sexta-feira, 30 de junho de 2017

Agenda Cultural de São Roque do Pico — julho 2017



A lista das mais diversas atividades que acontecem em São Roque do Pico, no mês de julho de 2017, encontra-se disponível na Agenda Cultural de São Roque do Pico, a qual se apresenta de seguida.


No fim deste post apresentam-se, por ordem cronológica, os cartazes de alguns dos eventos que terão lugar neste mês de julho.

As datas de alguns dos eventos que ocorrem nas redondezas também podem ser encontradas na mini agenda "Acontece por aí" (versão desktop: no topo da página, à direta; versão mobile: no fim da página, em baixo).

Haja saúde!

[Nota: este post irá sendo atualizado à medida que forem surgindo mais cartazes, sendo também adicionados links para fotos/vídeos disponibilizados após os eventos (última atualização: 12 de julho de 2017). Também se encontra disponível online, na página oficial da Câmara Municipal de São Roque do Pico, uma agenda para diversos eventos que ocorrem neste concelho — link.]



(Links para fotos/vídeos disponibilizados após os eventos de julho de 2017)

Festa de Santa Cecília (de 30 de junho a 2 de julho @ Prainha):

Limpeza do trilho "Caminhos de Santa Luzia" (1 de julho @ Santa Luzia):

Festa do Canto (1 de julho @ Santo Amaro):

Festa de São Pedro (2 de julho @ Santa Luzia):

Festa Rainha Santa Isabel (4 de julho @ Santa Casa da Misericórdia de São Roque do Pico):
4th July - Festa do Emigrante (4 de julho @ Jardim Municipal de São Roque do Pico):
Coroação do Espírito Santo - Florinda Morais (9 de julho @ Santo Amaro):




















quarta-feira, 28 de junho de 2017

Imagens aéreas (e espetaculares) da montanha do Pico


Michael Eschenbacher é o autor de alguns vídeos de imagens aéreas em vários pontos do globo. Felizmente, ele passou pela ilha do Pico e decidiu andar... à volta da montanha!

Apresenta-se de seguida o vídeo em questão, avisando desde já os leitores que o mesmo contém imagens... espetaculares!

Haja saúde!

domingo, 25 de junho de 2017

Festa de São João 2017 no Cais do Pico


A noite de 23 para 24 junho também é sinónimo de ser a noite de São João, havendo por isso lugar a festa no adro do Convento de São Pedro de Alcântara (junto à Árvore do Desejo), situado no Cais do Pico, vila de São Roque do Pico.

Aqui ficam algumas fotos da festa de 2017, com os tradicionais comes e bebes acompanhando um concerto pela Filarmónica Liberdade do Cais do Pico.

Haja saúde!



sexta-feira, 23 de junho de 2017

Pico Solidário — Apoio às vítimas de Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande e Castanheira de Pera


A Santa Casa da Misericórdia de São Roque do Pico e o Clube Motard do Pico estão a realizar uma ação de angariação de bens para entrega às vítimas de Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande e Castanheira de Pera.

Esta ação vai decorrer até 5 de julho e os pontos de recolha são:
  • Santa Casa da Misericórdia de São Roque do Pico;
  • Santa Casa da Misericórdia das Lajes do Pico;
  • Santa Casa da Misericórdia da Madalena do Pico;
  • Esquadra da PSP de São Roque do Pico;
  • Bombeiros Voluntários de São Roque do Pico.

Haja saúde!

Post scriptum: Adicionado link para fotos/vídeos da recolha obtida.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Excelente exemplo de envolvimento da comunidade escolar de São Roque do Pico com seu o património


Num local longe dos grandes centros urbanos, onde a população é mais reduzida e proporcionalmente haverá menos conhecedores da "história do lugar", a valorização do património torna-se, naturalmente, numa tarefa mais desafiante, levando a que muitos jovens não tenham a noção do legado histórico que os rodeia.

Por outro lado, se é certo que hoje muitas explicações estão à distância de "um clique no Google", as estórias e lendas associadas a um sítio, bem como as suas aventuras e vicissitudes, só estão disponíveis para todos se alguém as der a conhecer.

