segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

Porto(s) do Cais do Pico


Captar numa só imagem a essência de um porto comercial de uma forma bem vincada não é tarefa fácil. Todavia, o fotógrafo José Feliciano decidiu enfrentar este desafio e obteve uma fotografia [em anexo] contendo não só uma bela memória da operação portuária no Porto do Cais do Pico — o principal porto comercial da ilha montanha, o qual tem o código internacional UN/LOCODE PTCDP — bem como o enquadramento nesta paisagem do velhinho porto do Cais do Pico — o atual "Cais Velho".

Haja saúde!

Post scriptum: Adicionada imagem relacionada.


domingo, 27 de fevereiro de 2022

Greve no transporte marítimo de passageiros no Triângulo mantém-se em março


[Esta greve foi desconvocada em 14 de março de 2022]

A Atlânticoline, S.A. informa que, na sequência da existência de um novo aviso prévio de greve dos trabalhadores, apresentado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante, Agências de Viagens, Transitários e Pesca (SIMAMEVIP), para o período entre 1 e 31 de março de 2022, o Tribunal Arbitral definiu como serviços mínimos diários para a Linha Azul a primeira viagem da manhã e a última da tarde, ambas ida e volta entre Horta e Madalena, e para a Linha Verde uma viagem de ida e volta entre Horta, Madalena e Velas, no período da manhã. .

As viagens definidas como de serviços mínimos terão a sua realização garantida (naturalmente sujeitas às condições meteorológicas), sendo que todas as demais poderão ou não realizar-se, consoante a adesão dos colaboradores à greve, recomendando que os passageiros façam as suas reservas e viagens nos horários dos serviços mínimos.

Importa ressalvar que ficam assegurados todos os serviços necessários à realização das operações de transporte determinadas por situações de emergência, designadamente de urgência hospitalar, naufrágio, intempérie ou outras situações de força maior, entre as ilhas do Faial, Pico e São Jorge.

A Atlânticoline recorda que, no passado dia 3 de fevereiro, o SIMAMEVIP apresentou uma contraproposta ao proposto pela empresa a 19 de janeiro. Lamentavelmente, a proposta do sindicato, como sempre, gorou por completo as expetativas de uma resolução do diferendo, pelo facto de este ter proposto um novo aumento do salário base na categoria de marinheiro, bem como a redução do limite anual máximo de horas extraordinárias. O SIMAMEVIP tem agido com má fé negocial, pois sempre que a empresa acede ao aumento proposto, o sindicato propõe mais alterações, mantendo as negociações num constante impasse.

A Atlânticoline informa que, recentemente, com a publicação do Decreto-Lei n.º 92/2018 de 13 de novembro, referente à TAX Tonnage, os colaboradores agora em greve, viram as suas deduções de IRS reduzidas para 0% e as contribuições para a Segurança Social, reduzidas para 1,9%. Veio agora o SIMAMEVIP exigir aumentos salariais fora da razoabilidade, o que é incompreensível em anos marcados pela crise pandémica, em que se assistiu a uma forte quebra da atividade económica mundial, com despedimentos, reduções de vencimento e pedidos de lay-off.

A Atlânticoline lamenta a atitude do sindicato, tendo informado o mesmo, no dia de ontem, de que, caso este não aceite a proposta enviada pela empresa a 19 de janeiro até 2 de março próximo, irá requerer formalmente à Direção dos Serviços de Trabalho a resolução do diferendo pelo procedimento por conciliação, nos termos do artigo 523.º e seguintes do Código do Trabalho.

A Atlânticoline lamenta também que o sindicato não tenha acedido ao pedido da empresa de incluir nos serviços mínimos outras viagens, aliás, pelo sindicato não existiriam quaisquer viagens, exceto as de emergência.

A Atlânticoline lamenta a atitude a atitude do sindicato e os graves transtornos que este está a causar aos que pretendem utilizar os nossos serviços, esperando que na reunião de conciliação o mesmo se apresente com outra postura negocial que permita resolver o presente diferendo.

[Fonte: Atlânticoline]

Recorde-se que esta é uma greve que dura desde o início de dezembro de 2021 e que, no que respeita aos serviços mínimos, tem havido uma enorme insensibilidade por parte do sindicato.

Recorde-se ainda que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, bem como os horários dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha montanha.

Haja saúde!



sábado, 26 de fevereiro de 2022

Estreia do navio "Nordic Sira" no Pico


Apresentam-se aqui algumas fotografias relativas à estreia do navio tanque "Nordic Sira" na passada quinta-feira (24 de fevereiro de 2022) no porto comercial do Cais do Pico, situado na vila de São Roque do Pico.

Este é um navio construído em 2006, nos Países Baixo, tem 89 m de comprimento, 13 m de boca máxima e uma capacidade de carga de 4054 ton, estando neste momento, no que toca ao abastecimento de combustível interilhas, a substituir o N/T "São Jorge", o qual se encontra a ser reparado em virtude do embate no ilhéu da Praia da ilha Graciosa.

