sábado, 5 de setembro de 2015

Evolução da população na ilha do Pico (desde 1849 a 2050)

A ilha do Pico é a segunda maior ilha dos Açores em termos de área mas ocupa a quarta posição de entre as nove ilhas do arquipélago em termos de população.

Analisando os dados demográficos atuais (Censos 2011), o concelho menos populoso é o de São Roque do Pico (com 3.388 habitantes) e o concelho que conta com mais pessoas residentes é o da Madalena (com 6.049 habitantes), sendo que o concelho das Lajes do Pico ocupa uma posição intermédia (com 4.711 habitantes). Assim, a ilha montanha conta atualmente com pouco mais de 14 mil habitantes (mais concretamente 14.148 habitantes).

Mas nem sempre foi assim: todos os concelhos da ilha do Pico já contaram com mais do dobro da população atual e inclusivamente houve uma altura da sua história em que o concelho das Lajes do Pico era o mais populoso da ilha montanha, como se pode observar no gráfico seguinte - no total, a ilha do Pico chegou a contar com 31.246 habitantes (7.618+11.480+12.148) em 1849.


Também é possível observar neste gráfico que, à exceção da década de 60 do século passado, existe uma tendência clara de diminuição da população na ilha do Pico, a qual é transversal a todos os concelhos da ilha e que se observa desde 1849 até ao presente.

Mantendo-se a taxa de decrescimento observada recentemente, prevê-se que no ano de 2020 o Pico tenha 13.601 habitantes (3.098+4.585+5.917) e em 2050 sejam 13.084 (2.833+4.463+5.788). Em termos absolutos, o concelho de São Roque do Pico perderá no futuro mais habitantes (290 pessoas até 2020 e 555 até 2050) do que a soma da perda dos outros dois concelhos da ilha montanha (126+132 até 2020 e 248+261 até 2050). Isto significa que, em termos percentuais, o concelho de São Roque do Pico será de longe aquele que terá a maior perda de população, seguido pelo concelho das Lajes do Pico e finalmente pelo concelho da Madalena, tal como o gráfico seguinte demonstra.


Em geral, Portugal sofre do mesmo problema de diminuição da população. O aumento da natalidade através de políticas adequadas pode ser uma solução. No entanto, há quem defenda que outra solução passa por uma política inteligente de imigração, pois se atrairmos pessoas inteligentes esses imigrantes vão contribuir para o crescimento da riqueza do país. O drama dos refugiados, o "naufrágio da humanidade", pode também ser uma oportunidade para ajudar alguém que deseja trabalhar em prol de uma vida melhor, ao mesmo tempo que se contribui para o aumento da população.

Urge então pensar que futuro se deseja para a ilha do Pico: manter tudo como está, e aceitar a perda gradual de população, ou tomar medidas para inverter esta situação. As autoridades competentes mais cedo ou mais tarde abordarão este assunto, mas também cabe a cada um de nós refletir sobre esta questão!

Haja saúde!

Post scriptum: Este post foi posteriormente divulgado pelo amigo Rui Pedro Ávila através do seu espaço "Ponderando" no 'Jornal do Pico', edição n.º 593, de 11 de setembro de 2015.

[Ver também: Envelhecimento da população na ilha do Pico, nos Açores e em Portugal | Onde moram as pessoas na ilha do Pico?]

1 comentário:

  1. "Em geral, Portugal sofre do mesmo problema de diminuição da população."
    That is not a problem, that is an improvement!
    To have an increase in living space for people and nature is a rare and very precious thing.

    ResponderEliminar

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!