segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Grande incêndio destrói Hiper Cais

[Cerca de três meses depois, Hiper Cais começa a renascer das cinzas.]
[Cerca de seis meses depois, Hiper Cais é reinaugurado.]

Na noite passada (29 de novembro de 2015) um incêndio de grandes proporções destruiu a superfície comercial Hiper Cais, localizada na vila de São Roque do Pico. As chamas deflagraram cerca das 21h15 e o incêndio só foi dado como extinto por volta das 06h00.

Este estabelecimento, propriedade de Manuel Norberto Melo Jorge, dedicava-se sobretudo ao comércio de produtos alimentares, tendo sido recentemente distinguido com um prémio de mérito no empreendedorismo por parte do Município de São Roque do Pico aquando da comemoração do 473º aniversário deste concelho.

De seguida apresenta-se um vídeo deste incêndio, onde se pode observar o combate às chamas por parte dos meios que estiveram envolvidos: Bombeiros Voluntários de São Roque do Pico, Bombeiros Voluntários da Madalena e ainda uma viatura de combate a incêndios do aeroporto da ilha do Pico.

Também se apresentam algumas fotos do rescaldo no final deste post.

[Mais sobre este incêndio nos seguintes links: notícia | fotos | vídeo | reportagem]

Haja saúde!




sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Oleões em São Roque do Pico

A partir de agora tornou-se mais fácil preservar melhor o meio ambiente de São Roque do Pico, em particular, e da ilha montanha, em geral: com a recente distribuição de oleões um pouco por todo este concelho, doravante os munícipes ficaram com a tarefa mais facilitada para a recolha seletiva de óleos alimentares usados.

Em cada oleão, identificado pela cor laranja, os óleos devem ser depositados da seguinte forma:
  • Guardar o seu óleo usado em garrafas ou garrafões de plástico;
  • Fechá-los bem com uma tampa;
  • Colocar a garrafa/garrafão no orifício do oleão.

O óleos usados serão assim reciclados, podendo dar origem a biodiesel e/ou sabão. O ambiente ficará desta forma melhor protegido (como curiosidades, por cada dez litros de óleo alimentar entregues para reciclar poderão ser produzidos cerca de sete litros de combustível; por outro lado, um litro de óleo alimentar usado, se depositado incorretamente, pode poluir cerca de um milhão de litros de água!).

Recorde-se que na ilha do Pico existem diversos ecopontos, os quais permitem a recolha seletiva de plástico/metal (ecoponto amarelo), papel/cartão (ecoponto azul) e vidro (ecoponto verde), sendo que estes resíduos são posteriormente reciclados.

Recicle, a Montanha agradece!

Haja saúde!

© Município de São Roque do Pico.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Documentário "Currais de Pedra"

O documentário "Currais de Pedra", que se apresenta de seguida, tenta responder a algumas perguntas que muitos fazem quando visitam a ilha do Pico e observam a sua cultura da vinha:
  • Como terão os picarotos ao longo dos séculos construído um património cultural único no planeta Terra?
  • Que forças estarão na génese dessa necessidade?

Recorde-se que a Paisagem da Cultura da Vinha da ilha do Pico é Património Mundial da Humanidade e uma autêntica lição de vida!

Haja saúde!


ILHA DO PICO Documentário Currais de Pedra As vinhas do Pico consideradas uma obra humana de “gigantes” e classificadas como Património da Humanidade em 2004 são um exemplo de genialidade da interação do Homem com um território vulcânico que parecia inóspito, tendo como sumo um vinho de excelência. A transformação de enormes campos de lava em terreno para cultivo de videiras marcou definitivamente o ordenamento do território da ilha do Pico bem como a vida das suas gentes. Como terão os Picarotos ao longo dos séculos construído um património cultural único no Planeta Terra? Que forças estarão na génese dessa necessidade? Este documentário dá voz às mulheres e homens do Pico que ao longo dos tempos transformaram a paisagem, tirando dai todo o seu sustento numa relação perfeita com a natureza. Publicado por Eduardo Elias da Silva em Segunda-feira, 19 de Outubro de 2015<

sábado, 21 de novembro de 2015

Roteiro das Festas do Divino Espírito Santo

O Culto do Divino Espírito Santo é comumente aceite como a maior manifestação de natureza religiosa dos Açorianos e o legado cultural que melhor define e carateriza a Açorianidade.

