segunda-feira, 7 de agosto de 2017

É melhor reservar o Pico (literalmente), senão...


Visitar a ilha montanha é sinónimo de embarcar numa viagem inesquecível associada à natureza e à cultura da mais jovem ilha açoriana: o Pico tem o maior parque natural dos Açores, a sua vinha é património mundial, a memória da baleação está bastante presente, entre outros.

A procura pelo destino Pico tem aumentado constantemente a cada ano que passa, sendo isso notório nos voos cheios, nos carros de aluguer esgotados, nos restaurantes com filas de espera, bem como em alguns locais turísticos que só estão disponíveis após reserva com alguns dias de antecedência, como por exemplo a Gruta das Torres — o maior tubo lávico do país.

Mas quem visita esta ilha não pode ignorar a essência que lhe dá o nome Pico: a sua imponente montanha, o ponto mais alto de Portugal.

Subir a montanha é provavelmente a experiência mais inesquecível e única que a ilha do Pico tem para oferecer aos seus visitantes. Contudo, e de forma a evitar horas de espera quando se atinge a capacidade de carga máxima da montanha, é melhor agendar, reservar e garantir previamente a subida — consultar o regulamento de acesso à montanha do Pico.

Resumindo, o Pico está na moda e pode não bastar fazer uma reserva num avião, num alojamento, numa rent-a-car e num restaurante para se conseguir conhecer a ilha montanha; é melhor reservar o Pico (literalmente), senão... também pode já estar esgotado!

Haja saúde!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!