domingo, 29 de janeiro de 2017

Navio "Gilberto Mariano" suspende operação de 30 de janeiro a 5 de fevereiro para inspeção


Comunicado da Atlânticoline:
A Atlânticoline, S.A. informa que, à semelhança do que aconteceu com o ferry “Mestre Simão” no final de 2016, também o “Gilberto Mariano” será alvo de inspeção obrigatória aos meios de salvação, no âmbito dos requisitos de segurança legalmente exigidos para este tipo de embarcações. Esta inspeção será realizada em São Miguel, onde se localiza a única instalação certificada para o efeito na Região.
Assim, o “Gilberto Mariano” ficará impedido de dar o seu contributo à operação regular da Atlânticoline a partir de segunda-feira, 30 de janeiro, pelo período estimado de uma semana. Prevê-se que o navio regresse à operação no dia 6 de fevereiro. Durante esse período, serão asseguradas todas as viagens previstas, com algumas alterações.
Assim, durante a semana, todas as viagens da Linha Verde, que liga Faial, Pico e São Jorge, serão feitas com o ferry. A viagem matinal sairá da Horta às 09h00. As viagens da tarde mantêm o seu horário, sendo que na segunda e sexta-feira serão feitas escalas adicionais na Madalena. A viagem de sábado na Linha Verde será feita com o “Cruzeiro do Canal”, enquanto que a viagem de domingo volta a ser feita com o ferry, prevendo-se escalas adicionais na Madalena.
Na Linha Azul (Horta/Madalena), a primeira viagem do dia durante a semana será feita com o ferry e as restantes com o “Cruzeiro do Canal”, à exceção da terça e quinta-feira, dias em que o ferry fará também a viagem das 17h15/18h00. No sábado todas as viagens serão feitas com o ferry, assim como as três primeiras viagens do dia de domingo. Neste dia, a viagem das 17h15/18h00 será feita com o “Cruzeiro do Canal”.
A Atlânticoline lamenta quaisquer inconvenientes que esta situação possa causar aos passageiros, solicitando a sua compreensão para o facto destes procedimentos serem obrigatórios e absolutamente necessários para garantir todos os requisitos de segurança exigíveis neste tipo de embarcações.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular e dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha do Pico.

Haja saúde!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Guia de Turismo dos Açores de 1996


Em fevereiro de 1996 foi editado, pela Empresa de Publicidade e Comércio dos Açores e Madeira, Lda, um Guia de Turismo dos Açores. Passados 21 anos, é muito interessante observar como era então divulgado o Pico, em particular, e os Açores, em geral, nesta edição cuja fotografia da capa curiosamente foi tirada no Cais do Pico, vila de São Roque do Pico.

Este guia de turismo contém 80 páginas e está dividido em duas partes: uma sobre o arquipélago açoriano no seu todo e outra sobre as especificidades de cada ilha. Relativamente à primeira, é apresentada a geografia dos Açores, o seu clima, informações sobre a população, geomorfologia, flora e fauna, história das ilhas, bem como quais são as principais festividades, artes populares e cozinha tradicional — cópia desta parte do guia encontra-se no final deste post.

Sobre o roteiro de cada ilha, apresenta-se de seguida a parte relativa à ilha montanha — embora a descrição do Pico não tenha mudado muito ao longo do tempo, salta logo à vista a publicidade da altura: não são só os números de telefone que são diferentes, mas alguns dos empreendimentos de então já não existem atualmente...

Esta também é uma forma de recordar o passado e de viajar no tempo, tudo isto (quem diria) graças ao um guia de turismo!

Haja saúde!

Roteiro da ilha do Pico
(sugere-se que se clique nas imagens para as ver em tamanho maior)








Parte relativa ao arquipélago no seu todo

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Reabilitação da vinha do Pico distinguida nos Green Project Awards 2016


O processo de reabilitação e manutenção da cultura tradicional da vinha em currais na Paisagem da Cultura da Vinha do Pico, promovido pela Direção Regional do Ambiente, foi distinguido com uma menção honrosa na 9ª edição dos Green Project Awards, na categoria "Mar, Agricultura e Turismo".