Esta celebração, inerente à nossa identidade, ultrapassou mesmo as fronteiras das nove ilhas atlânticas através das várias gerações e vagas de emigração, e constitui, por isso, a melhor ponte de comunicação e o maior fator de agregação existente entre açorianos, onde quer que se encontrem.

De forma a fazer um levantamento e disponibilizar informação sobre estas comemorações e Festas do Divino Espírito Santo, nos Açores e nas comunidades da diáspora, incluindo a sua localização geográfica, o respetivo calendário e notas históricas e de interesse, o Governo dos Açores criou o portal "Roteiro das Festas do Divino Espírito Santo" [disponível em http://roteirodesazores.com].

Neste portal é possível:
Entre outras coisas. Para finalizar, nada melhor do que ouvir o Hino do Divino Espírito Santo:


Haja saúde!

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

O Pico da SATA

Dentro da frota da SATA existe um Airbus A320 com a matrícula CS-TKJ, o qual foi batizado com o nome Pico. Este avião encontra-se desde o dia 16 de novembro de 2015 estacionado no aeroporto da ilha montanha, tendo a companhia aérea açoriana afirmado que se trata de uma avaria técnica.

Em declarações exclusivas a este blog, apresenta-se de seguida a versão desta aeronave na primeira pessoa (com foto e vídeo no final deste post):
Existem dois dias na semana que para mim são mais excitantes do que os restantes - estes dias são as segundas-feiras e os sábados. Porquê? Porque há sempre a hipótese de ser convocado para voar para a ilha do Pico, a ilha do meu coração!
Dia 16 de novembro de 2015 saiu-me a sorte grande da segunda-feira: poder viajar para a ilha montanha. Contudo, desta vez decidi colocar em marcha um plano secreto, inspirado numa noite bem passada na ilha do Pico por parte de um avião meu colega. Tudo começou assim...
Faltavam poucos minutos para as 10h da manhã quando comecei a fazer a aproximação ao aeroporto da ilha do Pico. Fiquei com arrepios de excitação durante esta fase do voo, sobretudo ao ver o património mundial da magnífica vinha da ilha montanha, e por isso comecei a tremer, o que confesso que pode ter sido ligeiramente desconfortável para os passageiros que se encontravam a bordo...
Depois, para me concentrar, tentei tomar o calmante dos aviões ao ligar o sistema "I Love SATA", também conhecido por sistema ILS. Acontece que, como sistema ILS ainda não está certificado no aeroporto da ilha do Pico (têm me dito que se deve a algumas variações da SATA no passado, o que tem tornado mais complicado a existência de "I Love SATA" na ilha montanha), não me concentrei a 100% e por isso tive que abortar a primeira tentativa de aterragem...
Fui dar uma voltinha por cima de São Jorge, tentar apreciar as fajãs para me relaxar mas estava muito nublado, tendo por isso rapidamente regressado à missão de tentar aterrar na ilha que contém o ponto mais alto de Portugal, isto por volta das 10h20. Novamente comecei a descer, desta vez com a convicção de que ia aterrar, e continuei, e só olhei para as luzes da pista, e estava quase, e apercebi-me de que ia tocar no solo... Touchdown!!!
Dentro de mim ouvi os passageiros a se lamentarem porque foi uma aterragem bastante brusca (vulgarmente conhecida por hard landing) e porque caíram as máscaras de oxigénio, mas eu explico o que se passou: a ilha do Pico é magnética, tem um poder de atração tão forte que me levou a fazer uma hard-attraction landing; aliás, até dei um saltinho de satisfação ao aterrar, como podem comprovar ao ver a filmagem da aterragem. Em relação às máscaras de oxigénio, como o ar da ilha montanha é tão maravilhoso, eu só quis partilhar de imediato o mesmo com os passageiros (ou seja, sem terem de sair da aeronave), mas estes não perceberam a ideia...
Por fim, e antes de estacionar, não me esqueci de concretizar o meu plano secreto: ativei umas luzes de alarme e queixei-me de dores num trem de aterragem, imitando algumas simulações de jogadores de futebol... Isto levou a SATA a cancelar o voo de saída da ilha do Pico e a me dar uma folga de alguns dias na ilha montanha!
Resumindo, estou já há 3 dias numas mini-férias numa ilha extraordinária e posso finalmente dizer que o Pico está no Pico!

