quarta-feira, 18 de maio de 2022

AnimaPIX Prémio 2022 - Livro Ilustrado


Estão abertas as candidaturas para o AnimaPIX Prémio 2022 - Livro Ilustrado.

Livros ilustrados, com primeira edição publicada entre janeiro 2020 e junho 2022, qualificam-se para este prémio da associação cultural MiratecArts. Um prémio que é dedicado ao talento açoriano, onde a ilustração é executada por um artista que nasceu ou reside numa das 9 ilhas dos Açores. Um segundo prémio é dedicado a artistas além dos Açores. O júri é composto pela madrinha do festival AnimaPIX, e a mais galardoada artista portuguesa em filmes de animação, Regina Pessoa; pelo artista gráfico, e colaborador regular da MiratecArts, Nelson Lopes; e pela ilustradora Inês Ribeiro, artista que tem tido presença anual no Azores Fringe Festival.

Os prémios consistem na apresentação do trabalho e na promoção junto dos meios de comunicação, um convite a participar em pessoa no festival que acontece na ilha do Pico, Açores, com uma exposição no AnimaPIX e ainda 500€ para executar uma nova ilustração com o intuito de ser um futuro cartaz do festival.

Para mais informações basta visitar www.miratecarts.com e preencher o ficheiro de candidatura disponível no site [link direto] até 1 de julho de 2022. Finalistas serão contatados até 1 de novembro e vencedores apresentados no AnimaPIX, festival de animação na ilha do Pico, a acontecer no mês de dezembro.

Haja saúde!

terça-feira, 17 de maio de 2022

Pico recebe “Feira de Emprego: O Futuro está à tua espera”


Nos dias 18 e 19 de maio de 2022, o Auditório da Madalena do Pico transforma-se numa verdadeira feira de oportunidades.

Destinado a estudantes e a quem procura o primeiro ou um novo emprego, o evento Emprego.Azores aposta em dinâmicas inovadoras que potenciem a dignificação profissional e a empregabilidade na Ilha e na Região, com a oferta de dezenas de postos de trabalho e formações, disponibilizadas pelas diversas empresas, entidades públicas e estabelecimentos de ensino presentes.

Sob o mote “da qualificação ao mercado de trabalho”, a iniciativa, promovida pelo Governo Regional, conta ainda com um ciclo de palestras, divididas em cinco painéis distintos abordando diversos temas, como o empreendedorismo, a formação e os desafios inerentes à entrada no mundo laboral.

Da teoria à prática, os interessados terão igualmente a oportunidade de participar nos workshops “Ser, em princípio, altamente contratável” e “Os 10 erros mais frequentes num CV”, aprendendo com especialistas na matéria técnicas e dicas para a imersão numa dinâmica organizacional.

[Fonte: AzoresAçores]

Haja saúde!

segunda-feira, 16 de maio de 2022

A montanha do Pico vê-se de São Miguel?! E das Flores?


Os Açores são, por definição da própria palavra arquipélago, um grupo de ilhas pouco distantes umas das outras. Assim, sobretudo para quem não conhece a Região, muitos poderiam esperar que de uma ilha se conseguisse ver outra qualquer, o que não acontece. Aliás, devido à dispersão geográfica do arquipélago açoriano ser de 617 km, ou seja, superior à do continente português (589 km), a noção de proximidade entre ilhas torna-se relativa e daí os Açores serem tipicamente subdivididos nos Grupos Oriental (Santa Maria e São Miguel), Central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) e Ocidental (Flores e Corvo) — em cada um destes é possível, com elevadíssima probabilidade, ver uma(s) ilha(s) estando noutra ilha do respetivo grupo.

Vem isto a propósito da questão que não raras vezes algumas pessoas fazem sobre os Açores: será possível ver ilhas de outro grupo que não daquele onde estamos?

Ora bem, devido à curvatura da Terra, a observação de pontos muito distantes só pode ocorrer se estes forem elevados ou, em alternativa, se se estiver num ponto elevado. Assim, atendendo ao facto de que a montanha do Pico é o ponto mais alto de Portugal, o desafio é então tentar saber se é possível ver a ilha montanha estando fora do Grupo Central.

