terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Alô Portugal — episódio sobre o Pico


O "Alô Portugal" é um programa da SIC Internacional destinado à comunidade portuguesa além de Portugal. Um dos seus mais recentes episódios foi dedicado aos Açores, mais concretamente às ilhas do Pico e de São Jorge [episódio em anexo].

Sobre a ilha montanha, o destaque foi dado à sua vinha e ao seu vinho, apresentando desta forma ao mundo a qualidade de um produto de excelência que se produz em plena paisagem património mundial.

Haja saúde!

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Plano Anual Regional 2018 — investimentos/ações para o Pico


O Plano Anual Regional para 2018 contempla os vários investimentos públicos e ações que estão previstos nos Açores para este ano [link para consultar este plano na íntegra].

No caso da ilha do Pico, os destaques vão para (por ordem decrescente do valor de investimento/ação):
  • Porto da Madalena: apoio aos investimentos a realizar no porto, destacando-se a reparação dos danos causados pelo temporal de 27/28 de fevereiro de 2017 no molhe-cais deste porto [5.530.272 €].
  • Casa dos Vulcões: construção e instalação dos conteúdos expositivos neste centro de interpretação [1.680.595 €].
  • Rede hidrográfica da ilha do Pico: empreitada de requalificação da Ribeira da Areia, na Prainha; empreitadas de contenção de fluxos detríticos da Ribeira do Dilúvio (fase 2) e das ribeiras Grande e Nova, em São Caetano [1.073.522 €].
  • Centro de Apoio ao Idoso da Madalena: conclusão da construção deste centro [715.311 €].
  • Centro de Saúde das Lajes do Pico: obras de requalificação e reorganização deste centro de saúde [693.976 €].
  • Base da Montanha da ilha do Pico: construção de zona de apoio às descidas e de uma área para estacionamento de viaturas [541.778 €].
  • Casas de aprestos e gruas: construção das casas de aprestos e posto de recolha do núcleo de pescas de São Roque do Pico; construção das casas de aprestos do núcleo de pesca do porto das Lajes do Pico; aquisição de uma grua de 16 t para o núcleo de pesca do porto da Madalena [536.111 €].
  • Aeroporto da ilha do Pico: apoio aos investimentos a realizar no aeródromo visando a melhoria da sua operacionalidade e segurança, destacando-se o "grooving" da pista [501.000 €].
  • Estradas Regionais da ilha do Pico: requalificação de estradas [331.000 €].
  • Quartel de Bombeiros das Lajes do Pico: ampliação deste quartel [310.148 €].
  • Porto de São Roque do Pico: apoio aos investimentos a realizar no porto, destacando-se o projeto do novo terminal de passageiros, visando melhores condições de operacionalidade e de eficácia no embarque e desembarque de passageiros e veículos, cumprindo também os requisitos de segurança da operação na área portuária [285.000 €].
  • Núcleo de pescas da Madalena: empreitada de construção e serviços de fiscalização para melhoria das condições operacionais e de segurança do núcleo de pesca do porto da Madalena [179.147 €].
  • Museu da Construção Naval em Santo Amaro: projeto e construção de edifício-sede e requalificação e adaptação dos armazéns de construção naval [97.657 €].
  • Lancha Espalamaca: recuperação desta embarcação [59.894 €].
  • Museografia do Museu do Pico: revisão e implementação do projeto museográfico das exposições de longa duração [25.000 €].
Estes investimentos/ações perfazem assim um total de 12.560.411 euros.

Outras ações que também estão contempladas no Plano Anual Regional para 2018 e que estão associadas à ilha do Pico são:
  • Cultura da vinha na ilha do Pico: apoios à reabilitação da paisagem tradicional da cultura da vinha em currais na ilha do Pico e à manutenção de paisagens [850.000 € a dividir também por sistema de incentivos à manutenção de paisagens tradicionais da cultura da vinha, em currais e em socalcos, e de pomares de espécies tradicionais, situadas em áreas de paisagem protegida e em fajãs costeiras, integradas nos parques naturais de ilha, e em reservas da biosfera].
  • Igrejas e estruturas pastorais da ilha do Pico: apoio à reconstrução das estruturas danificadas pelo sismo de 9 de julho de 1998 [845.000 € a dividir também pela ilha do Faial].
  • Lagoas da ilha do Pico: monitorização do estado trófico das lagoas através da realização de amostragens físico-químicas das massas de água das lagoas [90.000 € a dividir também pelas lagoas de São Miguel, Flores e Corvo, bem como pelo sistema de arejamento da Lagoa das Furnas e pelo equipamento e funcionamento do Laboratório dos Recursos Hídricos].
  • Monitorização de térmitas na ilha do Pico: monitorização regular da infestação por térmitas da madeira seca [43.240 € a dividir também pelas ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, São Jorge e Faial, bem como pela gestão do Sistema de Certificação de Infestação por Térmitas (SCIT) e por projetos de erradicação e controlo das térmitas subterrâneas na Praia da Vitória e na Horta].

