quinta-feira, 30 de julho de 2020

Aterragens no Pico com vento sudoeste (vídeo)


No dia de ontem, 29 de julho de 2020, o Aeroporto da ilha do Pico recebeu alguns voos sob condições atmosféricas que não eram as mais favoráveis à operação aérea.

Em particular, o vento apresentava-se do quadrante sudoeste, com rajadas a chegar aos 33 nós, isto quando chegaram dois voos num curto espaço de tempo: SP 624, proveniente da Terceira, e S4 143, proveniente de Lisboa.

METAR LPPI: 291700Z 23023KT 9999 FEW010 SCT015 26/21 Q1015 RMK WIND RWY09 23021G33KT RWY27 22024KT

De forma a poder partilhar as aterragens destes voos para todos aqueles que não puderam assistir às mesmas in loco, apresenta-se um vídeo relacionado em anexo. Adicionalmente, apresentam-se algumas fotografias dos aviões estacionadas na placa do aeroporto da ilha montanha, bem como da fila que se forma atualmente à chegada de voos provenientes do exterior da região (isto devido à presente pandemia e à necessidade de fazer/comprovar o teste à COVID-19).

Recorde-se que todos horários dos aviões que servem a ilha do Pico de forma regular encontram-se disponíveis no separador "Aviões" deste blog.

Haja saúde!





quarta-feira, 29 de julho de 2020

Eis o primeiro voo extra para o Pico na era COVID


Ao longo dos últimos anos, a ilha montanha tem registado recorrentemente a adição de voos extra interilhas na época alta do verão (julho/agosto). Neste ano de 2020, e devido à pandemia de COVID-19, a qual afetou o transporte aéreo de forma muito significativa, seria de esperar que esta tendência de adição de voos extra, para fazer face à procura, não se iria repetir...

Mas eis que a SATA decidiu disponibilizar, no início desta última semana de julho, uma rotação extra São Miguel - Pico - São Miguel para o dia 7 de agosto:

--------------------------------------------------------
7 Agosto (6.ª feira)

SP2432 | P. Delgada — Pico | 10:50 11:50
SP2433 | Pico — P. Delgada | 12:15 13:10
--------------------------------------------------------

[Recorde-se que todos horários dos aviões que servem a ilha do Pico de forma regular encontram-se disponíveis no separador "Aviões" deste blog.]

Este é um momento simbólico, pois não só representa o primeiro voo extra da SATA que tenta suprir a procura, bem como demonstra como a demanda pela ilha montanha continua a superar a oferta, mesmo em tempos de pandemia.

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

Post scriptum: Posteriormente a esta notícia, foram adicionados mais voos extra para o Pico em agosto.

terça-feira, 28 de julho de 2020

Piscina do Cais do Pico entre as melhores piscinas naturais de Portugal


O portal ‘SapoViagens’ elaborou uma lista das melhores piscinas naturais para aproveitar o verão em Portugal, sendo que a Piscina do Cais do Pico é um dos 19 locais mencionados.

Para além deste honroso destaque, recorde-se que esta piscina não só é uma Zona Balnear Oficial dos Açores, mas também foi distinguida com o galardão Bandeira Azul, o que atesta igualmente a qualidade das suas águas.

Esta é mais uma prova de como a ilha montanha se continua a afirmar como um sítio que contém das melhores paisagens e experiências que o nosso país tem para oferecer.

Haja saúde!


segunda-feira, 27 de julho de 2020

Festas do Senhor Bom Jesus Milagroso 2020


Apresenta-se, em anexo, o programa das Festas do Senhor Bom Jesus Milagroso para este ano de 2020, as quais têm lugar no Santuário Diocesano homónimo, situado na freguesia de São Mateus, ilha do Pico.

Em resumo, as novenas começam hoje, 27 de julho, às 19h30; no dia 5 de agosto, também pelas 19h30, tem lugar a Missa da Vigília. No dia 6 de agosto, dia maior das festas, destaque para a Missa Solene, às 18h00, e para a Saudação das Filarmónicas, pelas 19h30.