Começando pelo Grupo Oriental, uma resposta muito bem enquadrada já foi dada em 2019 no blog 'O Pico e os Aviões', cuja imagem aqui se anexa: a ilha montanha vista de São Miguel. Esta é uma observação verdadeiramente espetacular, não só por não ser fácil de observar no dia a dia (têm de estar condições meteorológicas favoráveis), mas também por se estar a falar de visionar algo que está a cerca de 230 km de distância!

No caso do Grupo Ocidental, não há registo público de se observar o Pico a partir das Flores ou do Corvo; porém, segundo o site www.heywhatsthat.com , é possível ter linha de vista da ponta do Pico para a ilha das Flores (designadamente para a zona do Morro Alto, o que corresponde a cerca de 260 km).

Assim, fica aqui o desafio: tentar observar a montanha do Pico a partir das Flores ou, em alternativa, tentar ver esta última a partir do ponto mais alto de Portugal, de forma a reforçar o estatuto da ilha montanha como Farol dos Açores!

Haja saúde!

domingo, 15 de maio de 2022

Cooperativa do Pico investe 270 mil euros em câmaras de cura


A cooperativa Leite Montanha inaugurou duas câmaras de cura, que vão permitir desenvolver novos produtos e potenciar a qualidade dos que já existem.

Trata-se de um investimento de 270 mil euros que vem dotar a Leite Montanha do Pico com outras condições.

[Fonte: RTP Açores]

Haja saúde!


sábado, 14 de maio de 2022

Pico Zen 2022


De 8 a 12 de junho de 2022 decorre mais uma edição do "Pico Zen", o qual se realiza na ilha montanha, mais propriamente em São Roque do Pico.

Este evento conta ser um momento especial de contacto com a natureza, no qual serão desenvolvidas experiências únicas como yoga, música, dança, saúde, relaxamento, hiking, workshops, entre outras, ligadas ao turismo, à família e à tradição!

Mais informações podem ser encontradas no website www.picozen.pt , designadamente o programa, detalhes de horários, bilhetes de acesso e condições.

Haja saúde!



sexta-feira, 13 de maio de 2022

Fotografia tirada no Pico em destaque na National Geographic


A prestigiada sociedade internacional National Geographic elaborou, a partir do seu arquivo, uma lista de 30 fotografias hipnotizantes, as quais têm como elemento em destaque a repetição, um elemento da fotografia que, quando usado estrategicamente, consegue criar um ritmo encantador.

Nesta restrita lista surge uma fotografia tirada na ilha montanha na década de 1970 [em anexo]. Mais precisamente, O. Louis Mazzatenta capturou mulheres carregando cestos de pães enormes na cabeça como parte das celebrações durante a Festa do Espírito Santo em Ribeiras, no sul da ilha do Pico. Esta fotografia foi publicada num artigo da National Geographic de fevereiro de 1976 sobre os Açores.

Considerando que esta lista de fotografias integra imagens de todo o mundo e que a foto do Pico é a única portuguesa, este é mais um exemplo de que o que os picarotos fazem é de tal forma fascinante que merece destaque internacional.

Haja saúde!

quinta-feira, 12 de maio de 2022

Decisão unânime: ampliação da pista do aeroporto do Pico vai avançar


Neste período legislativo de maio de 2022 da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores teve lugar um momento que ficará para a história da ilha montanha, em particular, e para todo o arquipélago açoriano, em geral: os deputados aprovaram, por unanimidade, um projeto de resolução para “avançar com todos os trabalhos preparatórios para a concretização do projeto de execução da ampliação da pista do Aeroporto da ilha do Pico”, designadamente, com “um prolongamento para oeste na ordem dos 700 metros, por ser a solução técnica que garante a operacionalidade sem limitações para as aeronaves de médio curso, inclusive toda a frota atual da SATA Azores Airlines”.

Durante a discussão em plenário [ver vídeo anexo], alguns desenvolvimentos recentes foram revelados por parte da Secretária Regional com a tutela dos Transportes, nomeadamente o facto de já se terem iniciados os contactos com a UNESCO, com vista à salvaguarda da viabilidade plena do projeto, bem como que esta obra já está prevista no Plano Operacional 20-27.

Esta é, sem dúvida, uma das melhores prendas que a maior infraestrutura aeroportuária totalmente gerida e detida pela Região poderia ter no ano em que celebra 40 anos de atividade.

