segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Balanço do ano de 2018


Desde a fundação do blog "Cais do Pico", há cinco anos, que, no derradeiro dia do calendário, é divulgado um balanço anual do que se passou neste blog; mantendo essa tradição, aqui fica a análise a 2018, tendo por base os 301 posts aqui publicados neste ano que agora finda.

Em primeiro lugar, quero agradecer a todos os leitores deste blog, pois só faz sentido aqui escrever se do outro lado houver quem se interesse pelo respetivo conteúdo. Mais uma vez, sinto que escrever sobre um pouco de tudo relacionado com a ilha montanha, sendo dado destaque à zona do Cais do Pico, à vila e ao concelho de São Roque do Pico, é tempo, esforço e dedicação bem empregues, porque o retorno é fantástico: sejam comentários neste blog, mensagens para o seu e-mail (mail@caisdopico.pt), contactos via Facebook (www.facebook.com/blogcaisdopico/) ou abordagem pessoal, várias foram as pessoas que tiveram palavras muito simpáticas para comigo devido ao blog.

Por outro lado, houve outras situações que também que me sensibilizaram e que, ao mesmo tempo, relembram-me como é uma grande responsabilidade manter atualizada a informação aqui disponibilizada, sobretudo no que se refere aos separadores "Barcos", "Aviões" e "Autocarros". A título de exemplo, várias pessoas me confidenciaram pessoalmente que, antes de viajar, consultam sempre o blog para verificarem horários, bem como este portal foi mencionado numa reportagem online como a referência para quem quer saber o que se passa no Pico.

Contudo, confesso que o momento mais marcante do ano, e que me deixou muito honrado, foi quando um doutorando das ilhas Canárias me pediu uns esclarecimentos para que pudesse utilizar informação do blog "Cais do Pico" na sua tese de doutoramento — é mesmo muito gratificante sentir que este blog até já serve como referência bibliográfica internacional!

É por estas e por outras que, cada vez mais, tenho a sensação de que, por vezes, algo só é pequeno na nossa imaginação e não na prática! E este blog tem sido um enorme ensinamento nesse sentido, sobretudo quando parece, à primeira vista, um tanto ou quanto impossível escrever regularmente só sobre uma ilha no meio do Atlântico, a qual tem menos de 15 mil habitantes (ou seja, um dos locais mais remotos e menos populosos do país), recorrendo para isso apenas ao tempo livre e tendo em consideração que passo grande parte do ano fisicamente ausente da ilha montanha... Pois bem, as estatísticas têm demonstrado que esse desafio quase impossível tem tido um retorno verdadeiramente inimaginável: primeiro, não só tem sido possível manter uma regularidade praticamente diária de nova informação aqui publicada, como até foi alcançado um novo recorde de posts num só ano, mais concretamente por se ter ultrapassado as três centenas de publicações em 2018! Por outro lado, no início do ano foi atingida a marca simbólica de um milhão de visualizações, sendo que atualmente já foram superadas as 1,4 milhões de visitas! E como se isso por si só já não fosse fantástico, o blog "Cais do Pico" continua a ser um dos blogs mais lidos de Portugal, sendo inclusivamente líder na sua categoria — Cidade / Local!

É igualmente justo reconhecer que todas estas marcas também se devem a todos aqueles que deram a conhecer este blog, mais concretamente a outros blogs que incluem o "Cais do Pico" na sua lista de leituras, a quem passou a palavra de boca em boca dos posts aqui publicados e a quem partilhou os mesmos no Facebook e noutras redes sociais, sendo que a todas estas pessoas renovo o meu agradecimento pela divulgação efetuada.

Em termos de acesso à informação, o blog não registou alterações significativas durante o ano de 2018, destacando-se a adição de alguma publicidade, de forma a cobrir os custos associados ao uso de um domínio registado, bem como agora o acesso é mais seguro por ser utilizado o protocolo HTTPS. O link de acesso continua simples de memorizar — caisdopico.pt — é possível fazer um gosto na página de Facebook associada (a qual já conta com mais de 1.500 gostos), bastando para isso procurar por @blogcaisdopico, e ainda é possível registar um e-mail e receber automaticamente uma mensagem sempre que existir um novo post (consultem a barra lateral direita deste blog para aderir ou o final da página, consoante estejam a visualizar num computador ou num telemóvel, respetivamente).

