sábado, 29 de julho de 2017

Atracagens por estibordo no Porto do Cais do Pico


Em plena sexta-feira do Cais Agosto 2017, o Porto do Cais do Pico recebeu a visita de inúmeros navios, incluindo várias escalas extra de navios de passageiros de forma a trazer ainda mais pessoas às maiores festas de São Roque do Pico.

Contudo, o dia 28 de julho de 2017 registou uma particularidade muito mais rara... Quem usualmente observa o movimento de navios no principal porto comercial da ilha montanha sabe que, regra geral, os navios atracam por bombordo: sejam navios porta-contentores, de passageiros, cruzeiros, tanque ou mesmo militares, todos eles costumam ficar com a proa virada para o molhe do porto.

Pois bem, e tal como as imagens em anexo comprovam, o navio de carga "Lagoa" inverteu a tradição e atracou por estibordo (proa virada para terra), tendo o "Cruzeiro do Canal" imitado esta manobra e atracado em simultâneo por volta das 19h.

Esta é mais uma prova da versatilidade do Porto do Cais do Pico — infraestrutura esta que já foi considerada como sendo um porto do outro mundo!

Haja saúde!

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Primeiro voo noturno Pico - Lisboa da SATA


Na passada quarta-feira, 26 de julho de 2017, as condições meteorológicas não foram as mais favoráveis para a operação de aviões nas ilhas do Pico e do Faial. Por um lado, e devido ao nevoeiro na ilha azul, dois voos da SATA Air Açores tiveram de divergir para a ilha montanha. Por outro lado, o voo Lisboa - Pico, da Azores Airlines (do grupo SATA também), não conseguiu aterrar no Pico devido à pista estar bastante molhada, tendo divergido para São Miguel antes de rumar de novo à ilha montanha.

Esta sucessão de acontecimentos originou mais um momento marcante para a história do Aeroporto do Pico: como o Airbus A320 proveniente de Lisboa apenas chegou ao Pico às 20h35, ou seja, quase na hora do pôr-do-sol (limite máximo para a operação atual deste tipo de aeronaves no aeroporto da ilha montanha), a descolagem deu-se já em período noturno. Por outras palavras, registou-se o primeiro voo 100% noturno da SATA entre a ilha montanha e a capital portuguesa!

Paralelamente, as divergências registadas comprovaram mais uma vez que a petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico" faz todo o sentido: o aeroporto da ilha montanha esteve sempre operacional para aeronaves de menor porte (Bombardier Q200 e Q400) mas não para as aeronaves de médio curso (Airbus A320), tudo porque, para o mesmo comprimento de pista, os aviões mais pequenos têm mais espaço de manobra para aterrarem no Pico, enquanto os aviões maiores se vêm obrigados a não aterrar devido a não existir atualmente formas de tentar compensar os efeitos da chuva neste aeroporto!

Haja saúde!

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Rescaldo da visita de 2017 do Governo Regional à ilha do Pico


Terminou ontem (quarta-feira, 26 de julho) a visita estatutária anual do Governo Regional à ilha do Pico. Nesta visita de 2017 não faltaram as habituais inaugurações, visitas a obras em curso e promessas para o futuro, entre outros. De seguida apresenta-se um resumo desta mesma visita.

Na área da saúde, o Governo prevê que no início do próximo ano esteja em funcionamento uma unidade de hemodiálise no Centro de Saúde da Madalena, o que irá permitir que os utentes do Pico deixem de ter de se deslocar ao Hospital da Horta, na ilha do Faial, para efetuar os respetivos tratamentos [notícia | som 1 | som 2 | vídeo]. Adicionalmente, foi efetuada a assinatura do contrato da empreitada de remodelação do Centro de Saúde das Lajes do Pico, prevendo-se que, daqui a um ano, esta unidade passe a estar dotada de melhores condições de internamento, com novos espaços, como um centro de fisioterapia, um refeitório, um gabinete de medicina dentária e um gabinete de deslocação de utentes e reembolsos [notícia | som | foto 1 | foto 2].

No que respeita às acessibilidades à ilha do Pico, o Presidente do Governo garantiu que, até final deste ano, será lançado o concurso para a intervenção de 'grooving' na pista no Aeroporto do Pico — ranhuras que facilitam o escoamento da água e aumentam a aderência das aeronaves à pista. Por outro lado, o chefe do executivo açoriano adiantou que não está prevista qualquer intervenção ou investimento quanto à ampliação da pista deste aeroporto [notícia 1 | notícia 2 | mais informações sobre a petição "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico"]. Sobre as acessibilidades marítimas, Vasco Cordeiro anunciou que na próxima semana se irá proceder ao lançamento do concurso público da empreitada de recuperação do molhe do porto comercial da Madalena (que havia sido destruído no temporal de fevereiro passado) [notícia 1 | notícia 2 | som].

No âmbito da solidariedade social e afins, destaque para a inauguração do Centro de Noite da Piedade, um investimento que permitir duplicar a capacidade deste lar de idosos [notícia | som | foto 1 | foto 2]. O Governo efetuou também a entrega do primeiro equipamento de teleassistência, um serviço telefónico de apoio destinado aos idosos açorianos que visa garantir o auxílio imediato em situações de risco ou emergência [notícia | foto | mais informações sobre o serviço de teleassistência].

