismo em 2018, nomeadamente o crescimento percentual nas dormidas mais elevado a nível Açores e a maior taxa de esforço para poder acomodar este crescimento turístico. Além disso, comprova-se que a ilha montanha tem um tipo de turismo diferente: o Pico assume-se claramente como um destino onde as pessoas preferem ficar longe de hotéis e que atrai muito mais estrangeiros do que portugueses.

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 41.842 do 'Diário dos Açores', de 9 de abril de 2019, bem como na edição n.º 779 do 'Jornal do Pico', de 12 de abril de 2019.

domingo, 7 de abril de 2019

Um milhão e meio de visualizações


Há momentos simbólicos que merecem ser celebrados e este é um deles: o blog "Cais do Pico" acaba de superar a marca das 1.500.000 visualizações, ou seja, um milhão e meio de visitas!

É simplesmente fantástico saber que o tempo, esforço e dedicação despendidos para escrever sobre um pouco de tudo relacionado com a ilha montanha, sendo dado destaque à zona do Cais do Pico, à vila e ao concelho de São Roque do Pico, tiveram como retorno que um milhão e meio de visitas já foram feitas a esta página em pouco mais de cinco anos desde a sua fundação!

Adicionalmente, é muito gratificante sentir que este blog ombreia com os melhores blogs portugueses, isto porque o "Cais do Pico" não só integra o top 100 dos blogs mais lidos de Portugal, bem como é líder na sua categoria — Cidade / Local!

O meu muito obrigado a todos os visitantes do blog "Cais do Pico", especialmente àqueles que o seguem fielmente e a todas as pessoas que têm ajudado a divulgar o mesmo — esta comemoração também é vossa!

Haja saúde!



Post scriptum: Imagem oferecida por Luís Ferreira como prenda pelas 1.500.000 visualizações — Obrigado!

sábado, 6 de abril de 2019

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Agenda Cultural de São Roque do Pico — abril 2019


A lista das mais diversas atividades que acontecem em São Roque do Pico, no mês de abril de 2019, encontra-se disponível na Agenda Cultural de São Roque do Pico, a qual se apresenta de seguida.

Haja saúde!

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Horários Atlânticoline — Linha Verde - ajuste primavera 2019


Com a chegada da hora de verão, o horário da Linha Verde da Atlânticoline é reajustado. Mais concretamente, o itinerário de sábado passa a ser o seguinte (até final de maio de 2019):

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, bem como os horários dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha montanha.

Haja saúde!



Rotas de passageiros:
Rotas de mercadorias:
Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico:

quarta-feira, 3 de abril de 2019

Radar da PSP no Pico — abril 2019


Segundo a PSP, neste mês de abril de 2019 serão efetuadas algumas operações de controlo de velocidade por radar na ilha do Pico, nomeadamente em:

  • 4 de abril (quinta-feira) / 08h00 / São Mateus (Madalena);
  • 23 de abril (terça-feira) / 08h00 / Santa Luzia (São Roque do Pico).

Haja saúde!

terça-feira, 2 de abril de 2019

Escala de navios de mercadorias no Porto do Cais do Pico — abril 2019


A Transinsular publicou no seu site a escala para o mês de abril de 2019 dos navios de carga que efetuam a ligação Continente - Açores (clique na tabela seguinte para conhecer esta escala).


Os navios e as datas em que os mesmos vão visitar o Porto do Cais do Pico, na vila de São Roque do Pico, encontram-se indicados na tabela seguinte (clicando no nome do navio abre uma nova janela com a localização atual do mesmo).

DiaNavio
04 de abril (quinta-feira)Corvo
11 de abril (quinta-feira)Ponta do Sol
18 de abril (quinta-feira)Insular
24 de abril (quarta-feira)Ponta do Sol

Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico: Todas estas informações encontram-se igualmente disponíveis no separador "Barcos" deste blog.

Haja saúde!

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Picarotos com desconto de até 100% na compra de um carro elétrico!


Num esforço inédito de particulares, empresas e Estado, a ilha montanha irá se tornar provavelmente, a médio prazo, no primeiro lugar do mundo com uma frota automóvel 100% elétrica!

As vantagens são inúmeras, desde a diminuição da poluição ambiental (eliminação dos gases emitidos para a atmosfera) até à diminuição da poluição sonora, passando pela poupança nos combustíveis (cerca de 2 € de eletricidade são suficientes para percorrer 100 km). Aliás, e ainda sobre este último ponto, todos os contribuintes pouparão indiretamente, pois haverá uma menor importação de combustíveis fósseis, o que também implicará uma poupança para o erário público.

Para alcançar este objetivo, cujo projeto associado se intitula 'Pico — A ilha dos carros elétricos', existe um fantástico incentivo para trocar os automóveis convencionais por automóveis elétricos, incentivo esse que consiste num desconto de até 100%(!) na compra de um veículo elétrico equivalente ao automóvel que circule habitualmente na ilha montanha e que será dado em troca.

De forma a obter este desconto de até 100%, as pessoas (ou empresas) devem entrar em contacto com o Estado ou, em alternativa, podem tentar efetuar uma candidatura online através do formulário apresentado de seguida.



Pico — A ilha dos carros elétricos
Candidatura ao desconto de até 100%

Introduza o número de contribuinte (NIF/NIPC):





A ilha montanha volta, assim, a ser conhecida como "Pico, a ilha do futuro", mas desta vez porque é nela que tecnologia que parece do futuro irá ser uma realidade!

Haja saúde!

Post scriptum: Apesar de este post ter sido escrito no âmbito do dia 1 de Abril, existem, de facto, inúmeros incentivos dados pelo Estado para a aquisição de veículos elétricos - mais informações em www.fundoambiental.pt