sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Cordas 2018 — Festival de Músicas do Mundo


De 12 a 16 de setembro de 2018, a ilha do Pico recebe a terceira edição do "Cordas", festival dedicado aos instrumentos de corda a nível mundial.

A abertura do festival dá as boas vindas ao regresso de Beselch Rodriguez e Marco del Castillo, que participaram na primeira edição do festival. Desta vez, os músicos das Canárias vêm acompanhados por Germán López que vem reforçar a presença do Timple, o instrumento típico originário do arquipélago espanhol. Maija Kauhanen estreia em Portugal apresentando um típico e antigo instrumento de cordas do folclore finlandês, o Kantele, para o concerto de sábado à noite. Maija foi um dos sucessos musicais do Womex 2017, a maior feira de músicas do mundo.

O encerramento desta terceira edição é dedicado aos músicos dos Açores, que desde já estão todos convidados para o convívio, domingo à tarde, na MiratecArts Galeria Costa. O concerto final será no Auditório da Madalena e abraça as Violas dos Açores, um programa da Associação de Juventude Violas da Terra, liderado pelo mestre Rafael Carvalho. A viola de arame dos Açores, Viola da Terra, continua a ser o destaque e razão da criação deste festival que já ocupa lugar nas listas de festivais de músicas do mundo.

Com eventos marcados em localidades como o "Santuário dos Dragoeiros", no Museu do Vinho, e ainda apresentações no "centro da terra" na Gruta das Torres, o Festival Cordas recebeu nomeações para Melhor Pequeno Festival, Melhor Programação e ainda Melhor Promoção Turística nos Prémios Ibéricos 2018, depois de ter conseguido ficar na lista dos TOP10 Melhores Novos Festivais na edição anterior.

Aqui fica o programa do "Cordas 2018", sendo que mais informações podem ser obtidas através do seguinte link: www.festivalcordas.com

Haja saúde!

Quarta, 12 set:
- 18h00 Abertura da Exposição de Andreia Sousa (São Miguel) - Atlântico Teahouse
- 21h00 Half Step Down (Pico) - Auditório da Madalena (entrada/lobby)
- 21h00 Pintura ao Vivo por artista em residência, Andreia Sousa - Auditório da Madalena (entrada/lobby)
- 21h30 Timples: Gérman López, Beselch Rodríguez e Marco del Castillo (Canárias) - Auditório da Madalena

Quinta, 13 set:
- 10h00 Cordas nas Escolas
- 12h30 Rabeca, Carolina Umbelino (Brasil) - Museu do Vinho
- 18h00 Resonator Guitar, Pieter Adriaans (Holanda) - Gruta das Torres
- 21h30 Guitarra Clássica, Rogério Cardoso Pires (Lisboa) - Museu dos Baleeiros, Lajes do Pico

Sexta, 14 set:
- 10h00 Cordas na ECCN
- 12h30 Guitarras, João da Ilha (Terceira) - Museu do Vinho
- 18h00 Gretsch eletromatic, Bruno da Rosa (Pico) - Gruta das Torres
- 19h30 Conversa de Artistas - Cella Bar

Sábado, 15 set:
- 11h30 Improv com vários artistas - Lagoa do Capitão
- 14h00 Talk: Experiência Pico & Cordas - Caffé Cinq
- 18h00 9 ilhas 2 corações: CD, exposição e conversa com Rafael Carvalho (São Miguel) - Galeria A Brasa (ao lado do Hotel Caravelas)
- 21h30 Kantele, Maija Kauhanen (Finlândia) - Auditório da Madalena

Domingo, 16 set:
- 14h00 PICOWINES na MiratecArts Galeria Costa, Candelária
- 15h00 Solos, duos, grupos em concertos acústicos e ao ar-livre incluindo músicos já confirmados da: Casa da Música da Candelária, Grupo de Tocadores da Viola da Terra de São Jorge, Trio da Associação dos Músicos da Ilha Branca e Associação de Juventude Viola da Terra; para participar, é só aparecer com teu instrumento de cordas e te juntares na hora das desgarradas e chamarritas - MiratecArts Galeria Costa, Candelária
- 19h00 Dialogo sobre o Dia da Viola da Terra - Atlântico Teahouse
- 21h30 Violas dos Açores: Bruno Bettencourt (Terceira), José João Mendonça (Graciosa), Manuel "Canarinho" (Pico), Rafael Carvalho (São Miguel), Renato Bettencourt (São Jorge) - Auditório da Madalena























quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Pico em destaque no 'The New York Times'


O prestigiado jornal norte-americano 'The New York Times' decidiu dar a conhecer aos seus leitores alguns dos sabores icónicos dos Açores, nomeadamente café, queijo, vinho e chá. A resiliência e reinvenção dos açorianos são também enaltecidos, de forma a demonstrar como um povo a viver em ilhas remotas no meio do Atlântico conseguiu sobreviver a vulcões, terramotos e furacões, criando uma verdadeira experiência açoriana que se orgulham de partilhar com quem os visita.