No setor da agro-pecuária, foi anunciado que brevemente iniciar-se-á a intervenção de melhoria no caminho dos Matos de São João, bem como a limpeza e impermeabilização da Lagoa do Paúl deverá estar concluída dentro de seis meses; estes são investimentos aliados a outros já em curso e que pretendem melhorar as condições de trabalho dos agricultores, encurtar distâncias e reduzir custos associados ao setor [notícia | som 1 | som 2 | foto 1]. Além disso, o Governo vai apoiar a aquisição e instalação de um túnel de congelação e um detetor de metais na sala de desmancha do Matadouro da ilha do Pico, entidade esta que, em 2016, registou uma exportação de 65% das carcaças abatidas e aprovadas para consumo [notícia | som | foto 1 | foto 2]. Relativamente ao setor das pescas, foi afirmado que até ao final deste mês será conhecido o projeto para a empreitada de reabilitação do Entreposto Frigorífico da Madalena, prevendo-se, depois, um prazo de execução de 18 meses [notícia | foto].

Outros assuntos merecem uma nota de destaque, tais como os investimentos destinados à prevenção e segurança das populações e bens. Mais concretamente, foi inaugurada a obra de proteção contra o perigo de inundação por parte da Ribeira da Areia na freguesia da Prainha, sendo que neste momento ainda decorrem mais duas empreitadas semelhantes, nomeadamente a construção de passagem hidráulica sob a Rua do Meio e retenção de fluxos na Ribeira do Dilúvio e a empreitada de mitigação dos riscos de fluxos das ribeiras Grande e Nova, ambas na freguesia de São Caetano [notícia | som | foto 1 | foto 2]. O Governo visitou ainda as obras de ampliação do Quartel de Bombeiros das Lajes do Pico, as quais deverão estar concluídas no primeiro semestre do próximo ano [notícia | som | foto 1 | foto 2].

Antes de terminar a visita de 2017 do Governo Regional à ilha do Pico, e através do Comunicado do Conselho do Governo (que reuniu na ilha montanha) [comunicado na íntegra em anexo], ficou-se a saber do apoio do executivo açoriano à candidatura da Cultura da Baleia a património da UNESCO — este processo, liderado pelo Município das Lajes do Pico, pretende abranger também a ilha do Pico e determinados espaços do arquipélago, classificando assim esta vasta, riquíssima e singular cultura, que tanto significa para a Região Autónoma dos Açores.

Finda que está mais uma visita do Governo Regional dos Açores à ilha montanha, mantém-se a tradição de vários anúncios de novidades e de planos futuros. Contudo, há um projeto que mantém também uma tradição, mais concretamente o facto de ser adiado ano após ano: o novo terminal de passageiros de São Roque do Pico — uma das obras mais estruturantes para a ilha montanha, em particular, e para o "Triângulo", em geral. À semelhança da visita estatutária do ano passado, o executivo regional tornou a afirmar sobre este assunto que "é preciso fazer mais estudos", protelando mais uma vez qualquer solução concreta. É por estas e por outras que, por mais que se sinta que o Pico está na moda, nalgumas matérias continua a ser... a ilha do futuro!

Haja saúde!

Comunicado do Conselho do Governo reunido no Pico (julho de 2017)

quarta-feira, 26 de julho de 2017

"Gilberto das Lanchas"


Gilberto Mariano da Silva foi um picaroto que dedicou a sua existência ao Canal e às suas gentes. Nascido em 15 de fevereiro de 1909, na Madalena, ilha do Pico, e falecido em 11 de maio de 1991, "Gilberto das Lanchas", como era carinhosamente conhecido, fez da entrega diária de encomendas, valores e mensagens, do Pico para o Faial e vice-versa, o seu modo de vida.

Mais concretamente, e com a habitual simpatia que o caraterizava, Gilberto fazia o transporte de cartas, de remessas de dinheiro para os bancos, dos famosos cabazes do Pico e de encomendas da vila da Madalena para a cidade da Horta, tendo como principais destinatários os estudantes picarotos do Liceu da Horta. No regresso à Madalena, transportava mais cartas, remédios e toda uma série de "recados" que lhe eram pedidos.

Era um homem simples e bom e, apesar de não saber ler nem escrever, ajudou um sem-número de estudantes do Pico a completarem com sucesso os seus estudos.

Por tudo isto e muito mais, Gilberto Mariano da Silva foi homenageado por diversas entidades públicas, tais como Câmaras Municipais, Assembleia Legislativa dos Açores e Presidente da República. Além disso, um dos navios da Atlânticoline foi batizado com o seu nome.

Para culminar, desde o dia 25 de julho de 2017 que a figura do "Gilberto das Lanchas" marca presença constante entre a Gare Marítima e o Porto Velho da Madalena, através de uma estátua que constitui uma homenagem do povo do Pico aos homens do Canal.

Haja saúde!

Post scriptum: Reportagem RTP-Açores sobre a inauguração da estátua.


terça-feira, 25 de julho de 2017

Na zona de observação de baleias mais famosa do mundo


O documentário "Uma viagem à vida marinha do Pico" (no original em alemão: "Eine Reise zu den Meeresbewohnern Picos"), da autoria de Alexander Sass e datado de 2011, tem estado recentemente em exibição no Canal Odisseia sob o nome "Os Açores". Segundo o autor, "viajar para o arquipélago açoriano é como viajar para o paraíso", sendo que o documentário aborda concretamente ao Pico por ser uma ilha "conhecida pelo delicioso vinho, pedra negra e muitas baleias".