Haja saúde!
[Nota: esta estória serve para descrever de forma mais descontraída a história da avaria de um avião da SATA que se registou no dia 16 de novembro de 2015 no aeroporto da ilha do Pico.]
[Post scriptum: esta aeronave partiu da ilha do Pico no dia 26 de novembro de 2015, às 14h47, tendo aterrado em Lisboa após 3h29m de viagem (cerca de 1h30m a mais do que num voo regular) - vídeo da descolagem.]


© Vídeo de Natália Bettencourt.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Segundo Raul Brandão, o Pico é a mais bela, a mais extraordinária ilha dos Açores...

Descrever a ilha do Pico de forma não tendenciosa - falar sobre a sua gente, os seus feitos e o meio ambiente que os rodeia - pode ser uma tarefa complicada para um picaroto. Assim, de modo a levar esta missão a bom porto, há que recorrer à opinião de alguém "de fora", que tenha percorrido o arquipélago açoriano de uma ponta à outra e que tenha ficado a conhecer todas as ilhas.

Raul Brandão (1867-1930) é talvez uma das melhores pessoas a quem se pode recorrer para adequadamente se saber mais sobre a imagem dos Açores: no verão de 1924, este militar, jornalista e escritor português visitou todas as ilhas do arquipélago açoriano, tendo dessa viagem resultado a obra As ilhas desconhecidas - Notas e paisagens (Lisboa, 1926). Esta obra, dedicada "aos meus amigos dos Açores", é uma das obras que mais influíram na formação da imagem interna e externa das ilhas açorianas.

A ilha do Pico é referenciada inúmeras vezes em toda esta obra, e como o autor visitou todo o arquipélago, esta obra torna-se uma excelente fonte para descrever a ilha montanha e as suas gentes de forma não tendenciosa. Vejamos então algumas algumas passagens de As ilhas desconhecidas - Notas e paisagens...
[É notável como já na época era salientada a fama mundial da vinha do Pico, a qual é, desde 2004, Património da Humanidade, mas sempre foi uma autêntica lição de vida!]
(...) A vinha tem fama no mundo. O vinho branco do Pico, feito de verdelho e criado na lava, é um liquido com um pique amargo, cor de âmbar e que parece fogo. Levantam uma pedra, atiram um punhado de terra para o buraco e a videira deita raízes como pode, abrigada no curral pelos muros e estendida no chão sobre calhaus. Só lhe levantam um pouco as varas quando o cacho está perto de amadurecer. O Pico já deu milhares de pipas de vinho, que exportava quase na totalidade para a Rússia. (...)
[Repare-se como os naturais da ilha do Pico são referidos como "picarotos", mostrando a próxima passagem como a este gentílico bastante original estão associadas pessoas de bravura!]
(...) Os picarotos são os mais destemidos homens do mar do arquipélago, tisnados, secos, graves e leais. (...)
[Não é invulgar ouvir os visitantes da ilha montanha dizerem que o ar do Pico é menos húmido do que nas restantes ilhas dos Açores; Raul Brandão justifica-o!]
(...) O ar do Pico é maravilhoso de finura e graça. Chove e seca logo. Esta pedra porosa absorve a humidade como uma esponja. (...)
[A obra As ilhas desconhecidas - Notas e paisagens inspirou o código de cores das ilhas açorianas, sendo a seguinte passagem uma das razões para a ilha do Pico ser conhecida como "a ilha cinzenta"!]
(...) É o Pico na sua verdadeira expressão. Cinzento e negro, sempre cinzento e negro, o negro da terra, o negro dos montes cada vez maiores, e o cinzento estranho dos mistérios, vastas necrópoles, onde terra e pedra estão sepultadas sobre o mesmo lençol cinzento. É esta paisagem mineral que dá carácter à ilha magnética. (...)
[Muito mais pode ser dito sobre a ilha do Pico, e muitas mais coisas foram mencionadas sobre esta ilha na obra de Raul Brandão, mas o excerto que se segue resume tudo isto...]
(...) O Pico é a mais bela, a mais extraordinária ilha dos Açores, duma beleza que só a ela lhe pertence, duma cor admirável e com um estranho poder de atracção. (...)
Haja saúde!

