quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Audioguias no Museu da Indústria Baleeira? Você decide!


[Post scriptum: esta foi uma das propostas vencedoras — para saber mais clique aqui.]

No âmbito do Orçamento Participativo dos Açores 2018, a primeira anteproposta que foi submetida a nível regional está associada a um importante património da ilha montanha, nomeadamente ao Museu da Indústria Baleeira — antiga Fábrica da Baleia Armações Baleeiras Reunidas, Lda., em São Roque do Pico, o primeiro museu industrial público dos Açores e aquele que foi o maior e mais importante complexo de transformação e processamento de cachalotes dos Açores.

Mais concretamente, a ideia passa por equipar este museu com audioguias, o que traria várias vantagens, como por exemplo:
  • Os audioguias permitem cativar e prender os visitantes a um museu, para além de os encaminhar num determinado percurso sem este ter de estar assinalado ou ter de ser acompanhado;
  • Estes dispositivos permitem também explicar pequenos detalhes que provavelmente não merecem uma placa dedicada (tais como os riscos de giz na "Fábrica da Baleia");
  • Com um audioguia podem ser adicionados sons que permitem dar vida a uma peça em exposição (ex., ao explicar a oficina do ferreiro, ouvir-se-ia o som do ferro a ser moldado) ou mesmo dar voz a quem já faz parte da história (pequenas histórias da baleação contadas por antigos baleeiros);
  • Ouvir a explicação do museu na língua nativa do turista leva a que este se sinta mais próximo do que se pretende transmitir, permitindo aproximar os turistas da perceção e entendimento do valor cultural e patrimonial presente no museu;
  • Os audioguias também permitem mostrar o museu a invisuais, permitindo uma maior inclusão na sociedade;
  • Os audioguias dão origem a menos "poluição visual" de placas informativas, mantendo a autenticidade de um espaço histórico que se pretende preservar.

Esta ideia foi aprovada como proposta em votação no Orçamento Participativo dos Açores 2018, sendo que qualquer pessoa pode votar na mesma até ao dia 30 de setembro de 2018. Para isso, basta recorrer à informação que consta no Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade e proceder de uma de duas formas:
[Nota: em ambos os casos deverá ser indicado todos os dígitos do número de identificação civil do Bilhete de Identidade ou, no caso do Cartão de Cidadão, todos os números e caracteres do número de identificação civil.]

Em suma, preservar e dar a conhecer esta "Fábrica da Baleia", da forma mais autêntica possível, é fácil e está nas suas mãos; para isso basta votar!

Haja saúde!

[Post scriptum: esta foi uma das propostas vencedoras — para saber mais clique aqui.]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Para evitar perder a ideia do comentário, sugere-se que escreva primeiro o mesmo num editor de texto e depois copie para aqui; assim, se ocorrer algum erro (por vezes não funciona à primeira), tem sempre cópia do seu texto.

Muito obrigado por comentar neste blog! Haja saúde!