Recorde-se que as previsões de entrada e de saída de navios no principal porto comercial da ilha montanha, bem como os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, podem ser encontrados no separador "Barcos" deste blog.

Haja saúde!












sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022

São Roque do Pico é (proporcionalmente) o 3.º concelho com maior dinamismo empresarial em Portugal


Ao longo dos dois últimos anos (completos) de 2020 e 2021, e segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), foram constituídas 42 empresas [pessoas coletivas e entidades equiparadas] em São Roque do Pico. À primeira vista, este número, por si só, não tem grande significado, bem como parece diminuto; todavia, ele serve para comprovar um dinamismo empresarial sem paralelo nos Açores, bem como de grande destaque a nível nacional.

Mais concretamente, e atendendo também aos Censos 2021, o rácio entre novas empresas criadas em 2020 e 2021 e a população residente em São Roque do Pico é de 1,3%; dito de outra forma, por cada 100 habitantes neste concelho nortenho da ilha montanha foram constituídas 1,3 empresas nos últimos dois anos. Este indicador de dinamismo empresarial permite então a comparação entre territórios com diferentes populações, onde os resultados se revelam deveras surpreendentes.

Começando pelos Açores, os 1,3% registados em São Roque do Pico colocam este concelho no lugar mais cimeiro a nível regional, com mais do dobro deste "Dinamismo Empresarial" (DE) quando comparado com os restantes concelhos que completam o top 5: Corvo - 0,52%; Madalena - 0,49%; Ponta Delgada - 0,46%; e Angra do Heroísmo - 0,40%.


Se os números relativos impressionam, os números absolutos também são dignos de serem realçados: apesar de São Roque do Pico ser o concelho menos populoso da ilha montanha, foi nele que se registou a maior criação de empresas no Pico em 2020 e 2021 — na Madalena foram constituídas 31 novas empresas no mesmo período, enquanto que nas Lajes do Pico foram 11. Ademais, no cômputo regional, embora o concelho nortenho da ilha montanha seja quarto com menos habitantes nos Açores, ele ocupa o sexto lugar em termos absolutos no que respeita à criação de empresas, apenas superado pelos dois concelhos terceirenses (Angra do Heroísmo e Praia da Vitória) e os três micaelenses mais populosos (Ponta Delgada, Ribeira Grande e Lagoa).

Voltando à comparação mais justa entre territórios com diferentes populações, o valor de 1,3% para o rácio supramencionado [empresas criadas em 2020 e 2021/população] registado em São Roque do Pico colocam este concelho em grande destaque a nível nacional: ele ocupa o terceiro lugar do pódio, logo atrás das duas maiores cidades portuguesas: Lisboa - 2,08%; e Porto - 1,47%.


Dito de outra forma, as estatísticas revelam que em São Roque do Pico se encontram, em média, as terceiras pessoas mais dinamizadoras em termos empresariais a nível nacional! Este é um facto digno de registo e de orgulho para o 19.º concelho menos populoso do país [em 308], bem como não lhe será alheio o facto da criação da primeira incubadora de empresas da ilha montanha e do Triângulo — a CRIAR TEC — ter ocorrido em 2020 precisamente em São Roque do Pico.

Em suma, os números não enganam: a dinâmica dos picarotos é impressionante e motivo de destaque em Portugal!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 42.717 do 'Diário dos Açores', de 27 de fevereiro de 2022, e na edição n.º 930 do 'Jornal do Pico', de 4 de março de 2022 (bom como foi mencionado na edição n.º 1472 do 'Ilha Maior', também de 4 de março de 2022).

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

Lançamento do livro “Territórios Vinhateiros Olivícolas e Corticeiros de Portugal" no Museu do Pico


A Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) está nos Açores para apresentar os seus principais projetos, designadamente o portal enoturismo.pt e o livro "Territórios Vinhateiros, Olivícolas e Corticeiros de Portugal".

José Arruda, secretário-geral da AMPV e membro do Conselho Nacional de Enoturismo, de 20 a 25 de fevereiro, está a efetuar um conjunto de reuniões de trabalho, com várias entidades da Região Autónoma dos Açores e com municípios das diferentes ilhas, para a apresentação dos projetos da AMPV e da Associação das Rotas dos Vinhos de Portugal (ARVP) bem como a apresentação do portal e livro já referenciados.

No Pico, o livro será apresentado no próximo dia 25 de fevereiro, sexta-feira, pelas 17h, no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, com entrada gratuita.

Chama-se a atenção para o uso obrigatório de máscara.

[Fonte: CulturaAçores]

Haja saúde!



quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

O 5.º melhor vinho de Portugal em 2021 foi produzido no Pico


A Revista de Vinhos, publicação especializada de referência do setor vinícola, organizou recentemente a 25.ª edição dos "Melhores do Ano", um evento também conhecido como os “óscares do vinho e da gastronomia” em Portugal.