Tomando agora a liberdade de destacar algumas das publicações efetuadas durante o quinto "ano de vida" do blog "Cais do Pico", houve um conjunto alargado de posts que terminaram com uma frase comum (para além do habitual "Haja saúde!") e que traduziram aquilo que se sente na ilha montanha: "o Pico está na moda!" Foram inúmeros os indicadores estatísticos que mostraram que a ilha do Pico está em franco crescimento na área do turismo, desde a eleição de um museu do Pico como um dos melhores de Portugal, as dormidas que se registaram e a elevada procura por parte de estrangeiros, o novo recorde de subidas à Montanha, enfim, a ilha montanha está de tal forma no centro das atenções — são mais do que muitas as razões para visitar o Pico, podendo até ser sugerido um top 10 — que inclusivamente esta ilha teve em destaque em prestigiados jornais e revistas internacionais, como a 'Condé Nast Traveler', o 'The New York Times' e o 'Financial Times', além de que, a nível nacional, o Pico foi recomendado para uma escapadinha. E se dúvidas houvesse onde se pode alojar tanta procura, comprovou-se que a ilha montanha tem uma impressionante capacidade de alojamento, nomeadamente no que concerne ao alojamento local e turismo rural, tipos de alojamento estes que também foram classificados como sendo dos melhores de Portugal — no Pico é-se tão bem recebido que até os tubarões beijam os mergulhadores!

Mas não só no turismo o Pico mostrou a sua pujança: foi nesta ilha que se registou o segundo maior número de edifícios licenciados no arquipélago, bem como o mercado imobiliário esteve em destaque. Em termos de exportações, o Pico esteve e está no centro da excelência dos produtos açorianos, como é demonstrado pelo crescimento no abate de bovinos ou pela manteiga picarota que é servida nos restaurantes mais finos do país; aliás, o Pico está representado no atlas mundial da alimentação, não sendo por isso surpreendente que tenha uma das 7 Maravilhas à Mesa. Como pano de fundo de tudo isto surge a magnífica Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, a qual venceu o Prémio Nacional da Paisagem de 2018.

Como nem tudo são boas novas, o blog "Cais do Pico" também acompanhou alguns dos azares e notícias menos boas para os picarotos, em particular, e para todos em geral: o encalhe do navio "Mestre Simão", o impacto do encerramento da conserveira Cofaco, a derrocada nas Ribeiras e a destruição da Central de Energia das Ondas do Pico, bem como a exceção (negativa) do serviço de saúde na ilha montanha. Nota ainda para análises feitas ao aproveitamento mediático / indevido do ponto mais alto de Portugal, devidamente explanadas nos posts "Pico — uma montanha de promessas" e "O errozinho de Fernando Medina".

Em todo o caso, e à semelhança de anos anteriores, houve um tema que mereceu um amplo destaque aqui: o Aeroporto da ilha do Pico e o movimento aéreo que serve a ilha montanha. As estatísticas mostraram uma liderança regional no crescimento dos passageiros aéreos no início do ano, bem como um grande destaque no período do verão (onde, por exemplo, os valores das tarifas de/para o Pico são comprovadamente dos mais caros na rota com Lisboa) — em particular, durante o pico da época alta foram batidos vários recordes na ilha montanha ao nível do transporte aéreo, o que levou inclusivamente a que o aeroporto da ilha do Pico entrasse no top mundial dos aeroportos mais movimentados.

Ainda dentro do tema das acessibilidade aéreas para o Pico, vale a pena recordar o que aconteceu no âmbito da petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico" (que tinha sido oficializada em 2017): em abril de 2018 teve lugar a apresentação e o debate em plenário da Assembleia Legislativa dos Açores da petição em questão, sendo que todos os representantes políticos mostraram-se de acordo com os termos da mesma, numa posição clara e unânime; além disso, no final da primavera de 2018 deu-se início à execução do grooving na pista do Aeroporto da ilha do Pico, precisamente uma das reivindicações da petição, empreitada esta que ficou concluída em agosto; a outra reivindicação — a ampliação da pista — pode ainda não estar programada, mas a certificação do sistema ILS no Pico no verão de 2018, após um longo processo de quase 14 anos, é, de certa forma, um incentivo para não baixar os braços, no sentido em que mostra que às vezes as coisas podem demorar, mas acabam sendo feitas quando não se desiste do objetivo inicialmente traçado. Assim, considerando tudo o que foi alcançado, a petição sobre o aeroporto do Pico foi, e continua a ser, um sucesso! Se, por um lado, eu e os meus "companheiros de luta" ficámos muito honrados e sensibilizados com o "Voto de Reconhecimento" que nos foi dirigido publicamente, por outro nunca esqueceremos o enorme apoio das pessoas que assinaram a petição e a união pública demonstrada, incluindo as vertentes empresarial e política — o sucesso alcançado por esta iniciativa deve-se a este exemplo de cidadania construtiva por parte de todos os intervenientes.