Nota final para o facto de, devido à pandemia de COVID-19, a tradicional procissão (uma das maiores dos Açores) não se realizará neste ano de 2020.

Haja saúde!

Post scriptum: Adicionados vídeos relacionados.





sábado, 25 de julho de 2020

Exposição ‘Mistérios da Ilha’ mostra o Pico em fotografia


A Câmara Municipal de São Roque do Pico, em parceria com a Associação Cultural, inaugurou recentemente a exposição ‘Mistérios da Ilha’.

A iniciativa pretende recuperar as 52 imagens submetidas ao concurso de fotografia promovido em 2019 pela Câmara Municipal de São Roque do Pico e que contou com 34 participantes.

A mostra, que pode ser visitada até final de setembro de 2020, vai estar distribuída por espaços diferentes. No edifício dos Paços do Concelho estarão em exposição as fotos relativas ao ‘desporto’, no Quiosque de Turismo as subordinadas ao tema ‘rilheiras’ e na Biblioteca Municipal as de ‘animais’. As fotos sobre ‘plantas’ e ‘ribeiras’ podem ser visualizadas no Posto de Turismo, enquanto no Centro de Exposições-Casa dos Sofias vai estar um conjunto de imagens de temas variados.

O concurso de fotografia surgiu com o intuito de estimular os locais e visitantes a desvendar os mistérios da ilha, particularmente do concelho de São Roque do Pico, quer sejam naturais ou culturais, e capturá-los num click.

[Fonte: CMSRP]

Haja saúde!


sexta-feira, 24 de julho de 2020

Andamento da requalificação da Praceta dos Baleeiros


[Link para fotos mais recentes]

Apresenta-se, em anexo, um conjunto de fotografias (datadas de 23 de julho de 2020) relativas ao andamento da empreitada de requalificação da Praceta dos Baleeiros, no Cais do Pico, vila de São Roque do Pico.

Esta obra, orçada em quase 235 mil euros (sem IVA) e que tem um prazo de execução de cinco meses (a contar desde o início de julho de 2020), assenta essencialmente na requalificação de pavimentos, nomeadamente na cobertura do pavimento com um tapete betuminoso de cor avermelhada, salvaguardando-se o lajeado de pedra remanescente do antigo pátio de desmancha; adicionalmente, a plataforma contígua aos balneários será pavimentada com um deck a imitar madeira. Serão ainda construídos novos muros ao longo da plataforma contígua aos balneários e junto à estátua do Velho Baleeiro, bem como haverá um reforço dos muros laterais da antiga rampa de varagem das baleias. O projeto inclui igualmente a construção de passeios e a recuperação e replicação dos antigos candeeiros de betão existentes na zona [link para o projeto].

Haja saúde!




quinta-feira, 23 de julho de 2020

2 milhões de visualizações


Há momentos simbólicos que merecem ser celebrados e este é um deles: o blog "Cais do Pico" acaba de superar a marca das 2.000.000 visualizações, ou seja, dois milhões de visitas!

É simplesmente fantástico saber que o tempo, esforço e dedicação despendidos para escrever sobre um pouco de tudo relacionado com a ilha montanha, sendo dado destaque à zona do Cais do Pico, à vila e ao concelho de São Roque do Pico, tiveram como retorno que dois milhões de visitas já foram feitas a esta página em seis anos e meio desde a sua fundação!

Adicionalmente, é muito gratificante sentir que a audiência deste blog tem vindo a crescer significativamente ao longo do tempo, pois não só o mais recente milhão destas visualizações foi registado em pouco mais de dois anos, bem como o "Cais do Pico" foi classificado no ano transato como um dos 50 blogs mais lidos de Portugal!

O meu muito obrigado a todos os visitantes do blog "Cais do Pico", especialmente àqueles que o seguem fielmente e a todas as pessoas que têm ajudado a divulgar o mesmo — esta comemoração também é vossa!