Por fim, uma palavra final para a sociedade civil, em especial à picarota, pois o momento histórico agora registado é uma vitória e uma reposta mais do que justa às suas reivindicações: foi graças à união nunca antes vista em torno da petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico" que esta temática ganhou protagonismo público; esta iniciativa concretizada em 2018 teve "uma montanha de apoio, traduzida de forma simbólica em 2351 assinaturas — tantas quantas a altura do ponto mais alto de Portugal, o nosso Pico!", bem como teve uma extraordinária união em diversas frentes, incluindo as vertentes empresarial e política. Por outras palavras, o sucesso contínuo alcançado por esta petição [a qual foi citada inúmeras vezes pelos deputados regionais aquando da discussão do projeto de resolução supramencionado] deve-se a este exemplo de cidadania construtiva por parte de todos os intervenientes.

Haja saúde!





quarta-feira, 11 de maio de 2022

Museu do Pico homenageia Zeca Afonso com "Celebrar Abril"


No dia 13 de maio de 2022, no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, o Museu do Pico organizará uma sessão de homenagem ao mítico cantor português Zeca Afonso, passados que são 35 anos do seu desaparecimento.

O evento, intitulado Celebrar Abril, no âmbito das comemorações dos 50 Anos do 25 de Abril, será composto de vários momentos.

Inicialmente será visionado um pequeno filme, sobre a vida e obra de Zeca Afonso, com depoimentos sobre a sua carreira musical, artística e política.

Pedro Afonso, filho de Zeca Afonso, há muitos anos a viver na ilha do Faial, apresentará um testemunho sobre o percurso artístico do seu pai.

A sessão continuará com a partilha de histórias e conversas, com a presença de Rui Pato, companheiro e acompanhante musical (guitarra clássica) de Zeca Afonso, ao longo de décadas.

A sessão encerrar-se-á com um pequeno concerto, em torno da música de Zeca Afonso, com os músicos Rui Pato (guitarra clássica), Bruno Costa (guitarra portuguesa de Coimbra), André Goulart (voz, viola e bandolim), Rui Silva (percussão), Francisco Costa (percussão), Sara Miguel (voz), Marcos Fernandez (viola da terra), Rogério Goulart (baixo acústico) e Manuel Costa (voz e viola).

Esta sessão de homenagem pública, terá o seu início pelas 21h, com entrada gratuita.

[Fonte: CulturAçores]

Haja saúde!

terça-feira, 10 de maio de 2022

Estreia do navio "Dicle Deniz" no Pico


Apresentam-se aqui algumas fotografias relativas à estreia do navio tanque "Dicle Deniz" no passada dia 1 de maio de 2022 no porto comercial do Cais do Pico, situado na vila de São Roque do Pico.

Este é um navio construído em 2009, na Turquia, tem 88 m de comprimento, 13 m de boca máxima e uma capacidade de carga de 3531 ton, estando neste momento, no que toca ao abastecimento de combustível interilhas, a substituir [após o N/T "Nordic Sira" o já ter feito] o N/T "São Jorge", o qual se encontra a ser reparado em virtude do embate no ilhéu da Praia da ilha Graciosa.

Haja saúde!





segunda-feira, 9 de maio de 2022

Czar: o rei do Pico


São menos de mil as garrafas que chegam este ano ao mercado, numa espécie de resumo daquilo que é o Czar, um vinho com 600 anos de História e sem se encaixar numa denominação clara. Não é apenas um vinho licoroso e também não é um vinho fortificado. É único, e dizem os críticos que tem o perfeito equilíbrio entre acidez, açúcares e álcool – tudo conseguido naturalmente e com a mínima intervenção humana.
É assim que se inicia um artigo na revista Exame sobre o 'Czar', um vinho que só aparece em anos excecionais sob esta referência, nascido no Lajido da Criação Velha, Património da Unesco na ilha do Pico.

Este artigo é parte integrante de uma reportagem da Exame dedicada a um restrito lote de 9 marcas portuguesas que voltaram ao mercado mais fortes, consistentes e com um legado para defender e levar mais longe, fazendo delas marcas valiosas não apenas para os respetivos proprietários, mas também para a História nacional.