Vem isto a propósito de uma excelente iniciativa de envolvimento da comunidade escolar de São Roque do Pico com seu o património. Mais concretamente, e resultante de uma parceria entre a administração pública regional, alunos da Escola Básica e Secundária de São Roque do Pico elaboraram uma brochura sobre a Pousada de Juventude da ilha do Pico [em anexo], em que os jovens, através da pesquisa e investigação, trabalharam conjuntamente com os professores de História.

Recorde-se que a Pousada de Juventude do Pico, situada na vila de São Roque do Pico, foi inaugurada em setembro de 2008 e resulta da adaptação de um convento de origem franciscana rural do século XVIII, conhecido por Convento de São Pedro de Alcântara. É também junto a esta pousada que se encontra a Árvore do Desejo.

Este convento, um dos poucos exemplares existentes no país, apresenta um notável valor arquitetónico e características típicas dos conventos franciscanos, tendo sido, por essa razão, classificado de Interesse Regional.

Sob supervisão do Departamento de Ciências Sociais e Humanas da Escola BS de São Roque do Pico, os alunos elaboraram o texto, recolheram fotos e fizeram o grafismo de uma brochura que não só apresenta as características da Pousada de Juventude do Pico, mas também descreve a perspetiva histórica, arquitetónica e lendária deste antigo convento.

Esta é daquelas situações em que todos saem a ganhar: os jovens ficam a conhecer melhor a história do seu lugar, o trabalho ao serviço da comunidade efetuado pela escola torna-se mais visível, bem como esta pousada fica com um cartão de visita altamente personalizado.

Esta iniciativa merece ser reconhecida e replicada sempre que possível, seja em museus ou outros, de forma a que as futuras gerações conheçam melhor e possam valorizar o património que os rodeia.

Por fim, uma coisa é certa: por cada brochura que "levar a volta dos frades", muito provavelmente alguém ficará a perceber o que significa esta expressão utilizada pela comunidade de São Roque do Pico!

Haja saúde!


terça-feira, 20 de junho de 2017

Empreendimento de enoturismo vai nascer na Baía de Canas


A recuperação de 30 hectares de vinha e a edificação de um novo espaço turístico serão a base para o futuro empreendimento turístico previsto para o lugar da Baía de Canas, freguesia da Prainha, concelho de São Roque do Pico.

O início da recuperação dos vinhedos está previsto arranjar já neste trimestre, esperando-se que esteja a produzir dentro de quatro anos. Nessa altura, aquando da primeira vindima, deverá abrir portas o empreendimento turístico.

A empresa 'Azorparadise', promotora deste projeto, pretende assim criar uma estrutura que ofereça privacidade e um enquadramento controlado e harmonioso, que beneficie da qualidade paisagística e da temática do vinho. Ao mesmo tempo, a aposta contribuirá para a consolidação do Pico enquanto destino enoturístico, acrescentando valor à marca do vinho a produzir e o vinho acrescentará valor à marca do empreendimento turístico.

[Fonte: Ilha Maior | Jornal do Pico]

Haja saúde!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Horários dos autocarros na ilha do Pico — verão 2017


Com o fim do ano letivo, a empresa 'Cristiano Limitada' reajusta os horários dos autocarros que servem a ilha do Pico de forma regular. Os novos horários são válidos até setembro.

Toda a informação relativa aos horários dos autocarros na ilha do Pico encontra-se disponível no separador "Autocarros".

Haja saúde!

sábado, 17 de junho de 2017

Horários Atlânticoline — Linha Lilás 2017


Com a chegada do verão, a Atlânticoline passa a dispor de mais uma rota: a Linha Lilás.

Mais concretamente, todas as terças e sábados haverá uma ligação entre as ilhas do "Triângulo" (Pico, São Jorge e Faial) e a ilha Terceira, sendo que esta situação manter-se-á até meados de setembro.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, bem como dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha do Pico.

Haja saúde!



Rotas de passageiros:
Rotas de mercadorias:
Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico:


Seguimento, em tempo real, dos navios em redor da ilha do Pico.


sexta-feira, 16 de junho de 2017

O novo “isolamento” das ilhas açorianas


A condição arquipelágica dos Açores faz com que o transporte aéreo seja fundamental para estabelecer ligações rápidas entre as diversas ilhas e entre estas e o exterior da Região. Com o aumento da mobilidade aérea dos açorianos, aliado ao profundo crescimento do turismo nos Açores, a taxa de ocupação nos aviões tem aumentado significativamente a cada ano que passa.