Haja saúde!


quarta-feira, 22 de julho de 2020

São Roque do Pico inova na recolha seletiva de biorresíduos


A Câmara Municipal de São Roque do Pico vai avançar com um projeto inovador de separação e valorização dos resíduos orgânicos, à semelhança do que acontece com o plástico, papel/cartão e vidro.

O projeto que agora se inicia na sequência de uma candidatura formalizada pela Associação de Municípios da Ilha do Pico (AMIP) vai permitir numa primeira fase a distribuição de 34 contentores com uma capacidade individual de 800 litros.

A colocação dos novos contentores vai privilegiar em cada uma das cinco freguesias do concelho os locais mais próximos dos grandes produtores de resíduos urbanos biodegradáveis, como o setor da restauração, jardins públicos e outros pontos estratégicos.

Esta nova rede permite aumentar significativamente o desvio de biorresíduos de aterro, eliminando progressivamente a sua deposição direta o que permite prolongar a vida útil do aterro sanitário intermunicipal.

No caso concreto, após a sua decomposição através de um processo natural, os resíduos transformam-se em composto, que poderá ser utilizado de forma segura como fertilizante natural em jardins, canteiros, hortas e campos agrícolas.

Podem ser colocados nos contentores de biorresíduos restos de comida não cozinhada, sobras de vegetais crus e de frutas, pão, borras e filtros de café, sacos de chá, casca de ovo, ervas daninhas, folhas verdes, flores, restos de relva cortada, folhas secas, cortes e podas de pequena dimensão, laticínios, guardanapos, papel/cartão sujo.

Simultaneamente a esta ação, a Câmara de São Roque do Pico e a AMIP vão apostar na promoção de campanhas de sensibilização e educação ambiental para transmitir as mais valias de separar os biorresíduos e os benefícios da sua valorização.

[Fonte: CMSRP]

Haja saúde!


terça-feira, 21 de julho de 2020

As Sete Cidades no Pico e o Pico nas Sete Cidades


Reza a lenda que a ilha das Sete Cidades, também denominada por Antillia ou Antilia, se situava algures no Oceano Atlântico, a ocidente da Europa. Esta lendária ilha inspirou durante muitos séculos a exploração marítima, levando a que o respetivo nome tenha sido atribuído a algumas zonas de expansão portuguesa quinhentista.

Em particular, no arquipélago dos Açores existem duas ocorrências deste topónimo: o lugar das Sete Cidades, situado na freguesia e concelho da Madalena, ilha do Pico, e a freguesia das Sete Cidades, situada no concelho de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

O lugar das Sete Cidades constitui a parte mais distante do mar da vila da Madalena do Pico, sendo afamado pela sua filarmónica e pelos maroiços existentes nas suas proximidades. Por outro lado, a freguesia das Sete Cidades situa-se na parte plana da margem da Lagoa Azul, a qual, juntamente com a Lagoa Verde, constitui a famosa Lagoa das Sete Cidades da ilha de São Miguel.

Confundir estas duas Sete Cidades é algo extremamente incomum, sendo quase um feito extraordinário quem o faz; mais concretamente, a referência a "Sete Cidades" fora da ilha do Pico é, quase com toda a certeza, direcionada à freguesia e/ou lagoa homónima da ilha de São Miguel.

No entanto, um canal generalista nacional decidiu, à semelhança de outros órgãos de comunicação social, lançar a confusão e colocar a Montanha do Pico junto à Lagoa das Sete Cidades. Separados por cerca de 250 km, estes ex libris açorianos curiosamente partilham o facto de pertencerem ao grupo das 7 Maravilhas Naturais de Portugal; em todo o caso, esta não é uma razão suficiente para deturpar a informação prestada aos telespectadores, sugerindo que quem for ver a Lagoa das Sete Cidades, também consegue observar a Montanha do Pico.

Em suma, é desta forma que se criam os mitos e as lendas modernas, sendo que este canal televisivo ficará para sempre associado à mais recente lenda portuguesa: o Pico nas Sete Cidades!

