quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Prenda de Natal para a SATA


Manda a tradição que na época natalícia existam várias trocas de prendas, sendo por isso a altura ideal para dar uma oferta à SATA. No entanto, primeiro há que tentar encontrar uma prenda que tenha utilidade para a companhia aérea regional, sobretudo para a futura administração que toma posse em breve. Assim, procure-se no rol de ações da SATA algo que dê alguma ideia...

Recuando ao início de 2019, a subsidiária Azores Airlines anunciou que a operação Lisboa/Pico/Lisboa seria reforçada durante o Verão IATA 2019. Mais concretamente, foram avançados os seguintes dados:
  • Entre abril e outubro seriam realizados mais 12 voos nesta rota do que em 2018;
  • No mês de setembro seria disponibilizada mais uma frequência semanal, passando-se de 3 para 4;
  • A capacidade oferecida seria aumentada em 7,4% (mais 1.980 lugares);
  • Todo este reforço foi baseado numa perspetiva de crescimento da procura nesta rota estimada em 5%.
Estas foram as contas à moda da SATA efetuadas há cerca de um ano, as quais na altura não fizeram muito sentido para os picarotos, pois estes acharam que se estava perante uma estimativa muito baixa, tendo em consideração o histórico recente: no Verão IATA 2017, a rota aérea entre a capital portuguesa e a ilha montanha teve um crescimento da procura na ordem dos 8,5%, enquanto no Verão IATA 2018 cresceu ainda mais, nomeadamente 20,7%.

Contudo, e como os números não enganam, nada como verificar verdadeiramente o que aconteceu na rota Lisboa/Pico/Lisboa considerando o Verão IATA 2019. Recordando que um Verão IATA começa no último domingo de março e termina no último sábado de outubro, ou seja, grosso modo, corresponde ao período de tempo entre abril e outubro, os dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) relativos a estes sete meses de 2019 revelam o seguinte:
  • No Verão IATA 2019 foram transportados 29.650 passageiros nesta rota, mais 2.480 do que na estação homóloga anterior, o que deu origem a um crescimento da procura na ordem dos 9,1%.
Por outras palavras, pode-se afirmar o seguinte: a SATA previa um crescimento de 5% na rota Lisboa/Pico/Lisboa, ofereceu 7,4% mais lugares para tentar satisfazer por completo a procura, mas o interesse em viajar de e para a ilha montanha foi, mais uma vez, superior ao preconizado pela SATA. Aliás, esta procura só não foi ainda maior porque se em anos anteriores muitos voos estiveram esgotados, sobretudo na época alta (junho, julho, agosto e setembro), então muitos mais voos esgotaram em 2019. Em suma, confirma-se que as contas da companhia aérea regional não bateram certo com a realidade associada à ilha montanha.

Assim, e cumprindo com a tradição natalícia, é chegada a hora de oferecer algo que a SATA bem precisa: uma calculadora, nomeadamente uma que indique claramente como a procura pela ilha do Pico é na realidade, ou seja, muito maior do que se julga!

Por fim, e já que estamos a trocar prendas de Natal, a SATA pode sempre retribuir a oferta que lhe foi feita; caso seja preciso uma sugestão, nada como mencionar o que obviamente falta: mais voos entre Lisboa e o Pico na época alta!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 42.056 do 'Diário dos Açores', de 21 de dezembro de 2019.

Post post scriptum: A SATA acabou mesmo retribuindo a prenda de Natal, nomeadamente aumentando a oferta para cinco ligações semanais entre Lisboa e o Pico no verão de 2020.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!