quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Picuense, Piquense, Picoense ou Picaroto?

Entre as diversas curiosidades relacionadas com a ilha do Pico, o gentílico dos naturais da ilha montanha (nome designativo da ligação de alguém relativamente ao lugar - país, região, estado, cidade - onde nasceu, habita ou ao qual pertence) não só é bastante original, como também foge a todas as regras do vocabulário da língua portuguesa.

Nos Açores existem diversos gentílicos (Santa Maria - mariense; São Miguel - micaelense; Terceira - terceirense; Graciosa - graciosense; São Jorge - jorgense; Faial - faialense; Flores - florentino; Corvo - corvino), sendo que os naturais da ilha do Pico não têm um mas sim dois gentílicos à disposição: picoense e picaroto!

O gentílico picaroto é aquele que normalmente gera mais curiosidade para quem o ouve pela primeira vez. Deve ler-se "picarôto" e, segundo o dicionário, esta palavra também pode ser utilizada como sinónimo de ponto mais alto de monte, montanha, etc.

Em relação ao gentílico picoense, este é aquele que se segue a regra maioritariamente aplicada nos Açores, mas que curiosamente não está definido no dicionário [*ver nota no final]. No seu lugar encontra-se a palavra picuense, a qual, apesar de corresponder à forma de como se deve ler picoense, não é um termo que seja utilizado na ilha do Pico. Este é um claro exemplo de como os dicionários não refletem a realidade local, pois na ilha montanha o que se pode encontrar é «Farmácia Picoense», «Panificadora Picoense», «Electrificadora Picoense», etc.

No site Ciberdúvidas (espaço de esclarecimento, informação, debate e promoção da língua portuguesa) já foi levantada esta questão de no dicionário constar picuense ao invés de picoense. A resposta não poderia ser mais surpreendente: picuenses é a forma consagrada pelo uso para designar os naturais da ilha do Pico, mas a forma correta seria... piquenses! Curiosamente, esta forma supostamente correta também não está definida no dicionário.

Em suma, quem é da ilha montanha é picoense ou picaroto, mas se tiver alguma dúvida pode sempre dizer que é... da ilha do Pico!

Haja saúde!

*Nota: Alguns meses após a publicação deste post, o gentílico picoense passou a fazer parte do dicionário, mostrando assim que a língua portuguesa é primordialmente feita, e deve continuar a ser, pelos falantes da mesma.

Foto original da autoria de Taus.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!