Haja saúde!


segunda-feira, 20 de julho de 2020

Vinhos do Pico


A Paisagem da Cultura da Vinha da ilha do Pico, um sítio classificado pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade e uma autêntica lição de vida, é também um impressionante terroir, cujas uvas, as mais caras de Portugal, permitem produzir grandes vinhos que têm assumido destaque a nível nacional e internacional, tendo inclusivamente a CNN considerado os mesmos como um dos segredos da gastronomia portuguesa.

De forma a apresentar os vinhos do Pico, a sua história e as suas qualidades, de uma maneira visual e que possa ser facilmente partilhado nas redes sociais, a CVRA — Comissão Vitivinícola Regional dos Açores — elaborou um vídeo que se apresenta em anexo.

Haja saúde!


domingo, 19 de julho de 2020

Time-lapse do pôr do Sol no Pico


Apresenta-se, em anexo, um vídeo da autoria de António Faria, o qual mostra um time-lapse de um pôr do Sol observado a partir da zona oeste da ilha montanha, tendo sido o mesmo registado no início deste mês de julho de 2020.

Haja saúde!


sábado, 18 de julho de 2020

Festa de Santa Maria Madalena 2020 celebrada com Missa Campal


A Festa de Santa Maria Madalena será, este ano, celebrada com uma missa ao ar livre, no dia de 22 julho de 2020, pelas 18h00, no Largo Cardeal Costa Nunes, de modo a permitir o rigoroso cumprimento das normas de distanciamento e segurança sanitária, preconizadas pela Autoridade de Saúde.

A par da celebração eucarística, a solenidade conta ainda, com a Bênção de Viaturas, pelas 12h00, e Saudação à Padroeira, pelas 19h30.

Espelhando a devoção do povo, esta secular tradição festiva cumpre-se mais um ano, apelando-se a todos que respeitem as indicações e orientações de saúde, em vigor, nomeadamente o uso obrigatório de máscara e afastamento social.

Haja saúde!

Post scriptum: Adicionados vídeos relativos a esta festa.





sexta-feira, 17 de julho de 2020

Exposição do Prémio de Artesanato dos Açores CoMtradição no Museu da Indústria Baleeira


O Centro Regional de Apoio ao Artesanato, com o apoio do Museu do Pico, apresenta a exposição do Prémio de Artesanato dos Açores CoMtradição, de 17 de julho a 30 de agosto, no Museu da Indústria Baleeira, em São Roque do Pico.

O Prémio CoMtradição surge como forma de distinguir, divulgar e promover a atuação exemplar de entidades ou artesãos, que se diferenciam pela dedicação ao trabalho na área do artesanato, elevando, desta forma, as expressões da cultura regional, com o objetivo de consagrar artesãos ou entidades, com carreira consolidada e historicamente relevante, cujo trabalho contribuiu e continua a contribuir para afirmar a identidade das Artes e Ofícios dos Açores.

O Prémio, na sua segunda edição, reconhece e homenageia João Pereira, que não só contribuiu para a dinamização da economia da ilha Terceira, empregando dezenas de bordadeiras, como também preservou a tradição do bordado a branco naquela ilha.

Do prémio fazem parte uma exposição de caráter antológico com itinerância nas ilhas Terceira, Pico e São Miguel e um conjunto de atividades pedagógicas, com a presença dos artesãos, potenciando o encontro intergeracional e fomentando o gosto pelo artesanato.

A exposição poderá ser visitada de terça-feira a domingo, das 10h00 às 17h30.

Haja saúde!



quinta-feira, 16 de julho de 2020

Fábrica das Armações Baleeiras Reunidas é oficialmente imóvel de interesse público


A Resolução do Conselho do Governo n.º 194/2020, de 15 de julho, veio oficializar o que já tinha sido revelado no Comunicado do Conselho do Governo reunido no Pico no início deste mês de julho de 2020: classificar como bem imóvel de interesse público a antiga Fábrica das Armações Baleeiras Reunidas, atualmente Museu da Indústria Baleeira, sita ao Cais do Pico, concelho de São Roque do Pico.

Esta classificação justifica-se pela integridade do imóvel, seus anexos, e recheio, bem como pela importância histórica, social e económica que a indústria baleeira teve para a Vila de São Roque do Pico.