O Porto do Cais do Pico e o seu movimento também não foram esquecidos, tema este que tem sido recorrente neste blog desde a sua fundação. Se no início do ano foi anunciado que o projeto do Terminal Marítimo de Passageiros em São Roque do Pico estava sem data para arrancar, a meio do ano nada de novo aconteceu a não ser umas declarações públicas a afirmar que haveria novidades em setembro — note-se que se chegou ao fim do ano e continua tudo na mesma, isto é, não há terminal à vista e as limitações e cancelamentos por falta de pontos de atracagem simultâneos e com melhores condições são cada vez mais frequentes, sobretudo no verão. No entanto, houve uma boa novidade relacionada com esta que é a principal infraestrutura portuária da ilha montanha: ao fim de seis meses de obras, o Porto do Cais do Pico voltou a ter a rampa ro-ro operacional, o que permitiu à Atlânticoline retomar a operação normal neste porto, nomeadamente podendo (des)embarcar viaturas em São Roque do Pico. Ainda assim, a empresa pública de transporte de passageiros "voltou a fazer das suas" e a servir de forma deficitária os passageiros do "Triângulo": não só tomou decisões incompreensíveis ao efetuar rotas sem justificação, mas também cancelou escalas em São Roque do Pico devido à presença de um navio... fantasma! Como se não bastasse, o Porto do Cais do Pico ainda foi discriminado por ser aquele onde a divulgação pública das entradas e saídas de navios se revelou claramente bastante atrasada quando comparado com outras infraestruturas portuárias açorianas.

Aproximando-me do final deste balanço anual, quero ainda mencionar como o blog "Cais do Pico" serviu de montra a uma das propostas vencedoras do primeiro orçamento participativo dos Açores — audioguias no Museu da Indústria Baleeira — bem como voltou a ser o principal divulgador da Árvore do Desejo, cuja informação in loco foi renovada em 2018. Quero também realçar outros posts que pretenderam ser um contributo para o todo regional, nomeadamente os seguintes: "Tamanhos mínimos e períodos de defeso na pesca no mar dos Açores" (publicação esta que se juntou à longa lista de "Informações úteis" providenciadas neste blog, como é exemplo o regulamento de subida à montanha, também atualizado em 2018); "A centralização/concentração açoriana" (análise esta que também se transformou num contributo para a Comissão Eventual para a Reforma da Autonomia, da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores). No meio do extenso rol de publicações, houve ainda tempo para algumas de índole mais humorística, como "Bola de fogo (made in China) pode atingir o Pico!", "Estará um tesouro (alienígena) escondido em São Miguel Arcanjo?" e "Pico, a ilha das quatro capitais".

Mesmo antes de terminar, gostaria de (voltar a) desafiar os leitores deste blog a consultarem o separador "Sabia que..." e a verificarem se já tinham conhecimento das curiosidades lá apresentadas, pois eu próprio desconhecia a maioria delas! Além disso, tomo a liberdade de partilhar de novo uma das fotos originais aqui apresentadas durante 2018 (uma espécie de "imagem do ano", tal como foi feito em balanços anteriores): uma foto tirada do mar e que captura bastante da essência do Pico — uma ilha feita de pedra bem negra e que é dominada por uma imponente montanha [imagem em anexo].

Finalmente, e concluindo este longo post, quero desejar a todos um Feliz Ano Novo de 2019, com muita saúde e boa disposição!

Haja saúde!

domingo, 30 de dezembro de 2018

No Pico estão duas das cinco melhores casas de turismo rural que abriram em 2018 em Portugal


A publicação NiT divulgou um ranking das cinco melhores casas de turismo rural que abriram em 2018 em Portugal, sendo que não só mais de metade se situam nos Açores (três em cinco), mas também este top integra dois empreendimentos localizados na ilha montanha — 'Vinhas do Calhau' e 'Casa da Altamora'.

Segundo a NiT, "a ilha do Pico está cada vez mais na moda e atrai milhares de turistas que desejam usufruir da sua incrível natureza e paisagem", descrevendo igualmente o Pico como "ilha dos vulcões, das grutas, das baleias e dos golfinhos", bem como os passeios diários podem incluir "visitas às lagoas e às vinhas património da UNESCO".

Mais uma vez, comprova-se que não só Pico está na moda, bem como este destino é uma excelente escolha para 2019.

Haja saúde!

sábado, 29 de dezembro de 2018

Agenda Cultural de São Roque do Pico — janeiro 2019


A lista das mais diversas atividades que acontecem em São Roque do Pico, no mês de janeiro de 2019, encontra-se disponível na Agenda Cultural de São Roque do Pico, a qual se apresenta de seguida.

Haja saúde!




[Links para fotos/vídeos disponibilizados após os eventos de janeiro de 2019]

Noite de Reis (4 de janeiro @ Filarmónica Liberdade do Cais do Pico):


sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico vence Prémio Nacional da Paisagem de 2018


A Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico venceu o Prémio Nacional da Paisagem de 2018, uma iniciativa do Ministério do Ambiente que visa a divulgação de boas práticas territoriais que promovam a qualidade da paisagem e que aumentem a consciência cívica sobre o seu valor cultural.