As imagens captadas da fauna e da flora são fascinantes, sobretudo no que respeita à vida marinha existente a sul da ilha montanha — "a zona de observação de baleias mais famosa do mundo"!

Em anexo encontra-se a versão original deste documentário, a qual se encontra em alemão, mas onde é possível ativar as legendas e a tradução automática para outra língua mais familiar.

Haja saúde!



segunda-feira, 24 de julho de 2017

Visita estatutária do Governo Regional à ilha do Pico — 2017


Hoje (segunda-feira, 24 de julho) inicia-se a visita estatutária anual do Governo Regional à ilha do Pico, a qual termina na próxima quarta-feira (26 de julho).

Nesta visita de 2017, destaque para a receção e audição da população por parte do Governo Regional no dia de amanhã (terça-feira, 25 de julho), pelas 17h30, na Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico.

O programa desta visita estatutária encontra-se em anexo.

Haja saúde!

Post scriptum: Rescaldo desta visita.

Programa da visita estatutária do Governo Regional à ilha do Pico — 2017

domingo, 23 de julho de 2017

Petição sobre o Aeroporto do Pico “levantou voo” rumo ao parlamento açoriano


O sábado 22 de julho de 2017 ficará para sempre na história do aeroporto da ilha montanha: a petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico" foi submetida à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

Durante uma sessão que decorreu no aeroporto da ilha montanha, às 10h e precisamente quando um Airbus A320 se encontrava em escala no Pico, os promotores da petição apresentaram os pressupostos que levaram à criação da mesma e salientaram a enorme adesão da sociedade em relação a esta causa. Mais concretamente, foi obtida "uma montanha de apoio, traduzida de forma simbólica em 2351 assinaturas — tantas quantas a altura do ponto mais alto de Portugal, o nosso Pico!"

A petição foi depois enviada ao parlamento açoriano, através da internet, tendo este ato sido testemunhado não só por órgãos de comunicação social, mas também por várias pessoas que fizeram questão de estar presentes. Entre estes, destaque para a presença dos três presidentes de Câmara da ilha do Pico, bem como dos quatro deputados regionais eleitos por esta ilha, demonstrando assim a união dos vários representantes dos picarotos em torno de mais e melhores condições para o seu aeroporto.

Os promotores desta petição nunca esquecerão o enorme apoio das pessoas que a assinaram e a união pública demonstrada, gestos que nos fazem sentir que não estamos sós na defesa desta causa, mas sim que representamos um conjunto alargado e muito coeso de cidadãos!

O nosso muito obrigado a todos!

Haja saúde!

Nota: Em anexo encontra-se o texto lido (na íntegra) durante a sessão de submissão da petição, bem como alguns registos jornalísticos sobre este acontecimento marcante para a história do Aeroporto da ilha do Pico.

Post scriptum: Cópia desta petição foi entregue em mão à Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, no dia 25 de julho de 2017, aquando da visita estatutária do Governo Regional à ilha do Pico [registo áudio].

>>> Link para o registo desta petição na Assembleia Legislativa dos Açores <<<



Bom dia a todos e obrigado pela vossa presença.

Há exatamente 15 anos atrás, em julho de 2002, era consignada a empreitada de ampliação da pista do Aeroporto da ilha do Pico. Os resultados dessa intervenção estão à vista: passaram a haver ligações diretas com Lisboa, as quais têm vindo a aumentar a cada ano que passa.

Assim, este investimento público contribuiu não só para um menor isolamento da ilha montanha, bem como a tornou numa porta de entrada dos Açores. Além disso, deste a concretização dessa ampliação da pista até aos dias de hoje, o movimento anual de passageiros no Aeroporto do Pico triplicou, um resultado extraordinário e sem paralelo no contexto açoriano.

Contudo, o Airbus A320 que se encontra atrás de nós, e que acabou de chegar de Lisboa, opera com limitações neste aeroporto devido ao comprimento da pista:
- Como não consegue descolar com o peso máximo permitido, não só o alcance do avião fica limitado, como, por vezes, tem de ficar carga atrás (por exemplo, bagagem dos passageiros ou pescado para exportação);
- Em dias de muita chuva, este tipo de avião não consegue aterrar no Pico, causando impreterivelmente o cancelamento do voo.

É da nossa convicção que estas também foram as principais razões para a TUI não ter regressado ao Pico: todos os cancelamentos da TUI verificados no ano passado foram causados pela chuva, bem como não havia a hipótese de trocar a ordem das escalas e operar mais tarde no Pico, pois o avião não conseguia chegar a Amesterdão partindo deste aeroporto.

Nunca é demais recordar que um qualquer voo cancelado não só causa transtorno aos passageiros e à respetiva companhia aérea, como também um cancelamento causa prejuízo à entidade gestora do aeroporto, a qual deixa de receber as taxas aeroportuárias devidas.

Considerando que a maioria dos passageiros que utilizam o aeroporto do Pico são açorianos, que a companhia aérea regional é quem opera aqui de forma regular, bem como esta é a maior infraestrutura aeroportuária totalmente detida pela Região, torna-se evidente que reduzir os constrangimentos deste aeroporto é, direta ou indiretamente, benéfico para todos os açorianos!

Felizmente, os condicionalismos enumerados anteriormente podem ser mitigados se a pista do Pico for ampliada e se for dotada de “grooving”.

