sexta-feira, 29 de abril de 2016

Regata José Fula


O Clube Naval de São Roque do Pico vai organizar em 2016 um conjunto de regatas à vela com os 4 botes baleeiros sediados em São Roque do Pico, sendo que cada um destes eventos assumirá o nome "Regata José Fula", homenageando assim não só este antigo baleeiro (biografia em anexo) mas também outros que o acompanharam e seguiram.

Com início no dia 1 de maio e término em setembro, o calendário previsto para as regatas em questão encontra-se em anexo, ressalvando que as datas poderão ser alteradas devido às condições meteorológicas.

Com partida e chegada na baía do Cais do Pico, cada "Regata José Fula" terá um duplo propósito:
  • Por um lado, pretende-se dinamizar o património baleeiro de São Roque do Pico, cuja zona do Cais do Pico foi um dos principais polos da baleação nos Açores e cujo expoente máximo é a antiga "Fábrica da Baleia" (hoje transformado no Museu da Indústria Baleeira) - unidade fabril que foi o maior e mais importante complexo de transformação e processamento de cachalotes dos Açores;
  • Por outro lado, pretende-se mostrar às pessoas, sobretudo aos turistas, o navegar do bote baleeiro açoriano - uma das embarcações mais emblemáticas de todo o mundo.
Para alcançar este último objetivo, o Clube Naval de São Roque do Pico irá organizar viagens a bordo da "Garota", uma "gasolina" que no passado rebocou inúmeros botes e baleias. Esta embarcação irá agora permitir uma experiência única de observar regatas inesquecíveis, estando o observador em pleno mar e também dentro de património baleeiro.

Haja saúde!

[Horário das regatas de maio disponível no final deste post.]
[Links sobre a regata de 1 de maio: fotos 1 | fotos 2 | fotos 3.]
[Links sobre a regata de 12 de maio: fotos 1 | fotos 2 | vídeo | classificação.]
[Links sobre a regata de 18 de junho: classificação.]



Biografia de José Fula

Nasceu na freguesia de Santo António, concelho de São Roque do Pico, a 6 fevereiro de 1929.
José Fula foi um oficial baleeiro que marcou a história da baleação na ilha do Pico. Filho de Francisca Hermínia Maciel e de Manuel Francisco Fula, era o mais velho de 7 irmãos, todos baleeiros.
Em 1943, aos catorze anos de idade, iniciou-se na atividade baleeira com o pai nas Armações Baleeiras do Cais do Pico. Foi remador, trancador, oficial baleeiro e pescador.
Em setembro de 1957 ocorre a erupção do Vulcão dos Capelinhos, na ilha do Faial, a qual manteve-se em atividade por 13 meses e levou ao abandono da estação baleeira ali próxima, no porto do Comprido, o que levou a que um grande número de baleeiros, tanto do Faial como do Pico, emigrasse para os Estados Unidos e para o Canadá, contribuindo naturalmente para a redução da caça à baleia.
José Fula, um homem do mar, não desiste e, juntamente com os poucos baleeiros existentes, mantém-se na atividade até ao ano de 1973. Com o seu trancador, António Augusto da Costa, e uma entusiástica companha, naquele ano fez a proeza de caçar 51 baleias, tendo num só dia caçado 4.
Foi um dos oficiais baleeiros naquela que foi a primeira regata do canal Cais do Pico/Velas/Cais do Pico, ao comando do bote "Castelete" do Clube Naval de São Roque do Pico, instituição que organizou a regata aquando das comemorações dos 450 anos da elevação a Vila de São Roque do Pico, a 20 e 21 de junho de 1992.
Competiu até 1999 (até aos 70 anos) e faleceu em 2002.
Há gente desta terra que nunca morre, outras que não desistem, ficando assim a sua memória presente durante gerações.
Depois da sua partida comemoramos os seus feitos, inspirando-nos na continuidade da sua obra e de tantos outros que o acompanharam e seguiram.



Calendário "Regata José Fula"




Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!