Esta procura por um bilhete de avião é mais intensa em julho e agosto — a época alta — a tradicional altura de férias, onde faz mais bom tempo, quando ocorrem diversos festivais de verão, etc., o que leva a um aumento de turistas, bem como ao regresso às origens de muitos açorianos deslocados da sua terra natal.

Deste modo, é com alguma naturalidade que na época alta existam muitos voos esgotados. Esta situação é um bom sinal para a economia do turismo, em particular, e para as restantes atividades económicas, em geral. No entanto, a lotação esgotada de todos os voos num só dia pode levar a que seja literalmente impossível a muita gente entrar ou sair de uma ilha, originando assim um novo tipo de "isolamento" das ilhas açorianas.

Interessa, pois, analisar que ilhas sofrem mais com este "isolamento", de forma a o tentar combater eficazmente. Para esse efeito, uma simulação de reservas foi efetuada no site da Azores Airlines (em 15 de junho de 2017) para todos os dias dos meses de julho e agosto do corrente ano e para todos os destinos que servem cada uma das ilhas dos Açores. Sempre que uma determinada ilha já não dispusesse de lugares disponíveis em todos os voos de um determinado dia, em pelo menos um sentido, foi então contabilizada uma situação de "isolamento". Os resultados obtidos estão espelhados nos gráficos seguintes (nota: no caso da ilha do Corvo, não existem voos aos fins de semana e por isso não são contabilizados "isolamentos" nesses dias por não advirem de voos esgotados).



Os resultados são claros: a ilha montanha assume um lugar de destaque em termos de dias de "isolamento", quer em termos de voos de chegada, quer no caso dos de partida. Aliás, e considerando o panorama geral dos Açores, quase metade dos dias, em julho e agosto, que já têm todos voos esgotados em pelo menos um sentido são de/para o Pico (10 em 22 = 45% do todo regional). Esta situação não é de todo inesperada, pois tem sido recorrente ao longo dos anos e também porque a ilha montanha registou, no ano passado, o maior crescimento percentual de passageiros aéreos a nível Açores. Tudo isto contribui para a ilha do Pico poder ser considerada como a mais propensa a registar "isolamentos" no arquipélago açoriano, ou seja, é aquela onde a procura supera mais vezes a oferta.

Mas alguns dirão que, pelo facto de a ilha montanha estar inserida no "Triângulo" (Pico, São Jorge, Faial) e por existirem viagens diárias de barcos entre estas três ilhas, estes "isolamentos" podem ser atenuados. Pois bem, a verdade é que esta sub-região é de longe a que mais sofre com o novo tipo de "isolamento" das ilhas açorianas, registando um total de 73% dos casos a nível regional. É importante ter esta situação em conta, de forma a definir políticas futuras que garantam que a mobilidade dos residentes está sempre salvaguardada, sobretudo em casos de força maior.

Os dados também servem para mostrar que a ideia de criar bases de distribuição de passageiros vindos do exterior da Região (em São Miguel ou na Terceira, por exemplo) não serve por igual todos os açorianos, pois estes "isolamentos" da época alta tornam evidente como várias ilhas seriam prejudicadas (sem possibilidades de acesso a essas bases devido a voos esgotados), sendo que, a manter-se a tendência atual, o Pico seria a ilha mais afetada.

Por fim, estas estatísticas comprovam mais uma vez que a ilha montanha continua a ser muito procurada, sendo que este destino é claramente o que esgota mais rapidamente nos Açores.

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

Post scriptum: Esta artigo foi igualmente publicado na edição n.º 686 do 'Jornal do Pico', de 23 de junho de 2017.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Início do "barco das 9 da manhã" na Linha Azul - verão 2017


Com o início da segunda metade de junho, a ilha do Pico passa a dispor de mais uma ligação marítima na Linha Azul da Atlânticoline.

Mais concretamente, passa a existir o "barco das 9 da manhã" entre as ilhas do Pico e do Faial, sendo que esta ligação manter-se-á até meados de setembro.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, bem como dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha do Pico.

Haja saúde!