"Esta menção honrosa é o reconhecimento de uma estratégia de valorização do nosso património natural e cultural, enquanto dimensão fundamental do desenvolvimento sustentável, que permitiu, em poucos anos, travar um processo de abandono progressivo das vinhas, recuperar a paisagem e aumentar significativamente a área de vinha em produção", declarou o diretor regional do Ambiente, Hernâni Jorge, na entrega dos prémios.

Ainda segundo o diretor regional, "o sucesso dos sistemas de apoio à reabilitação e manutenção da cultura tradicional da vinha na Paisagem Património Mundial é evidenciado pelo facto da área em produção passar de cerca de 120 hectares em 2004 (data da classificação pela UNESCO) para mais de 750 hectares, dentro de dois anos".

Para Hernâni Jorge, "esta distinção premeia o esforço e a capacidade empreendedora dos vitivinicultores do Pico e confere maior notoriedade aos seus produtos".

O Green Project Awards é um projeto internacional, com edições em Portugal, no Brasil e em Cabo Verde, que visa premiar e reconhecer as boas práticas em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável, como complemento ao movimento de sensibilização para as temáticas da sustentabilidade, alertando e consciencializando a sociedade civil para importância do equilíbrio ambiental, económico e social.

Agricultura, Mar e Turismo; Cidades Sustentáveis; Consumo Sustentável; Gestão Eficiente de Recursos; Information Technology; Iniciativa de Mobilização; Produto ou Serviço; e Prémio Inovação Social Green Project Awards – Sociedade Ponto Verde foram as categorias em concurso nesta 9ª edição dos Green Project Awards.

O projeto da Direção Regional do Ambiente concorreu para a categoria "Agricultura, Mar e Turismo", tendo integrado a lista dos finalistas juntamente com os projetos: Programa Leite de Vacas Felizes (Bel Portugal) - vencedor; Silvopastorícia na prevenção de incêndios e criação de empregos (Associação Território com Vida); CoolFarm; Fresh.Land – Straight from the Farm; e SunSailer 7.0, um barco eletro-solar (Sun Concept).

[Fonte da notícia: GaCS]

Haja saúde!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Estudo sobre como os aeroportos do "Triângulo" servem o conjunto das três ilhas


As ilhas de São Jorge, Pico e Faial formam o chamado "Triângulo", expoente máximo da sensação de arquipélago na Região Autónoma dos Açores: ilhas com paisagens e culturas diferentes mas que se avistam entre si todos os dias. Seja pelas fajãs de São Jorge, pela Montanha do Pico, pelo Vulcão dos Capelinhos ou por muitas outras razões, visitar estas três ilhas é sinónimo de embarcar numa autêntica viagem certificada pela natureza!

Outra particularidade do "Triângulo" no contexto regional é que, depois de se chegar a uma das suas ilhas, torna-se relativamente simples alcançar as restantes recorrendo às ligações marítimas regulares que todos os dias as unem. Assim, esta zona do arquipélago pode ser considerado como um território semi-contíguo, o que significa que é justo analisar o conjunto destas três ilhas, ao invés de as considerar separadamente: o "Triângulo" contém 15,5% da população açoriana (Censos 2011) mas representa mais de um terço da área terrestre do arquipélago, mais concretamente 37,1 % (SIARAM); adicionalmente, é nestas três ilhas que a maioria dos turistas de espaço rural dormem quando visitam os Açores (cerca de 42% em 2016 — SREA).