Haja saúde!

domingo, 8 de maio de 2022

Palmas para o Secretário Regional picaroto


Duarte Freitas, o atual responsável pelas Finanças, Planeamento e Administração Pública do executivo açoriano, foi recentemente ouvido na comissão de inquérito da Assembleia Regional dos Açores às Agendas Mobilizadoras do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) na qualidade de antigo Secretário Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego dos Açores. Nessa audição, Duarte Freitas fez a seguinte afirmação:
O facto mais grave que aqui está foi não se ter considerado as associações comerciais de todas as ilhas e considerar-se apenas as das ilhas capitalinas dos resquícios do neocolonialismo.
O governante referia-se em concreto às ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, as quais albergavam a sede das capitais de distrito antes da entrada em vigor da Constituição de 1976, lei fundamental essa que extingiu estes distritos e criou a Região Autónoma dos Açores.

E porque é que este Secretário Regional afirmou que o "mais grave" das Agendas Mobilizadoras do PRR foi não incluir associações empresariais de todas as ilhas? Porque sempre que apenas algumas partes estão representadas nos centros de decisão, mais difícil será haver um desenvolvimento equitativo, equilibrado e harmonioso entre todas as partes, neste caso de todas e cada uma das ilhas açorianas.

Dito de outra forma, Duarte Freitas pôs o dedo na ferida e chamou a atenção para o óbvio: a lei ainda mantém um sentimento de que nos Açores há ilhas de primeira e ilhas de segunda!

Este tema já havia sido abordado neste blog, nomeadamente no que concerne à "centralização/concentração açoriana" no que toca às Secretarias Regionais. Mais concretamente, segundo o Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma dos Açores, seis ilhas — Santa Maria, Graciosa, São Jorge, Pico, Flores e Corvo — estão legalmente impedidas de sediar um departamento do Governo Regional! Também neste aspeto, a ação deste governante salta à vista: respeitando as limitações legais, Duarte Freitas encontrou uma solução virtuosa para poder trabalhar na sua terra (e não ter de forçosamente ir residir numa ilha "capitalina"), ao criar um gabinete funcional na ilha montanha, mais concretamente no Cais do Pico.

Em suma, este Secretário Regional picaroto merece palmas por defender o incontestável: na tomada de decisões nos Açores devem contar todos e não apenas alguns!

Haja saúde!

sábado, 7 de maio de 2022

Governo dos Açores prevê ampliação e remodelação do matadouro do Pico por 4,3 milhões de euros


O Governo dos Açores decidiu lançar um concurso público para remodelar e ampliar o matadouro do Pico por um preço base de 4,3 milhões de euros e prazo de execução de 18 meses, revelou ontem o Jornal Oficial.

O valor previsto para o procedimento, a cargo da Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, "inclui a construção civil, central de água quente, instalações frigoríficas e isotermia e equipamentos de processo, com o prazo máximo de execução de 18 meses [um ano e meio]", descreve-se na publicação.

As obras de remodelação e ampliação do matadouro do Pico pretendem "o aumento da capacidade da abegoaria e do frio, incorporando soluções específicas relativas à prossecução dos objetivos ambientais e em matéria de alterações climáticas".

A Resolução do Conselho do Governo publicada no jornal oficial autoriza a secretaria regional a lançar o concurso público, aprovar as peças do procedimento e designar o júri, bem como outras formalidades relacionadas com o concurso.

O executivo açoriano refere que, "com o objetivo de assegurar níveis de qualidade, segurança e excelência alimentares, que caracterizam as produções regionais, o Governo Regional tem vindo a realizar importantes investimentos nas infraestruturas de abate".

A intenção é "criar condições para reter, na Região Autónoma dos Açores, as mais-valias resultantes da preparação e processamento das carcaças".

"Numa ótica de permanente melhoria da rede regional de abate, afigura-se necessário proceder a novos investimentos, que visem a construção de novas unidades de abate, ou o melhoramento das existentes, cuja conceção acompanhe, para além da evolução das exigências do mercado, os condicionalismos legais sobre a matéria, entre os quais os relativos à higiene e segurança alimentar, tratamento de subprodutos, bem-estar animal, prossecução de objetivos ambientais e alterações climáticas", acrescenta.

[Fonte: Açores9]

Haja saúde!

sexta-feira, 6 de maio de 2022

Lenda de um Baleeiro


Quem viajou no passado mês de abril de 2022 a bordo da SATA / Azores Airlines teve a oportunidade de receber a sua refeição dentro de uma caixinha de papel que tinha em grande destaque, no seu exterior, a montanha do Pico e as palavras "From Pico Island, a Dream tale of a giant whale"; mais abaixo aparecia em português "A ilha do Pico e a lenda de sonho da baleia gigante".

