terça-feira, 7 de abril de 2020

A ferida na montanha e o novo regulamento de acesso


A erosão e o aumento de turistas a querer subir ao ponto mais alto de Portugal estão a deixar marca na montanha da ilha do Pico, quase como uma ferida que até já é visível em imagens de satélite disponibilizadas no Google Maps [exemplos em anexo].

Face a esta realidade, estão em curso algumas intervenções nos troços do trilho, no sentido de atenuar a erosão e melhorar as características do percurso, incluindo a reposição e marcação dos marcos do trilho. As intervenções prevêem um reforço do trilho para assegurar que as pessoas que sobem à montanha autonomamente – isto é, sem guia – não se desviem por outros caminhos, de forma a minorar os danos na montanha. Estes trabalhos surgem através de um protocolo entre a Direcção Regional do Ambiente e a Associação de Guias de Montanha dos Açores (AGMA), fruto também de um projeto vencedor do Orçamento Participativo dos Açores de 2018.

Por outro lado, o mais recente Regulamento de acesso à Reserva Natural da Montanha do Pico (publicado na Portaria n.º 25/2020, de 11 de março de 2020 e que entrou em vigor no passado dia 1 de abril de 2020) pretende aumentar a segurança dos visitantes e a preservação do património natural. As principais novidades introduzidas no regulamento de acesso ao ponto mais alto de Portugal são as seguintes:
  • A exigência das empresas disponibilizarem, pelo menos, um Guia de Montanha por cada grupo de 12 visitantes, quando o limite até agora era de 15 visitantes por guia;
  • A redução do tempo máximo de permanência, assim como um aumento da taxa de acesso ao Piquinho, a zona mais vulnerável da Montanha do Pico;
  • O alargamento do período de funcionamento da Casa da Montanha nos meses de abril e maio, simultaneamente com a interdição de subidas fora dos períodos em que está aberta ao público (salvo tratando-se de visitantes com guia credenciado ou que sejam residentes nos Açores);
  • A possibilidade de os visitantes autónomos efetuarem reservas através de uma plataforma eletrónica.

Mais informações sobre o acesso à montanha do Pico podem ser encontradas em:


Haja saúde!




Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!