Este prémio rege-se por critérios que atendem a fatores como o desenvolvimento sustentável e a coesão territorial, a valorização do território através da paisagem e da sua gestão e a forma como as ações são geradoras de identidade e de qualidade de vida.

A Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico será também a representante de Portugal na 6.ª edição (2018/2019) do Prémio da Paisagem do Conselho da Europa, que visa distinguir a implementação de uma política ou de medidas de proteção, gestão e/ou ordenamento da paisagem que constituam uma boa prática de sensibilização e participação pública.

A candidatura da Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico foi promovida pelo Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, e sagrou-se vencedora entre 27 projetos de todo o país, fruto do consenso do júri pela sua qualidade e exemplo de uma correta implementação da Convenção Europeia da Paisagem, da Política Nacional de Arquitetura e da Paisagem e da Política de Ordenamento do Território.

Para a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, a Paisagem da Vinha do Pico “é o palco de um processo absolutamente extraordinário de implementação, com sucesso reconhecido, das políticas de ordenamento do território, de paisagem e de conservação da natureza, pelo que é com enorme satisfação que recebemos este prémio e vemos os Açores, uma vez mais, serem distinguidos a nível nacional pela qualidade dos seus recursos e, simultaneamente, pelas políticas levadas a cabo pelo Governo Regional”.

Marta Guerreiro salientou que, ao longo dos últimos anos, foi desenvolvido um vasto conjunto de medidas e ações pelo Governo dos Açores que fizeram “renascer e consolidar uma paisagem vitícola viva, com caraterísticas únicas e com uma relevância económica, social e cultural cada vez maior”.

A titular da pasta do Ambiente destacou o Museu do Vinho, a sede do Parque Natural e do Gabinete Técnico da Vinha, o Centro de Interpretação da Paisagem da Vinha e a Casa dos Vulcões, que entrará em funcionamento em 2019, como “verdadeiros exemplos do trabalho prosseguido em termos de reabilitação do património edificado, que permitiu reconstruir ruínas e, consequentemente, dar um novo uso ao património público, valorizando o passado histórico da vinha do Pico”.

Os interessados podem obter mais informações sobre o prémio no seguinte endereço eletrónico: http://premiopaisagem.dgterritorio.gov.pt/node/489

[Fonte: GaCS | Em anexo: palavras do júri e vídeo de apresentação desta candidatura.]
[Post scriptum: Este prémio foi oficialmente entrega no dia 20 de fevereiro de 2019.]

Haja saúde!

A classificação em primeiro lugar desta candidatura traduz o consenso do júri justificada pela qualidade da sua apresentação e pela relevância do seu conteúdo, que responde diretamente aos objetivos do Prémio, bem como à filosofia subjacente aos critérios de seleção e avaliação constantes do seu Regulamento. É um exemplo claro de uma correta implementação da Convenção Europeia da Paisagem, da Política Nacional de Arquitetura e da Paisagem e da Política de Ordenamento do Território.
O reconhecimento da especificidade desta paisagem, derivada da adaptação da população, ao longo dos tempos, a um território com recursos escassos, conferindo-lhe uma identidade própria, tanto paisagística como cultural e social, tornou-se um fator de desenvolvimento, que contribui simultaneamente para a melhoria da qualidade de vida da população.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Montanha Pico Festival 2019


Ao longo do mês de janeiro de 2019 terá lugar na ilha do Pico a quinta edição do "Montanha Pico Festival", um festival que pretende estimular iniciativas concretas a todos os níveis para enfrentar as ameaças, melhorar a qualidade de vida e sustentar ambientes saudáveis nas regiões montanhosas do mundo, mais especificamente na ilha montanha dos Açores.

Haverá exposições de arte, apresentação de filmes, eventos musicais, aventuras na montanha, etc.

Aqui fica o programa oficial, o vídeo-spot e o cartaz deste festival [para mais informações consultar o Facebook da MiratecArts].

Haja saúde!

Post scriptumConcerto de acordeão no topo de Portugal




quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

O pico do Pico em 1878


Aqui fica uma xilogravura de 1878, de autor desconhecido, ilustrando um veleiro com a ilha do Pico ao fundo [imagem extraída do site História dos Açores].

Haja saúde!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Prenda de Natal: puzzle picaroto!


Como prenda de Natal para todos os seguidores deste blog, oferece-se aqui um puzzle em tudo relacionado com o Cais do Pico.

O desafio é completar este quebra-cabeças no menor tempo possível, sendo que o fantasminha que está em baixo, à esquerda, poderá dar uma valiosa ajuda :)

Feliz Natal!