A esmagadora maioria das pessoas que pretendem entrar ou sair do "Triângulo", sejam residentes ou turistas, escolhem invariavelmente o avião como meio de transporte preferido, pois esta opção é não só a mais rápida, mas também a mais acessível ao público em geral. Por esta razão, a existência de um aeroporto em cada uma das três ilhas é fundamental para garantir que é minimizado ao máximo o isolamento de cada uma das partes que compõem o "Triângulo". Por outro lado, e devido à particularidade do "Triângulo" poder ser encarado como um território semi-contíguo, dotar uma destas três ilhas com uma infraestrutura aeroportuária com capacidade para servir condignamente as ligações aéreas com o exterior, quer para o território nacional, quer para o estrangeiro, é igualmente benéfico para as restantes ilhas.

Deste modo, assume particular importância analisar como os aeroportos do "Triângulo" servem o conjunto das três ilhas, o que não só permite descobrir o impacto que cada uma das infraestruturas aeroportuárias tem neste grupo de ilhas, bem como possibilita a identificação de qual o aeroporto que melhor serve o "Triângulo" no seu todo. Por esta razão, apresenta-se de seguida um estudo sobre este tema.

Para avaliar como um aeroporto serve a população, primeiro há que definir uma métrica que traduza diretamente a relação custo/benefício entre a localização da infraestrutura aeroportuária e a origem ou destino do passageiro. Assim, a métrica escolhida para este estudo foi o tempo de viagem entre o aeroporto de entrada no "Triângulo" e o destino final numa qualquer das três ilhas. Posto isto, os restantes pressupostos do estudo são:
  • Para cada um dos três aeroportos é determinado o tempo de viagem entre essa infraestrutura aeroportuária e o centro de cada uma das freguesias existentes no "Triângulo";
  • Os destinos finais que não se encontrem na mesma ilha do aeroporto de entrada implicam que parte do percurso seja feito por via marítima, o que por sua vez significa que as respetivas gares marítimas são pontos intermédios do percurso;
  • Os tempos de viagem utilizando meios terrestres são calculados a partir das distâncias obtidas através do Google Maps e assumindo uma velocidade de 50 km/h (de forma a não infringir o artigo 27.º do Código da Estrada);
  • Relativamente às viagens marítimas, são consideradas as ligações diárias mais céleres disponíveis durante todo o verão pelas linhas Azul e Verde da Atlânticoline, isto é, as seis ligações entre Madalena (Pico) e Horta (Faial), as duas ligações entre São Roque (Pico) e Velas (São Jorge) e as duas ligações entre Velas e Horta (as quais têm uma escala intermédia na ilha montanha);
  • Sempre que o percurso entre o aeroporto e o destino final implique uma viagem marítima, o tempo média de espera pelo barco é considerado, bem como é adicionado um tempo fixo de 10 minutos à duração da viagem marítima, de forma a contabilizar os efeitos da mudança entre meios de transporte;
  • Finalmente, é assumido que um passageiro está pronto a sair do aeroporto de entrada rumo ao seu destino no "Triângulo" a partir das 9h00 e até à hora máxima que garante que este chega ao local final pretendido no mesmo dia, com distribuição uniforme neste intervalo de tempo.

Com base em tudo o que foi mencionado anteriormente, as durações de viagens entre cada aeroporto do "Triângulo" e um qualquer local nesta zona do arquipélago foram determinadas (ver anexo). A Tabela 1 apresenta a duração máxima de viagem para qualquer ponto no "Triângulo" partindo de cada um dos três aeroportos em análise.


Como se pode constatar, o aeroporto da ilha do Pico é o que apresenta o menor tempo da viagem mais demorada entre uma infraestrutura aeroportuária do "Triângulo" e o respetivo local mais longe em termos de tempo (no caso aeroporto da ilha montanha, cerca de 7 horas e um terço para o Topo, São Jorge). Segue-se o aeroporto situado na ilha do Faial, o qual apresenta pouco mais de 8 horas de duração máxima de viagem (Topo, São Jorge), enquanto o aeroporto da ilha de São Jorge apresenta o pior desempenho, com pouco mais de 8 horas e um terço de duração da viagem mais demorada (Praia do Norte, Faial).