Por outro lado, aumentar a pista permitiria também, por exemplo, que esta mesma aeronave atrás de nós passasse a conseguir descolar do Pico e aterrar no centro da Europa, ou mesmo na costa leste dos Estados Unidos da América.
Adicionalmente, e como podem observar à nossa volta, encontramo-nos no coração do “Triângulo”: para além de uma magnífica paisagem que espelha bem a noção de arquipélago, estamos num local praticamente equidistante das ilhas do Faial e de São Jorge. Note-se que em menos de uma hora e em menos de hora e meia, respetivamente, é possível partir do Aeroporto do Pico e chegar a estas ilhas recorrendo ao transporte marítimo regular.

Assim, a melhoria deste Aeroporto teria um impacto direto na economia destas três ilhas, pois o “Triângulo” teria uma porta de entrada (totalmente gerida, explorada e desenvolvida pela Região) para servir condignamente as ligações aéreas com o exterior, quer para o território nacional, quer para o estrangeiro.

Foram estes os pressupostos que nos levaram a criar uma petição pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto do Pico, e a convidar todos aqueles que concordam com a mesma a juntarem-se a nós.

A resposta da sociedade civil não se fez esperar: não só picarotos, mas também pessoas das restantes ilhas e do resto do País quiseram apoiar esta causa. Obtivemos, assim, uma “montanha de apoio”, traduzida de forma simbólica em 2351 assinaturas — tantas quantas a altura do ponto mais alto de Portugal, o nosso Pico!

Estamos hoje aqui, no aeroporto da ilha montanha, para submeter esta petição à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores. Esta não é apenas uma mera formalidade, mas marcará para sempre o dia em que as pessoas se uniram em defesa de melhoramentos na infraestrutura aeroportuária do Pico.

Deste modo, os cidadãos que assinaram esta petição solicitam aos órgãos de governo próprio da Região Autónoma dos Açores que envidem todos os esforços para dotar o Aeroporto da ilha do Pico com mais e melhores condições de operacionalidade, nomeadamente:
1) Que o comprimento da pista seja aumentado, de forma assegurar a operação sem limitações de "payload" para as aeronaves das famílias Airbus A320 e Boeing 737;
2) Que a pista seja ranhurada (implementação de "grooving") em toda a sua extensão, de forma a minorar os efeitos adversos para as aterragens provocados pela chuva que frequentemente cai sobre o território açoriano.

Dentro desta mala de viagem encontra-se a petição e as 2351 assinaturas que vão agora “levantar voo” rumo ao parlamento açoriano!

Muito obrigado!

Haja Saúde!



Links para notícias relacionadas: Rádio Pico | Diário de Notícias | + Central | Sapo 24 | Diário de Notícias da Madeira | Portugal Alerta! | Açoriano Oriental | Açores 9 | Publituris | Diário Insular | Mundo Português | Jornal do Pico | Ilha Maior | Tribuna das Ilhas.

Links para mais fotografias: fotos 1 | fotos 2 | fotos 3 | fotos 4.

Reações do Governo Regional dos Açores sobre esta petição: som | texto.

Programa "Em Foco" especial (Rádio Pico) sobre esta petição: som.

Entrevista (à Canal FM) sobre esta petição: vídeo.








sexta-feira, 21 de julho de 2017

Património Mundial Português — Vinhas do Pico


A série documental "Património Mundial", transmitida pela RTP em 2010, reuniu 14 filmes, de 20 minutos cada, sobre edifícios e paisagens portugueses classificados pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.

Como não poderia deixar de ser, a Paisagem da Cultura da Vinha da ilha do Pico teve direito ao seu episódio, o qual se apresenta de seguida.

Haja saúde!

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Museu do Pico inaugura a exposição "Mestre José Melo – Um homem à frente do seu tempo"


Será inaugurada pelo Museu do Pico, a 24 de julho, a exposição "Mestre José Melo – Um homem à frente do seu tempo", um trabalho biográfico e documental sobre o construtor naval de Santo Amaro do Pico, Mestre José Silva Melo.

Este projeto visa dar a conhecer a vida e obra de um dos mais prestigiados construtores navais em madeira da ilha do Pico e dos Açores. O Mestre José Melo desenvolveu a sua atividade de projetista e de construtor naval, no Pico, em várias ilhas do arquipélago e nos Estados Unidos da América (EUA). Foi reconhecido por empresas, universidades, e público especializado.

Mestre José Melo é, pela quantidade e qualidade do seu trabalho, uma referência incontornável da construção naval da ilha do Pico.

Se o Pico foi o grande centro de produção de barcos em madeira dos Açores, Santo Amaro deve ser reconhecido como o verdadeiro santuário da construção naval do Arquipélago. Esta freguesia foi, durante décadas, o eixo irradiador desse complexo histórico-geográfico associado à carpintaria naval na Região. É, igualmente, neste contexto, que revisitamos e homenageamos a vida e a obra do Mestre José Melo, ainda vivo com 85 anos de idade, a residir com a sua família nos EUA.

A sessão pública de inauguração terá lugar no Museu da Indústria Baleeira, em São Roque do Pico, pelas 21h30, e até 1 de outubro a exposição estará patente ao público no horário regular de funcionamento do Museu (de terça-feira a domingo — 10h00 / 17h30).

Haja saúde!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Reforço das ligações marítimas Pico - Faial durante as Festas da Madalena 2017


No âmbito das Festas da Madalena 2017, a Atlânticoline procedeu um reforço na Linha Azul, de modo a permitir viagens entre o Pico e o Faial após os concertos principais deste evento.