Entre outras coisas, foram dados a conhecer os “30 Vinhos Excelência” de Portugal eleitos pelo Painel de Provas da Revista de Vinhos, que avaliou mais de 3.000 vinhos durante o ano de 2021. E é nesta lista exclusivíssima que se encontra o 'Czar' de 2013 (Lote II), o único vinho açoriano a ser galardoado com este prémio de excelência.

Para além da nota histórica e de enquadramento do vinho supramencionado [transcrição em anexo], a Revista de Vinhos indicou igualmente a pontuação que cada vinho por eles recomendado obteve. No que concerne ao 'Czar', este licoroso registou uns incríveis 19,5 pontos (em 20 possíveis), sendo apenas superado por outros quatro vinhos; por outras palavras, o 'Czar' de 2013 (Lote II) foi classificado como o 5.º melhor vinho produzido em Portugal em 2021.

Este é mais um exemplo de um produto premium originário do Pico, o que reforça o sentimento de que o que se faz e produz na ilha montanha é de excelência.

Haja saúde!


CZAR SECO (LOTE II) 2013
FORTUNATO GARCIA . AÇORES (PICO)

Em São Roque do Pico reside um pedaço único do mundo dos vinhos licorosos, feito a partir da recuperação das vinhas e variedades há muito adaptadas ao Pico.

Um dos maiores legados de Duarte Garcia foi não ter ido pelo caminho “mais fácil” de fortificar os seus vinhos ao estilo dos outros famosos vinhos de Portugal, mas de ater-se às antigas tradições de vindimar as uvas no ápice do seu amadurecimento, logrando altíssimos teores alcoólicos por via direta de uma lenta e fatigante fermentação. O filho, Fortunato, herdou a paixão e do pai ao assumir o papel de curador de uma tradição plurissecular. Os vinhos saem dos 3,5 hectares na Criação Velha, com fermentação espontânea, não aguardentação, e cada vez mais longo estágio nas barricas usadas. O segundo lote de 863 garrafas do ano de 2013 chega ao mercado agora, complexado com o aporte de uma barrica de Czar 1999. Apresenta fascinante âmbar brilhante. Manga, damasco, fisális e medronho. Notas mais “savoury”, de ervas de vermute e de verniz em madeira velha contrastam com o doce do mel de incenso. Seco. O “sotolon” com maple syrup, feno-grego e caril está em várias camadas do olfato e do aroma-de-boca.

Produtor: Fortunato Garcia Enólogo: Fortunato Garcia
Açores (Pico) / Licoroso / 490,00€



terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

2351.º post


Todo o tempo, esforço e dedicação despendidos para escrever neste blog traduziram-se, ao longo do tempo, em inúmeros posts, sendo que este ocupa uma posição simbólica: é o post n.º 2351!

Ao longo dos últimos 98 meses (oito anos e dois meses), vários foram os temas abordados neste blog, tendo sempre como inspiração tudo aquilo que esteja relacionado com a ilha montanha, com destaque para a zona do Cais do Pico, para a vila e para o concelho de São Roque do Pico.

Por outras palavras, em média foram publicados cerca de 24 posts por mês, o que significa que com uma regularidade praticamente diária (a cada 1,25 dias) existiu um artigo diferente publicado no blog "Cais do Pico". Além disso, existe um trabalho paralelo e constante de manter atualizadas as páginas deste site, com destaque para os horários dos barcos e dos aviões que servem a ilha montanha de forma regular.

É assim uma enorme satisfação poder celebrar esta "montanha" de posts e sentir que os mesmos têm tido um retorno fantástico: não só o número total de visualizações deste blog supera atualmente as 2.690.000, mas também o "Cais do Pico" foi classificado como um dos 50 blogs mais lidos de Portugal!

Por fim, não vou me alongar sobre tudo o aqui foi falado, deixando isso para os balanços anuais passados [2014 / 2015 / 2016 / 2017 / 2018 / 2019 / 2020 / 2021] e futuros, mas gostaria de terminar destacando e reproduzindo apenas um post — o primeiro de todos, intitulado "Bem-vindos!":
Desde tempos remotos que a zona do Cais do Pico serve como o principal ancoradouro da ilha do Pico. Porta de entrada e saída de pessoas e bens, local fronteiriço entre o interior e o exterior da ilha montanha, no Cais do Pico muita coisa já aconteceu, acontece e acontecerá!
Este blog pretende fazer jus ao seu título: ser um ponto de comunicação do que se passa dentro da ilha do Pico e do que é notícia fora da ilha mas que influencia os picarotos, dando especial destaque à zona do Cais do Pico, à freguesia e ao concelho de São Roque do Pico.
Mais uma vez, bem-vindos! Voltem sempre!
Haja saúde!


segunda-feira, 21 de fevereiro de 2022

Você decidiu: haverá Bicicletas Elétricas Públicas Inteligentes na ilha do Pico!


Graças à votação dos cidadãos, a proposta "Bicicletas Elétricas Públicas Inteligentes na ilha do Pico", inserida na área temática do Ambiente, foi uma das propostas vencedoras do Orçamento Participativo dos Açores 2021.

