sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Campeonato de Futebol dos Açores 2018/2019 — 1.ª Fase


No próximo domingo, dia 23 de setembro de 2018, tem início a 1.ª fase do Campeonato de Futebol dos Açores 2018/2019. Nesta fase estão presentes dez equipas num só grupo, as quais se defrontam entre si a duas voltas.

A representar a ilha do Pico encontra-se o Vitória Futebol Clube, clube sediado na vila de São Roque do Pico.

De seguida apresenta-se o calendário desta 1.ª fase do Campeonato de Futebol dos Açores 2018/2019.

Haja saúde!

© Diário Insular

© Diário Insular

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Voos extra Lisboa - Pico - Lisboa (Natal 2018)


Na época natalícia deste ano de 2018, a Azores Airlines vai efetuar voos extra na rota Lisboa - Pico - Lisboa, mais concretamente nas quartas-feiras 19 de dezembro (de 2018) e 2 de janeiro (de 2019). Os horários destes voos extraordinários são os seguintes:

DiasOrigemPartidaDestinoChegadaDuraçãoN.º Voo
19 de dezembro
2 de janeiro
Lisboa14:00Pico15:4502h45S4 2143
19 de dezembro
2 de janeiro
Pico16:35Lisboa20:0502h30S4 2142

Recorde-se que os horários dos aviões que servem a ilha do Pico estão disponíveis no separador "Aviões" deste blog.

Haja saúde!

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Audioguias no Museu da Indústria Baleeira? Você decide!


No âmbito do Orçamento Participativo dos Açores 2018, a primeira anteproposta que foi submetida a nível regional está associada a um importante património da ilha montanha, nomeadamente ao Museu da Indústria Baleeira — antiga Fábrica da Baleia Armações Baleeiras Reunidas, Lda., em São Roque do Pico, o primeiro museu industrial público dos Açores e aquele que foi o mais importante complexo de transformação e processamento de cachalotes dos Açores.

Mais concretamente, a ideia passa por equipar este museu com audioguias, o que traria várias vantagens, como por exemplo:
  • Os audioguias permitem cativar e prender os visitantes a um museu, para além de os encaminhar num determinado percurso sem este ter de estar assinalado ou ter de ser acompanhado;
  • Estes dispositivos permitem também explicar pequenos detalhes que provavelmente não merecem uma placa dedicada (tais como os riscos de giz na "Fábrica da Baleia");
  • Com um audioguia podem ser adicionados sons que permitem dar vida a uma peça em exposição (ex., ao explicar a oficina do ferreiro, ouvir-se-ia o som do ferro a ser moldado) ou mesmo dar voz a quem já faz parte da história (pequenas histórias da baleação contadas por antigos baleeiros);
  • Ouvir a explicação do museu na língua nativa do turista leva a que este se sinta mais próximo do que se pretende transmitir, permitindo aproximar os turistas da perceção e entendimento do valor cultural e patrimonial presente no museu;
  • Os audioguias também permitem mostrar o museu a invisuais, permitindo uma maior inclusão na sociedade;
  • Os audioguias dão origem a menos "poluição visual" de placas informativas, mantendo a autenticidade de um espaço histórico que se pretende preservar.

Esta ideia foi aprovada como proposta em votação no Orçamento Participativo dos Açores 2018, sendo que qualquer pessoa pode votar na mesma até ao dia 30 de setembro de 2018. Para isso, basta recorrer à informação que consta no Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade e proceder de uma de duas formas:
[Nota: em ambos os casos deverá ser indicado todos os dígitos do número de identificação civil do Bilhete de Identidade ou, no caso do Cartão de Cidadão, todos os números e caracteres do número de identificação civil.]

Em suma, preservar e dar a conhecer esta "Fábrica da Baleia", da forma mais autêntica possível, é fácil e está nas suas mãos; para isso basta votar!

Haja saúde!