Assim, de 20 a 23 de julho (de quinta a domingo) haverá uma viagem extra diária, com partida às 2h30 da madrugada do dia seguinte.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, bem como dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha do Pico.

Haja saúde!

terça-feira, 18 de julho de 2017

Maior editora de viagens do mundo destaca galeria no Pico

Uma galeria ao ar livre, aberta 24 horas por dia, no meio de uma vinha da ilha do Pico nos Açores, tornou-se numa improvável atração turística.
É assim que a Lonely Planet, a maior editora de guias de viagem do mundo, inicia o seu artigo de destaque da Galeria Costa, propriedade da associação MiratecArtslink para artigo completo.

Um quilómetro de arte entre a paisagem da cultura da vinha, arbustos e floresta dão forma à Galeria Costa: instalações, pinturas, esculturas e locais de interesse com o objetivo de desenvolvimento de arte na natureza, podem ser visitados pelo público a qualquer hora, porque a galeria é literalmente ao ar livre. A primeira instalação foi colocada em 2013, contando agora com mais de duas dúzias de instalações e obras de arte, e ainda alguns pontos de interesse com a própria natureza a criar arte.

Haja saúde!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Convite — Sessão pública de submissão da petição “Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico”


Na qualidade de promotores e primeiros subscritores da petição pública “Pelo aumento das condições de operacionalidade do Aeroporto da ilha do Pico”, temos o prazer de anunciar que iremos submeter brevemente esta petição à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores para apreciação.

É do nosso entendimento que esta submissão não constitui apenas uma mera formalidade, mas marcará para sempre o dia em que a sociedade civil se uniu em defesa de melhoramentos na infraestrutura aeroportuária do Pico, a qual é fulcral para o desenvolvimento da ilha montanha, em particular, e do arquipélago açoriano, em geral, sobretudo no que respeita às ilhas do “Triângulo”.

Por esta razão, decidimos organizar uma sessão pública para partilhar com todos o momento da submissão desta petição. Assim, teríamos a maior honra em poder contar com a vossa presença nesta sessão, a qual terá lugar no Aeroporto da ilha do Pico, pelas 10h00 do próximo dia 22 de julho.

Haja saúde!

Ivo Sousa
Bruno Rodrigues
Luís Ferreira

domingo, 16 de julho de 2017

Concurso de Fotografia e outros Projetos sobre o tema "Montanhas sob pressão: clima, fome, migração"

Foto: Nelson Silva, vencedor do Concurso de Fotografia Montanha "Os Pontos Mais Altos de Portugal".

"Montanhas sob pressão: clima, fome, migração" é o tema escolhido pela Mountain Partnership, das Nações Unidas, para a celebração do Dia Internacional da Montanha, 11 de dezembro. Como entidade parceira, a MiratecArts marca este dia com o lançamento do programa do Montanha Pico Festival, que decorre no mês de janeiro, na ilha do Pico, nos Açores. Este ano, a associação também pretende adicionar um projeto artístico que siga o tema internacional, assim como ao concurso de fotografia.

Sendo assim, as candidaturas estão abertas a artistas interessados em desenvolver o tema através das artes. Os interessados podem contactar via email montanhapicofestival@gmail.com com um texto explanatório de como pretendem desenvolver o tema, não esquecendo o orçamento para executar e/ou apresentar o projeto, na ilha do Pico.

Quanto ao Concurso de Fotografia Montanha, o tema do ano também entra em vigor. Outras propostas, em geral, sobre a temática montanha, e não necessariamente seguindo o tema do ano, também estão agora abertas, até 1 de novembro. Para mais detalhes visite www.picofestival.com

Cerca de um bilião de pessoas vivem em áreas de montanha e mais da metade da população humana depende de montanhas para água, comida e energia limpa. No entanto, as montanhas estão sob muitas ameaças como a mudança climática, a degradação da terra, a sobre-exploração e as catástrofes naturais, todas com consequências potencialmente profundas e devastadoras, tanto para as comunidades montanhosas como para o resto do mundo.

As montanhas são indicadores iniciais das mudanças climáticas e, à medida que o clima global continua a aquecer, as pessoas da montanha - algumas das mais pobres do mundo - enfrentam muitos obstáculos para sobreviver. O aumento das temperaturas também significa que as geleiras das montanhas estão a derreter, a taxas sem precedentes, afetando os suprimentos de água doce a jusante, para milhões de pessoas. As comunidades de montanha, no entanto, têm uma riqueza de conhecimentos e estratégias acumuladas ao longo de gerações, nomeadamente sobre como se adaptar à variabilidade climática.

As mudanças e a variabilidade climática e ainda as catástrofes provocadas pelo clima, combinadas com a marginalização política, económica e social, aumentam a vulnerabilidade dos povos da montanha quanto à escassez de alimentos e à pobreza extrema. Atualmente, estima-se que cerca de 39% da população montanhosa, em países em desenvolvimento, ou 329 milhões de pessoas, são vulneráveis ​​à insegurança alimentar.

À medida que a vulnerabilidade das populações montanhosas cresce, a migração aumenta - tanto no exterior como para os centros urbanos. Aqueles que permanecem são, muitas vezes, mulheres, deixadas para administrar os campos, embora com pouco acesso a crédito, a treino e aos direitos de posse da terra. A migração externa das áreas de montanha também resultará numa perda inestimável, em termos de provisão de serviços de ecossistemas e preservação da cultura e agro-biodiversidade. Investimentos e políticas podem aliviar as duras condições de vida das comunidades de montanha e reverter as tendências de migração dessas mesma áreas.