Haja saúde!

domingo, 23 de dezembro de 2018

Aterragem noturna na ilha do Pico (vídeo)


Aqui fica o registo vídeo de uma magnífica aterragem noturna no Aeroporto da ilha do Pico, por parte do voo SP 2436 (Ponta Delgada — Pico), a qual teve lugar a 22 de dezembro de 2018 (pelas 21h30), sendo que a filmagem foi efetuada a partir do interior da aeronave (Bombardier Q400) e deu origem a uma visão noturna da costa norte da ilha montanha (desde o Cais do Pico até Santa Luzia).

Não deixa de ser digno de registo como vários melhoramentos efetuados ao longo dos últimos anos na infraestrutura aeroportuária do Pico contribuíram para que este voo extraordinário (esgotado) pudesse trazer várias pessoas para passarem o Natal junto dos seus familiares e amigos; em concreto, destacam-se os seguintes melhoramentos:
  • A certificação das luzes da pista para operação noturna;
  • A adição do sistema ILS (que possibilita a aterragem assistida por computador a aeronaves, sob condições de adversidade extrema, como neblinas, nevoeiros e chuva intensa)
  • A implementação de grooving (que melhora as condições de aderência e de escoamento das águas superficiais da pista).
Esta é mais uma prova de que todo o investimento público feito neste aeroporto tem dado os seus frutos, nomeadamente reduzindo vários cancelamentos e proporcionando um melhor serviço aos picarotos e a quem os visita; por outro lado, é também um incentivo para que a tão desejada ampliação da pista se torne realidade, de modo a que se criem ainda melhores condições para o Pico, em particular, e para todos, em geral.

Haja saúde!


sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Imagens dos barcos e da construção naval na ilha do Pico

Santo Amaro (São Roque do Pico), cerca de 1970.

O site "História dos Açores", o qual se dedica a divulgar a história açoriana em imagens, compilou um conjunto de mais de uma centena de imagens relacionadas com as embarcações e a construção naval na ilha do Pico.

São várias as fotografias que permitem fazer uma viagem no tempo e observar a atividade marítima na ilha montanha, bem como o historial de alguns dos barcos aqui construídos. Para visualizar este conjunto de recordações da história da ilha do Pico, basta clicar em qualquer uma das imagens que incorporam este post.

Haja saúde!

Cais do Pico (São Roque do Pico), cerca de 1920.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Picarota chamada à Seleção Nacional de Futebol sub-15


Daniela Areia Santos, centrocampista de 14 anos, jogadora do Prainha Futebol Clube (de São Roque do Pico), voltou a ser chamada à Seleção Nacional de Futebol, desta vez ao estágio da Seleção Nacional Feminina sub-15 entre 18 de 20 de dezembro de 2018, na zona da Grande Lisboa.

No jogo de preparação frente ao País de Gales, Daniela Santos foi titular, envergou a camisola número 10, jogou 52 minutos e ainda fez o gosto ao pé no Estádio Nacional logo ao primeiro minuto da segunda parte, marcando assim um dos golos na vitória de Portugal por 3-0 frente aos galeses.

Integrando um grupo de 23 atletas de todo o país, Daniela Santos demonstra assim que valores capazes de ombrear com jogadores do SL Benfica ou do Sporting CP, por exemplo, também podem ser encontrados na ilha montanha.

Haja saúde!

[Reportagens relacionadas: RTP-Açores | Rádio Pico]

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Fortuna Escorregadia — documentário sobre o fim da baleação nos Açores


[Post scriptum: Documentário completo em anexo]

Estreia no próximo dia 21 de dezembro de 2018, na RTP1, às 20h00 (hora dos Açores), o documentário ‘Fortuna Escorregadia’.
O fim da baleação em Portugal gera revolta, desentendimentos e muito se perde pelo caminho. À distancia, um grupo de peritos consegue implementar o whale watching nos Açores...
Este trabalho de investigação realizado durante dois anos aborda o fim da baleação nos Açores aquando da entrada de Portugal para a Comunidade Económica Europeia (CEE, atual União Europeia). Mais concretamente, é recordada a possibilidade, em cima de mesa, de uma indemnização finan
ceira que nunca chegou e que ge
rou revolta e contestação. O trabalho lembra também que Portugal foi o 
último país europeu a abandonar a indústria baleeira aquando da adesão à CEE, abordando o facto de nos Açores as comunidades baleeiras não terem aceitado a decisão e se terem revoltado contra os governantes, acrescentando que perderam 100 mil dólares para converter a baleação em observação de cetáceos.
 O documentário aborda ainda o surgimento da observação de cetáceos e como se instalou em toda a Região, questionando se os cetáceos estão seguros num dos maiores santuários de baleias do mundo.