Contudo, a análise da duração máxima de viagem permite apenas ter em consideração a dispersão geográfica do território, deixando de fora a densidade populacional de cada freguesia (e consequentemente de cada ilha). Assim, é necessário efetuar uma média ponderada da duração de viagem atendendo ao número de habitantes de cada localidade (Censos 2011), cujos resultados se apresentam na Tabela 2.


Como se pode verificar, mais uma vez o aeroporto da ilha do Pico apresenta o melhor desempenho, desta vez em termos da média ponderada da duração de viagem para qualquer ponto no "Triângulo" (ligeiramente inferior a 2 horas e três quartos), seguido da infraestrutura aeroportuária localizada no Faial (quase 3 horas), sendo que o aeroporto da ilha de São Jorge apresenta o pior desempenho (quase 5 horas e três quartos).

Em suma, este estudo sobre como os aeroportos do "Triângulo" servem o conjunto das três ilhas permite tirar uma conclusão factual, isto é, imparcial e objetiva: dotar o aeroporto da ilha do Pico com capacidade para servir condignamente as ligações aéreas com o exterior, quer para o território nacional, quer para o estrangeiro, é a escolha acertada em termos da infraestrutura aeroportuária que consegue maximizar o benefício para todas as três ilhas que formam o "Triângulo".

Haja saúde!

Post scriptum: Este estudo foi igualmente publicado na edição n.º 41.180 do 'Diário dos Açores', de 24 de janeiro de 2017. Adicionalmente, este estudo foi mencionado na edição n.º 1.206 do 'Ilha Maior', de 27 de janeiro de 2017, deu origem a uma notícia na RDP-Açores, emitida em 6 de fevereiro de 2017, e a uma notícia na RTP-Açores, emitida em 7 de fevereiro de 2017.

Anexo
Durações de viagens entre cada aeroporto do "Triângulo" e um qualquer local nestas três ilhas

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Museu mais visitado dos Açores fica na ilha do Pico


Terminado que está o ano de 2016, alguns balanços começam a ser feitos na área do turismo, onde se incluem os espaços museológicos dos Açores.

Mais concretamente, de entre os 17 espaços tutelados pela Região, os quais receberam um total de 164.591 visitas no ano passado, o Museu dos Baleeiros — um dos polos do Museu do Pico — foi o que teve maior número de visitantes: 30.013.

Recorde-se que o Museu do Pico, enquadrado na categoria de Museu Regional, reúne, para além do Museu dos Baleeiros, na vila das Lajes, o Museu da Indústria Baleeira, na vila de São Roque, e o Museu do Vinho, na vila da Madalena. Estes dois últimos polos receberam 12.261 e 10.531 visitas em 2016, respetivamente.

Estes três polos/núcleos museológicos assumem-se como instrumentos capazes de propiciar a valorização do património cultural da ilha do Pico e de colaborar na construção da sua identidade, fazendo o levantamento, a preservação, o estudo e a divulgação das suas memórias coletivas, associadas aos históricos ciclos regionais da baleação e da vitivinicultura.

Para saber mais sobre este museu (incluindo visitas virtuais) basta clicar no seguinte link: Museu do Pico - visitas virtuais

Por fim, atente-se a mais uma pequena estatística: não só um dos três polos do Museu do Pico foi, por si só, o espaço museológico açoriano mais visitado em 2016, como somando as visitas dos restantes polos resulta que um em cada três visitantes dos museus tutelados pela Região esteve no Museu do Pico. Por outras palavras, a ilha montanha foi claramente a mais procurada nos Açores no que respeita a museus!

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Já é possível reservar bilhete de barco no "Triângulo" aquando da reserva do bilhete aéreo


A Azores Airlines e a Atlânticoline acabam de lançar uma nova funcionalidade de reserva conjunta. Mais concretamente, agora é possível incluir percursos de barco para as ilhas do "Triângulo" – Pico, São Jorge e Faial – nas reservas de avião da Azores Airlines.