Haja saúde!

sábado, 15 de julho de 2017

Faz Acontecer — Ilha do Pico


Depois de ter feito uma expedição à volta do mundo a relatar histórias inspiradoras, André Leonardo está agora a dar a volta a Portugal e a falar com quem faz acontecer.

Esta aventura está a dar origem a uma série de TV — Faz Acontecer — transmitida pelo Canal Q e cujo 7.º episódio [em anexo] foi dedicado à ilha do Pico.

Haja saúde!

sexta-feira, 14 de julho de 2017

SATA aumenta ligações aéreas com a ilha do Pico durante julho e agosto de 2017


A SATA Air Açores acaba de anunciar que disponibiliza, a partir de hoje e durante os meses de julho e agosto, mais 27 ligações aéreas com a ilha do Pico, sendo 20 rotações com a ilha de São Miguel e 7 com a ilha Terceira.

As ligações adicionais à ilha de São Miguel serão à quarta-feira, sexta-feira e domingo e fazem-se com chegada ao Pico às 14:35 e partida do Pico às 14:55, à quarta e sexta, enquanto ao domingo a chegada ao Pico será às 13:50 e a partida às 14:10.

Relativamente à ilha Terceira, a nova ligação será ao domingo com chegada às 15:35 e partida às 15:55, acrescenta a empresa.

Além desta oferta, existem outros voos extraordinários anteriormente programados para este verão (lista completa em anexo), perfazendo um total de mais 24 ligações com São Miguel e 9 com a Terceira face aos horários inicialmente previstos para a época alta de 2017.

Todos horários dos aviões que servem a ilha do Pico de forma regular encontram-se disponíveis no separador "Aviões" deste blog.

Por fim, nota para o facto de esta boa notícia — mais de 2 mil lugares extra oferecidos nos voos de/para a ilha montanha neste verão de 2017 — comprovar aquilo que as estatísticas indicavam, isto é, os aviões que servem o Pico ou estão quase cheios ou então estão mesmo esgotados.

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Calendário venatório (caça) para a ilha do Pico 2017/2018


A Portaria n.º 53/2017 (de 30 de junho) contém o calendário venatório 2017/2018 para a ilha do Pico, isto é, o calendário para a época de caça que começa a 1 de julho de 2017 e termina a 30 de junho de 2018. As regras da caça na ilha do Pico são apresentadas de seguida, encontrando-se no final uma tabela resumo sobre as restrições à atividade venatória na ilha montanha [acesso direto à tabela].

O que se pode caçar?
(o link no nome científico remete para imagens das respetivas espécies)

Onde se pode caçar?
Para a caça ao coelho-bravo estão definidas duas zonas, delimitadas do seguinte modo:
  • Zona 1 – Nas áreas plantadas com cereais, hortícolas e vinha, até à cota dos 200 metros de altitude.
  • Zona 2 – Na restante área da ilha a cotas acima dos 200 metros de altitude.

Para a caça à codorniz está definidas uma zona (próxima das Lajes do Pico), delimitada do seguinte modo:
  • Partindo de uma linha traçada sobre o caminho municipal, paralelo à estrada regional n.º 1-2.ª entre o Km 66 e o Km 64, subindo pelo caminho municipal que se desenvolve para norte, a leste do Km 66, até encontrar o caminho particular que segue para leste que entronca com o caminho rural n.º 40 (meia encosta da Almagreira) ao cruzamento com o caminho rural n.º 32 (caminho do Arrife), seguindo depois para sul pelo caminho municipal conhecido vulgarmente pelo caminho da Granja, até encontrar a via municipal, paralela à estrada regional, na localidade das Terras, a leste do Km 64.

Para a caça à galinhola estão definidas duas zonas, delimitadas do seguinte modo:
  • Zona B – Partindo do Centro de Saúde da Madalena, segue pela Estrada Regional n.º 3 (Estrada Longitudinal) até encontrar a Estrada Regional n.º 2 (Estrada Transversal – Corre Água). Daqui segue para a costa sul da ilha, pela Estrada Regional n.º 2, até encontrar a Estrada Regional n.º 1 (Silveira), seguindo por esta até à origem. Abrange as freguesias de Madalena, Criação Velha, Candelária, São Mateus, São Caetano e São João.
  • Zona B1 – Partindo da Casa do Guarda-florestal sita em Corre Água, no entroncamento, no sentido do Caminho Florestal da Serra do Topo, segue por este, passando pela Lagoa do Caiado, Caveiro, Lagoa do Peixinho, Cabeço da Laje, Cabeço Escuro até encontrar a Estrada Regional n.º 1 (Altamora – Piedade). Segue pela Estrada Regional n.º 1 até ao entroncamento desta com a Estrada Regional n.º 2 (Estrada Transversal em São Roque do Pico), continuando até à origem pela Estrada Regional n.º 2. Abrange as freguesias de São Roque do Pico, Prainha, Santo Amaro, Ribeirinha e Piedade.

