terça-feira, 5 de maio de 2020

Iates comerciais no Cais do Pico há 100 anos


Apresenta-se, em anexo, uma crónica de José Decq Mota sobre a presença de iates no atual "Cais Velho" há cerca de 100 anos, isto tendo por base a fotografia inicial deste post. Esta infraestrutura, situada no coração da vila de São Roque do Pico, foi também ela outrora o "Porto do Cais do Pico" que durante décadas serviu de porta de entrada e saída da ilha montanha, designação e função essas que transitaram, em meados do século passado, para uma localização próxima (sobre a antiga Ponta da Laje), criando aquele que é hoje o principal porto comercial picoense.

Em anexo encontra-se também outra fotografia do iate "Livramento", o qual, para além de ser originário precisamente do Cais do Pico, pertenceu aos Januários, tendo por isso um lugar especial nas estórias e histórias da família.

Haja saúde!

Nesta fotografia, dos finais dos anos 20, vemos no porto velho do Cais do Pico dois iates que, durante muitos anos, faziam o transporte de mercadorias e passageiros entre as ilhas: à direita está o "Bom Jesus", de St. Amaro, com 17 metros, equipado, a partir de certa altura, com motor de 18 HP e que fez este serviço, matriculado na Capitania da Horta, entre 1898 e 1947. À esquerda está o "Livramento", do Cais do Pico, com 14 metros, sem motor e que operou entre 1897 e 1932.
É necessário lembrar que, nesses anos, a ligação entre as ilhas era assegurada pelas duas viagens mensais da carreira Lisboa - Madeira - Açores da Empresa Insulana de Navegação (uma viagem mensal para a Sta. Maria, Flores e Corvo) e que, para além disso o que havia eram os Iates, que faziam viagens entre as ilhas, dando expressão às trocas comerciais e possibilitando alguma mobilidade acrescida aos cidadãos.
A designação de iates dada a estas embarcações deriva do facto de terem, em geral, dois mastros que envergavam panos quadrangulares. A fotografia mostra o porto velho do Cais do Pico, que subsistiu muitos anos depois da foto ser tirada.
O transporte marítimo entre as ilhas foi evoluindo, embora de forma modesta e arrastada e só mais de 30 anos depois desta foto é que a situação se alterou de forma mais significativa. É importante também referir que muitos destes pequenos iates faziam escala em vários pequenos portos da mesma ilha, o que, na época, era muito importante, pois a rede viária era muito pequena e má e os transportes rodoviários quase inexistentes.


Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!