Paisagem também descrita por Raul Brandão em As ilhas desconhecidas - Notas e paisagens: (...) Uma nuvem branca e esguia cortou o Pico pelo meio e o cone sai da nuvem suspenso no ar por milagre. (...)

domingo, 15 de novembro de 2015

Triângulo Magazine

A Triângulo Magazine é a mais recente revista açoriana, lançada no dia 14 de novembro de 2015. Este novo projeto, da autoria de Milton Dias, tem um carácter generalista e pretende divulgar a atualidade informativa da região, dando especial destaque às ilhas do Triângulo.


A Triângulo Magazine é uma publicação mensal, de distribuição gratuita, em formato revista e digital, possuindo também um carácter bilíngue (português e inglês). A edição online pode ser consultada em http://triangulomagazine.com, sendo que brevemente esta revista será disponibilizada a bordo dos aviões da SATA.

Haja saúde!

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Escala de navios de mercadorias no Porto do Cais do Pico - novembro 2015

A Transinsular publicou no seu site a escala para o mês de novembro dos navios de carga que efetuam a ligação Continente - Açores (clique na imagem para conhecer esta escala).


Os navios e as datas em que vão visitar o porto do Cais do Pico, na vila de São Roque do Pico, encontram-se indicados na tabela seguinte (clicando no nome do navio abre uma nova janela com a localização atual do mesmo).

DiaNavio
05 de novembro (quinta-feira)Sete Cidades
12 de novembro (quinta-feira)Ponta do Sol
17 de novembro (terça-feira)Sete Cidades
25 de novembro (quarta-feira)Furnas

Previsão de entradas e saídas de navios - porto do Cais do Pico: Todas estas informações também se encontram disponíveis no separador "Barcos" deste blog.

Haja saúde!

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Vinha da ilha do Pico, uma lição de vida!

Os antepassados da ilha do Pico deixaram um património inigualável: a vinha da ilha do Pico. A paisagem, a vivência e a economia da ilha montanha foram moldadas por esta forma de produzir vinho, única em todo o mundo!

A vinha da ilha do Pico é também uma fonte de inspiração para todas as pessoas: num local onde praticamente só existia pedra, o Homem do Pico foi capaz de não só tirar dali o seu sustento, mas também criar um produto de qualidade mundial, isto tudo em harmonia com a natureza!

Para homenagear esses antepassados, os quais recorreram ao crer, esforço e dedicação para superar o que parecia ser impossível, aqui fica um pequeno vídeo sobre a Paisagem da Cultura da Vinha da ilha do Pico, a qual

Felizmente, a vinha da ilha do Pico está em franca fase de recuperação e continua a produzir vinhos que são autênticas dádivas dos deuses, garantindo assim a perpetuação desta lição de vida!

Haja saúde!

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Portal do Ordenamento do Território dos Açores

O Governo Regional dos Açores lançou recentemente o Portal do Ordenamento do Território dos Açores, o qual permite que qualquer cidadão tenha mais fácil consulta e acesso a toda a informação técnica no domínio do ordenamento do território nos Açores.