Aqui fica o teaser deste documentário, sendo que não perca toda a história na RTP1, dia 21 de dezembro de 2018, às 20h00 (hora dos Açores), ou na RTP Internacional, dia 22 de dezembro de 2018, às 00h15 (hora dos Açores).

Haja saúde!

Post scriptum: Documentário completo em anexo | 'Fortuna Escorregadia' é finalista em prémio internacional.


terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Azores Birdwatching Arts Festival 2018


A segunda edição do Azores Birdwatching Arts Festival continua na ilha do Pico. A MiratecArts criou um programa que abrange as escolas, aficionados na observação de aves e o público em geral.

Aves nos Açores é a exposição de fotografia patente na Foto_Galeria, Bombeiros da Madalena, até à primavera. O trabalho de Rúben Coelho, que abrange várias ilhas, e Pedro Silva, com suas conquistas na ilha do Pico, apresentam mais de 50 aves diferentes em fotos que representam a beleza que habita ou visita os ares açorianos.

Um programa para os mais novos é liderado pelo próprio diretor artístico, Terry Costa, com "Pássaros e as crianças" e ainda "Aves & Artes".

No sábado 22 de dezembro de 2018, apresenta-se o maior evento do festival em que os apaixonados pela fotografia e por aves não podem perder: Observação e Expedição Fotográfica.

Juntando alguns dos maiores observadores de aves da região, os participantes têm a oportunidade de se aventurar um dia, pela ilha do Pico, observando aves, fotografando, conversando com profissionais e amadores aficionados.

Podem se inscrever através de info@mirateca.com ou telefonando à MiratecArts: 963 639 996.

Haja saúde!





segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Emigrante nos EUA investe um milhão na ilha do Pico


Stephen Maciel é filho de emigrantes portugueses na Califórnia, nos Estados Unidos e, aos 45 anos, vai investir um milhão de euros na ilha do Pico, nos Açores, terra natal dos pais para atrair turistas e locais.

Stephen Maciel foi um dos 600 empresários portugueses, oriundos de 35 países, presentes no III Encontro de Investidores da Diáspora que decorreu até sábado [15 de dezembro de 2018] em Penafiel, no distrito do Porto, organizado pela Comissão Intermunicipal do Tâmega e Sousa.

Nascido na Califórnia, para onde haviam emigrado os pais, regressou à ilha do Pico aos cinco anos e ali se manteve até aos 25, ocasião em que regressou aos Estados Unidos para se aventurar no mercado do trabalho.

"Fiz de tudo, trabalhei numa peixaria, fui condutor de autocarro escolar e depois decidi ter formação superior e há dez anos que sou proprietário de um notário, fazendo a ligação entre as instituições bancárias e os clientes na compra e venda de propriedades", descreveu o emigrante português.

Assumindo que a vontade de investir nos Açores "é uma questão de amor à terra", enfatizou que no seu íntimo pensa no "futuro das filhas, que também adoram os Açores, para que ganhem raízes" em Portugal.

Dando conta de estar a preparar um "investimento de um milhão de euros na Ilha do Pico" que se vai traduzir "num restaurante diferente, inovador e que a nível arquitetónico vai fazer a diferença na ilha", fez questão que a obra fosse do arquiteto do Porto, Fernando Coelho.

Aproveitando o restaurante então aberto pelos pais quando há 40 anos regressaram à terra natal e situado a 50 metros do mar, num lugar "com uma vista fenomenal para a vila das Lajes do Pico", o empresário quer fazer nascer um espaço com "uma arquitetura mais moderna e contemporânea".

E porque considera a "qualidade dos produtos dos Açores excecional" e quer fazer das nove ilhas e de Portugal o seu "mercado abastecedor", Stephen Maciel quer, sobretudo, compatibilizar a "matéria-prima da ilha com o requinte", uma vez que o alvo "não são apenas os turistas, mas também os locais".

O investimento vai criar, pelo menos, 15 postos de trabalho, disse o português que projeta começar as obras do novo restaurante entre março e abril de 2019 e a sua conclusão para um ano depois.

E com a rentabilização no topo das prioridades, mais do que a fiscalidade em Portugal, é a "pouca frequência de voos para o Pico, a partir de Lisboa, no inverno", que disse mais o preocupar e que o vai levar a um esforço de "sensibilização do governo regional".

Numa conversa à margem de um encontro em que a fiscalidade foi um dos pontos em que os membros do governo presentes acentuaram estarem a ser estudados e previstos apoios ao investimento, o empresário português afirmou "sentir-se confortável" com a realidade que se pratica em Portugal "apesar de o IVA ser um pouco alto".