A Fábrica da Baleia de São Roque do Pico foi, historicamente, a mais importante unidade fabril da indústria baleeira insular e o maior complexo fabril da atividade baleeira nos Açores. Esta fábrica recebeu, para processamento, cachalotes capturados pelas armações baleeiras do Pico e das ilhas do Faial, São Jorge, Graciosa e Terceira. Foi a última fábrica do género a laborar na Região Autónoma dos Açores, encerrando a sua atividade no fim de 1984.

A grande plataforma (pátio) de desmancho e a rampa de varagem/alagem de cachalotes, situadas à frente da fábrica, bem como os edifícios anexos e equipamentos associados, são estruturas patrimoniais relevantes e testemunhos de uma herança cultural singular, que marcam o espirito do lugar e afirmam a identidade local.

A Fábrica das Armações Baleeiras Reunidas, Lda., é pois, um marco singular, histórico, social, económico, cultural e turístico do lugar do Cais do Pico e do Concelho de São Roque do Pico. É um testemunho da prosperidade económica, e consequentemente social, daquele tempo, daquele lugar, da ilha do Pico e dos Açores. É um vestígio histórico e arqueológico que, pela sua relevância e importância, se assume como uma imagem de marca do património baleeiro dos Açores.

Assim, e de acordo com a resolução supracitada, a antiga Fábrica das Armações Baleeiras Reunidas, atualmente Museu da Indústria Baleeira, passa a ser, a partir de hoje (16 de julho de 2020), um bem imóvel de interesse público, sendo a área classificada e respetiva zona de proteção as que se apresentam na planta em anexo.

Haja saúde!


quarta-feira, 15 de julho de 2020

Elogios aos picarotos por parte de Joana Vasconcelos e José Pedro Vasconcelos


No âmbito do talk-show da RTP 'Depois, Vai-se a Ver e Nada', uma das convidadas foi a conhecida artista plástica Joana Vasconcelos, a qual proporcionou uma visita guiada à sua exposição 'Lar Doce Lar', patente no Edifício dos Leões - Espaço Santander, em Lisboa.

De entre as muitas obras apresentadas pela artista plástica ao apresentador José Pedro Vasconcelos, houve uma que mereceu particular atenção, não apenas pela obra em si, mas também pelo facto de ter mãos picarotas à mistura.

Mais concretamente, a obra 'Piano Dentelle' consiste num piano que foi totalmente "vestido" por croché do Pico (quase como se estivesse a usar um smoking). Quando este facto foi revelado por Joana Vasconcelos [minuto 41:25 do vídeo em anexo], adicionando que fora feito por um "grupo de senhoras fantástico", José Pedro Vasconcelos referiu imediatamente que "os picarotos são das pessoas mais trabalhadoras do país", ao que a artista plástica acrescentou "com umas mãos de ouro".

Recordando que as rendas da ilha montanha chegaram além-fronteiras pela mão de Joana Vasconcelos já por inúmeras vezes, estes seus elogios conjugado com o que disse José Pedro Vasconcelos comprovam, mais uma vez, a excelência do que se faz na ilha do Pico.

Haja saúde!


terça-feira, 14 de julho de 2020

Vista aérea da Terra do Pão


Apresenta-se, em anexo, um vídeo da autoria de António Faria, o qual mostra imagens aéreas da Terra do Pão, lugar este pertencente à freguesia de São Caetano, concelho da Madalena.

Haja saúde!


segunda-feira, 13 de julho de 2020

Casa dos Sofias — valiosa coleção em osso e dente de baleia


Inaugurado em abril de 2015, o centro de exposições da ‘Casa dos Sofias’ apresenta uma mostra permanente de trabalhos em osso e dente de baleia, que permite revisitar o passado e projetar turisticamente o concelho detentor da marca ‘Capital do Turismo Rural’.

Localizada no Cais do Pico, muito próximo do Museu da Indústria Baleeira, a exposição de acesso gratuito dá a conhecer uma valiosa coleção com 200 peças, entre as quais mais de 130 dentes de baleia.

