domingo, 20 de maio de 2018

Azores Fringe Festival 2018


De 25 de maio a 1 de julho decorre o Azores Fringe Festival 2018: um conjunto de eventos e trabalhos proporcionados por mais de uma centena de artistas de 38 países, incluindo 18 exposições que inclui pintura, fotografia e escultura; a dança, o teatro e a música também estarão presentes.

Nesta sexta edição, mais uma vez é possível ter uma explosão artística dos Açores para o mundo, sendo que o festival iniciar-se-á com um momento de silêncio "para lembrar que o mundo sem arte não existe".

Estão agendados 85 eventos públicos nos 9 cantinhos dos Açores, além de uma turma de 40 artistas que vão estar em residência no epicentro do festival na ilha do Pico, criando os seus próprios momentos na praça pública, escolas, centros de acolhimento de crianças, lares de terceira idade e pelas portas que se abrem à experimentação artística.

Para a edição de 2018, um novo programa destaca ilustradores e pretende promover as ilhas através de Ilustrar Açores; o programa Arte Viva, já conhecido em São Miguel, desta vez vai até ao Pico, onde mais programação acontecerá na MiratecArts Galeria Costa: 24 mil metros quadrados na natureza; e, programas que já arrancaram em outras edições e continuam bem vivos neste certame inclui o Encontro Pedras Negras dedicado a escritores, Expedição Fotográfica, +Arte Corvo, e o shorts@fringe que apresenta 58 curtas cinemáticas e videos.

Aqui fica o programa deste festival, sendo que mais informações podem ser encontradas em: www.azoresfringe.com

Haja saúde!


sábado, 19 de maio de 2018

Ilha do Pico em destaque para uma escapadinha

É a segunda maior ilha do arquipélago dos Açores, onde está a maior montanha de Portugal. A Montanha do Pico é um estratovulcão com 2.351 metros de altitude. O contacto com a natureza, por mar ou terra, é uma constante nesta ilha, que conta também com uma paisagem Património da Humanidade: a cultura da vinha da Ilha do Pico.
É com este texto que é destacada a ilha do Pico (e o único local dos Açores) de entre um conjunto de 13 destinos portugueses para uma escapadinha, os quais foram eleitos pelo portal Sapo Viagens e que têm em comum o contacto com a natureza.

Haja saúde!

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Pico — uma montanha de promessas


Com os seus 2351 metros de altitude, a montanha da ilha do Pico é o ponto mais alto de Portugal. Mas, para além disso, como chegar ao seu topo requer um esforço físico médio/elevado — o trilho tem uma extensão total de cerca de 7600 m (3800 m desde a base até ao cume) e um desnível de 1100 m — esta montanha é frequentemente palco de pagamento de promessas através da respetiva subida (e descida).

Recentemente, o estratovulcão da ilha do Pico serviu para este mesmo efeito, mais concretamente para o pagamento de uma das promessas mais públicas de sempre a envolver a montanha mais alta de Portugal: o presidente do Clube Desportivo Santa Clara, sediado na ilha de São Miguel, tinha prometido que a respetiva equipa de futebol profissional, técnicos e dirigentes subiriam a montanha do Pico caso esta equipa do Santa Clara subisse à primeira divisão nacional, o que veio a ocorrer no início de maio de 2018.

Assim, no passado dia 16 de maio de 2018, vários elementos do Santa Clara cumpriram a sua palavra e subiram a montanha do Pico — a promessa ficou paga!

No entanto, o pagamento desta promessa implicou uma certa logística, a qual vale a pena ser analisada. Como se estar a falar de um clube sediado noutra ilha que não o Pico (mais concretamente a cerca de 300 km de distância), houve que assegurar o transporte — neste caso aéreo, para ser mais cómodo e rápido — entre São Miguel e o Pico. Mas, numa altura em que os voos estavam esgotados entre a maior ilha dos Açores e a mais alta de Portugal, eis que foram programados, de véspera, dois voos extraordinários Ponta Delgada / Pico / Ponta Delgada (um bem cedo e outro ao final da tarde), de forma a permitir, no mesmo dia, acordar em São Miguel, subir o Pico e regressar de novo a São Miguel!

Ora bem, não está em causa utilizar a montanha do Pico para o pagamento de promessas — aliás, esta iniciativa do Santa Clara é louvável e veio dar uma dimensão mais açoriana ao feito alcançado pela subida de divisão! A questão é que os picarotos sentiram que esta dimensão açoriana também poderia ter sido vivida como os habitantes da ilha do Pico a vivem durante a maioria do tempo: ter de ficar em lista de espera nos voos e não poder viajar nos dias pretendidos; ter de pernoitar noutra ilha quando não há possibilidade de ir e vir no mesmo dia (ou mesmo em situações de trânsito, seja interilhas ou para fora do arquipélago); e, finalmente, ter de passar por tudo isto sem que a maioria da população açoriana entenda esta dupla insularidade.