Certamente estas palavras aguçam o apetite — notavelmente numa caixa contendo comida — sobre que lenda será esta. Ora bem, ao abrir a caixinha supramencionada, era possível encontrar uma passagem (quer em português, quer em inglês) da lenda em questão e um código QR para ler a versão completa, a qual se apresenta igualmente neste espaço:
Numa certa manhã, há muitas gerações atrás, ecoou por toda a ilha do Pico um som familiar; um barulho que representava a esperança de sustento e até de alguma fortuna para as famílias pobres da ilha. 
A palavra espalhou-se, para a maior baleia jamais avistada naqueles mares. Observados pela imponente montanha do vulcão do Pico, os homens correram aos barcos, decididos a ganhar a batalha contra aquela silhueta gigante que se afastava no horizonte. O mais valente dos arpoadores conseguiu chegar mais perto e, com a rapidez de um relâmpago, foi arrastado pela grossa corda do arpão atada à sua cintura, desaparecendo no infinito do mar. 
Depois de grande espera e sem esperança de voltar a ver o companheiro, os baleeiros voltaram para terra. 
Na manhã seguinte, o amanhecer revelou de novo no horizonte aquela figura gigante. Os homens remaram com todas as forças e, ao chegarem, tiveram a visão mais fantástica da sua vida: a baleia tinha trazido o homem de volta, que os recebeu às gargalhadas, fumando um grosso cigarro de casca de milho. 
Reza a lenda que o arpoador de baleias nunca revelou o segredo da sua vitória, nem tão-pouco como conseguiu lume para acender o cigarro.
Esta é naturalmente uma história que mistura factos com fantasia, não havendo forma de afirmar quais; contada e recontada de pais para filhos há várias gerações, não é de estranhar que existam diferentes versões desta história [link para versão alternativa]; todavia, a conclusão é sempre a mesma: o picaroto é capaz de vencer um gigante!

Haja saúde!


quinta-feira, 5 de maio de 2022

Exposição "«nós», nas traves do sótão" no Museu da Indústria Baleeira


Depois da passagem pelo Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas e pela Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça (Horta), a exposição itinerante “nós”, nas traves do sótão de Tomaz Borba Vieira (Ponta Delgada, 1938) é agora inaugurada a 6 de maio, às 21h, no Museu da Indústria Baleeira, em São Roque do Pico.

As obras expostas são um conjunto de desenhos a tinta da china e aguada, desenvolvidas num período de convalescença do artista, enquanto este olhava para as traves do teto do seu quarto. São desenhos que podem parecer quase infantis, pelo traço e pela ludicidade. São figuras antropomorfizadas, macacos e sereias, que convivem e se relacionam, há em vários deles fios ou linhas que ligam as várias personagens, há caminhos que se percorrem e possibilidades de sonhos, há igualmente a construção de uma possibilidade de uma viagem ao além e de quem desejamos que nos acompanhe nesse percurso.

Esta exposição estará patente até 7 de agosto.

[Fonte: CulturAçores]

Haja saúde!


Nota biográfica

Tomaz Borba Vieira nasceu em 1938 em Ponta Delgada, São Miguel.

Estudou Pintura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, Arte Mural na Academia de Belas Artes de Florença, Pedagogia na Universidade de Lisboa e Ciências da Educação (MA) na Universidade de Boston.

Foi docente no ensino técnico, preparatório, secundário e superior.

No seu curriculum artístico, iniciado em 1963, constam perto de 30 exposições individuais e a participação em cerca de 70 exposições coletivas.

Proferiu palestras e publicou artigos sobre questões de arte e de educação, prefaciou exposições de novos artistas e apresentou obras de alguns dos principais artistas açorianos na RTP Açores, em 1989.

Organizou a exposição Os Sentidos, com colaboração da Fundação Calouste Gulbenkian e do Governo dos Açores, na Igreja do Colégio, em Ponta Delgada, em 1989. Integrou a comissão organizadora da exposição A Window on the Azores, como curador convidado da Bermuda National Gallery, em 1999.