Este portal está disponível através do link http://ot.azores.gov.pt e conta com os seguintes conteúdos temáticos:

Recorde-se que neste blog já foram apresentados outros portais geridos por entidades públicas, os quais contêm informações sobre:

Haja saúde!


segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Os moinhos de água da Ribeira Seca - São Roque do Pico, Açores

No passado sábado, 7 de novembro de 2015, foi lançado o mais recente livro de José Carlos Garcia: Os moinhos de água da Ribeira Seca - São Roque do Pico, Açores. No sumário desta obra pode ser lido o seguinte texto:
Neste trabalho de pesquisa sobre os moinhos de água da Ribeira Seca, na freguesia e concelho de São Roque do Pico (Açores), aborda-se a bacia hidrográfica da ribeira, os processos de apropriação e, no contexto destes, os engenhos de moagem, ao nível da tipologia, das formas de articulação, da farinarão de cereais, da organização produtiva e do consumo, no decorrer do século XX, tendo-se ainda procedido ao seu levantamento.

Na apresentação deste livro, que decorreu na sede da Filarmónica União Artista de São Roque do Pico, o apresentador Pe. Júlio Rocha referiu que, graças a este trabalho, os moinhos passaram a ter uma identidade pela primeira vez, destacando também as plantas detalhadas que foram feitas. O autor do livro, José Carlos Garcia, revelou que esta obra é o culminar de cerca de dois anos de trabalho, sobretudo na recolha do testemunho de várias pessoas, garantindo-se assim que fica documentado o património material e imaterial associado a estes moinhos de água. [O canal RASPICO TV tem disponível os seguintes vídeos relacionados com o lançamento desta obra: vídeo 1 | vídeo 2 | vídeo 3.]

É de salientar ainda que estes moinhos da Ribeira Seca, em São Roque do Pico, não só integram a paisagem como são a razão do nome dado ao trilho "Ladeira dos Moinhos", um trilho circular homologado pelo Turismo dos Açores e que regista uma elevada procura pelos amantes das caminhadas pela natureza [link oficial sobre este trilho].

José Carlos Garcia é licenciado em Sociologia pela Universidade dos Açores, sendo também colaborador do Centro de Estudos Etnológicos, Luís da Silva Ribeiro, da Universidade dos Açores. Este autor conta já com várias obras de documentação de património açoriano, com destaque para o singular trabalho de investigação sobre a indústria baleeira e a sua musealização, como é exemplo maior o livro "A Fábrica da Baleia de São Roque do Pico".

Haja saúde!

Post scriptum: Lançamento posterior de livro do mesmo autor: "Carlos Teixeira de Melo (1928-2016): Terapêutica e Arte em Santo Amaro do Pico".

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Radar da PSP no Pico - novembro 2015

Segundo o site da PSP, neste mês de novembro irão ser feitas acções de fiscalização com radar na ilha do Pico, nomeadamente em:
  • 10 de novembro (terça-feira) / 14h00 / Estrada Regional - Santa Luzia - São Roque do Pico;
  • 18 de novembro (quarta-feira) / 08h00 / Estrada Regional - Criação Velha - Madalena.

Haja saúde!

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Agenda Cultural de São Roque do Pico - novembro 2015

A lista das mais diversas atividades que acontecem em São Roque do Pico, no mês de novembro de 2015, encontra-se disponível na Agenda Cultural de São Roque do Pico.

Para aceder a esta agenda clique na imagem seguinte (esta informação ficará sempre visível neste blog: à direita e em cima, na secção "ACONTECE POR AÍ").


No fim deste post apresentam-se, por ordem cronológica, alguns cartazes para os eventos que terão lugar neste mês de novembro.

Haja saúde!
[Nota: este post irá sendo atualizado à medida que forem surgindo mais cartazes, sendo também adicionados links para fotos/vídeos disponibilizados após os eventos.]