O Pico e os picarotos sabem bem receber; prova disso é que o Santa Clara foi "brindado" com uma montanha se apresentou maioritariamente descoberta, o dia estava magnífico e a experiência proporcionada por guias picarotos certamente ficará não só na memória dos atletas, técnicos e dirigentes, mas também na história dos Açores.

Por outro lado, os habitantes da ilha montanha, os quais são os principais responsáveis por garantir que existem as mais variadas condições no Pico para que se suba ao ponto mais alto de Portugal (deste transportes terrestres, alojamento, alimentação, etc.), registaram como se faz, por exemplo, para ir e vir no mesmo dia, até em dias de viagens esgotadas, caso tenham de se deslocar a um local fora da sua ilha de origem. Aliás, as primeiras sugestões de picarotos não se fizeram esperar, tais como a promessa de visitar o Algar do Carvão, quando for preciso ir ao Hospital de Angra do Heroísmo, ou a promessa de fazer o trilho da Lagoa do Fogo, quando for preciso ir ao Hospital de Ponta Delgada...

Em suma, ninguém se importa que a montanha do Pico seja palco de pagamento de promessas — é, de certa forma, uma outra forma de turismo — mas os picarotos também têm o direito de que a sua "montanha de promessas" relacionadas com o Pico — tais como melhores acessibilidades, melhores infraestruturas, melhores cuidados de saúde, etc. — seja também cumprida!

Haja saúde!

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Alunas de São Roque do Pico vencem Sessão Nacional do Concurso Euroscola 2018


As alunas Carlota Ávila e Inês Ponte, da Escola Básica e Secundária de São Roque do Pico, foram umas das vencedoras da Sessão Nacional do Concurso Euroscola 2018.

Decorreu nos dias 14 e 15 de maio, na Assembleia da República, a Sessão Nacional do Concurso Euroscola, com a presença de 20 escolas (que representaram todos os distritos e regiões autónomas).

As escolas apresentaram os seus trabalhos perante o júri nacional, constituído por representantes do Gabinete de Informação do Parlamento Europeu em Portugal, da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e Rede Portuguesa de Jovens para a Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens.

Os trabalhos tiveram como tema «Igualdade de Género».

Foram seis as escolas vencedoras, onde se inclui a Escola BS de São Roque do Pico — a única de fora do território continental. Assim, os respetivos alunos vencedores (onde se incluem as picarotas Carlota Ávila e Inês Ponte) irão participar em diversas sessões de um dia, no Hemiciclo do Parlamento Europeu em Estrasburgo (França). Em cada sessão participam cerca de 500 jovens, representando escolas dos vários Estados-membros da União Europeia.

O concurso "Euroscola" tem como objetivo contribuir para a formação de uma consciência europeia junto dos alunos que frequentam o ensino secundário regular e o ensino profissional sobre as possibilidades que lhes oferece a sua cidadania europeia, bem como sobre o papel que o Parlamento Europeu desempenha no processo de decisão europeu.

[Recorde aqui a reportagem sobre o Concurso Euroscola 2018 - Círculo dos Açores]

Haja saúde!

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Greve na Atlânticoline durante as principais festas de 2018


Comunicado da Atlânticoline:
Na sequência do pré-aviso de greve emitido pelo Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante, Agências de Viagem, Transitário e Pesca (SIMAMEVIP), relativo aos colaboradores da Atlânticoline, S.A., nos períodos correspondentes às festividades do Espírito Santo e às principais festas de verão do Triângulo, o Tribunal Arbitral determinou, esta segunda-feira, as viagens marítimas a constar dos serviços mínimos a assegurar nestes períodos.
Assim, no período de greve, estão garantidas, na Linha Azul, a realização de duas viagens diárias Horta/Madalena/Horta, às 07h30 e às 17h15. Nos dias em que está prevista no horário a ligação Horta/Madalena/Horta das 20h15, mantém-se também a realização dessa viagem [horário em anexo].
Na Linha Verde, será assegurada uma viagem diária, entre Horta, Madalena e Velas, que se realizará sempre no período da tarde (saída da Horta às 18h45) [horário em anexo].
A greve está agendada para os seguintes períodos:
  • Das 00h00 do dia 20/05/2018 às 24h00 do dia 23/05/2018;
  • Das 00h00 do dia 05/07/2018 às 24h00 do dia 08/07/2018;
  • Das 00h00 do dia 20/07/2018 às 24h00 do dia 22/07/2018;
  • Das 00h00 do dia 27/07/2018 às 24h00 do dia 29/07/2018;
  • Entre as 00h00 e as 24h00 do dia 06/08/2018;
  • Das 00h00 do dia 10/08/2018 às 24h00 do dia 12/08/2018.
Os serviços mínimos preveem também a fixação de uma tripulação de prevenção para a realização de operações de transporte determinadas por situação de emergência.
A Atlânticoline aconselha os passageiros que pretendem viajar nos períodos de greve a adquirirem os seus bilhetes com antecedência, preferencialmente para as viagens asseguradas pelos serviços mínimos.