Rotas de passageiros:
Rotas de mercadorias:
Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico:


Seguimento, em tempo real, dos navios em redor da ilha do Pico.


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Existe uma ilha de vinho no meio do Atlântico

No meio do oceano Atlântico existe uma ilha apelidada de "A Ilha do Vinho". A sério. O seu nome é Pico, derivado da bela montanha vulcânica, por vezes coberta de neve, a qual domina a paisagem. Este pico é o ponto mais alto de um grupo de nove ilhas verdejantes conhecidas como os Açores.
É assim que o crítico Tom Mullen inicia o seu artigo na revista 'Forbes' sobre a vinha e o vinho da ilha do Pico. O autor destaca a história da vitivinicultura na ilha montanha, bem como a forma peculiar de produção de vinho no Pico e o recente crescimento desta atividade.

Recorde-se que a vinha da ilha do Pico é uma autêntica lição de vida, tendo sido, por isso, classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.

Haja saúde!

terça-feira, 13 de junho de 2017

Pesca descarregada nos Açores em 2016


A pesca nos Açores remonta à colonização das ilhas e atualmente explora cerca de 80 das mais de 500 espécies marinhas que compõem o ecossistema. Maioritariamente artesanal, os aparelhos de linha e anzol dominam as diversas pescarias.

Aliás, nas águas em torno dos Açores a potencialidade pesqueira é condicionada pela profundidade, fortes correntes e pela natureza e irregularidade do fundo, que dificultam a utilização de artes de pesca. Assim, a pesca praticada pela frota regional é realizada na proximidade das ilhas, nos bancos de pesca e nos montes submarinos que apresentam profundidades menores do que os 1.000 metros. Para exemplificar o forte condicionalismo de potenciais locais de pesca, a área das 100 milhas marítimas em torno dos Açores é de 376.840 km2, mas apenas 7.870 km2 (2%) representam fundos até aos 600 metros.

Mesmo assim, a atividade piscatória representa uma importante fonte de rendimento para muitas famílias açorianas. Segundo dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores, em 2016 foram descarregadas mais de 6 mil toneladas de pesca nos portos açorianos, as quais renderam mais de 25 milhões de euros.


Analisando a distribuição por ilhas, mais de metade da pesca foi descarregada na ilha de São Miguel (52%), seguindo-se no pódio Terceira (18%) e Pico (13%). Contudo, como diferentes espécies têm diferentes valores comerciais, em termos de rendimentos obtém-se uma outra distribuição percentual para o pódio: São Miguel (48%), Terceira (19%) e Faial (11%).

Esta correspondência não direta entre a quantidade de pesca descarregada e o valor do pescado mostra como "pescar muito não é pescar melhor". Aliás, fazendo uma análise ao valor médio por quilo da pesca descarregada, obtém-se que, em termos de rendimento obtido, a maior eficácia foi obtida na ilha das Flores (11 €/kg), seguindo-se Corvo (10 €/kg) e São Jorge (7 €/kg).


Atendendo agora ao caso particular do Pico, os dados estatísticos mostram claramente que foi descarregado bastante pescado na ilha montanha (terceiro em quantidade a nível Açores) mas que o seu valor médio é o mais baixo de toda a região (apenas 2 €/kg). Para atenuar este efeito, de modo a aumentar o rendimento dos pescadores, ou se tenta dirigir os esforços de pesca para outras espécies, ou se tentar valorizar o pescado mais descarregado no Pico. Em relação a esta última hipótese, há que então destacar as espécies onde a ilha montanha é líder regional na quantidade descarregada — vide tabela.

EspécieQuantidade
descarregada
no Pico (kg)
Percentagem
do total Açores
em 2016
Peixe Espada Preto33 60095%
Caranguejo Real18185%
Bonito Gaiado455 25268%
Dourado67959%
Lapa30 24648%
Patruça1 32429%

Por fim, no meio de tantas estatísticas, há uma certeza permanente: os organismos extraídos do mar dos Açores são de elevadíssima qualidade, como qualquer um pode comprovar sempre que os "pesca no prato"!

Haja saúde!