No artigo entitulado "In the Azores, the Menu includes Coffee, Tea and Tradition — there’s Wine and Cheese too, in these remote Islands in the Atlantic Ocean", a ilha do Pico merece um enorme destaque pela sua tradição vitivinícola; por exemplo, um dos parágrafos resume muito bem a mestria do picaroto em fazer vinho a partir de terreno inóspito:
Ao invés de serem prejudicados por uma superabundância de rocha vulcânica, os açorianos usaram-nas em proveito próprio. As paredes de basalto negro protegem as vinhas do vento e da água do mar e mantêm-nas aquecidas com o calor retido do sol.
Este é mais um reconhecimento da vinha e do vinho do Pico, sendo que a primeira é hoje Património Mundial da Humanidade e o segundo mantém a qualidade do produto que chegou à mesa do Papa e às cortes europeias, com destaque para os Czares da Rússia.

Haja saúde!

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Radar da PSP no Pico — agosto 2018


Segundo a PSP, neste mês de agosto de 2018 serão efetuadas algumas operações de controlo de velocidade por radar na ilha do Pico, nomeadamente em:

  • 29 de agosto (quarta-feira) / 08h00 / Bandeiras (Madalena).

Haja saúde!

domingo, 26 de agosto de 2018

Andamento da substituição de cabeços no Porto do Cais do Pico (7)


Apresenta-se, em anexo, um conjunto de fotografias (datadas de 20 de agosto de 2018) onde é possível ter uma panorâmica do andamento da empreitada de substituição de cabeços no Porto do Cais do Pico, localizado na vila de São Roque do Pico [link para imagens mais antigas].

Recorde-se que esta obra teve o seu início em novembro de 2017 [link sobre o assunto], sendo que a primeira fase, a qual implicou que a respetiva rampa ro-ro ficasse inoperacional durante largos meses, ficou concluída em maio de 2018 [link sobre o assunto].

Haja saúde!




sábado, 25 de agosto de 2018

Pico em destaque no turismo na primeira metade de 2018


O Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) divulgou recentemente a publicação do Turismo de janeiro a junho de 2018, contendo, para além da Hotelaria Tradicional, informação sobre o Turismo no Espaço Rural e as outras tipologias turísticas, nomeadamente o Alojamento Local e as Pousadas de Juventude. Estes dados permitem fazer um balanço da evolução do turismo no arquipélago açoriano, nomeadamente através da comparação com o período homólogo do ano anterior.

Assim, e atendendo às dormidas — um dos indicadores mais utilizados na análise do turismo pois, regra geral, é diretamente proporcional ao proveito para a economia regional — o gráfico seguinte apresenta, por ilha, a taxa de variação homóloga referente ao 1º semestre de 2018 (versus o mesmo período de 2017).


Como se pode observar, quatro ilhas cresceram acima da média regional (5,3%), mais concretamente Corvo (14,3%), Pico (14,1%), Flores (11,7%) e Terceira (7,5%); por outro lado, apenas a ilha do Faial registou um decréscimo no número de dormidas na primeira metade de 2018 face ao período homólogo de 2017.

De referir ainda que, segundo informação fornecida pelo SREA, de janeiro a junho de 2018, o Alojamento Local foi a tipologia que apresentou a maior taxa de crescimento, com 32,5%, enquanto a Hotelaria Tradicional registou 0,2%.

Deste modo, e considerando a importância que o Alojamento Local teve no cômputo geral das dormidas, vale a pena analisar a distribuição, por ilha, em termos de camas oferecidas nesta tipologia de estadia — isto permite perceber que ilhas poderão tirar melhor partido da procura pelas unidades de Alojamento Local. Consultando os dados disponíveis no site da Direção Regional do Turismo, nos Açores existem (à data de agosto de 2018) 11.220 camas registadas, distribuídas por ilha da forma indicada no gráfico seguinte.


Mais concretamente, o pódio é ocupado pela ilha de São Miguel (49% das camas de Alojamento Local nos Açores), seguindo-se Pico e Terceira em ex aequo (16% cada uma). Por outro lado, é curioso observar como o "Triângulo" (São Jorge, Pico e Faial, onde reside cerca de 15% da população dos Açores), regista cerca de 30% das camas de Alojamento Local açorianas — destacando-se aqui a ilha montanha por ter mais de metade destas camas (além de que é a segunda ilha com menos população das três do "Triângulo").