Haja saúde!

Horários dos navios nos dias da greve
Maio: 20, 21, 22, 23.
Julho: 5, 6, 7, 8 | 20, 21, 22 | 27, 28, 29.
Agosto: 6 | 10, 11, 12.

LINHA AZUL
Sai Chega Sai Chega
Horta Madalena Horta
07:30 / 08:00 08:15 / 08:45
17:15 / 17:45 18:00 / 18:30
20:15* / 20:45* 21:00* / 21:30*
* Não se realiza a 21 e 23 de maio

LINHA VERDE
Sai Chega Sai Chega Sai Chega Sai Chega
Horta Madalena Velas Madalena Horta
18:45 / 19:10 19:25 / 20:45 21:00 / 22:20 22:35 / 23:00

LINHA AMARELA
Dia Sai Chega Sai Chega Sai Chega Sai Chega
  Horta Cais do Pico Velas Cais do Pico Horta
20/05 07:15 / 08:30 09:00 / 09:45 22:30 / 23:15 23:45 / 01:00
22/05 14:00 / 15:15 15:45 / 16:30 19:00 / 19:45 20:15 / 21:30
23/05 07:00 / 08:15 08:45 / 09:30    
05/07 07:30 / 08:45 09:15 / 10:00 18:45 / 19:15 19:45 / 20:45
06/07 07:30 / 08:30 09:00 / 09:30 21:00 / 21:45 22:15 / 23:30
07/07 14:30 / 15:45 16:15 / 17:00 17:30 / 18:15 18:45 / 20:00
08/07 22:00 / 23:15 23:45 / 00:30    
20/07     18:45 / 19:15 19:45 / 20:45
27/07 07:30 / 08:30 09:00 / 09:30    
06/08     18:45 / 19:15 19:45 / 20:45
10/08 07:30 / 08:30 09:00 / 09:30 14:15 / 15:00 15:30 / 16:45
11/08 14:30 / 15:45 16:15 / 17:00 17:30 / 18:15 18:45 / 20:00
12/08 07:30 / 08:45 09:15 / 10:00    

terça-feira, 15 de maio de 2018

Encalhe do "Mestre Simão" deveu-se a "infortúnio do mar"


O encalhe do navio "Mestre Simão" no porto da Madalena do Pico, em janeiro, ficou a dever-se a um "infortúnio de mar", que resultou da dimensão e da energia das ondas no local, conclui um relatório recentemente divulgado.

"A nossa tese é que houve aqui um conjunto de ondas que deixaram o navio sem governo, aquilo a que os homens do mar designam por infortúnio do mar", explicou Carlos Faias, presidente do Conselho de Administração da Atlânticoline, empresa proprietária do navio, em conferência de imprensa tida hoje na Horta.

Segundo aquele administrador, o relatório interno ao acidente com o navio "Mestre Simão", ocorrido em 06 de janeiro deste ano, à entrada do porto da Madalena, na ilha do Pico, exclui qualquer responsabilidade do mestre da embarcação ou dos restantes elementos da tripulação, que foram até elogiados pela rápida retirada de todos os passageiros que seguiam a bordo.

"Em momento algum há, pelo menos em nosso entender, qualquer mínima evidência que possa ser apresentada, de alguma culpabilidade ou de alguma negligência à tripulação", insistiu Carlos Faias, garantido que os tripulantes do "Mestre Simão" procederam de forma correta durante a aproximação e entrada no porto.

De acordo com o relatório interno agora divulgado, o navio, de 40 metros de comprimento, estava a aproximar-se da entrada do porto, quando uma "sucessão de ondas" empurrou a embarcação para a rocha, impedindo-a de guinar a bombordo, para poder manobrar em segurança.