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Pico tem uma das 7 Maravilhas à Mesa


No passado dia 16 de setembro de 2018, em Albufeira, teve lugar a declaração oficial das 7 Maravilhas à Mesa, sendo que a Mesa das Lajes do Pico / Capital da Cultura da Baleia (promovida pela Associação de Municípios da Ilha do Pico) foi uma das grandes vencedoras.

Este galardão alcançado por esta mesa picoense premeia não só a gastronomia do Pico, em particular, mas também a dos Açores, em geral — aliás, é a única das 7 Maravilhas à Mesa que não pertence ao Continente.

Recorde-se que a edição de 2018 das 7 Maravilhas de Portugal foi dedicada à verdadeira experiência de comer e beber a uma mesa portuguesa — as 7 Maravilhas à Mesa pretendeu eleger alguns dos patrimónios mais apreciados pelos portugueses: a Gastronomia associada aos Vinhos e a Roteiros Turísticos.

Por fim, vale a pena salientar que esta é mais uma distinção "7 Maravilhas" atribuída à ilha montanha, pois (em 2010) a Paisagem Vulcânica da ilha do Pico foi eleita como uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal.

Haja saúde!


segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Horários Atlânticoline — fim do verão 2018


Com a chegada da segunda metade de setembro, não só acaba o verão, como também são suprimidas algumas ligações marítimas com a ilha do Pico.

Mais concretamente, durante o restante mês de setembro de 2018 registam-se as seguintes alterações:
  • Linha Azul (Pico, Faial) — a viagem das 9h15 é suprimida, enquanto que as viagens das 13h15 e das 15h15 são substituídas por uma viagem às 14h15;
  • Linha Verde (Pico, São Jorge, Faial) — algumas ligações são suprimidas, deixando de haver uma segunda viagem diária de ida e volta às terças, quintas, sábados e domingos;
  • Linha Amarela — esta operação sazonal tem o seu término no final de setembro.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, bem como os horários dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha montanha.

Haja saúde!



Rotas de passageiros:
Rotas de mercadorias:
Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico:


Seguimento, em tempo real, dos navios em redor da ilha do Pico.


sábado, 15 de setembro de 2018

Siga aqui a tempestade tropical "Helene"


A tempestade tropical "Helene" vai passar este fim de semana (15 e 16 de setembro de 2018) por cima do arquipélago dos Açores, afetando com maior intensidade o grupo ocidental (Flores e Corvo) e o grupo central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial).

A passagem da "Helene" levou a proteção civil açoriana a emitir vários alertas, incluindo para a zona onde se insere a ilha do Pico, devido à previsão de ventos fortes, precipitação elevada e altura significativa de ondas. Além disso, a Atlânticoline já cancelou algumas viagens marítimas de transporte de passageiros previstas para este fim de semana [link para comunicados].

Para quem quiser seguir esta tempestade tropical, sugere-se que se observem as webcams disponíveis no site SPOTAZORES [www.spotazores.com], onde é possível observar em direto vários pontos de todas as ilhas do arquipélago [em anexo apresentam-se as imagens relativas à ilha do Pico]. Adicionalmente, as previsões dos efeitos do movimento da tempestade "Helene" podem ser encontradas em vários sites, tais como o Windyty [www.windyty.com — animação da previsão da precipitação em anexo], o Dark Sky Maps [maps.darksky.net — previsão da precipitação em anexo], o IPMA [www.ipma.pt] ou o site do centro norte-americano para os furacões [www.nhc.noaa.gov — exemplo de imagem satélite em anexo].

Haja saúde!





São Roque do Pico



Lajes do Pico



Madalena


Fonte: NOAA

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

No pico do verão de 2018, Pico bateu recordes no movimento aéreo


O Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) divulgou recentemente os dados relativos ao transporte aéreo que permitem fazer uma análise ao pico do verão de 2018, ou seja, aos meses de julho e agosto.

As estatísticas mostram que, à exceção da ilha Terceira, houve um crescimento dos passageiros aéreos de e para as restantes ilhas açorianas, o qual atingiu 4,2% como valor médio (face ao período homólogo anterior).