Assim, a ilha montanha irá ficar dotada de smart bikes, i.e., bicicletas partilhadas eletricamente assistidas, as quais também disponhem, por exemplo, de acelerómetros, giroscópios, sensores de cadência ou de binário, de forma a detetar a velocidade de circulação, quanta força está a ser aplicada nos pedais ou a energia despendida, entre outros. Paralelamente, serão instaladas, em pontos distintos da ilha, docas de carregamento para as bicicletas supramencionadas.

Este é um investimento estimado em 84 mil euros [o terceiro maior valor a nível Açores das propostas vencedoras de âmbito ilha], o qual irá permitir conciliar uma forma ecológica de lazer e de exercício físico, promovendo igualmente a mobilidade sem recurso a combustíveis fósseis. Com uma execução em 12 meses, espera-se então que no próximo ano de 2023 já se possa usar estas bicicletas no Pico.

Por fim, quero agradecer a todos aqueles que votaram nesta proposta e que deram a conhecer a mesma; a minha ideia não ficou em casa e vai, em breve, andar a pedalar pela ilha montanha!

Haja saúde!

Post scriptum: Link para acompanhar a evolução deste projeto.


domingo, 20 de fevereiro de 2022

Nevou no Pico e não só (será um OVNI?)


Neste fim de semana de 19/20 de fevereiro de 2022, a ilha do Pico acordou com a respetiva montanha coberta de neve. As imagens desta paisagem, sempre fantásticas e que valem mais do que mil palavras, podem ser encontradas em anexo.

Todavia, ampliando um pouco uma das fotografias, aparece um elemento não identificado; entre as inúmeras possibilidades, não é de excluir, à semelhança do que verificou em agosto de 2016, que alguém ou alguma outra forma de vida inteligente estivesse a sondar a montanha do Pico como hipotético local de aterragem, consolidando assim o seu estatuto de "cais do céu".

Haja saúde!




sábado, 19 de fevereiro de 2022

Propostas vencedoras do Orçamento Participativo dos Açores 2021


São 30 as ideias vencedoras da quarta edição do Orçamento Participativo dos Açores: uma em Santa Maria, seis em São Miguel, cinco na Terceira, duas na Graciosa, duas em São Jorge, duas no Pico, uma no Faial, quatro nas Flores e quatro no Corvo, sendo as restantes três de âmbito regional.

Face à elevada participação dos cidadãos — doze mil pessoas, com 13 mil votos — e à qualidade das propostas apresentadas, o Governo Regional dos Açores decidiu reforçar a verba do Orçamento Participativo dos Açores 2021, de forma a que sejam concretizadas um maior número de propostas mais votadas pelos açorianos. Assim, serão investidos cerca de 1,4 milhões euros no âmbito deste quarto orçamento participativo açoriano.

As propostas vencedoras foram dadas a conhecer numa sessão pública online, no dia 17 de fevereiro de 2022, sessão essa onde foram os próprios promotores dos projetos vencedores a apresentar as suas ideias [vídeo em anexo].

À semelhança das outras edições deste orçamento participativo, todos os cidadãos interessados podem, a partir de agora, conhecer e acompanhar a execução dos projetos vencedores através do seguinte endereço eletrónico: https://op.azores.gov.pt/

A lista completa das propostas vencedoras pode ser encontrada clicando aqui, sendo que aquelas referentes à ilha do Pico são:

Haja saúde!




sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022

Ilha do Pico vê nascer nova Fábrica de Conservas


Está lançada a primeira pedra da nova fábrica de conservas da Conseran - Conservas do Atlântico Norte, que irá nascer na freguesia das Bandeiras (lugar do Farrobo), concelho da Madalena. O evento decorreu no passado dia 16 de fevereiro de 2022 — ou seja, cinco meses depois da apresentação do projeto — e contou com contou com a presença do Presidente do Governo Regional dos Açores e diversos Secretários do seu Executivo, bem como da Secretária de Estado das Pescas e do Presidente da Câmara Municipal da Madalena.

O projeto foi apresentado pela ALICONTROL, Lda., e cabe à Tecnovia Açores a realização desta empreitada que representa um investimento de cerca de 16 milhões de euros, prevendo-se criar mais de 100 postos de trabalho, sendo dada “prioridade absoluta” à contratação dos antigos trabalhadores da conserveira Cofaco.

Esta nova conserveira pretende estar a laborar no início de 2023, começando numa primeira fase por produzir conservas de atum, enquanto numa segunda serão incluídas outras espécies como o chicharro, a lula ou a cavala, todas comercializadas sob a nova marca registada 'chamarrita'.

[Fonte: GA | Açores 9 | CMM | Rádio Pico | RTP-Açores]

Haja saúde!



quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022

Pico volta a reclamar o aumento da pista do aeroporto


A Comissão de Economia da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores está a apreciar uma iniciativa do PS que recomenda ao Governo Regional a ampliação da pista em setecentos metros para oeste, na sequência de um estudo encomendado pelo anterior executivo. Neste âmbito, no passado dia 15 de fevereiro foram feitas diversas audições, nomeadamente aos seguintes intervenientes [o respetivo link encaminha para o vídeo da respetiva audição]:

O presidente da AMIP, José António Soares, defendeu a rápida ampliação da pista do Aeroporto da ilha do Pico, como forma de permitir o crescimento do turismo e da economia local. “O que queremos é que a pista seja ampliada o mais rapidamente possível”, frisou o autarca social-democrata, destacando também a “vontade” já manifestada pelo executivo regional de coligação (PSD, CDS-PP e PPM), em avançar com aquela obra.