Fazem ainda parte desta mostra um conjunto de peças de elevado valor histórico relacionadas com a época da caça à baleia, como por exemplo um canhão de madeira, arpões, uma espingarda, um sino, antigos rádios/telefone, bem como outros meios de comunicação utilizados na época.

Entre os artefactos em osso e marfim sobressaem um maxilar, um Cristo, um conjunto de bengalas e um cálice, bem como réplicas de utensílios utilizados na caça à baleia como por exemplo um conjunto de arpão, lança, machado e faca.

Além de engrandecer a história da atividade no concelho a coleção reconhece a importância da baleação no desenvolvimento económico de São Roque do Pico e de todos aqueles que ao longo de décadas estiveram envolvidos no setor.

A exposição instalada num edifício do século XIX, que pertenceu a uma família com ligações à atividade baleeira, pode ser visitada de segunda a sexta-feira entre as 9 e as 17 horas.

Haja saúde!












domingo, 12 de julho de 2020

Turismo na Madeira com vista para o Pico


Como muitos sabem, a ilha da Madeira, situada no arquipélago homónimo, tem, entre muitas outras coisas, três picos como atrações turísticas de natureza: Pico Ruivo, Pico das Torres e Pico do Areeiro, os quais oferecem espetáculos paisagísticos inesquecíveis.

Por outro lado, a ilha do Pico, situada no arquipélago dos Açores, apresenta uma majestosa montanha, a qual não só dá nome à ilha, mas também é verdadeiramente inesquecível para todos aqueles que têm o privilégio de a ver, seja ao vivo, seja mesmo através de imagens.

Posto isto, um canal televisivo de notícias de referência nacional parece não saber o que foi explanado anteriormente, pois imagens da ilha do Pico — quer do ponto mais alto de Portugal, quer de outros lugares — foram usadas para suportar uma reportagem sobre o turismo na ilha da Madeira.

Este é um erro do tamanho de 1200 km, mas, mais do que isso, o uso indevido de imagens do Pico afigura-se como uma falta de respeito para com os picarotos, em particular, e para com os açorianos, em geral.

Por fim, e à semelhança do que se passou com outros órgãos de comunicação social, esta reportagem revela como quem não sabe notícias não é o único ignorante, pois também o pode ser quem as dá!

Haja saúde!


sábado, 11 de julho de 2020

Homenagem aos baleeiros do Pico


Apresenta-se, em anexo, um vídeo que aborda a temática da baleação, começando com um enquadramento histórico da caça à baleia a nível mundial, seguindo-se a descrição de como a baleação chega aos Açores.

Após esta introdução, o documentário foca-se nos baleeiros do Pico e aprofunda a sua atividade, tornando-se assim um valioso contributo para todos aqueles que pretendam saber mais sobre este assunto.

Em suma, estas imagens são uma autêntica viagem no tempo a uma época marcante para a ilha do Pico e para a suas gentes.

Haja saúde!


sexta-feira, 10 de julho de 2020

Calendário venatório para a ilha do Pico 2020/2021


A Portaria n.º 89/2020 (de 30 de junho) e a Declaração de Retificação n.º 9/2020 (de 6 de julho) — alteradas pela Portaria n.º 103/2020 (de 3 de agosto) — contêm o calendário venatório 2020/2021 para a ilha do Pico, isto é, o calendário para a época de caça que vai desde 1 de julho de 2020 a 30 de junho de 2021. As regras da caça na ilha do Pico são apresentadas de seguida, encontrando-se no final uma tabela resumo sobre as restrições à atividade venatória na ilha montanha [acesso direto à tabela].

O que se pode caçar?
(o link no nome científico remete para imagens das respetivas espécies)

Onde se pode caçar?
Para a caça ao coelho-bravo estão definidas duas zonas, delimitadas do seguinte modo:
  • Zona 1 – Nas áreas plantadas com cereais, hortícolas e vinha, até à cota dos 200 metros de altitude.
  • Zona 2 – Na restante área da ilha a cotas acima dos 200 metros de altitude.