Analisando com mais detalhe, verifica-se que quatro ilhas cresceram acima da média regional, sendo que a ilha do Pico foi a que liderou de forma destacadíssima este grupo (14,2%), seguindo-se Flores (9,5%), Corvo (5,4%) e São Miguel (5,2%). Por outro lado, e considerando números absolutos, o pódio das ilhas que tiveram maior crescimento de passageiros movimentos vai para São Miguel (+23.451), Pico (+5.280) e Faial (+2.158).

A ilha montanha merece ainda uma outra nota de destaque: recordando que, no verão de 2017, o Pico registou crescimento negativo aéreo apesar de os aviões terem taxas de ocupação de 100% (um fenómeno que se deveu à redução da oferta para um destino com uma procura elevadíssima), os resultados agora alcançados mostram que quando há oferta, o Pico cresce significativamente e atinge rapidamente a liderança regional!

Aliás, para além de terem sido movimentados 22.331 passageiros aéreos no Pico em 162 rotações em agosto de 2018, representando novos recordes mensais, existem cada vez mais indicadores de como a ilha montanha merece uma atenção especial no que respeita ao transporte aéreo:
Deste modo, conclui-se que o aumento da oferta aérea para a ilha montanha foi correspondido por um crescimento dos passageiros movimentados, situação que tem vindo a ser recorrente ao longo dos últimos anos e que tem de ser tida em conta no planeamento da operação aérea futura.

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

Post scriptum: Este texto foi igualmente publicado na edição n.º 41.672 do 'Diário dos Açores', de 18 de setembro de 2018.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Vista aérea da Prainha de Cima e zonas costeiras (vídeo)


Apresenta-se, de seguida, um vídeo da autoria de António Faria, datado de agosto de 2018, o qual mostra imagens aéreas da zona da Prainha de Cima, da respetiva costa, bem como de outras zonas costeiras da freguesia da Prainha, concelho de São Roque do Pico.

Haja saúde!

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

O errozinho de Fernando Medina

Eu fui ao Pico, esquivei-me,
Ai sim esquivei-me, não me fui registar...
Antes de subir não sabia que é obrigatório,
É obrigatório fazer o registo e pagar!
Faz favor, perdoem este errozinho,
Um errozinho que dizem ser recorrente...
Olhem qu’eu paguei logo quanto desci,
Quanto desci porque p’ra cima o caminho foi diferente!
Eu fui ao Pico, e tirei uma selfie,
Ai sim uma selfie, para ter uma lembrança...
A foto foi no topo da montanha,
Ó sim d’aquela qu’eu subi sem equipamento de segurança!
Faz favor, perdoem este errozinho,
Um errozinho que não fez muito mal...
Porque se algo me acontecesse,
Eu era evacuado do Pico pr’ó Faial!

Inspirado no tradicional "Pézinho do Pico", as estrofes anteriores pretendem transmitir uma visão descontraída da notícia que marcou este final de verão de 2018, onde foi relatado que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, entrou de forma irregular na montanha da ilha do Pico.

Mais concretamente, o semanário picoense 'Ilha Maior' noticiou que Fernando Medina se deslocou, em julho passado, ao sopé do ponto mais alto de Portugal, contornou a Casa da Montanha e subiu à revelia das regras definidas pela Direção Regional do Ambiente, sem transmitir à entidade que coordena as subidas e sem o equipamento de segurança que é disponibilizado a todos aqueles que sobem a montanha do Pico de forma autónoma.

Segundo foi apurado, Fernando Medina ia subir acompanhado de um guia mas não chegou a tempo de acompanhar o grupo, ficando assim sujeito às regras da subida autónoma. Em concreto, estas definem que a subida tem início na Casa da Montanha, ponto de paragem obrigatório, onde é efetuado o registo e controlo das subidas, também como forma de garantir que a capacidade de carga máxima da montanha não é ultrapassada (existe uma capacidade máxima de carga de 320 visitantes por dia, bem como uma capacidade de carga em simultâneo — entre 120 a 200 pessoas — as quais podem obrigar a um período de espera até ser permitida a subida).