José António Soares, que preside à Câmara Municipal da Madalena, alertou para os problemas que o eventual aumento da pista do Aeroporto do Pico poderá acarretar para a Paisagem Protegida da Cultura da Vinha, classificada pela UNESCO como património mundial, que atualmente circunda aquela infraestrutura aeroportuária. “Não podemos pensar que chegamos ali e desbravamos todo o terreno”, advertiu. O autarca recordou que a paisagem protegida da vinha do Pico “é qualquer coisa de extraordinário”, que não deve ser comprometido no futuro, embora entenda que é possível conciliar o aumenta da pista com a preservação da paisagem.

Também Rui Lima, presidente da ACIP, lembrou os constrangimentos que a atual pista tem provocado (sobretudo nas ligações diretas entre Lisboa e o Pico) para o crescimento da economia da ilha.

“Falamos, sobretudo, da operacionalidade dos A320 ou de aeronaves superiores, que têm constrangimentos conhecidos e visíveis, quer na questão do combustível, das cargas ou do número de passageiros”, lembrou o empresário picoense, adiantando que é possível “fazer uma obra a custos controlados”, beneficiando de fundos comunitários.

Segundo Ivo Sousa, um dos coordenadores do grupo de cidadãos “Aeroporto do Pico”, a ampliação da pista daquela infraestrutura aeroportuária em cerca de 700 metros de comprimento para oeste, permitiria eliminar as restrições de operacionalidade à maioria das aeronaves de médio-curso mais usadas no mundo, sublinhando que esta empreitada tem um custo estimado de 30 milhões de euros; foi ainda adiantado que se a obra fosse comparticipada por fundos comunitários, em cerca de 85%, o custo da obra, para os cofres da Região, não ultrapassaria 4,5 milhões de euros.

Este coordenador do Grupo “Aeroporto do Pico” destacou os dados estatísticos sobre o movimento de passageiros de e para o Aeroporto do Pico, que demonstram um “crescimento” de embarques e desembarques na ilha “superior à média regional”, o que demonstra a procura que a ilha montanha tem tido, sobretudo em termos turísticos.

Durante a visita estatutária do Governo Regional à ilha do Pico, em novembro de 2021, o presidente do executivo açoriano, José Manuel Bolieiro, anunciou que a Região iria avançar com uma série de medidas cautelares nas zonas envolventes ao aeroporto, para salvaguardar a futura ampliação da pista.

A pista do Aeroporto do Pico, com apenas 1745 metros de comprimento, obriga as aeronaves da Azores Air Lines, que asseguram as ligações diretas entre Lisboa e Pico, a operarem com restrições, não podendo utilizar com a lotação máxima de passageiros, carga e combustível, devido à reduzida dimensão da pista.

Já os delegados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera informaram que foram reforçados os recursos humanos no Pico, passando de dois para três funcionários. Em relação ao TAF (Terminal Aerodrome Forecast) que existe nas restantes gateways da Região, os delegados do IPMA adiantaram que só estão disponíveis nos aeroportos internacionais, não sendo o caso do Pico.

[Fonte: Lusa | RTP-Açores | Rádio Pico]

Haja saúde!

Post scriptum: Link para o respetivo Parecer da Comissão de Economia.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022

Uns envelopes para os apanhados


Do arquipélago vizinho madeirense chega-nos a seguinte notícia: um ex-funcionário dos CTT da Madeira, acusado de se ter apropriado de cerca de 37 mil euros no processo de expedição de correspondência, confessou recentemente o crime em tribunal e manifestou-se arrependido, tendo já devolvido o valor. A pergunta que os nossos leitores fazem (e com toda a razão) é necessariamente a seguinte: onde é que esta história tem a ver com a ilha do Pico? Vamos então aos factos.

O caso remonta a setembro de 2020, quando o ex-funcionário desempenhava a função de supervisor operacional do centro de distribuição de correio da Penteada, no Funchal, e se deparou com três envelopes fechados numa mala com selo de segurança, que fora remetida dos Açores para a Madeira por engano.

Os envelopes — dois do Novo Banco contendo cerca de 16.900 euros e um do Santander Totta com 20.000 euros — tinham sido expedidos na ilha do Pico para São Miguel, mas por lapso foram recebidos na Madeira.

Ao arguido competia corrigir o erro, mas decidiu apropriar-se dos valores, numa área fora do alcance das câmaras de videovigilância, e depois fabricou duplicados dos registos, remetendo-os para fora da Região.

