segunda-feira, 22 de julho de 2019

Dois anos depois, eis os efeitos da petição sobre o Aeroporto do Pico


Há dois anos, no dia 22 de julho de 2017, foi submetida à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores a petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico". Este ato não se tratou de uma mera formalidade, mas sim marcou o dia em que as pessoas se uniram em defesa de melhoramentos na infraestrutura aeroportuária do Pico!

Vale a pena recordar os objetivos desta petição:
  1. Que o comprimento da pista seja aumentado, de forma assegurar a operação sem limitações de "payload" para as aeronaves das famílias Airbus A320 e Boeing 737;
  2. Que a pista seja ranhurada (implementação de "grooving") em toda a sua extensão, de forma a minorar os efeitos adversos para as aterragens provocados pela chuva que frequentemente cai sobre o território açoriano.
Na cerimónia de envio da petição ao parlamento regional, a qual decorreu precisamente no aeroporto da ilha montanha, várias pessoas se reuniram, destacando-se a presença dos três presidentes de Câmara do Pico e dos quatro deputados regionais eleitos por esta ilha, bem como de representantes dos empresários locais, de forma a comprovarem a enorme adesão da sociedade a esta causa, mais concretamente "uma montanha de apoio, traduzida de forma simbólica em 2351 assinaturas — tantas quantas a altura do ponto mais alto de Portugal, o nosso Pico!"

Se o primeiro ano após submissão da petição foi repleto de efeitos — pareceres que demonstraram a importância da melhoria do Aeroporto do Pico e os seus benefícios para a ilha montanha e para o "Triângulo", em particular, e para os Açores, em geral; além disso, todos os grupos e representações parlamentares da Assembleia Regional dos Açores reconheceram a necessidade de melhoria do Aeroporto do Pico, estando assim de acordo com os termos da petição — o segundo ano não lhe ficou atrás.

Em particular, o primeiro destaque vai para a implementação do "grooving", o qual se tornou efetivamente numa realidade em agosto de 2018. No entanto, a maior novidade surgiu em fevereiro de 2019, quando o Governo dos Açores decidiu encomendar um estudo para ampliação da pista do aeroporto do Pico — ainda sobre este assunto, foi recentemente anunciado que o respetivo caderno de encargos está concluído e que o convite a entidades será feito ainda neste mês de julho.

Em suma, e passado dois anos, a petição sobre a maior infraestrutura aeroportuária totalmente açoriana mostrou que a sociedade civil soube identificar um problema, apontar soluções e dar o seu contributo de forma construtiva. Por outro lado, os representantes políticos não só reconheceram que existe uma necessidade de melhoria do Aeroporto do Pico, mas também que o aumento da pista é um investimento que deve e já está a ser considerado para um futuro próximo, além do grooving que, efetivamente, tornou-se uma realidade com a ajuda desta iniciativa popular. Assim, considerando tudo o que foi alcançado até ao momento, a petição sobre o Aeroporto do Pico foi, e continua a ser, um sucesso!

Por fim, os promotores desta petição nunca esquecerão o enorme apoio das pessoas que a assinaram e a união pública demonstrada, incluindo as vertentes empresarial e política. O sucesso alcançado por esta petição deve-se a este exemplo de cidadania construtiva por parte de todos os intervenientes. O nosso muito obrigado a todos!

Haja saúde!

Post scriptum: Este artigo foi igualmente publicado na edição n.º 41.929 do 'Diário dos Açores', de 25 de julho de 2019.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!