Acontece que, no momento em que Fernando Medina pretendia iniciar a subida ao ponto mais alto de Portugal, a opção de subir de forma autónoma estava esgotada e mais de 50 pessoas esperavam por uma vaga. Assim, ao contornar os procedimento estabelecidos pelas entidades regionais, Fernando Medina não teve de esperar pela sua vez, não levou consigo um localizador GPS (que monitoriza as pessoas ao longo de trilho e que serve para garantir a segurança destas), bem como as autoridades desconheciam que Fernando Medina (e outras duas pessoas) se encontravam na montanha do Pico.

Ao jornal 'Observador', fonte do gabinete de Fernando Medina esclareceu que "ele registou tudo quando desceu, quando soube que tinha de se registar. Tinha uma marcação para ir com um guia, perdeu-se no caminho, chegou atrasado. Desencontraram-se onde era feito esse encontro. Atrasaram-se, tinham de partir e partiram. Quando desceu foi informado que tinha de se registar. Registou-se e pagou. Disseram-lhe que era um erro recorrente."

Em todo o caso, a Inspeção Geral do Ambiente abriu um processo de contraordenação a três pessoas de nacionalidade portuguesa — dois homens e uma mulher –, todos residentes em Lisboa, que "liquidaram as taxas no momento da descida". Caso venham a ser punidos, a multa varia entre os 200 e os 4.000 euros.

Seja qual for o desfecho deste caso, uma coisa é certa: o exemplo dado pelo presidente da maior câmara do país não foi feliz; quer haja lugar ao pagamento de multa ou não, alegar o desconhecimento das regras, neste caso do regulamento de acesso à montanha do Pico, não deve servir de desculpa para não cumprir as mesmas — quando não se sabe, pergunta-se, e no caso do ponto mais alto de Portugal, onde existe a Casa da Montanha para prestar apoio e esclarecimentos aos montanhistas, não faz sentido, de todo, não a visitar quando se sobe o Pico.

Recordando o pagamento de uma promessa do Clube Desportivo Santa Clara, sediado na ilha de São Miguel, onde a equipa principal de futebol subiu a montanha do Pico devido a ter ascendido ao principal escalão do futebol português, isto numa altura em que os voos estavam esgotados para a ilha montanha mas onde foram efetuadas ligações aéreas extra só para o pagamento desta promessa, aliando isso a este "errozinho" de Fernando Medina, surge logo um desabafo por parte de muitos picarotos: quando algo esgota deveria ser para todos, mas parece que é só para alguns...

Haja saúde!

sábado, 8 de setembro de 2018

7 Maravilhas à Mesa — mesa do Pico entre as finalistas


No dia 16 de setembro de 2018, em Albufeira, terá lugar a declaração oficial das 7 Maravilhas à Mesa, onde serão reveladas as 7 mesas eleitas pelo público. De entre as 14 finalistas, apenas uma é dos Açores, mais concretamente da ilha montanha:
As votações decorrem de 9 de setembro (a partir das 21h dos Açores) até à gala final do dia 16, sendo que para votar nesta mesa do Pico basta ligar o 760 10 70 16 (custo de 0,60 € + IVA).

Entretanto, no dia 9 de setembro, decorre na ilha montanha um programa especial na RTP 1, ao longo de todo o dia, onde serão apresentadas novamente as mesas finalistas.

Recorde-se que a edição de 2018 das 7 Maravilhas de Portugal é dedicada à verdadeira experiência de comer e beber a uma mesa portuguesa — as 7 Maravilhas à Mesa pretende eleger alguns dos patrimónios mais apreciados pelos portugueses: a Gastronomia associada aos Vinhos e a Roteiros Turísticos.

Haja saúde!

Post scriptum: Vídeo do programa especial na RTP 1 do dia 9 de setembro de 2018, transmitido em direto da ilha do Pico. | Mesa das Lajes do Pico é uma das 7 Maravilhas à Mesa.