Durante a primeira sessão do julgamento, o arguido reforçou estar "completamente arrependido" e disse ter devolvido o dinheiro todo, sendo que 30.000 euros foram apreendidos numa busca ao seu carro e os restantes transferidos da sua conta para uma referência bancária indicada pelo tribunal; por outro lado, os CTT explicaram ao tribunal ter indemnizado as entidades bancárias com base nos valores por si declarados para efeitos de seguro, nomeadamente 500 euros por cada envelope remetido pelo Novo Banco e 250 euros pelo envelope do Santander Totta, pelo que o remanescente poderá, eventualmente, reverter para a Região Autónoma da Madeira.

Estes factos vêm, em parte, mostrar como funcionam alguns serviços, justificando até certas situações que acontecem no dia a dia. Primeiro, noticiar que uns envelopes iam da ilha montanha para a ilha verde e acabaram na Madeira quase que parece uma anedota... mas não é! Aliás, este talvez não tenha sido um caso isolado, e assim se compreenda melhor o porquê de uma vez uma carta expedida na Madalena com destino a São Roque do Pico tenha demorado 18 dias a chegar!!! Dito de outra forma, foram dezoito dias para uma carta percorrer (supostamente) apenas 20 km na mesma ilha!

Mas o insólito da correspondência que acabou na Madeira não se fica por aqui: as remetentes, neste caso entidades bancárias, declararam que os envelopes tinham muito menos dinheiro lá dentro do que verdadeiramente tinham, eventualmente para... pouparem dinheiro com o seguro! Feitas as contas, um banco declarou 16 vezes menos o valor real, enquanto que o outro declarou... 80 vezes menos! Resultado: no conjunto, estas entidades bancárias acabaram perdendo mais de 35 mil euros (35.650 €, para sermos exatos), perda essa que agora terão de compensar através de mais taxas e taxinhas que ultimamente proliferam no setor bancário!

Por fim, e como corolário deste conjunto de eventos bizarros, o que resta do valor não devolvido aos bancos possivelmente se converterá numa receita extraordinária para os cofres públicos madeirenses, ou seja, é quase como se o crime compensasse para o território onde é feito!

Em suma, o funcionário pode ter sido apanhado, mas esta história vai direitinha para os apanhados!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 42.711 do 'Diário dos Açores', de 20 de fevereiro de 2022.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2022

Propostas vencedoras da edição de 2021 do Orçamento Participativo Açores reveladas a 17 de fevereiro


[Lista dos vencedores]

Terminou a 31 de janeiro o período de votação no 4.º Orçamento Participativo dos Açores (OP Açores). Esta edição do OP Açores esteve aberta à receção de ideias dos cidadãos maiores de idade e dos jovens com mais de 14 anos nas áreas de governação da Agricultura, do Ambiente, da Ciência, da Cultura, da Educação, da Inclusão Social, da Juventude, do Mar e Pescas e do Turismo.

Das 180 ideias apresentadas pelos cidadãos, 110 foram aprovadas, correspondendo a uma taxa de aprovação superior a 60%, o que resultou em 101 propostas finalistas após agregação de antepropostas.

Estiveram em votação 101 propostas, sendo 28 na área da Juventude, 16 da Ciência, 16 da Cultura, 16 do Turismo, 13 da Inclusão Social, oito do Ambiente, três da Agricultura e uma do Mar e Pescas.

Destas 101 propostas, 87 propostas foram de âmbito de ilha e 14 de âmbito regional. Por ilha foram finalistas: 22 propostas em São Miguel, 16 na Terceira, 14 nas Flores, 10 em São Jorge, 10 no Corvo, nove no Pico, três no Faial, duas na Graciosa e uma em Santa Maria.

As 101 propostas em votação mereceram mais de 13.000 votos, por mais de 12.000 açorianos.

O Governo Regional dos Açores congratula os açorianos pela forte adesão ao Orçamento Participativo dos Açores, que promove a democracia participativa e o envolvimento dos cidadãos na tomada de decisão sobre a aplicação de verbas públicas. Os açorianos sugeriram e escolheram, de forma fácil e direta, ideias de investimento público a executar nas nove ilhas dos Açores, pelo executivo açoriano.

No dia 17 de fevereiro, quinta-feira, pelas 15h00, numa sessão ‘online’, serão anunciadas as propostas vencedoras de cada uma das ilhas dos Açores e as propostas vencedoras de âmbito regional, com a participação dos jovens e cidadãos promotores das propostas vencedoras de cada ilha, na área temática da Juventude e de entre uma das outras sete áreas temáticas (Agricultura, Ambiente, Ciência, Cultura, Inclusão Social, Mar e Pescas e Turismo).

Convidam-se todos os cidadãos a assistirem à sessão de Apresentação das propostas vencedoras da 4.ª edição do Orçamento Participativo dos Açores. Para participar no evento devem clicar aqui. A sala virtual estará aberta a partir das 14h30.