O documento recomenda agora a instalação de uma câmara no porto da Madalena para que, à saída da Horta, seja possível antever as condições no local.

O presidente do conselho de administração da Atlânticoline adiantou que o mestre do navio ainda tentou colocar a máquina à ré, para evitar o encalhe, mas que a máquina não terá correspondido, "por uma questão de segurança", já que a embarcação se encontrava em andamento (a uma velocidade de 15 nós) quando encalhou.

A Atlânticoline já assinou, entretanto, um contrato com os "Astilleros Armon", em Espanha, que tinham construído o "Mestre Simão", para a construção de um navio substituto, que terá capacidade para transportar 333 passageiros e 15 viaturas (mais sete do que o navio encalhado), e que irá custar cerca de 10,2 milhões de euros.

[Fonte: Açoriano Oriental]

Tudo sobre o encalhe do navio "Mestre Simão" pode ser encontrado em:
http://www.caisdopico.pt/2018/01/navio-mestre-simao-encalha-na-madalena.html

Haja saúde!

domingo, 13 de maio de 2018

Recolha de DNA picaroto


Para todos os homens que tenham antepassados da ilha do Pico (e também da ilha Terceira), existe uma oferta de testes de DNA gratuitos, cujo objetivo é descobrir as origens anteriores à colonização dos Açores.

Este projeto é liderado por Doug da Rocha Holmes, de Sacramento (EUA), especializado nas famílias do Pico e da Terceira e especialista no uso do DNA para conectar as famílias. Quem estiver interessado, e for contemplado com um teste de DNA, aprenderá as suas origens antigas (haplogrupo), bem como se há outras pessoas que se conectam com a sua linha paterna.

Para mais informações, contactar o seguinte e-mail: terceira@dholmes.com

Haja saúde!

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Maio ainda nem vai a meio... mas o Pico já começa a esgotar!


De entre todas as rotas aéreas interilhas nos Açores, assume uma importância acrescida a ligação entre Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, e uma qualquer outra ilha açoriana, ora vejamos:
  • A ilha de São Miguel, por ser a dos Açores que tem mais população (e a maior em área, inclusivamente é a maior ilha de todo o território português), tem naturalmente mais ligações aéreas não só para o exterior da Região (Continente, Madeira, Canárias, Cabo Verde, Europa, Estados Unidos da América e Canadá) mas também para as restantes ilhas açorianas. Mais ainda, a esmagadora maioria das viagens low-cost entre o Continente e os Açores é efetuada para esta ilha;
  • Assim, uma boa ligação aérea ao Aeroporto João Paulo II, considerando qualquer outra ilha açoriana que não São Miguel, é sinónimo de um passageiro poder alcançar facilmente um vasto leque de destinos nacionais e internacionais saindo da sua ilha, ao mesmo tempo que também significa que turistas e emigrantes podem chegar rapidamente às ilhas mais pequenas.
Por outras palavras, quando não existe forma de chegar, por via aérea, de São Miguel ao restante arquipélago, essas outras ilhas ficam, de certa forma, bastante mais isoladas. E este não é um fenómeno raro, antes pelo contrário: durante a "época alta" do turismo, costuma ser habitual haver vários destes dias de "isolamento" — neste aspeto, a ilha do Pico é uma verdadeira recordista, pois este destino é aquele que, nos últimos anos, tem esgotado mais rapidamente nos Açores.

Mas, e já agora, como estão as ligações aéreas interilhas entre São Miguel e as restantes ilhas nesta "época intermédia"? Por exemplo, para a semana de 13 a 19 de maio deste ano de 2018, em quantos dias se consegue partir de São Miguel e chegar a outra ilha açoriana (quer seja voo direto ou com escalas)? Pois bem, fazendo uma simulação no website da Azores Airlines, os resultados são os seguintes [cópias das simulações em anexo, as quais foram efetuadas em 10 de maio de 2018]:

Semana de 13 a 19 de maio de 2018 — partida de São Miguel
Ilha N.º dias
com ligação de
São Miguel
N.º dias
por semana
com voos
Dias de "isolamento"
devido a voos esgotados
Corvo 0 3 3
Flores 3 7 4
Faial 3 7 4
Pico 1 7 6
São Jorge 2 7 5
Graciosa 3 7 4
Terceira 3 7 4
Santa Maria 4 7 3

As conclusões a tirar são muito interessantes: embora o Corvo possa ser considerada a ilha mais "isolada" de São Miguel (pois nos três dias em que tem voos com o exterior, não é possível chegar da maior à mais pequena ilha açoriana em nenhum deles), o Pico volta a assumir a liderança no "número de dias de isolamento devido a voos esgotados"!