Publicou: “Herdar Estrelas” – Novela, 2000, com ilustrações de Luíz França; “Degrau de Pedra” – Contos, 2002, com ilustrações de Luíz França; “O Carcereiro da Vila” – Contos, 2008, com ilustrações do autor; “Navegação Interior” – Contos, 2013, com ilustrações do autor; “O Lugar da Maçã”, 2019.

Fundou o Castelo – Centro Cultural, na Caloura, ilha de São Miguel, em 2005.

Foi-lhe atribuída, em 2006, a Insígnia Autonómica de Reconhecimento pela Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

quarta-feira, 4 de maio de 2022

III Volta à Ilha do Pico em Caiaque


Uma das principais pérolas da ilha do Pico é o mar que a rodeia, não fosse este um dos recursos que pode desfrutar em todas as nove ilhas do arquipélago.
Os Açores são o local perfeito para a prática da canoagem e apresentam algumas das melhores condições para desfrutar de uma experiência única e desafiante, contornando os recantos da ilha e que colocará os participantes numa perspetiva sobre a ilha que, de outra forma, não conseguiriam ter.

É assim que é apresentada a terceira edição da "Volta à Ilha do Pico em Caiaque" um circuito de surfski composto por 5 etapas, onde são mais de 100 km a pagaiar ao redor da ilha montanha.

Este evento terá lugar entre os dias 5 e 9 de julho de 2022, sendo que as inscrições já se encontram abertas [limitadas a 30 pessoas]. Entre cada etapa, os participantes terão oportunidade de usufruir várias atividades, tais como:
  • Ouvir a história da caça à baleia contada por um antigo baleeiro;
  • Observar baleias e golfinhos;
  • Passear à vela e a remos em botes baleeiros;
  • Dançar a Chamarrita (à moda do Pico);
  • Degustar vinhos e tapas regionais;
  • Visitar o Museu da Indústria da Baleia.
Para mais informações, visitar o site da Associação Regional de Canoagem dos Açores.

Haja saúde!



terça-feira, 3 de maio de 2022

Escala de navios de mercadorias no Porto do Cais do Pico — maio 2022


A Transinsular publicou no seu site a escala para o mês de maio de 2022 dos navios de carga que efetuam a ligação Continente - Açores (clique na tabela seguinte para conhecer esta escala).


Os navios e as datas em que os mesmos vão visitar o Porto do Cais do Pico, na vila de São Roque do Pico, encontram-se indicados na tabela seguinte (clicando no nome do navio abre uma nova janela com a localização atual do mesmo).

DiaNavio
05 de maio (quinta-feira)Furnas
12 de maio (quinta-feira)Insular
18 de maio (quarta-feira)Ponta do Sol
26 de maio (quinta-feira)Corvo

Movimento portuário - Porto do Cais do Pico:
Todas estas informações encontram-se igualmente disponíveis no separador "Barcos" deste blog.

Haja saúde!


segunda-feira, 2 de maio de 2022

Roteiros para a ilha "mais curiosa" dos Açores


Os autores do blog de viagens "RandomTrip" estiveram dois meses nos Açores a conhecer os recantos do arquipélago. Em particular, passaram 60 dias nas nove ilhas, sendo que 12 deles (ou seja, 20% do tempo total desta viagem) foi dedicado ao Pico [segunda ilha onde passaram mais tempo].

Como resultado desta experiência, os viajantes elaboraram roteiros para disponibilizar à comunidade, nos quais é possível encontrar o que visitar dependendo da tempo disponível:
Ilha do Pico (Açores): o que visitar, roteiros de 3, 5 e 7 dias (uma semana) e mapa com pontos de interesse da ilha com o ponto mais alto de Portugal
Como nota final, destaque-se como a ilha montanha foi classificada por estes viajantes, os quais afirmaram que o Pico "é talvez a mais curiosa das nove ilhas do arquipélago, e por esta razão, roubou-nos o coração".

Haja saúde!

domingo, 1 de maio de 2022

Vista aérea de vinhas da Candelária [vídeo]


Apresenta-se, em anexo, um vídeo da autoria de António Faria, datado de abril de 2022, o qual mostra imagens aéreas da zona costeira da freguesia da Candelária, concelho da Madalena, local onde está a haver uma apreciável recuperação de vinhas [link para vídeos relacionados de 2020].

Haja saúde!