Post scriptum: Esta análise foi igualmente publicada na edição n.º 41.299 do 'Diário dos Açores', de 18 de junho de 2017.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Radar da PSP no Pico — junho 2017

Segundo a PSP, neste mês de junho de 2017 serão efetuadas algumas operações de controlo de velocidade por radar na ilha do Pico, nomeadamente em:

  • 14 de junho (quarta-feira) / 14h00 / Bandeiras (Madalena).

Haja saúde!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Maroiços do Pico: vestígios da Atlântida?


Quando os marinheiros portugueses chegaram ao arquipélago açoriano, há quase 600 anos atrás, afirmaram que estas ilhas nunca tinham sido habitadas. No entanto, um documentário da National Geographic [em anexo], baseado na investigação arqueológica mais recente e em expedições, mostra como partes dos Açores poderão ter integrado a Atlântida — uma civilização descrita por Platão há mais de 2 mil anos atrás, a qual seria uma potência naval na zona da Europa Ocidental e Norte de África.

O realizador James Cameron é um dos produtores executivos de "A Ascensão da Atlântida", o documentário que mostra construções muito antigas, artefactos arqueológicos, fotos de satélite, manuscritos e objetos encontrados no fundo do mar. As expedições percorreram os locais mais prováveis de estarem associados à Atlântida: as ilhas de Santorini (Grécia), Malta, Sardenha (Itália), Pico e Terceira (Açores), e a costa atlântica da Andaluzia (sul de Espanha).

No caso da ilha montanha, o professor Félix Rodrigues, da Universidade dos Açores, mostrou algumas evidências de como os portugueses poderão não ter sido os primeiros habitantes dos Açores. Mais concretamente, os maroiços do Pico — estruturas piramidais de pedra — são descritos no documentário como "tesouros arqueológicos", "estruturas fantásticas" utilizando "tecnologia do tempo da Idade da Pedra, de há 4 mil, 5 mil, 6 mil anos atrás", concluindo-se que os mesmos poderão ser vestígios da Atlântida!

Haja saúde!

quinta-feira, 8 de junho de 2017

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Escala de navios de mercadorias no Porto do Cais do Pico — junho 2017


A Transinsular publicou no seu site a escala para o mês de junho de 2017 dos navios de carga que efetuam a ligação Continente - Açores (clique na imagem para conhecer esta escala).


Os navios e as datas em que os mesmos vão visitar o Porto do Cais do Pico, na vila de São Roque do Pico, encontram-se indicados na tabela seguinte (clicando no nome do navio abre uma nova janela com a localização atual do mesmo).

DiaNavio
10 de junho (sábado)Maria P
14 de junho (quarta-feira)Ponta do Sol
22 de junho (quinta-feira)Maria P
30 de junho (sexta-feira)Ponta do Sol

Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico: Todas estas informações encontram-se igualmente disponíveis no separador "Barcos" deste blog, apresentando-se também em anexo um mapa contendo, em tempo real, as embarcações que navegam na vizinhança da ilha montanha.

Haja saúde!

terça-feira, 6 de junho de 2017

Festa do Divino Espírito Santo no Cais do Pico — 2017


Todos os anos, 51 dias depois da Páscoa, celebra-se a Segunda-feira do Espírito Santo — dia de Feriado Regional na Região Autónoma dos Açores e dia de Festa do Divino Espírito Santo no Cais do Pico, vila de São Roque do Pico.

Neste ano de 2017, a festa ocorreu no dia 5 de junho e teve os seguintes momentos-chave:
  • Confeção das Sopas na cozinha da Filarmónica Liberdade do Cais do Pico;
  • Saída do Coroa a partir da Santa Casa da Misericórdia de São Roque do Pico;
  • Missa da Coroação na Igreja do Convento de São Pedro de Alcântara;
  • Almoço no salão da Filarmónica Liberdade do Cais do Pico;
  • Arraial pela Filarmónica Liberdade do Cais do Pico;
  • Distribuição de vésperas junto à sede desta mesma filarmónica.

A reportagem fotográfica da festa de 2017 no Cais do Pico, que a seguir se apresenta, pretende mostrar um pouco de o que é a ilha do Pico estar "rendida" ao Divino Espírito Santo: uma enorme vivência comunitária e uma tradição sentida profundamente pelos açorianos.

Haja saúde!

Hino do Divino Espírito Santo


(clicar nas fotos para aumentar a resolução | link para mais imagens desta festa)