Dito de outra forma, a ilha montanha volta a bater o ser próprio recorde, pois se antes era o primeiro destino a esgotar na "época alta" e no Natal, agora maio ainda nem vai a meio, mas o Pico já começa a esgotar! Alguns dirão que é conjuntural, outros dirão que pode ser um sinal de que a "época alta" está a alargar, etc.

Uma coisa é certa, pois os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

Post scriptum: No dia seguinte à publicação deste post, a Azores Airlines reajustou a sua programação de forma a minimizar a impossibilidade de se chegar ao Pico durante a semana em questão — link para mais informações.








quinta-feira, 10 de maio de 2018

Concurso de Fotografia "ZAPE - Dia do Burro" 2018

Foto: Sonia de Kaenel

Encontra-se aberto o concurso de fotografia "ZAPE - Dia do Burro" 2018, o qual pretende celebrar a população asinina nos Açores, incluindo a reconhecida raça autóctone do burro anão da ilha Graciosa.

O próprio nome ZAPE, palavra com origem onomatopaica e que representa o som que o burro faz com a extremidade da pata quando bate no chão, foi escolhido por ir ao encontro do dinamismo que este animal sempre concedeu ao mundo da ruralidade e que caracteriza, acima de tudo, a celebração do Dia do Burro a 8 de maio. Atualmente, o reconhecimento do seu papel social já é inegável, mas, infelizmente, a sua dignificação ainda não está assegurada. Por isso, o ZAPE quer marcar a diferença nos Açores ao mesmo tempo que também tem a intenção de dar visibilidade a este animal presente em todo o mundo.

Neste concurso da MiratecArts, os fotógrafos são desafiados a captarem imagens da população asinina que se encontra nos Açores. O concurso comporta duas categorias: Melhor Imagem do Burro Anão da Graciosa e Melhor Imagem População Asinina nos Açores.

As condições de participação são:
  1. Trabalhos devem ser entregues até novembro de 2018, seguindo as instruções disponíveis em: www.zapediadoburro.com
  2. Podem ser submetidas até 3 imagens por categoria e por participante.

Os vencedores serão galardoados com um pacote promocional e com participação em eventos da MiratecArts, numa ilha dos Açores (fora da ilha da sua residência, caso vivam no arquipélago).

Haja saúde!

terça-feira, 8 de maio de 2018

Pico com cerimónias oficiais do Dia da Europa 2018


O programa comemorativo do Dia da Europa 2018 inclui a realização de ações educativas e culturais no Pico, ilha onde vão decorrer as cerimónias oficiais sob o mote do Ano Europeu do Património Cultural.

O objetivo é chamar a atenção para a existência, importância e papel do património cultural açoriano no contexto europeu, colocando o enfoque no património baleeiro e da paisagem da cultura da vinha do Pico, reconhecida pela UNESCO.


COMEMORAÇÃO NA ILHA DO PICO

Dia 8 de maio | 18h30 | Cooperativa Vitivinícola da ilha do Pico, na Madalena
  • Hino da Alegria de Beethoven (Hino da Europa) pela Orquestra do Centro de Formação Artística da Câmara Municipal da Madalena
  • Tertúlia sobre temáticas à volta do Ano Europeu do Património Cultural, com intervenção do SRAPRE e com os oradores convidados João Ramos (Arte Pública e envolvimento comunitário), Manuel Costa (O contributo dos Museus para o desenvolvimento territorial) e Manuel Tomás (Escritores picarotos)
  • Momento de dança de folclore (chamarrita) pelo Grupo Folclórico da Casa do Povo da Candelária
  • Degustação de vinho

Dia 9 de maio | 10h00 | Centro de Artes e Ciências do Mar, nas Lajes do Pico
  • Momento musical
  • Entrada da personagem ‘Mãe Europa’ num bote baleeiro
  • Intervenções
  • Oficinas, Ateliers e jogos relacionados com património e com a Europa (alunos do 1º Ciclo da EBS das Lajes do Pico)
  • Mostra expositiva ‘Monumentos Europeus’, elaborada pelos Centros de Dia

Dia 9 de maio | 14h30 | Escola Básica e Secundária de São Roque do Pico
  • Parada europeia
  • Momento musical e mosaico cultural
  • Mostra ‘A Europa nos trajes’, elaborada pelos Centros de convívio de São Roque
  • Inauguração da obra mural do artista plástico João Ramos

FOTOGRAFIAS Facebook
Registo vídeo [São Roque do Pico]

Haja saúde!