Esta opção está disponível após o passageiro introduzir os seus dados pessoais, numa secção dedicada intitulada "Barco", onde é possível escolher a viagem de barco e a data da mesma.

Esta ferramenta vai facilitar bastante a mobilidade para e dentro dos Açores, quer para turistas, quer para os residentes no arquipélago, como também conciliar os diferentes meios de transporte de acordo com as necessidades dos passageiros.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular, enquanto no separador "Aviões" encontram-se os horários dos aviões que servem a ilha montanha de forma regular.

Haja saúde!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Radar da PSP no Pico — janeiro 2017

Segundo a PSP, neste mês de janeiro de 2017 irão ser feitas operações de controlo de velocidade por radar na ilha do Pico, nomeadamente em:

  • 18 de janeiro (quarta-feira) / 08h00 / Candelária (Madalena).

Haja saúde!

domingo, 15 de janeiro de 2017

Vinho do Pico ganha cada vez mais destaque a nível internacional

Encontrar um novo local onde se produz tintos e brancos excitantes é um dos maiores prazeres que o vinho pode proporcionar. A minha descoberta do ano é um límpido, puro branco oriundo de uma pequena, remota ilha nos Açores.
É assim que o crítico Elin McCoy inicia a sua descrição sobre o vinho proveniente da ilha montanha "Arinto dos Açores", o qual foi, para este crítico da Bloomberg, um dos dez melhores vinhos de 2016 de todo o mundo.

Recorde-se que a vinha da ilha do Pico é uma autêntica lição de vida, tendo sido, por isso, classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.

Haja saúde!

sábado, 14 de janeiro de 2017

Mais de 12 mil pessoas escalaram em 2016 a montanha do Pico


O ponto mais alto de Portugal registou, em 2016, a visita de 12.317 pessoas, o que não só representa um crescimento de 18,3% face ao ano anterior, bem como se tornou no novo recorde de escaladas à montanha do Pico num só ano.

Além disso, os números oficiais indicam que mais de 25 mil pessoas visitaram a Casa da Montanha, ponto de paragem obrigatório para a subida, situado a cerca de 1.200 metros de altitude, sendo neste local disponibilizado informação sobre a geologia, biologia, história e clima da montanha do Pico, quer em painéis informativos, quer em formato de vídeo que pode ser visualizado no auditório.

Para conhecer as regras de subida à montanha do Pico, bem como algumas das suas curiosidades, basta clicar no seguinte link: Regulamento de acesso à montanha do Pico

Por fim, é de realçar esta contínua e crescente procura, ano após ano, pela experiência da subida e pelas magníficas paisagens proporcionadas pelo ponto mais alto de Portugal, o qual fica no "piquinho da ilha montanha"!

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Maioria dos voos Pico-Lisboa passam a ser diretos já neste inverno IATA


O início do ano de 2017 trouxe uma excelente novidade para todos aqueles que se deslocam entre a ilha montanha e a capital portuguesa: a grande maioria dos voos Pico-Lisboa passam a ser diretos já neste inverno IATA!

Por outras palavras, agora a regra passa a ser duas viagens diretas por semana entre a ilha do Pico e a cidade de Lisboa (às segundas e aos sábados), tornando-se a escala na ilha Terceira uma exceção em apenas alguns dias.

Esta situação, a qual claramente beneficia os passageiros — chegam uma hora mais cedo a Lisboa e não têm o incómodo de uma escala intermédia — já ocorreu em alguns voos deste ano e irá se manter até ao final de março, altura em que não só passarão a existir três voos semanais Lisboa-Pico-Lisboa, bem como todos serão sempre diretos em ambos os sentidos.

Depois de 2016 ter sido um ano memorável para o Aeroporto da ilha do Pico, 2017 começa a dar sinais de que também vai ficar na história do aeroporto da ilha montanha, sendo importante salientar que isto se deve não só à crescente procura do destino Pico, mas também à Azores Airlines, a transportadora aérea regional que está a corresponder a essa demanda através de uma melhoria contínua do seu serviço no que respeita à ilha do Pico.