Que outras restrições existem?
Na tabela resumo são apresentados os processos de caça permitidos, os períodos venatórios, horários e limites diários de abates. Outras restrições são enunciadas de seguida:
  • Nas Lagoas do Caiado, do Capitão, do Paúl, do Peixinho e da Rosada, é interdita a atividade cinegética, em regime não ordenado, exceto quando enquadradas em operações destinadas ao controlo de pragas de roedores.
  • É proibida a caça nas parcelas de áreas baldias de pastagem que estiverem ocupadas com animais em pastoreio.
  • É proibida a caça à perdiz-vermelha (Alectoris rufa).
  • É proibido caçar com uso de furão.
  • É proibida, na caça ao coelho-bravo, a utilização de instrumentos cortantes de qualquer tipologia (foices, sachos e afins) para a abertura de veredas de passagem, assim como a caça ao coelho-bravo em veredas recentemente abertas.
  • É proibido caçar ao pombo-da-rocha, nos locais de nidificação da espécie, nomeadamente junto às barrocas do mar e com utilização de barco.



Calendário venatório para a ilha do Pico – 2017/2018
(tabela resumo)

Espécie Zona Processo de caça Período venatório Horário Limite diário de abates por caçador
Coelho-bravo Zona 1 Salto, Espera, Espreita, Batida, Corricão e Cetraria Todos os dias Do nascer ao pôr-do-sol 10
Zona 2 Proibida a caça
Codorniz Zona específica Salto (com cão de parar) 17 de dezembro (domingo) Das 09:00 às 12:00 3
Galinhola Zonas B e B1 Salto De 8 de outubro a 10 de dezembro (apenas domingos) Das 08:00 às 13:00 3
Narceja Salto De 29 de outubro a 7 de janeiro (apenas domingos e feriados) Das 08:00 às 13:00 3
Pombo-da-rocha Espera De 6 de agosto a 25 de fevereiro (apenas sábados, domingos e feriados) Do nascer ao pôr-do-sol 20
Pato-real Espera e Salto De 5 de novembro a 7 de janeiro (apenas sábados, domingos e feriados) Das 08:00 às 13:00 3
Marrequinha
Piadeira

Boa caça!
Haja saúde!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Transporte aéreo nos Açores — análise ao primeiro semestre de 2017


O Serviço Regional de Estatística dos Açores divulgou recentemente os dados relativos ao transporte aéreo que permitem fazer uma análise ao primeiro semestre de 2017. As estatísticas mostram que continua a haver um crescimento dos passageiros aéreos de e para todas as ilhas açorianas, o qual atingiu 19,0% como valor médio.


Analisando com mais detalhe, verifica-se que apenas a ilha de São Miguel regista um crescimento acima da média regional. Por outras palavras, existe um claro desequilíbrio face ao restante arquipélago, o que pode ser resultado de uma maior procura deste destino em relação às restantes ilhas e/ou devido ao uso do respetivo aeroporto como principal porta de entrada dos Açores (sobretudo atendendo aos voos internacionais e low cost).

Por outro lado, a ilha do Pico é a que regista o menor crescimento percentual no mesmo período homólogo face a 2016. Notando mais uma vez que todas a ilhas crescem em termos de passageiros aéreos, a questão que se põe é: porque cresce a ilha montanha menos do que as outras, quando no ano passado foi a que registou o maior crescimento a nível Açores? A resposta mais imediata seria afirmar que o destino Pico está a atingir um ponto de saturação, que a procura está a crescer mas a um ritmo mais lento. Contudo, esta saturação pode ser artificial, como se demonstra de seguida.

A ilha montanha tem registado nos últimos tempos um número recorde de voos esgotados — situação comprovada por uma análise já apresentada neste blog, onde se mostrou que quase metade dos dias (45%) com voos totalmente esgotados nos Açores foram registados na ilha do Pico, gerando assim um novo tipo de "isolamento". Adicionalmente, se for calculada a ocupação média por voo (soma dos passageiros no voo de ida e no voo de regresso), verifica-se que, no primeiro semestre de 2017, os voos para a ilha montanha registaram a terceira ocupação média mais elevada no arquipélago (111 passageiros), apenas superada pela Terceira (117) e São Miguel (185) — ilhas onde conseguem operar aviões com capacidade para mais passageiros do que no caso do Pico.


Em suma, os aviões que servem o Pico ou estão quase cheios ou então estão mesmo esgotados, o que significa que para haver um maior crescimento de passageiros aéreos para este destino, só se houver mais voos para a ilha montanha!

Haja saúde!

Post scriptum: Em anexo encontra-se um artigo, da autoria de Luís Paulo Ferreira, que demonstra bem a dificuldade em chegar à ilha do Pico neste verão de 2017.

Post scriptum (2): Dois dias depois desta publicação, a SATA anunciou um reforço de ligações aéreas com a ilha montanha neste verão de 2017.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Botes baleeiros do Pico sagram-se campeões regionais 2017

Tripulação feminina do Pico campeã regional de remo em botes baleeiros 2017 (por ordem alfabética: Ana Azevedo, Camila Oliveira, Cátia Salvador, Daniela Miguel, Filipa Alves, Paula Serpa, Sílvia Mateus e Sofia Silva).

No passado fim de semana (8 e 9 de julho de 2017) decorreu, na ilha de Santa Maria, o II Campeonato Regional de Botes Baleeiros. Mais de uma centena de participantes, oriundos de todas as ilhas com exceção do Corvo, tiveram como intuito transformar esta competição numa autêntica homenagem à memória do povo açoriano e à sua história.

Ao fim de um dia e meio, e depois de cumpridas 10 regatas (3 de remo masculino, 3 de remo feminino e 4 de vela), ficaram-se a conhecer os novos campeões regionais, tendo os botes baleeiros do Pico arrecadado o primeiro lugar em ambas as categorias de remo.