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

Post scriptum: Este texto foi igualmente publicado na edição n.º 41.654 do 'Diário dos Açores', de 28 de agosto de 2018.

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Nova iluminação no Cais do Pico


Encontra-se a ser instalado no Cais do Pico, vila de São Roque do Pico, uma nova iluminação pública. Mais concretamente, nas ruas circundantes ao Jardim e à Biblioteca Municipal, estão a ser substituídas as antigas luminárias amarelas por LEDs, os quais permitem uma poupança na fatura elétrica, além de uma luz mais eficiente e clara — fotos em anexo.

Recorde-se que, em 2016, São Roque do Pico foi pioneiro nos Açores em iluminação pública de última geração. Aliando este dado histórico a esta renovação atual, é de salutar a respetiva contribuição para um melhor benefício, quer para o ambiente, quer para a população.

Haja saúde!





quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Eis o grooving do aeroporto do Pico em ação


No dia 22 de agosto de 2018, pelas 17h, a pista do Aeroporto da ilha do Pico encontrava-se molhada devido à chuva. Nessa mesma altura preparava-se para aterrar o voo S4 143, proveniente de Lisboa. Ora bem, num passado não muito distante, o Airbus A320 (que efetua a rota entre a capital portuguesa e a ilha montanha) teria menos condições de operacionalidade devido a pista molhada, o que chegou a implicar o cancelamento de várias aterragens.

Contudo, e graças à recente implementação de grooving na pista do aeroporto do Pico, não só é agora notório como a pista fica com menos quantidade de água na sua superfície quando chove, mas também os aviões têm melhor aderência ao piso, o que aumenta consideravelmente as condições de operacionalidade quando a pista está molhada.

Assim, e como o registo vídeo em anexo comprova, um qualquer avião consegue aterrar com melhores condições no Pico em dias de pista molhada, o que implica menos cancelamentos e um melhor serviço, trazendo benefícios quer para as companhias aéreas, quer para os passageiros.

Recorde-se que, em setembro de 2016, os promotores da petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico" identificaram que esta infraestrutura aeroportuária picoense (a maior que é totalmente detida pela Região) beneficiaria, e muito, se a sua pista fosse aumentada (objetivo atualmente pendente) e se nela fosse implementado o grooving. Esta última empreitada veio comprovar como o trabalho de identificação das condicionantes do Aeroporto da ilha do Pico estava correto por parte dos peticionários, ou seja, se o grooving já cumpre o seu propósito de reduzir os cancelamentos em dias de chuva, falta o aumento da pista para se atingir o objetivo de reduzir os cancelamentos em dias de vento, bem como uma operação sem limitações por parte dos aviões mais utilizados no mundo inteiro (aeronaves das famílias Airbus A320 e Boeing 737).

Haja saúde!

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

A (renovada) Árvore do Desejo


Quem passa pela araucária junto ao Convento de São Pedro de Alcântara, no Cais do Pico — vila de São Roque do Pico — tem a oportunidade de pedir um desejo, pois esta é a Árvore do Desejo!

Recordando um pouco de como esta árvore atingiu este estatuto, tudo começou com a descoberta de que do outro lado do mundo (literalmente!), no Jardim Botânico Real de Sydney (Austrália), existe uma árvore "irmã": é da mesma espécie, tem cerca da mesma idade e partilham uma história de vida semelhante — durante a juventude destas árvores, ambas sofreram tempestades que danificaram as respectivas copas; ambas sobreviveram e hoje são marcos da paisagem, tanto em Sydney como no Cais do Pico.

Estas curiosidades foram transmitidas, por mim, aos responsáveis do Jardim Botânico Real de Sydney, sugerindo também que fossem conhecidas por todos os visitantes daquele jardim. Pois bem, estes responsáveis não só tiveram a amabilidade de responder ao meu e-mail, como também consideraram a sugestão de adicionar informação sobre a árvore "irmã" localizada deste lado do mundo, na ilha montanha.

Por outro lado, a araucária de Sydney é também conhecida por conceder desejos seguindo instruções muito simples:
  1. Fechar os olhos e pedir um desejo;
  2. Abrir os olhos e andar para a frente à volta da árvore três vezes;
  3. Andar de costas à volta da árvore três vezes e, na última volta, pedir de novo o desejo.
Atendendo às mais que muitas semelhanças entre as araucárias de Sydney e do Cais do Pico, para pedir um desejo não é preciso ir ao outro lado do mundo, basta ir ao adro do Convento de São Pedro de Alcântara!

