domingo, 20 de dezembro de 2015

Atracagem "à moda antiga" no porto da Madalena

Ontem (sábado, dia 19 de dezembro de 2015) esteve um dia com o mar bastante bravo junto à costa da ilha do Pico: ondas com cerca de 6 metros do quadrante oeste. Devido a estas condições meteorológicas adversas, a Atlânticoline cancelou várias ligações marítimas: as viagens da Linha Verde e quase todas viagens da Linha Azul (7h30, 10h45 e 13h15) [nota para o facto de os comunicados relativos a estes cancelamentos nunca terem sido divulgados na página oficial da Atlânticoline, constando apenas na página de Facebook associada a esta empresa].

O porto da Madalena foi inclusivamente encerrado à navegação ao início da tarde (cerca das 12h30), tendo este porto da ilha do Pico sido reaberto algumas horas depois (cerca das 16h30). Após estarem reunidas as condições de segurança necessárias para serem realizadas viagens entre as ilhas do Pico e do Faial, a Atlânticoline decidiu realizar a última viagem programada para a Linha Azul (cerca das 17h15) [recorde-se que todos os horários dos navios que servem regularmente a ilha montanha podem ser encontrados no separador "Barcos" deste blog].

Numa altura em que muitos questionam se as obras do novo terminal marítimo da Madalena vieram ou não aumentar a percentagem de cancelamentos das ligações marítimas de passageiros entre o Pico e o Faial, a verdade é que o navio Mestre Simão efetuou uma viagem bastante agradável, atendendo ao estado do mar, estando de parabéns o mestre e a restante tripulação por terem efetuado um importante serviço público. No final deste post apresentam-se algumas imagens desta operação.

No entanto, não deixa de ser curioso que, ao chegar ao interior da baía da Madalena, o navio atracou no antigo cais onde os velhinhos Cruzeiros operaram longos anos, tendo os passageiros desembarcado por uma saída lateral da embarcação, ao invés da rampa ro-ro. Assim, e longe da nova gare marítima, assistia-se ao movimento das pessoas que desembarcavam uma a uma através de uma pequena rampa, as quais eram logo acolhidas pelos seus familiares e finalmente aguardavam as bagagens de porão que eram colocadas uma a uma no chão - por outras palavras, foi uma atracagem "à moda antiga", fazendo lembrar os tempos idos da operação dos Cruzeiros, da Espalamaca, etc.

Alguns saudosistas apreciavam com carinho este momento, enquanto outras pessoas comentavam "antigamente é que era bom". Provavelmente é exagerado dizer-se que a situação anterior era melhor, mas a verdade é que para transportar pessoas com sucesso, por via marítima, entre as duas ilhas dos Açores mais próximas entre si, foi preciso recorrer "à moda antiga"!

Haja saúde!


Sem comentários:

Publicar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!