"Por outro lado, e se formos ver a realidade, em termos de apoios Portugal e neste caso, os Açores, se calhar no mundo não há país que dê os incentivos que são dados à diáspora e não só", elogiou ainda que com a ressalva de que "nem sempre essa informação chega fora do país".

E prosseguiu: "não digo abrir um centro de apoio, mas de vez em quando fazer chegar lá alguém que passasse a informação e, principalmente para os jovens, sobre as possibilidades de investimento".

Seguro de que é nos Açores que quer viver a sua reforma, preocupa-o neste momento "criar as condições para as filhas virem também para Portugal", um outro tipo de investimento que, sublinhou, "está a ser feito por elas ao aprender português e um pouco da história do país".

Da costa oeste dos Estados Unidos "é complicado" viajar para Portugal, mas com "a TAP a anunciar para breve um voo direto de São Francisco para Lisboa" essa realidade pode "mudar muito" os constrangimentos que, resolvidos, "ajudariam muito quem quer viajar dos Estados Unidos para os Açores".

[Fonte: Contacto | Em anexo, reportagem relacionada da RTP-Açores]

Haja saúde!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Lagoas e cabeços na ilha do Pico


Apresenta-se, de seguida, um vídeo da autoria de António Faria, datado de 7 de dezembro de 2018, o qual mostra magníficas imagens aéreas do planalto central da ilha montanha, onde se encontram diversas lagoas e cabeços.

Haja saúde!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

São Roque do Pico e Madalena são Municípios Amigos do Desporto 2018


Um reconhecimento público de boas práticas desportivas foi obtido pelos municípios de São Roque do Pico e da Madalena, ao conquistarem o galardão "Município Amigo do Desporto" 2018.

No cômputo regional foram também reconhecidos, nesta edição de 2018, os municípios de Angra do Heroísmo, Horta, Lagoa, Ponta Delgada e Ribeira Grande.

O programa "Município Amigo do Desporto" pretende criar e dinamizar um observatório do desporto municipal. A sua missão é monitorizar, reconhecer e divulgar as boas práticas de intervenção, no âmbito municipal, do desenvolvimento de práticas que potenciem a atividade física regular e o desenvolvimento desportivo português.

Recordando que em Portugal existem 308 concelhos, São Roque do Pico e Madalena integram assim o estrito lote de 88 municípios (29% do total nacional) que são comprovadamente amigos do desporto.

Haja saúde!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

"O que as ilhas têm de mais belo e as completa é a ilha que está em frente"


O título deste post remete para uma das frases mais citadas da obra 'As ilhas desconhecidas - Notas e paisagens' (Lisboa, 1926), de Raul Brandão, frase essa sobre os Açores que ganhou agora um carácter oficial, passado quase um século desde que foi registada para a posteridade.

Mais concretamente, o Governo Regional publicou em 10 de dezembro de 2018 um "diploma pioneiro" que aprova os objetivos de qualidade de paisagem e as orientações para a gestão da paisagem dos Açores. Neste diploma estão caracterizados e identificados 82 unidades de paisagem, 47 elementos singulares e 207 pontos panorâmicos em toda a Região. E é precisamente no âmbito destes pontos, onde se pode desfrutar de vistas interessantes e representativas, que foi definido aquele que é o ponto panorâmico mais sui generis dos Açores:
Ilha do Faial (Horta) (PPP 1.9) – de onde se pode observar uma panorâmica da unidade de paisagem Encosta Madalena / Montanha do Pico (P1), a partir da cidade da Horta.
Dito de outra forma, o diploma legal supracitado define que um dos pontos panorâmicos da ilha do Pico fica localizado na cidade da Horta, ilha do Faial, sendo que este é o único ponto panorâmico oficial de uma ilha que se encontra noutra ilha!

Assim, comprova-se oficialmente que uma das principais atrações do Faial é a vista para a ilha do Pico, "a mais bela, a mais extraordinária ilha dos Açores", tal como Raul Brandão também mencionou.

Haja saúde!


terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Radar da PSP no Pico — dezembro 2018


Segundo a PSP, neste mês de dezembro de 2018 serão efetuadas algumas operações de controlo de velocidade por radar na ilha do Pico, nomeadamente em:

  • 13 de dezembro (quinta-feira) / 08h00 / Santa Luzia (São Roque do Pico).

Haja saúde!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

São Roque do Pico e Lajes do Pico são Municípios ECOXXI 2018


No âmbito do galardão ECOXXI 2018, os municípios de São Roque do Pico e das Lajes do Pico foram galardoados com a bandeira verde ECOXXI, ou seja obtiveram um índice igual ou superior a 50%.

No cômputo regional, candidataram-se ainda, nesta edição de 2018, os municípios de Horta, Ribeira Grande, Lajes das Flores e Madalena, sendo que estes últimos dois não atingiram os objetivos mínimos estabelecidos.