Em femininos, a vitória coube às remadoras do bote ‘São Pedro’, do Clube Naval Aliança Calhetense, sagrando-se assim como as primeiras campeãs regionais de sempre, pois foi a primeira vez que se realizaram provas de remo feminino nesta competição.

Na prova de remo masculino, o domínio pertenceu ao bote ‘Maria Armanda’, do Clube Náutico das Lajes do Pico, que já no ano passado se tinha sagrado campeão regional.

Em vela, a nova equipa campeã regional pertence à ilha do Faial, mais concretamente à tripulação que esteve a bordo do bote ‘Senhora do Socorro’, da Junta de Freguesia do Salão.

Esta é uma prova única no país e que envolve, em doses iguais, história e desporto, competição e memória coletiva, orgulho de um povo e vontade de manter vivo o património que é de todos.

Haja saúde!

[Reportagem vídeo sobre este campeonato]

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Voto de Louvor

Acabo de receber uma missiva da Presidente da Assembleia Municipal de São Roque do Pico, a qual me dá a conhecer um Voto de Louvor que foi aprovado por unanimidade na sessão de 29 de junho de 2017 do respetivo órgão autárquico:
Pelo trabalho de pesquisa desenvolvido sobre o nosso Concelho em particular e ilha do Pico em geral, onde através do seu blog Cais do Pico publicita diversas atividades e produtos locais, onde justifica as justiças e as injustiças que tem acontecido, onde se destacam principalmente a saúde e o aeroporto do Pico, sendo já uma referência para os da terra e também para turistas que buscam informações sobre o Concelho e ou ilha, vem a bancada do Partido Social Democrata propor a aprovação deste voto de louvor ao Dr. Ivo Sousa.

Através deste blog, venho agradecer publicamente aos deputados proponentes e restantes representantes dos munícipes de São Roque do Pico por esta deliberação, a qual muito me honra e sensibiliza.

Haja saúde!

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Municípios do Pico são referências nacionais ao nível da igualdade de género


A Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, afirmou que os municípios de São Roque do Pico e da Madalena são referências nacionais ao nível do trabalho desenvolvido em prol da igualdade de género [vide vídeo em anexo].

As declarações foram feitas ontem [6 de julho de 2017], na ilha montanha, no âmbito do roteiro "Cidadania em Portugal" que está a percorrer todo o país.

Haja saúde!

quinta-feira, 6 de julho de 2017

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Radar da PSP no Pico — julho 2017

Segundo a PSP, neste mês de julho de 2017 serão efetuadas algumas operações de controlo de velocidade por radar na ilha do Pico, nomeadamente em:

  • 5 de julho (quarta-feira) / 14h00 / Santa Luzia (São Roque do Pico).
  • 11 de julho (terça-feira) / 08h00 / Monte - Candelária (Madalena).

Haja saúde!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Escala de navios de mercadorias no Porto do Cais do Pico — julho 2017


A Transinsular publicou no seu site a escala para o mês de julho de 2017 dos navios de carga que efetuam a ligação Continente - Açores (clique na imagem para conhecer esta escala).


Os navios e as datas em que os mesmos vão visitar o Porto do Cais do Pico, na vila de São Roque do Pico, encontram-se indicados na tabela seguinte (clicando no nome do navio abre uma nova janela com a localização atual do mesmo).

DiaNavio
07 de julho (sexta-feira)Furnas
11 de julho (terça-feira)Ponta do Sol
20 de julho (quinta-feira)Maria P
26 de julho (quarta-feira)Ponta do Sol

Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico: Todas estas informações encontram-se igualmente disponíveis no separador "Barcos" deste blog, apresentando-se também em anexo um mapa contendo, em tempo real, as embarcações que navegam na vizinhança da ilha montanha.

Haja saúde!

domingo, 2 de julho de 2017

Dia em cheio no Cais do Pico

Uma definição do que é um paraíso à beira-mar poderia passar por:
  • Águas oceânicas que mais parecem um lago que não se mexe;
  • Céu azul com apenas algumas nuvens, cujo reflexo é possível observar na água;
  • Observação nítida do fundo do mar junto à costa, apresentando este uma magnífica cor azul-turquesa, com o mar completamente transparente devido à limpidez da água;
  • Uma ilha em frente, para tornar o cenário ainda mais idílico.
Pois bem, no lugar de uma descrição em palavras, bom bom era tentar ilustrar este paraíso à beira-mar...

Acontece que Henrique Andrade fez ainda melhor no dia 25 de junho de 2017 — o qual batizou de "dia em cheio" — e fotografou uma vista do Cais do Pico, vila de São Roque do Pico, mostrando que os locais paradisíacos não estão assim tão distantes!

Haja saúde!

sábado, 1 de julho de 2017

Horários Atlânticoline — Linha Azul - época alta 2017


Com a chegada de julho, a Linha Azul da Atlânticoline passa a dispor de mais viagens entre as ilhas do Pico e do Faial.

Mais concretamente, é introduzida uma nova ligação no período noturno, às 22h, todas as sextas, sábados e domingos. Esta situação manter-se-á até ao final de agosto.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, bem como dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha do Pico.

Haja saúde!



Rotas de passageiros:
Rotas de mercadorias:
Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico:


Seguimento, em tempo real, dos navios em redor da ilha do Pico.