[Fonte: Governo dos Açores]

Haja saúde!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

Pico representado ao mais alto nível na Ordem dos Farmacêuticos


As eleições na Ordem dos Farmacêuticos para o triénio 2022-2024 tiveram lugar no início deste mês de fevereiro de 2022, ato eleitoral no qual participaram 5.976 farmacêuticos (42% dos eleitores), a grande maioria dos quais por via eletrónica (96%).

Na lista vencedora ao Colégio de Especialidade de Análises Clínicas e Genética Humana da Ordem dos Farmacêuticos, a qual obteve 60% dos votos, figura como vogal o nome de Maria Isabel Ponte Fernandes, a Diretora Técnica do Laboratório de Análises Clínicas da Unidade de Saúde da ilha do Pico.

Este é um motivo de orgulho para o Pico, em particular, e para os Açores, em geral, pois ficam agora representados ao mais alto nível na Ordem dos Farmacêuticos. Isabel Fernandes torna-se agora uma porta-voz privilegiada das vicissitudes por que passam os analistas clínicos em zonas remotas e distantes, quer de centros urbanos, quer de hospitais, podendo contribuir, diretamente a partir da ilha montanha (a terra que adotou como sua há largos anos), de uma forma muito mais próxima e incisiva junto dos centros de decisão — como seja, por exemplo, o Ministério da Saúde — para que pessoas como os picarotos possam ter mais e melhores condições no que respeita às análises clínicas. Por outro lado, Isabel Fernandes torna-se mais um exemplo de que não é preciso estar fisicamente nos grandes centros urbanos para poder integrar órgãos decisores e influenciadores a nível nacional, o que também é demonstrativo da qualidade das gentes do Pico.

Nota final para o facto de a delegada nos Açores desta Ordem ser agora Juliana Matos, uma picarota que é Farmacêutica Hospitalar do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira.

Haja saúde!



domingo, 13 de fevereiro de 2022

Fica no Pico um premiado Quartel Eletrão


A sexta edição da campanha “Quartel Electrão” alcançou um novo máximo histórico ao recolher mais de 2.400 toneladas de pilhas, lâmpadas e equipamentos elétricos usados. De janeiro a novembro de 2021, participaram 159 associações humanitárias de bombeiros voluntários de todo o país, o que permitiu reunir, globalmente, 13 toneladas de pilhas, 22 toneladas de lâmpadas e 2.375 toneladas de equipamentos elétricos usados. Estes números representam um aumento de 19% face à campanha de 2020.

De entre os participantes [link para lista completa], merece destaque especial a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Madalena: esta foi a grande vencedora do Prémio Regional Ilhas [Madeira e Açores], ao ter reunido 34 toneladas de equipamentos, obtendo assim 750 euros em cartões pré-pagos de combustíveis.

Para este ano de 2022, o mote deste projeto é "Transforme a sua torradeira velha num carro de bombeiros novo", pois 1.º Grande Prémio Absoluto será um Veículo Ligeiro de Combate a Incêndios (VLCI) de tipo florestal. Para contribuir, basta entregar os equipamentos elétricos usados no quartel mais próximo.

Haja saúde!



sábado, 12 de fevereiro de 2022

Resolvido (temporariamente) o abastecimento de combustível ao Pico


Na madrugada da passada terça-feira, 8 de fevereiro de 2022, o navio tanque "São Jorge" embateu no ilhéu da Praia da ilha Graciosa. O acidente provocou um rombo no casco, que foi rapidamente selado (através de operações de soldadura subaquática), sem que houvesse derrame de combustível. Curiosamente, a embarcação estava de saída da ilha branca em direção à ilha montanha, onde deveria atracar no porto do Cais do Pico na manhã dessa terça-feira.

Como este é o navio que assegura a distribuição de combustíveis líquidos entre várias ilhas dos Açores, levantou-se logo a questão se iria haver falhas de combustível nalgumas parcelas do arquipélago, tendo o armador garantido que tal não iria acontecer.

Face a toda esta situação, a solução temporária e imediata para o abastecimento de combustível à ilha do Pico recaiu no uso da embarcação "Thor B", um navio rebocador que está afeto ao transporte marítimo regular de mercadorias para a ilha do Corvo e que, através de tanques incorporados na sua estrutura, permite, também, o transporte de combustível a granel. Assim, a primeira operação de abastecimento nestas condições teve lugar esta sexta-feira, 11 de fevereiro, como a imagem anexa comprova.

Quando ao navio tanque "São Jorge", ele foi rebocado para a ilha Terceira durante a noite de quinta-feira/manhã e tarde de sexta-feira (um processo que demorou cerca de 20h e que foi auxiliado pela Marinha Portuguesa), onde vai agora descarregar o combustível para depois seguir para reparação.

Adicionalmente, o armador informou que o navio acidentado vai ser substituído pelo "Nordic Sira" nas operações de abastecimento de combustíveis à Região Autónoma dos Açores, enquanto o "São Jorge" estiver a ser reparado. O navio-tanque "Nordic Sira" está "perfeitamente adequado ao abastecimento e às especificidades dos portos dos Açores e chega a Ponta Delgada já na próxima semana", asseverou o armador.