Por fim, e para quem tiver curiosidade de verificar o que transitou do ano passado para o presente plano, aqui fica o link para os investimentos/ações para a ilha do Pico contemplados no Plano Anual Regional de 2017.

Haja saúde!

domingo, 21 de janeiro de 2018

Autoridade Marítima faz entrega de achado de mar ao Museu do Pico


A Polícia Marítima e a Delegação Marítima das Lajes do Pico procederam, dia 17 de janeiro de 2018, à entrega de dois maxilares de cachalote adulto ao Museu do Pico.

As ossadas do cetáceo foram encontradas por praticantes de caça submarina na vizinhança do Porto de Santa Cruz das Ribeiras, um dos grandes pontos de atividade baleeira.

Tendo sido aberto um processo de achado de mar, verificou-se junto das entidades competentes o eventual interesse histórico ou patrimonial, tendo a Direção Regional da Cultura e o Museu do Pico considerado que se tratava de peças com elevado interesse histórico e antropológico, estando ligadas a uma atividade humana que moldou a vivência e a cultura dos Açores e do Pico, em particular.

O ato foi formalizado com a assinatura de um termo de entrega pelo Diretor do Museu do Pico.

As ossadas prosseguiram para o Museu da Indústria Baleeira em São Roque do Pico.

[Fonte: AMN]

Mais informações sobre o Museu do Pico, incluindo visitas virtuais, podem ser encontradas clicando neste link.

Haja saúde!

sábado, 20 de janeiro de 2018

O drone que mais alto voou em Portugal


Marco Neiva, especialista em vídeo marketing, esteve na ilha do Pico no âmbito do evento desportivo de trail running "Azores Triangle Adventure 2017", onde capturou magníficas imagens da ilha montanha, de forma a obter um vídeo de melhores momentos desta prova [vídeo em anexo].

Agora, num vídeo de making-of [também em anexo], este vlogger revela a aventura de levar um drone ao ponto mais alto de Portugal, tornando este veículo aéreo não tripulado no drone que mais alto voou no nosso país!

Haja saúde!


sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Magazine Açores — Madalena


Apresenta-se, em anexo, o episódio dedicado ao concelho picoense da Madalena, episódio esse relativo à série televisiva 'Magazine Açores', a qual pretender dar a conhecer os 19 concelhos do arquipélago açoriano, destacando os seus valores patrimoniais, culturais e ambientais.

Haja saúde!

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Mais de 15 mil pessoas escalaram em 2017 a montanha do Pico


A montanha do Pico registou, em 2017, a visita de 15.510 pessoas, o que não só representa um crescimento de 26% face ao ano anterior, bem como se tornou no novo recorde de escaladas a esta montanha num só ano.

Adicionalmente, os números oficiais indicam que cerca de 13.000 pessoas escalaram o Piquinho — onde se encontra o ponto mais alto de Portugal, com 2.351 metros de altitude — o que representa mais de 80% do total das subidas. Além disso, os meses de julho e agosto registaram cerca de 50% do total das subidas do ano, sendo a maioria dos visitantes nacionais, seguindo-se os turistas alemães e franceses [dados do SREA: link 1; link 2].

Para conhecer as regras de subida à montanha do Pico, bem como algumas das suas curiosidades, basta clicar no seguinte link:

Regulamento de acesso à montanha do Pico

Por fim, é de realçar esta contínua e crescente procura, ano após ano, pela experiência da subida e pelas magníficas paisagens proporcionadas pelo ponto mais alto de Portugal!

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Pico em destaque no mercado imobiliário


O crescimento do mercado imobiliário em Portugal também já se faz sentir nos Açores. Segundo responsáveis por mediação imobiliária, existe um "renascimento" do sector em São Miguel, que também é evidente no Pico, em Santa Maria e na Terceira.

Uma das razões apontadas para este crescimento prende-se com a reabilitação efetuada em vários imóveis, de forma a criar mais unidades de alojamento local na região e fazer face à chegada de mais turistas aos Açores. A Associação do Alojamento Local em Portugal refere que, no final de novembro, existiam 1631 unidades de alojamento local na região, com destaque para 764 em São Miguel, 317 no Pico e 219 na Terceira [47%, 19% e 13% do total, respetivamente].