Para a caça à galinhola estão definidas duas zonas, delimitadas do seguinte modo:
  • Zona A – Partindo do Centro de Saúde da Madalena, segue pela Estrada Regional n.º 3 (Estrada Longitudinal) até encontrar a Estrada Regional n.º 2 (Estrada Transversal – Corre Água). Daqui segue para a costa Norte da Ilha, pela Estrada Regional n.º 2, até encontrar a Estrada Regional n.º 1 (São Roque do Pico), seguindo por esta até à origem. Abrange as freguesias de São Roque do Pico, Santo António, Santa Luzia, Bandeiras e Madalena.
  • Zona A1 – Partindo da Casa do Guarda-florestal sita em Corre Água, no entroncamento, no sentido do Caminho Florestal da Serra do Topo, segue por este, passando pela Lagoa do Caiado, Caveiro, Lagoa do Peixinho, Cabeço da Laje, Cabeço Escuro até encontrar a Estrada Regional n.º 1 (Altamora – Piedade). Segue pela Estrada Regional n.º 1 até à Silveira, continuando até à origem pela Estrada Regional n.º 2. Abrange as freguesias da Piedade, Calheta de Nesquim, Ribeiras e parte da freguesia das Lajes do Pico.

Relativamente à caça à codorniz, esta apenas é permitida nas freguesias de Santo António, Santa Luzia, Bandeiras e Madalena.

Que outras restrições existem?
Na tabela resumo são apresentados os processos de caça permitidos, os períodos venatórios, horários e limites diários de abates. Outras restrições são enunciadas de seguida:
  • Nas Lagoas do Caiado, do Capitão, do Paúl, do Peixinho e da Rosada, é interdita a atividade cinegética, em regime não ordenado, exceto quando enquadradas em operações destinadas ao controlo de pragas de roedores.
  • É proibida a caça nas parcelas de áreas baldias de pastagem que estiverem ocupadas com animais em pastoreio.
  • É proibida a caça à perdiz-vermelha (Alectoris rufa).
  • É proibido caçar com uso de furão.
  • É proibida, na caça ao coelho-bravo, a utilização de instrumentos cortantes de qualquer tipologia (foices, sachos e afins) para a abertura de veredas de passagem, assim como a caça ao coelho-bravo em veredas recentemente abertas.
  • É proibido caçar ao pombo-da-rocha, nos locais de nidificação da espécie, nomeadamente junto às barrocas do mar e com utilização de barco.

Haja saúde!



Calendário venatório para a ilha do Pico – 2020/2021
(tabela resumo)

Espécie Zona Processo de caça Período venatório Horário Limite diário de abates por caçador
Coelho-bravo Zona 1 Salto, Espera, Espreita, Batida, Corricão e Cetraria De 1 de agosto a 31 de janeiro
(todos os dias)
Do nascer ao pôr-do-sol 20
Zona 2 Proibida a caça
Codorniz Santo António,
Santa Luzia,
Bandeiras e Madalena
Salto (com cão de parar) 20 de dezembro (domingo) Das 09:00 às 12:00 3
Galinhola Zonas A e A1 Salto (com cão de parar) De 18 de outubro a 13 de dezembro (apenas domingos) Das 08:00 às 13:00 3
Cetraria De 20 de outubro a 11 de dezembro (apenas terças, quartas e sextas) 1
Narceja-comum
&
Narceja de Wilson
Salto (com cão de parar) De 15 de novembro a 3 de janeiro (apenas domingos e feriados) Das 08:00 às 13:00 3
Cetraria De 16 de novembro a 1 de janeiro (apenas segundas, quartas e sextas) 1
Pombo-da-rocha Espera De 1 de agosto a 28 de fevereiro (apenas sábados, domingos e feriados) Do nascer-do-sol às 17:00 25
Cetraria De 3 de agosto a 26 de fevereiro (apenas segundas, quartas e sextas)
Pato-real
&
Marrequinha
&
Piadeira
Espera e Salto De 15 de novembro a 3 de janeiro (apenas domingos e feriados) Das 08:00 às 13:00 3