Haja saúde!

Post scriptum: Adicionada ao fim deste post a reportagem RTP-Açores sobre este assunto.



quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Cais Agosto 2017


Entre 26 e 30 de julho de 2017 decorre a XXIII edição do festival "Cais Agosto", as maiores festas do concelho de São Roque do Pico.

Para além do XII Festival de Bandas Filarmónicas da ilha do Pico (quarta-feira, 26 de julho), os cabeças de cartaz são:
À semelhança dos anos anteriores, o festival vai ainda contar com feira gastronómica, tenda eletrónica, dia do "Triângulo" e animação infantil.

Todos os concertos no "Cais Agosto 2017" são de acesso gratuito.

Programa oficial - link: Cais Agosto 2017.

Haja saúde!

[Nota: Este post irá sendo atualizado à medida que forem surgindo mais informações relacionadas com este evento (última atualização: 21 de julho de 2017). Consulte também site oficial, o Facebook oficial e o Instagram oficial do festival "Cais Agosto".]








terça-feira, 10 de janeiro de 2017

2016 foi um ano memorável para o Aeroporto do Pico


O Serviço Regional de Estatística dos Açores acaba de divulgar os dados relativos ao transporte aéreo que permitem uma análise a todo o ano de 2016, sendo que os mesmos revelam um facto indesmentível: a ilha do Pico registou, de forma destacada face às restantes ilhas açorianas, o maior crescimento percentual anual de passageiros aéreos!


É de salientar que apenas o Pico (37%) e a Terceira (23%) registaram crescimentos superiores à média regional (20%) no que toca aos passageiros aéreos de e para as respetivas ilhas em 2016 face a 2015. Em termos absolutos, desembarcaram 59.363 passageiros no Pico, embarcaram 60.086 e estiveram em trânsito 3.877, o que perfaz um total de 123.326 passageiros que usufruíram do aeroporto da ilha montanha em 2016.

Mas 2016 foi também histórico para o Aeroporto da ilha do Pico por outras razões:
Com este historial, o Aeroporto da ilha do Pico — a maior infraestrutura aeroportuária totalmente açoriana — continua a afirmar-se como uma importante porta de entrada e de saída não só da ilha montanha, em particular, mas do "Triângulo" e dos Açores, em geral.

Resumindo, os números não enganam: o Pico está na moda!

Haja saúde!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Horários Atlânticoline — ajustes primeiro trimestre 2017

Os horários da operação regular da Atlânticoline acabam de sofrer alguns ajustes. Mais concretamente, verificam-se as seguintes alterações:
  • Na Linha Verde, a qual liga o "Triângulo" (Pico, São Jorge e Faial), a viagem da tarde de sexta-feira passa a realizar-se uma hora mais tarde, com saída da Horta (Faial) às 17h45;
  • No que respeita à Linha Azul, a qual liga o Pico ao Faial, a viagem de sábado entre Madalena (Pico) e Horta (Faial) das 14h00 parte agora às 15h00.
Esta situação manter-se-á durante o primeiro trimestre de 2017.

Recorde-se que no separador "Barcos" deste blog é possível encontrar os horários dos navios de passageiros que servem a ilha do Pico de forma regular e dos navios de mercadorias que escalam o principal porto comercial da ilha do Pico.

Haja saúde!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Escala de navios de mercadorias no Porto do Cais do Pico — janeiro 2017

A Transinsular publicou no seu site a escala para o mês de janeiro de 2017 dos navios de carga que efetuam a ligação Continente - Açores (clique na imagem para conhecer esta escala).


Os navios e as datas em que os mesmos vão visitar o Porto do Cais do Pico, na vila de São Roque do Pico, encontram-se indicados na tabela seguinte (clicando no nome do navio abre uma nova janela com a localização atual do mesmo).