Mercado de Trocas e Baldrocas (Jardim Municipal de São Roque do Pico - 1 de novembro):

Lançamento do livro "Os moinhos de água da Ribeira Seca - São Roque do Pico, Açores" (sede da Filarmónica União Artista de São Roque do Pico - 7 de novembro):

Festa de Nossa Senhora do Livramento (Cais do Pico - 8 de novembro):

Comemoração dos 473 anos do Concelho de São Roque do Pico (Paços do Concelho - 10 de novembro):

8º aniversário da Adega A Buraca (Santo António - 13 de novembro):

Sessão de esclarecimento sobre Higiene e Segurança Alimentar (Salão Nobre da CM de São Roque do Pico - 18 de novembro):



















quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Documentário "The Last Whalers" ("Os Últimos Baleeiros") de 1969

Em 1969, William Neufeld fez um documentário sobre a caça à baleia ao largo da ilha do Pico. De seguida apresenta-se este documentário, onde se pode observar alguns dos momentos desta extinta atividade que moldou para sempre a história dos Açores, em geral, e da ilha do Pico, em particular.

Hoje em dia, a memória baleeira está perpetuada na ilha montanha através do Museu da Indústria Baleeira e do Museu dos Baleeiros, os quais merecem sem dúvida uma visita. Para todos aqueles que (ainda) não podem visitá-los presencialmente, uma alternativa é efetuar uma visita virtual através deste link.

Haja saúde!
Nota: por motivos de direitos de privacidade, em alguns computadores o vídeo pode não estar disponível para visualização nesta página; nesses casos, basta clicar em "Watch on Vimeo" para abrir uma nova janela, onde é possível visualizar este vídeo.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Prémios regionais de Cinema e Audiovisual, Escultura e Fotografia

O Governo Regional dos Açores instituiu recentemente três prémios regionais:
Estes são prémios de caráter bienal e que ocorrerão em anos ímpares, sendo que estão acessíveis a cineastas/artistas plásticos/fotógrafos naturais ou residentes nos Açores.

As obras a concurso devem ser inéditas e originais e cada prémio tem um valor pecuniário de 12.000 € divididos da seguinte forma:
O acesso a estes prémios já se encontra disponível, sendo que mais informações sobre os mesmos (nomeadamente regulamentos) podem ser encontradas clicando neste link.

Haja saúde!

[Vencedores do prémio regional de cinema e audiovisual "Ayres d'Aguiar" 2016]
[Vencedores do prémio regional de fotografia "Christiano Júnior" 2016]

domingo, 1 de novembro de 2015

Atualização de horário dos barcos - novembro 2015 - e novos tarifários

Com a chegada de novembro são suprimidas algumas ligações marítimas com a ilha do Pico, nomeadamente na Linha Verde (Pico, São Jorge, Faial):

Todos os horários já atualizados encontram-se disponíveis no separador "Barcos" deste blog.

A partir de hoje, dia 1 de novembro de 2015, entram também em vigor as novas Obrigações de Serviço Público (OSP) no que ao Transporte Marítimo de Passageiros diz respeito [link para um resumo destas obrigações, sendo que no final deste post encontra-se uma apresentação detalhada das mesmas]. Estas OSP dão origem às seguintes tarifas:
  • Tarifa de Adulto
    • Horta/Madalena e Madalena/Horta = 3,60€
    • São Roque do Pico/Velas e Velas/São Roque do Pico = 10,50€
    • Madalena/Velas e Velas/Madalena = 10,50€
    • Horta/São Roque do Pico e São Roque do Pico/Horta = 12,50€
    • Horta/Velas e Velas/Horta = 15,50€
  • Tarifa de Criança (crianças entre os 3 e os 12 anos)
    • Redução de 50% face à Tarifa de Adulto
  • Tarifa Sénior (65 anos ou mais)
    • Redução de 30% face à Tarifa de Adulto
  • Tarifa Cidadão de Mobilidade Reduzida (requer atestado médico comprovando uma incapacidade igual ou superior a 60%)
    • Redução de 30% face à Tarifa de Adulto

Haja saúde!