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Saúde no Pico: SIV passa a funcionar 24h por dia e há mais presença física médica nos centros de saúde


Comunicado da USIP — Unidade de Saúde da Ilha do Pico:
Caro/a Utente
Considerando o estado de calamidade pública no âmbito da Pandemia COVID-19, e o Plano de Contingência da USIP em curso, vimos informar que, a partir do dia 08 de julho:
A equipa de Suporte Imediato de Vida - SIV - passa a ser um serviço disponível na Ilha do Pico durante as 24h, para socorrer e acompanhar o transporte de doentes críticos, com a capacidade de garantir cuidados de saúde diferenciados.
Os Serviços de Atendimento Permanente do Centro de Saúde das Lajes e Centro de Saúde de São Roque funcionarão com horário alargado todos os dias, incluindo feriados e fins de semana, das 08h às 22h, agora com presença física médica em todo o seu período de funcionamento.
O Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde da Madalena funcionará com presença física médica disponível 24h por dia.
Nos casos de sintomas de febre, tosse ou dificuldade respiratória, privilegie sempre o contato prévio com a Linha Saúde Açores - 808 24 60 24 – que lhe indicará as orientações que deve seguir.

Uma nota adicional para o que esta alteração significa em termos estatísticos:
  • A equipa SIV, que anteriormente funcionava das 8h às 24h, incrementa a sua disponibilidade em +8 horas diárias, ou seja, mais 56 horas semanais;
  • Os centros de saúde das Lajes e de São Roque do Pico, que anteriormente tinham presença física médica das 8h às 20h nos dias úteis e das 8h às 14h aos sábados, passam agora a ter, cada um e em termos semanais, mais 32 horas de médico em presença física (+2 horas nos dias úteis, +8 horas aos sábados e +14 horas aos domingos e feriados);
  • O Centro de Saúde da Madalena, que anteriormente tinha presença física médica das 8h às 20h nos dias úteis e das 8h às 16h nos restantes dias, passa agora a ter, em termos semanais, mais 92 horas de médico em presença física (+12 horas nos dias úteis e +16 horas nos restantes dias).

Recorde-se que a equipa SIV permite prestar cuidados em ambiente pré-hospitalar, incorporando regulação médica efetuada (à distância) por médicos de diversas especialidades, que têm por principal função a regulação da prestação de cuidados de emergência de acordo com os protocolos de atuação, bem como o encaminhamento da vítima/doente para a unidade de saúde mais adequada (seja ela dentro ou fora da ilha do Pico).

Haja saúde!

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Queijo do Pico tem bactérias que reduzem o colesterol


Um estudo feito em parceria pela Universidade dos Açores e instituições de Cork, na Irlanda, revela que o queijo do Pico tem bactérias que reduzem o colesterol e que podem ser usadas como probióticos.

O estudo, publicado no Journal of Applied Microbiology, conseguiu isolar, no queijo artesanal do Pico, bactérias do ácido láctico capazes de baixar o colesterol e a histamina, uma substância que pode causar intoxicações alimentares, e que podem ser usadas como probióticos.

Esta investigação científica vem assim confirmar o que um estudo anterior já tinha sugerido: os microrganismos autóctones do queijo do Pico possuem potencial probiótico.

Vale a pena recordar que o queijo do Pico é um produto artesanal feito com leite de vaca cru, sendo igualmente um produto com Denominação de Origem Protegida (DOP), bem como foi considerado como um dos melhores queijos portugueses.

Haja saúde!

terça-feira, 7 de julho de 2020

Vista aérea das vinhas da Criação Velha


Apresenta-se, em anexo, um vídeo da autoria de António Faria, o qual mostra imagens aéreas da zona costeira da Criação Velha, freguesia situada no concelho da Madalena e que se destaca por ser um dos principais polos de produção de vinho na ilha do Pico — razão pela qual a esmagadora maioria do casario se encontra longe da costa, pois essa zona é maioritariamente ocupada por vinhas que são Património Mundial pela UNESCO.

Haja saúde!