domingo, 18 de março de 2018

O novo desafio da vinha do Pico


A Antena 1 Açores noticiou recentemente que a falta de mão de obra condiciona expansão da vinha no Pico [áudio em anexo]. Esta situação tem levado as empresas que trabalham vinhas na ilha do Pico a ponderarem contratar mão de obra noutras ilhas ou até no exterior da Região.

Este é o novo desafio que se coloca à viticultura na ilha montanha, mas um desafio positivo: desta vez não são doenças a atacar a vinha, não é a falta de qualidade do produto final, mas sim não haver mais pessoas para ajudar a criar vinhos que são autênticas dádivas dos deuses.

E porque é que este desafio surge agora? Porque tem havido um processo de reabilitação e manutenção da cultura tradicional da vinha em currais na Paisagem da Cultura da Vinha do Pico, o qual tem contribuído para a recuperação de imensas vinhas abandonadas na ilha montanha — a título de exemplo, a área de produção passou de cerca de 120 hectares em 2004 (data da classificação desta paisagem pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade) para cerca de 700 hectares no presente.

Por outro lado, se atualmente, mesmo com esta fantástica reabilitação, ainda existem imensos locais na ilha do Pico que contêm vinha abandonada, imaginem agora a mão de obra que foi necessária para manter a viticultura na ilha montanha durante o seu auge no início do séc. XIX, numa altura onde não havia tanta mobilidade como agora e as ferramentas eram outras...

Partindo de um local onde praticamente só existia pedra, o Homem do Pico foi capaz de não só tirar dali o seu sustento, mas também criar um produto de qualidade mundial, mantendo sempre uma harmonia com a natureza!

É por tudo isto que a vinha da ilha do Pico é uma autêntica lição de vida!

Haja saúde!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!