O programa ECOXXI visa a identificação e o reconhecer das boas práticas de sustentabilidade desenvolvidas ao nível dos municípios (através de uma avaliação composta por 21 indicadores), valorizando um conjunto de aspectos considerados fundamentais à construção do desenvolvimento sustentável, alicerçados em dois pilares:
  • A educação no sentido da sustentabilidade;
  • A qualidade ambiental.

Recordando que em Portugal existem 308 concelhos, São Roque do Pico e Lajes do Pico integram assim o estrito lote de 47 municípios (15% do total nacional) que são comprovadamente amigos do ambiente.

Haja saúde!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Tributo à montanha do Pico


Apresenta-se, em anexo, uma magnífica coleção de imagens, recolhidas pelo fotógrafo Enrico Villa, e que pretendem ser um tributo à montanha da ilha do Pico.

Haja saúde!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

15ª Feira Comercial e Industrial da Ilha do Pico


Apresenta-se, em anexo, o programa da 15ª Feira Comercial e Industrial da Ilha do Pico, a qual decorre de 7 a 9 de dezembro de 2018 no Pavilhão do Candelária Sport Clube.

Haja saúde!



15ª Feira Comercial e Industrial da Ilha do Pico

📆 De 7 a 9 de Dezembro
📌 Pavilhão do Candelária Sport Clube

Programa:

Sexta-feira, 7
20h30 Abertura Oficial
21h00 Grupo de dança de Hip Hop de São Roque do Pico
22h00 Atuação Musical com Half Step Down
00h00 Encerramento da zona comercial
(continuação na zona de espectáculos)

Sábado, 8
15h00 Diálogo Cruzados - 2ª edição
17h00 Abertura da Feira
17h30 Espaço Infantil
- Insufláveis
- Pinturas faciais
- Modelagem de balões
- Visita da mascote
- Fábrica de bolachinhas de Natal
- Cavalete de pinturas
- Jogos
20h30 Ação de Sensibilização "Cuidados com a sua Instalação de Gás"
21h30 Atuação de Tia Maria do Nordeste
22h30 Atuação Musical com TR3S - Roberto Lino, Nélson Ponta-Garça e Sergio Luis
23h00 Encerramento da zona comercial
(continuação na zona de espectáculos)

Domingo, 9
15h00 Abertura da Feira
15h30 Espaço Infantil
- Insufláveis
- Pinturas faciais
- Modelagem de balões
- Fotografias com o Pai Natal
- Fábrica de bolachinhas de Natal
- Cavalete de pinturas
- Jogos
16h00 “Histórias do corochinho” por Terry Costa
19h00 Atuação Musical com Bruno da Rosa
19h30 Grupo de Chamarritas da Filarmónica Liberdade do Cais do Pico
21h00 Encerramento da Feira

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

A lição de sabedoria do Pico

Na ilha do Pico projecta-se uma força ética indizível que foi para mim uma lição de sabedoria, que inspira a viver este tempo que é o nosso.
Esta é uma das muitas frases que integra um artigo de opinião de Nuno Sampayo Ribeiro, publicado no jornal 'Público', o qual aborda sobretudo a Paisagem da Cultura da Vinha da ilha do Pico e como a mesma é uma autêntica lição de vida [link para o texto completo].

Haja saúde!

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

O restaurante mais panorâmico de Portugal serve manteiga do Pico


Situado no topo da Torre Vasco da Gama, no Parque das Nações, mais concretamente a 120 metros de altura (sendo que a viagem de elevador demora 50 segundos desde o sopé), o restaurante "Fifty Seconds by Martín Berasategui" é o primeiro restaurante em Lisboa do chef espanhol com mais estrelas Michelin (dez no total).

Para além das opções à la carte, este restaurante apresenta dois menus de degustação, o 'Fifty Seconds', com nove momentos (120 € por pessoa, sem bebidas) e um maior, o 'Degustação', com 12 momentos (160 € por pessoa, sem bebidas).

Neste fine dining a competir no campeonato das estrelas logo à partida, há um produto picoense em destaque, mais concretamente a manteiga da ilha do Pico que acompanha os vários tipos de pão ali feitos e servidos à mesa.

Esta é mais uma prova de como a inclusão dos produtos do Pico no atlas mundial da alimentação não foi um acaso, mas sim o reconhecimento do que os picarotos sempre souberam: que têm dos melhores produtos do mundo!

Haja saúde!

domingo, 2 de dezembro de 2018

AnimaPIX 2018


Promovido pela MiratecArts, a terceira edição do AnimaPIX decorre entre 12 e 14 de dezembro de 2018 na ilha do Pico.

O programa inclui uma mostra de inúmeros filmes, sendo que mais informações podem ser encontradas na página do AnimaPIX Facebook.

Haja saúde!