Apesar de a construção nova ser pouca, esta está a crescer. Segundo dados preliminares do Serviço Regional de Estatística dos Açores, os fogos em construção em São Miguel eram mais 67, passando para 174, até outubro face ao período homólogo de 2016. Seguem-se as ilhas do Pico, Terceira e Faial.

[Fonte: Expresso | Dados estatísticos do SREA: link 1; link 2; link 3]

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Gaita de foles toca no topo de Portugal


Integrado no "Montanha Pico Festival 2018", a ilha montanha acolheu, pela primeira vez, um encontro de gaiteiros. Com participantes da Escócia, França, Portugal Continental e Açores, este primeiro encontro levou à criação do projeto de Pipe Camp: o grupo decidiu que a ilha do Pico seria o cenário idílico para uma semana de workshops, showcases, conferência e concertos, assim dando à luz mais um projeto da MiratecArts, em parceria com Gaitamaker.com do Porto.

Para encerrar o programa deste primeiro encontro de gaitas de foles no Pico, um grupo aventurou-se a escalar a montanha mais alta de Portugal, num dia em que a neve marcou presença. À chegada ao topo, o gaiteiro Ross OC Jennings conseguiu alcançar o seu objetivo de tocar gaita de foles escocesa no piquinho do Pico, a 2351 metros de altitude — conhecido como 'the first piper', este músico escocês, um dos mais conhecidos gaiteiros no mundo e que já tocou em mais de 60 países, está a tentar conquistar o recorde mundial do Guiness por tocar gaita de foles no maior número de locais do mundo, tendo-se agora estreado nos Açores.

Haja saúde!

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Andamento da substituição de cabeços no Porto do Cais do Pico (2)


Apresentam-se, em anexo, algumas fotografias (datadas de 7 de janeiro de 2018) relativas ao andamento da empreitada de substituição de cabeços no Porto do Cais do Pico, localizado na vila de São Roque do Pico [link para fotos mais antigas].

Recorde-se que esta obra obrigou a que a respetiva rampa ro-ro ficasse inoperacional desde o dia 3 de novembro de 2017 [link sobre o assunto], situação que levou à redução de escalas neste porto por parte da Linha Verde da Atlânticoline, pese embora a substituição de cabeços só tenha começado efetivamente a meados desse mês [link para mais informações].

Haja saúde!

Nota: Tal como foi feito no post "Mas que dor de cabeços!", anexa-se um contador de quanto tempo já passou desde que (e devido a esta empreitada) a rampa ro-ro do Porto do Cais do Pico ficou inoperacional.






domingo, 14 de janeiro de 2018

Linha SOS Ambiente dos Açores


O ano de 2018 trouxe consigo a implementação de uma linha telefónica gratuita — 800 292 800 — para que os cidadãos possam denunciar problemas ambientais no arquipélago açoriano.

Esta Linha SOS Ambiente dos Açores é "uma forma simples e fácil para dar voz à natureza" e funcionará 24 horas por dia, todos os dias do ano, nos Bombeiros Voluntários da Madalena, na ilha do Pico, aproveitando a estrutura já existente na corporação para a monitorização do acesso à montanha, o ponto mais alto de Portugal.

Todas as ocorrências participadas através desta linha são classificadas em função da sua urgência.

Assim, o nível 1 é de 'Emergência' (situação que exige uma intervenção imediata), o nível 2 é 'Urgente' (situação que exige uma intervenção o mais prontamente possível), o nível 3 é 'Pouco Urgente' (situação de menor complexidade, mas que pode ter consequências a curto prazo), e o nível 4 é 'Não Urgente' (situação de menor complexidade e que não implica problemas ou consequências a curto prazo).

Na sequência da classificação, os prazos indicativos de resposta aos cidadãos são de 5, 10, 20 e 30 dias, respetivamente.

Esta linha telefónica é um complemento ao serviço online "Na Minha Ilha", o qual pode ser utilizado através de:

A linha SOS Ambiente e o serviço "Na Minha Ilha" destinam-se à participação de ocorrências nos domínios da qualidade ambiental, gestão de resíduos, conservação da natureza, ordenamento do território e recursos hídricos, designadamente quando possam estar em causa violações da legislação ambiental e dos instrumentos de ordenamento do território ou riscos para as pessoas, animais, natureza e património

Haja saúde!