DiaNavio
04 de janeiro (quarta-feira)Furnas
12 de janeiro (quinta-feira)Ponta do Sol
19 de janeiro (quinta-feira)Furnas
24 de janeiro (terça-feira)Ponta do Sol

Previsão de entradas e saídas de navios - Porto do Cais do Pico: Todas estas informações encontram-se igualmente disponíveis no separador "Barcos" deste blog, apresentando-se também em anexo um mapa contendo, em tempo real, as embarcações que navegam na vizinhança da ilha montanha.

Haja saúde!

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Inspeções Técnicas de Veículos — deslocações ao Pico em 2017


De seguida apresentam-se as datas das deslocações à ilha do Pico em 2017 das Inspeções Técnicas de Veículos.

Haja saúde!



Inspeções Técnicas de Veículos — deslocações ao Pico em 2017

MêsDias
Janeiro02 a 06
Fevereiro13 a 24
Março13 a 24
Abril24 a 30
Maio01 a 05
Junho06 a 23
MêsDias
Julho10 a 21
Agosto21 a 31
Setembro01 a 01
Outubro09 a 20
Novembro06 a 17
Dezembro18 a 29

Os veículos devem apresentar-se à inspeção durante o período de abertura correspondente ao dia e mês de matrícula. Caso esta data não coincida com o período de funcionamento do centro, o veículo deverá apresentar-se no período subsequente.
Marcações: 292 622 241
Fonte: ControlAuto Açores.

Outras informações:
A inspeção poderá ser antecipada até 3 meses em relação ao dia e mês de matrícula. Os veículos que reprovaram no anterior período de permanência do centro e não puderam efetuar a reinspeção até à data de encerramento do mesmo, devem realizá-la nos primeiros 3 dias úteis seguintes à data desta reabertura.

Periodicidade de acordo com a Categoria e Tipo:
― Automóveis ligeiros de mercadorias, automóveis ligeiros de passageiros, restantes automóveis ligeiros:
  • Quatro anos após a data da primeira matrícula e em seguida, de dois em dois anos.

― Motociclos, ciclomotores e tratores agrícolas e seus reboques, independentemente do seu peso bruto:
  • Quatro anos após a data da primeira matrícula e em seguida, anualmente.

― Reboques e semirreboques com peso bruto igual ou superior a 750 kg e não superior a 3500 kg, com exceção dos reboque agrícolas:
  • Dois anos após a data da primeira matrícula e em seguida, anualmente.

― Automóveis pesados de passageiros, pesados de mercadorias, reboques e semirreboques com peso bruto superior a 3500 kg, com exceção dos reboques agrícolas, automóveis ligeiros licenciados para transporte público de passageiros e ambulâncias, automóveis utilizados no transporte escolar e automóveis ligeiros licenciados para a instrução:
  • Um ano após a data da primeira matrícula e em seguida, anualmente.

Documentos a apresentar:
  • Certificado de matrícula;
  • Licenças especiais;
  • Apólice de seguro;
  • Ficha da inspeção anterior.


segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Primeiro Banho do Ano de 2017

No Cais do Pico, vila de São Roque do Pico, um grupo de amigos mantém a tradição com vários anos de dar as boas-vindas ao Ano Novo com um banho de mar no primeiro dia do calendário (e por volta das 12h30).

Neste ano de 2017 que agora se inicia (e à semelhança do ano passado), não estavam reunidas as condições de mar para que o banho tivesse lugar na zona balnear da Rampa e com o tradicional brinde com champanhe dentro do oceano Atlântico. Mas isso não impediu os banhistas de se deslocarem para as águas mais calmas do porto de pescas, ali bem perto da Rampa, e de darem um valente salto para o mar. O brinde foi feito posteriormente já em terra firme, sendo abençoado por alguma chuva que se fazia sentir.

Aqui ficam algumas fotografias para mais tarde recordar.

Haja saúde!