Por fim, todo este infeliz acontecimento pode igualmente ser encarado como mais uma prova da resiliência dos açorianos e de quanto dependemos uns dos outros: um azar numa ilha afetou diretamente outras, mostrando como o arquipélago é um conjunto e não a soma de ilhas isoladas; a solução temporária para essas ilhas afetadas chegou rapidamente graças à partilha de recursos que estavam afetos a outras ilhas, mostrando como a entreajuda açoriana consegue ultrapassar as vicissitudes do dia a dia.

Haja saúde!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022

Vista aérea do Valverde [vídeo]


Apresenta-se, em anexo, um vídeo da autoria de António Faria, datado de fevereiro de 2022, o qual mostra imagens aéreas do lugar do Valverde, situado na vila da Madalena [link para vídeo relacionado de 2021].

Haja saúde!



quinta-feira, 10 de fevereiro de 2022

Parlamento dos Açores aprova criação do Instituto da Vinha e do Vinho


O parlamento dos Açores aprovou neste período legislativo de fevereiro de 2022, por unanimidade, a criação do Instituto da Vinha e do Vinho dos Açores (IVVA), apresentada pelo Governo tendo em vista a “moderna e ajustada estruturação” do setor.

Na reunião plenária da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores (ALRAA), que está a decorrer na cidade da Horta, ilha do Faial, o secretário regional da Agricultura, António Ventura, esclareceu que o instituto público regional pretende ser uma “iniciativa estruturante na definição e planeamento” da vitivinicultura no arquipélago, com três Regiões Demarcadas (Pico, Graciosa e Biscoitos).

António Ventura explicou estar em causa uma “alteração jurídica para operacionalização de políticas para o setor”, ao mesmo tempo que racionaliza os meios, “eliminando algumas duplicações”.

O governante destacou que este é um “setor prestigiantes para os Açores, quer como produto, quer como destino turístico”.

“Já não é possível não haver IVVA”, frisou, explicando que o Laboratório de Enologia vai ser integrado na nova estrutura.

De acordo com o secretário, o vinho é uma “nova fileira” que pode ajudar a tirar os Açores das dificuldades em que se encontram ao nível do “despovoamento e falta de fixação de jovens”.

“Seremos, com o IVVA, uma referência internacional porque temos dos melhores vinhos do mundo produzidos nos Açores”, vincou.

O deputado Marco Costa, do PSD, saudou a aposta do Governo na vitivinicultura e a instalação do IVVA na ilha do Pico.

“Não restam dúvidas de que todas as ilhas contam. Ficará instalado na ilha do Pico e estará ao serviço de todos os viticultores”, afirmou, referindo que o IVVA vai concentrar serviços até agora “distribuídos por, pelo menos, quatro organismos regionais”.

Gustavo Alves, do PPM, elogiou o novo instituto “para congregar uma série de elementos e elevar o setor a um novo patamar”.

Mário Tomé, deputado do PS, considerou estar em causa um “momento muito importante para o setor vitivinícola dos Açores”, lembrando o “longo caminho que foi necessário percorrer e se iniciou com o anterior Governo Regional [socialista]”.

O deputado único do Chega, José Pacheco, defendeu a necessidade de “aposta nos produtos regionais, pela qualidade”.

“Temos de apostar na promoção. Fazer um trabalho mais bem feito em prol do setor do vinho e combater as linhas brancas”, disse.

Nuno Barata, da Iniciativa Liberal (IL), considerou que o setor “não deixa ainda de ser incipiente no contexto agrorrural açoriano”, embora tenha conquistado “relevo e notoriedade nos últimos anos”.

“Não é do espírito da IL a criação de mais institutos públicos, ainda mais sendo um setor tão incipiente. Mas não queremos ser desmancha prazeres, aprovaremos na generalidade, e apresentamos propostas de alteração”, explicou.

Para Rui Martins, do CDS-PP, o instituto “irá certamente trazer muita qualidade à produção de vinho e bebidas espirituosas”, permitindo ainda “clarificar uma certa confusão nos procedimentos”.

António Lima, do BE, considerou esclarecidas as dúvidas relativamente a uma eventual duplicação de estruturas.

Carlos Furtado, deputado independente, defendeu que o IVVA se “deve limitar a funções mínimas”, pois “não deve o Estado estar onde não deve”.

[Fonte: LUSA]

Nota final para o facto de a criação do Instituto da Vinha e do Vinho dos Açores representar igualmente um momento histórico: pela primeira vez não só a ilha montanha terá a sede de um instituto da Administração Pública Regional, mas também este instituto será o único que estará localizado fora das ilhas onde se situavam as antigas capitais de distrito (São Miguel, Terceira e Faial). Por outras palavras, a ilha do Pico passará, assim, a ser um centro de decisão regional, neste caso no âmbito da vitivinicultura, o que também contribui para um desenvolvimento mais harmonioso dos Açores.

Haja saúde!

Post scriptum: Decreto Legislativo Regional n.º 6/2022/A de 22 de março de 2022 — Cria o Instituto da Vinha e do Vinho dos Açores, IPRA.