Perante tudo isto, decidi entrar em contacto com as entidades regionais competentes, a fim de obter autorização para colocar uma placa informativa junto da araucária do Cais do Pico, de forma a perpetuar a história desta árvore e dar a conhecer a árvore "irmã" de Sydney — estávamos em meados de 2014 e, graças ao apoio das empresas Lavaimagem e Sousa & Filho, foi possível fazer esta oferta à comunidade, culminando com a colocação da placa informativa, tal como descrito no post "A Árvore do Desejo | The Wishing Tree".

Ao longo destes últimos anos, inúmeras pessoas cumpriram as instruções, deram as voltas necessárias e pediram desejos no adro do Convento de São Pedro de Alcântara, no Cais do Pico [vídeo explicativo de todo o procedimento] — em determinada altura, houve até um pequeno guardião da Árvore do Desejo. Contudo, a ação do vento e da chuva contribuíram para que a placa original se degradasse, o que não dignificava este importante marco histórico, cultural e paisagístico da vila de São Roque do Pico.

Pois bem, e novamente graças às empresas supramencionadas, chegou a hora de conceder também um desejo à araucária do Cais do Pico e lhe renovar a placa informativa, de forma a valorizar devidamente esta Árvore do Desejo e a sua história [mais informações sobre a história de vida desta araucária].

Por fim, a (renovada) Árvore do Desejo encontra-se, como sempre, disponível para receber todos aqueles que a queiram visitar e lhe pedir um desejo, bastando, para isso, ir junto ao Convento de São Pedro de Alcântara, no Cais do Pico — vila de São Roque do Pico.

Haja saúde!




terça-feira, 21 de agosto de 2018

Vista aérea da Prainha (vídeo)


Apresenta-se, de seguida, um vídeo da autoria de António Faria, datado de 14 de agosto de 2018, o qual mostra imagens aéreas da freguesia da Prainha, concelho de São Roque do Pico.

Haja saúde!

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Estará um tesouro (alienígena) escondido em São Miguel Arcanjo?


Segundo crença popular, nos extremos de um arco-íris estão escondidos diversos tesouros. Atendendo a que, no passado dia 17 de agosto de 2018, apareceu um forte arco-íris a "nascer" no lugar de São Miguel Arcanjo, vila de São Roque do Pico, a questão que se põe é: estará um tesouro escondido em São Miguel Arcanjo?

Esta não é uma pergunta descabida já que, embora seja natural ocorrerem arcos-íris um pouco por todo o lado, existe uma concentração anormal deste fenómeno da natureza neste lugar de São Miguel Arcanjo — ver artigos relacionados: Arco-íris nasce em São Miguel Arcanjo | Cabeço de São Miguel Arcanjo ganha novo penteado.

Além disso, é preciso não esquecer que foi precisamente em São Miguel Arcanjo que ocorreu, em 1973, um dos mais significativos avistamentos OVNIS em Portugal — link para mais informações sobre o caso Miguel Cantoneiro. Adicionalmente, recorde-se que a equipa do UFO Portugal validou um outro invulgar avistamento que teve lugar bem recentemente na ilha montanha — ver artigo relacionado: OVNI sobrevoa a ilha do Pico.

Por outro lado, não deve ser esquecido que, em 2014, teve lugar uma grande derrocada em São Miguel Arcanjo, a qual movimentou uma massa considerável de terra (link para mais informações sobre este acontecimento); há quem já pondere que se tratou de uma força superior a tentar esconder o tesouro (e a desincentivar a busca pelo mesmo).

Sendo tudo isto verdade ou não, o melhor é continuar a seguir atentamente a webcam em direto da SPOTAZORES referente a São Roque do Pico (com São Miguel Arcanjo ao fundo), pois como diz o outro "Eu não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem!"...

Haja saúde!



São Roque do Pico em direto

sábado, 18 de agosto de 2018

2018 promete dar três vezes mais uvas no Pico do que no ano passado


A vindima já começou na ilha do Pico. As expetativas dos viticultores são elevadas, pois prevê-se uma produção de uvas em 2018 três vezes superior à do ano passado, quebrando-se assim um ciclo de maus anos de produção de vinho na ilha montanha.

Mesmo assim, não será um ano excelente devido às inúmeras pragas que afetaram as vinhas, tal como revelaram alguns produtores na reportagem em anexo da RTP-Açores.

Haja saúde!